Transtorno de Personalidade Paranóide – Ciúme doentio – Desconfiança – Diagnóstico e Tratamento

 O Transtorno de Personalidade Paranóide é caracterizado por uma desconfiança difundida, a pessoa desconfia de todos e de tudo, encontrando motivos que são interpretados como um ataque ou possível ataque contra si.

Veja sobre tratamento para ciúme doentio

Veja sobre amor obsessivo

Veja sobre transtorno de personalidade

Veja teste de personalidade

Veja teste de ciúme

Veja testes psicológicos

 

Este transtorno tem início normalmente na idade adulta e apresenta uma variedade de contextos, sendo muito comum a desconfiança entre parceiros, muitas vezes denominado como pessoa muito ciumenta, ciúmes patológico, ciúmes excessivo, desconfiança excessiva, paranóico, etc.

 

As características da pessoa que desenvolve o transtorno paranóide incluem:

 

- Consideram outras pessoas como suspeitas de estarem agindo contra sua pessoa, ou que serão exploradas, irão lhe prejudicar, irão lhe enganar.

- Fica muito preocupado com situações que lhe provocam dúvidas injustificadas, como por exemplo, duvidam da fidelidade de amigos, parentes, etc.

- Não confia em ninguém, mesmo que nunca tenham lhe dado motivo para isso.

- Acha que sempre os outros irão usar de forma maliciosa o conhecimento sobre sua pessoa, percebendo-se ameaçado constantemente.

- Apresenta medo de conversar, pois acha que em todas as conversas tem significados (interesses) ocultos que irão lhe prejudicar ou usar para lhe humilhar.

- Percebe ataques ao seu caráter ou reputação que não são visíveis aos outros e é rápido em reagir e contra-atacar

- Tem suspeita recorrente, sem justificativas, quanto à fidelidade do cônjuge ou do parceiro sexual, desenvolvendo um ciúme patológico.

 

Tratamento do Transtorno de Personalidade Paranóide:

 

Como na maioria dos transtornos de personalidade, a psicoterapia é o tratamento de escolha.

 

Indivíduos com personalidade paranóica apresentam desordem de pensamentos, sentimentos e comportamentos que prejudicam seu cotidiano e sua vida em geral.

 

Apesar de perceberem seus incômodos e acharem que sua vida está totalmente tomada por estes pensamentos e sentimentos, raramente se apresentam para tratamento.

 

Não se deve estranhar, então, que tem havido pouca investigação e resultados que sugiram tipos de tratamentos que são mais eficazes com esse transtorno.

A terapia cognitiva pode ajudar na reestruturação de crenças e pensamentos fazendo confrontação com a realidade, trabalhando técnicas de soluções de problemas, questionamento da realidade, evidências e trabalhando no indivíduo maior autoconfiança, valorização da auto-estima e assertividade.

Já a terapia centrada no cliente pode ser uma abordagem igualmente eficaz, pois enfatiza um simples apoio e acolhimento do cliente, fazendo-o se perceber participativo de sua vida e reconhecendo em si suas dificuldades de auto-estima, valorização e reconstrução pessoal.

 

No entanto, em qualquer processo psicoterápico, o Rapport de construção com uma pessoa que tem esse transtorno, será muito mais difícil do que o habitual devido à paranóia associada ao transtorno. A rescisão antecipada, portanto, é comum.

 

Veja mais sobre transtorno de personalidade paranóide, ciúmes doentio, ciúmes patológico, amor obsessivo, pessoa muito desconfiada, pessoa paranóica, amor doentio, acesse estas categorias no site ou clique nos links desta página.

 

  1. 202 Responses to “Transtorno de Personalidade Paranóide – Ciúme doentio – Desconfiança – Diagnóstico e Tratamento”

  2. Eu possuo está doença, e sofro muito, pois eu sei que todo é fonte da minha cabeça, mas não consigo lutar contra esse pensamentos infundados.
    Já fiz vários tratamentos, alguns amenizaram meus sintomas, mas nenhuma sanou, então começei um processo de readaptação por mim mesma com base em todos os conselhos que ouço e as coisas que leio.
    Se alguém souber de um tratamento eficaz me mande um e-mail para me ajudar.
    Grata.

    By Mara queiroz on Jan 24, 2011

  3. Preciso de ajuda, tenho ciume doentio, e nao sei mais o que fazer pra lidar com isso, esta acabando com minha relaçao, necessito de ajuda por meio de livros e o que estiver possivel via internet.
    Obrigado.

    By Josilaine on Jan 30, 2011

  4. Oi,gostaria que vcs me ajudassem a identificar se meu namorado tem esse transtorno, estamos juntos há 9 anos mas ele sempre foi uma pessoa altamente desconfiada, qualquer gesto, atitude é motivo para ele achar que estou lhe enganando; tem um ciúmes doentio o que me faz sofrer muito também, pois nenhuma dessas desconfianças tem fundamento.
    Ao mesmo tempo que está feliz, animado ele se torna agressivo, responde mal a qualquer pergunta isso de uma hora para outra, geralmente isso ocorre quando ele está bebendo, mas mesmo sem estar sob o usode álcool ele age da mesma forma, todo mundo para ele estar errado ele sempre estar certo e é uma pesoa muito fria.

    By priscila eça on Jan 31, 2011

  5. gostaria que vcs me ajudassem a identificar, namoro a 5 anos meu namorado tem esse transtorno, ele sempre foi uma pessoa altamente desconfiada, qualquer gesto, atitude é motivo para ele achar que estou lhe enganando; tem um ciúmes doentio o que me faz sofrer muito também, pois nenhuma dessas desconfianças tem fundamento.
    Ao mesmo tempo que está feliz carinhoso amoroso, animado ele se torna agressivo, responde mal a qualquer pergunta não entende situação isso de uma hora para outra, ele nao bebe, ele é injusto com a pessoas julga sem ter certesa isso me doi, sitorna uma pessoa fria, as minhas amiga sempre ñ presta, gosta de barroca sem razão, tenho insegurança qdo estamos em festas familiar, eu não vou mais em balada com ele pq me sinto infeliz, td q faço e motico para briga alias ele tem mania de briga, ja levei em psicologa, psiquiatra, não resolveu muito ele tb não continuou a tratamento, gosta muito de fofoca td q conversamos ele conta faz inferninho para q as pessoas fica com raiva de me..tenho sofrido muito termino ele nao aceita ameaça eu acho q nao tem cura esse tipo de problema, mesmo pq a mae de se separou do pai pelo mesmo motivo, por favor me de uma luz mesmo terminado ele tem q ficar bem se nao posso ter problemas pois sofro ameaças eu e minha familia…mesmo pq ele qdo n esta com transtorno ele e uma pessoa maravilhoso muito legal, bomzinho qdo esta em criz tenho medo.

    By selma on Feb 3, 2011

  6. Querida Mara ,

    Eu conheco sim uma pessoa que pode te ajudar a se libertar desse problema seu nome JESUS .
    Ele disse : ” Vinde a mim todos vos que estais cancados e opromidos e eu vos aliviarei >” Mateus 11:28 . Leia a biblia , comece pelo livro de Mateus capitulo apos capitulo na sequencia , procure uma igreja evangelica , peca ajuda . CREIA , ELE PODE SIM TE AJUDAR .
    Fique com a Paz de DEUS
    Ana Lucia

    By Mara Queiros on Feb 20, 2011

  7. tenho esse problema e demorei muito pra aceitar ,so aceitei qndo perdi meu namorado e ele disse qso voltapra mim qndo eu buscar um tratamento,,entao quero buscar,,por favor me ajude. eu tenho vergonha de assmuir meu problema, estou extremamanete ciumenta

    By maria on Apr 8, 2011

  8. Infelizmente nao acredito em cura para essa doença.Casei com uma pessoa que foi dagnosticada como paranoide, e seu quadro era extamente como descrito acima. Evidentemente, que o casamento não deu certo. Pois, é impossível viver com alguém assim. Passa-se a ficar doente também. Contudo gostaria de chamar a ateção de todos para o fat de que não se trata de simples ciumes excessivo, mas de um quadro mais complexo. Tive que procurar muita juda para entender o que ocorria com minha ex-mulher. Pois, achava que o problema era eu pois ela era muio inteligente e capaz na vida ocupacional, uma pessoa boa, cuja a doença lhe tornava uma pessoa fria, doente a ponto e cometer as piores atrocidades e agir como se nada tivesse feito de errado. Sugiro a todos um cuidado muito grande ao tratarem da questao pois, deve-se procurar pessoas adequadas, do contrário profisionais despreparados só pioram o quadro em especial de relacionamento com a pessoa. abraço a todos.

    By alvaro on Apr 8, 2011

  9. Concordo com o sr Alvaro acima. Tive até bem pouco tempo um relacionamento com um homem com traços fortemente paranóicos e narcísicos. Não havia ciúmes aparentes. Apesar de ser uma pessoa fortemente intelectual, com vida profissional estável, apresentava todas as outras características do quadro paranoide. O difícil é o parceiro não paranóico entender isso, principalmente quando desconhece que se trata de um problema e acredita que é ele o errado e acaba ficando doente se não sair da releção. Li u a definição para este transtorno que achei ser a que melhor define o problema: “a paranóia é o que sobrevem quando se perde a dimensão do outro”. O paranóide se encontra em uma outra dimensão da realidade, sofrendo e fazendo sofrer quem está perto e intimamente ligado, pois percebe-se, além de outras características negativas, uma pessoa cujo caráter nao se desintegra. Não consegui aqui na internet nada que dissesse de uma cura para este transtorno. Sr Alvaro, poderia entrar em contato no e-mail anjobial@yahoo.com.br ?

    By Josiane on Apr 18, 2011

  10. Retificando: o caratem nao se mantem, se desintegra.

    By Josiane on Apr 18, 2011

  11. gostaria de saber de um profissional se o medicamento risperidona vai resolver este transtorno pois estou ficando louca com meu marido

    By ana on May 4, 2011

  12. Estou assustada com o que li até agora; sou casada há 20 anos com um homem ciumento, totalmente frio, que imagina coisas que não aconteceram, principamente no relacionamento afetivo; precisei sair de um emprego de 12 anos, estável, funcionária pública, pois ele achava que eu estava traíndo-o com todo mundo, tem ciúmes até do irmaõ e dos cunhados. Xinga muito, não respeita ninguém, faz coisas por impulsividade, que até Deus duvida. Hj quem sofre mais são os meus quatro filhos. Não sei o que devo fazer, pois ele não aceita que está doente, ele diz que a doente sou eu. Estou sem profissão, em casa, sem dinheiro nenhum, pois ele não me dá, pois acha que irei gastar com homens, vejo meus filhos sofrendo e ficando doentes como eu. Gostaria que alguém pudesse me ajudar. Sou evangélica e ele também, aliás, ele se esconde atra´s da religião. Na igreja é uma pessso, boa, amavel, já em casa é um louco, agressivo, frio, calculista. Me ajudem por favor.

    By Renata on May 10, 2011

  13. Sofro de ciúmes, mas dewsa vez passei dos meus limites. Não sei o que fazer estou desesperada, desferi tapas contra a pessoa que eu mais amo nesse mundo. Que me proporcionou para mime para minha filha felicidade completa. Por mais tenhas errado, minha conduta foi lamental não consigo me perdoar. Não sei o que fazer, amo muito , sei que é dificil acreditar que quem ama pode fazer isso. Coma razão de viver.
    Já fui agressiva em palavras, mas tapas e socos nunca havia feito, não me reconheci, senti veergonha e agora estou desperada porque eu amo muito. Eu devo tudo a essa pessoa, e arrunei minha vida por odio de pessoas que eu achei que me fizeram mal, ams desxontei em alguem que me ama profundamente, mas que nesse momento não quer chegar perto de mim.
    Já pedi perdão, mesmo sabendo que é imperdoavel, pedi perdão a familia, por mais imperdoável. Sou completamente apaixonada por essa pessoa e meu desespero é não ve lo nunca mias. =(
    Me ajudem por favor

    By ca on May 11, 2011

  14. Sinceramente estou apavorada com esse texto. Meu namorado é exatamente essa pessoa, que desconfia de tudo que eu faço, acha que tenho outros casos e me proibiu de falar com qulquer homem. Ele já teve várias crises de ciumes por coisas sem explicação e chegou a apresentar um comportamento agressivo. Eu o amo mas tenho muito medo, cheguei a pensar que ele fosse bipolar, pois muda tanto que até o rosto se transforma quando fica com raiva ou ciúmes.
    Fizemos planos de casamento, mas ele tem crises e simplesmente me manda embora da vida dele sempre que desconfia. Ele me afastou dos meus amigos e até da familia, ele tem uma raiva das pessoas sem nenhum explicação. Pra ele meus amigos todos querem me levar pro mau caminho e tirar de perto dele.

    By Vivis on Jun 7, 2011

  15. Estou sofrendo disso, minha vida está muito difícil porque tenho um ciumes compulsivo da minha namorada e passo 24 horas pensando q ela está me traindo ou fazendo coisa errado. Decidimos dar um tempo e eu resolvi procurar ajuda. Por enquanto estou somente lendo e conhecendo as histórias e relatos de outras pessoas afim de tentar mudar por si próprio e sem a necessidade de ajuda psiquiátrica. Espero que Deus me ajude e quem puder me ajudar me mande conselhos! Obrigado.

    By Vinicius on Jul 7, 2011

  16. Gostaria que me ajudassem. Sou casada a doze anos com um homem que sofre de cíume doentio, nunca me agrediu fisicamente, mas me fala coisas horriveis, mexe no meu celular, e tudo é motivo pra briga. se encomoda até com os esmaltes e calçados que uso. ficamos separados durante um ano. e resolvemos voltar, pois parecia que tinha mudado… mas infelismente não!! não sei mais oque fazer, tem ciúmes de tudo que faço, até da minha familia… dos meus filhos… me ajudem

    By ana paula on Jul 18, 2011

  17. acabei um relacionamento a pouquissimo tempo porque descobri que meu namorado era doente, desconfiado de um passarinho que voou perto de mim, com certeza esse passarinho veio trazer um recado do meu amante, coisa que existe na sua cabeça de pinico, obssessiva. Já apanhei dele por conta da loucura da sua mente, sofri geral, apanhei e me comportei como se tivesse recebido um monte de beijos, kkkkk, só posso ser louca também. No outro dia, ele ficou a madrugada toda moendo que eu assumisse meu romance com uma determinada pessoa que só existe na sua imaginação louca, meu Deus, como é horrível se relacionar com alguém de cabeça doente, tentei sair da vida dele, mas não consegui, precisei passar por novas torturas mentais e emocionais para dar o relacionamento por encerrado, deixei de atender suas ligações telefonicas porque se falar com ele, corro risco de fracassar novamente e continuar esse relacionamento que pode me levar a óbito. Gostava e gosto dele, mas tenho que gostar mais de mim, não quero morrer nas mãos desse psicopata.

    By Therese Christine Malzac on Jul 18, 2011

  18. olá meu nome é rodrigo e eu tenho muito ciumes de minha ex-namorada. eu ñão demonstro nada, pois sei pode ser coisa de minha cabeça, mas se eu desconfio que ela está com outro eu fico muito incomodado e furioso, mas graças a Deus eu não externizo isso. será que esse meu caso pode ser doença? o que faço?

    By rodrigo on Jul 22, 2011

  19. tenho tanto ciume que sei que estou acabando com minha vida mas a desconfiança è muito maior desconfio de tudo moro com uma mulher e achei que fosse diferente, o meu medo de perde-la è tao grande…..

    By kelly cristinaa on Aug 4, 2011

  20. gostaria de compartilhar com todos os que tem tais sentimentos… pois eu ja os tive…e posso dizer que ajuda muito agente ter amor proprio, ler assuntos interessantes, atividade fisicas e sem comentarios,e otimo, DEUS em 1º lugar,depois filhos e marido, familia, nao devemos ser o centro das atençoes mas, mimarmos a nos mesmos,espero que certo p/ vcs tambem.fique com DEUS.

    By luciana on Aug 5, 2011

  21. talvez, se tenha que encarar como um desafio(com ou sem medicamentos)- assim como, em um determinado momento, é necessário uma reeducação alimentar, tbm é necessário uma reeducação emocional (pensamentos e emoções repetitivos, são facilmente detectados, tanto quanto suas repercussões – é o processo iniciando) – dê um PARE,preste atenção em seus pensamentos e emoções, respire e direcione seu foco prá algo que goste (radicalize) – depois de superar tal momento (esforçaando-se consegue-se), procure “alimentos” para seu cérebro se fortalecer contra novas investidas da doença.
    “alimentos”: todo e quaisquer material relacionado à doença(qtº mais conhecimento, mais domínio sobre aquilo que faz sofrer); atividades cognitivas (redirecionam os pensamentos e emoções nocivas que revertem-se em resultados benéficos).
    Não contribua para sua própria destruição.

    By arikem on Aug 15, 2011

  22. sofro com esse problema mas nunca fui atras de tratamento. eu e meu marido brigamos frequentemente por causa do meu ciume. tudo que ele me diz e motivo de desconfiança eu o amo muito mas nao controlo meus impulsos preciso de ajuda eu sei que meu marido me ama muito pois ele ja me perdoou diversas vezes me ajudem

    By KATLEN on Aug 16, 2011

  23. estou com esse problema de ciume doentio,n consigo controlar e ms forte que eu…me ajuda por faavor se nao vou perder meu namorado.ele ja me perdoou varias vzs s tudo tem limite.e acho que ele pode me dixar por isso…

    By fabiana on Sep 3, 2011

  24. Oi,gostaria que vcs me ajudassem a identificar se meu marido tem esse transtorno, estamos junto com ele há 4 anos mas ele ,tem ciumes da minha familia, ciumes das pessoas que trabalhão comigo,fiz aniversario estes dias e ele ficou com ciumes de um relógio que o gerente me deu pra me agradar, pois todos me acham um pessoa querida e nem sabe como me agradar, ele ficou uma semana me tratando friamente sem falar comigo não sei o que fazer estou cansada deste relacionamento, pois faço o possivel para agrada ló e fazer o que ele gosta taves este cheja o meu mal.

    By cris on Sep 9, 2011

  25. Oi, estou pesquisando mais sobre os transtornos de personalidade, pois, temos uma amiga que nos deixa preocupados. Ela pega situações de outras pessoas e coloca como se fossem dela, inventa histórias, pessoas, situações que sabemos que não existem, porem, ela acredita nas proprias mentiras. Gosta de fazer certas intrigas e manipula nosso grupo de amigos, ela mostra que sabe de tudo e todos, gostaríamos de saber se essa personalidade se encaixa na Esquizóide ou nessa da Paranóide ou em outro tipo de personalidade. Gostariamos tambem de saber se isso é um problema serio do qual precisamos ficar atentos, pois, os sintomas que descrevi são alguns dos que ela apresenta. Obrigada

    By Suh on Sep 19, 2011

  26. Cara Suh,

    este quadro e exatamente caracteristico do paranoide.

    By alvaro on Nov 10, 2011

  27. eu ainda passo pelas mesmas situações descritas acima,há quase dois anos.estou tentando mostrar ao meu namorado que ele está doente mas,como já desconfiava,ele jamais irá aceitar a verdade.pelo menos não de mim.ele diz que vai embora,prefiro que ele vá,mas tbm quero que ele se cure.tentarei conduzi-lo a tratar-se sem que ele perceba ainda não sei se vai dar certo,pois meu medo é que ele se suicide como ameaçara.pra todos que ja postaram pedindo ajuda respondo que pelo tempo que estive com meu namorado percebi que é melhor terminar e tentar ajuda-lo atravez de um amigo ou pedindo ajuda ao seus familiares pois enquanto tentar ajuda-lo ele irá dizer que vc só está tentando convencê-lo p não admitir que o trai,estou errada?pois é assim, infelizmente.obrigada pela atenção.e por favor qm conhecer alguém com este transtorno,jamais o abandone por completo pq pessoas assim não precisam de julgamento e sim de ajuda.

    By handria flores on Nov 15, 2011

  28. olá , namoro a pouco tempoo , aá 1 mes , mais isso vem de muito tempo a atraz ja namorei varias vezes e axo q meus namoros sempre acabaão por causa desses ciumes execivos não conssigo controlar e masi forte que eu , axo que se eu não mudar agr isso pode me prejudica no presente e no futuro ,não qero perder minha namorada gosto muito dela , e ela gosta muito de mim tambem porque ela ja me perduou varias vezes , eu tenho ciumes de todos e de tudo , não gosto q ela sai sem eu ,não gsto que ela cv com homem , não gsto q ela vai pra lugar nenhum sem eu e isso ja ta começando a me prejudicar , porq ela nunca deu motivo pra mim desconfiar dela e não qro perder ela , li muitas coisas aki que me ajudou bastante e eu descidi que apartir de hj sou um novo homem , vo penssar antes de fazer atitudes inutil , e que isso tudo a da minha cabeça eu tenho esse poblema e vou lutar para vencelo , veja esse poblema não como uma indiferença mais sim como uma conquista tente ser maior que o poblema n deixe qe o poblema seja maior que vcs! isso sufocas as pessoas intão penssem em si msm e mudem porq isso são coisas da cabeça da gnt se vcs fizerem isso pode ter certeza q serão muito felizes com as pessoas q vcs amaão , obgado pelas respostas elas me encentivol a mudar , e não somente peção a Deus como agradeça a ele a cada dia por suas vidas e suas conquistas !

    By vinicius ' on Nov 19, 2011

  29. namoro uma mulher que tem ciúmes demais, com atitudes que a cada dia me espanta mais. Qualquer coisa, mesmo que tenham acontecido antes de conhecê-la, é motivo para brigas e quase que invariavelmente com xingamentos e agressividade, não física, mas com palavras, que me espantam pelo ódio que demonstra. Rebusca mensagens no celular, facebook, etc.. se encontra qualquer coisa, qualquer comentário que seja de uma mulher, comentários normais sobre trabalho, situações, coisa sem importância, já que todos sabem do meu relacionamento com ela, já diz que dei oportunidade para que se aproximassem. Isso está me deixando louco, já não durmo mais direito, não me alimento como deveria, acho que estou ficando doente com isso.
    Gosto muito dela, mas vai chegar determinado momento que não vou mais aguentar. Como devemos proceder, como agir com pessoas que tem esse tipo de atitudes? Pesquisei e até conversei com um amigo que médico, e as atitudes dela se assemelham ao transtorno de personalidade paranóide. Alguém pode me ajudar?

    By Johnny on Dec 9, 2011

  30. Procurem um psiquiatra. Sertralina é ótimo para isso, como dosagem para TOC – Transtorno Obssessivo Compulsivo.

    By cris on Dec 9, 2011

  31. Gente, eu acho que tenho isso mas não possuo todas as caracteristicas relacionadas a cima. Estou lendo, o que por sinal está me ajudando mto, um livro que se chama “O Poder do Subconsciente do Dr. Joseph Murphy”. Procurem por esse livro. É um ótimo começo para quem quer ter um autocontrole maior. Ele ensina como nosso consciente funciona interligado com nosso inconsciente. Nossa mente tem a inteligencia infinita e tudo o que procuramos está dentro de nós mesmos. O poder da mente move montanhas. Levem isso ao pé da letra… Eu sou mais um que começou seus estudos da mente ha pouco tempo e tenho ctz que conseguirei me controlar e nao farei mais ninguem sofrer. Eu era muito pior, extremamente ciumento e descontroilado. A cada dia que passa sei que estou melhorando por conta de minha propria mente. Boa sorte a todos. Fiquem com Deus.

    Jorge Mello

    By Jorge on Dec 19, 2011

  32. ola amigos , li todas as mensagens . nao sei dizer ao certo se tenho esse transtorno , mas posso afirmar que estou com problemas . inclusive ja estou em tratamento .tambem posso dizer que e´ um tormento esses pensamentos e sentimentos ruins que vem a cabeça .nos ultimos dias tenho conseguido controlar bastante esses pensamentos , tendo a consciencia que nao sao reais e que posso ser mais fortes do que eles.nao e´ tarefa facil , nem um pouco , mas com ajuda e tratamento acho que posso ficar bem .tenho sido ao longo desses meus 34 anos uma pessoa impulsiva , de mudança facil de humor e muito ciumento. precisou meu casamento estar prestes a terminar pra que eu pude-se perceber o que realmente estava acontecendo.ainda bem que consegui aceitar a tempo de ficar bom e me tratar . saibam que todo o sofrimento causado por esses transtornos de personalidade podem ser remediados , com psicoterapia e ate mesmo medicaçao , mas sempre receitado por um especialista. mas o principal para ficar bem e´ sem duvida a fe´.temos que orar e pedir a deus ajuda , sempre que esses pensamentos surgirem na nossa frente. tendo fe´ que podemos ser mais fortes ja estaremos andado metade do caminho para ficarmos curados , essa luta nao e´ facil , mas como tudo na vida tem seu preço estou disposto a pagar o preço que for para ter minha familia de volta. nunca desistam porque deus nunca desiste da gente. tenham fe´ e a pratiquem , nao fiquem achando que nao tem soluçao , tem sim , esta mais perto do que a gente pensa. fiquem com deus e acreditem sempre , pensando assim esses pensamentos ruins estarao com os dias contados. abraços a todos

    By cristian on Jan 15, 2012

  33. olá, preciso de ajudar.. tenho o transtorno e estou sofrendo por isso, não sei o que fazer, é mais forte que eu!

    By não identificarei on Jan 30, 2012

  34. Eu namorei por 4 anos um rapaz que tinha todos os sintomas de Transtorno da Personalidade Paranóide, sofri demais com todas as acusações injustas que ele me fez e por muitas vezes até me senti culpada. Ele desconfiava de todos os meus movimentos, simplesmente via maldade em tudo que eu fazia, até mexer no cabelo era motivo de desconfiança, chegou a afirmar que eu olhava para os amigos, os cunhados, e até para o pai dele, ele demonstrava ter muito medo em me perder, era possessimo e muito inseguro,…(era um inferno) enfim terminamos entre muitas brigas e pior por telefone, em menos de um mês ele iniciou um novo relacionamento, acredito que por pirraça, é obvio que sofri muito quando soube, terminamos devido a falta de confiança dele em mim, mas eu ainda o amo. Como perdemos contato não tenho a menor idéia de como ele se comporta com sua nova namorada, com a maior frieza do mundo, chegou a descrever coisas que ela fazia e que eu nunca fiz, etc, não teve a menor consideração por mim, pela nossa história… pensar que durante 4 anos tentei fazer com que ele confiasse em mim e ele simplemente desistiu de tudo e colocou outra no meu lugar, doeu d+, talvez se eu tivesse consciencia que o que ele tinha era uma doença, passivel de cura, talvez nosso final seria diferente! (até agora estou tentando me recompor dessa péssima experiência)

    By No name on Feb 13, 2012

  35. Acabei descobrindo esses tempos que também tenho essa tal de paranóide. O pior é que é mais forte que eu. Por mais que meu subconsciente saiba que não existe nada, tem algo que fala pra mim ter ciúmes obsessivos. E NÃO CONSIGO CONTROLAR É MUITO MAIS FORTE QUE EU. Queria ajuda de alguns livros se puderem me mandar, por favoooooooooooooooooor.

    By Não identificarei on Feb 14, 2012

  36. Esse texto me mostrou uma verdade que eu não sabia. Sempre fui muito desconfiado com todos que amo, seja mulheres, família ou amigos, sempre achando que tudo era normal e justificando com coisas que aconteceram no passado. Ontem precisei procurar uma forma de tratar a minha desconfiança, no google me deparar com este artigo e vi que o que acontece comigo na verdade é mais profundo. Sou exatamente o que o texto descreve, sempre com um pé atrás com as pessoas e evitando aproximações. Estou pensando neste momento quantas pessoas eu afastei da minha vida por conta de eu ser assim. A realidade quando chega machuca muito… Vou procurar o tratamento específico para mim. Não tenham vergonha de dizer isso para as pessoas mais próximas de vocês, eles podem te ajudar igual as pessoas que estão próximas a mim hoje estão me ajudando, mesmo eu tendo magoado eles tanto.

    By Thiago on Feb 21, 2012

  37. Moça que namorou a 4 anos, o meu caso é quase iagual a o seu, ainda bem q vc se livrou dele, eu não tive esta sorte, o meu namoro era igual ao seu ele desconfiava de tudo e de todos eu não podia nem olhar dos lados….o meu amor foi acabando e eu terminava com ele ele me ameaçava em me matar, até que um dia ela quase conseguiu, sempre sofri sozinha, naõ contava pra ninguem, quando fui me formar decidi ir embora para os EUA e ele não se conformava, vc acredita que ele me engravidou de propósito só para eu não ir embora, pois se eu fosse ficaria 1 ano lá e na volta eu não queria mais namora-lo, pois o meu amor já tinha se acabado….ele me engravidou e me ameaçava de me matar e matar o bb, depois de tudo isso só piorou eu sofro até hj, já dei parte na delegacia da mulher que nada fez, a minha cabeça esta perturbada eu me afastei de amigos e familia por causa dele e hj estou psicologicamente muito ruim vc nem imagina, ainda bem que vc saiu desta pois isso não tem cura, o doente tem muito que querer esta cura e els não se acham doentes eles acham que o resto do mundo é doente menos eles, tentai tratamento com ele, mas foi em vão, pois ele falava que eu queria que ele fosse no médico para distrair ele enquanto eu saia com outro, nunca fiz isso nem quando namorava, sou frustrada por nunca ter namorado ninguem, pois ele foi o meu 1º namorado, vc naõ sabe como isso doi dentro de mim.É um inferno a minha vida, quando eu penso que esta melhorando ele vem me ofendendo falando um monte de besteira que ele tem na cabeça dele, mas eu li muito sobre este assunto estou quase PHD,ele teve uma infancia terrivel e a mãe dele não era flor q se cheirasse, e ele via muita coisa errad pois as tias que moravam na mesma casa tbm eram bem bsicates e ele foi vendo isso quando era criança e na cabeça dele nenhuma mulher presta, todas são biscates, tudo isso é trauma de infancia, tente lembrar do seu ex namorado e veja a infancia dele teve alguma coisa que o marcou demais, pode ter certeza.
    Outra coisa trantornos NÃO TEM CURA, só se a pessoa quiser muito e estar conciente que ela tem esse diagnostico, caso contrario, eles se acham normais.
    Fica com Deus, pois é so ele que me fortalece.

    By Nana on Mar 7, 2012

  38. Tenho um relacionamento e meu companheiro tem todas as caracterisiticas deste transtorno. Simplesmente é muito difícil. Ele vem de família humilde, então há um desconhecimento muito grande. São evangelicos e a única coisa que minha sogra diz é para eu ir na igreja rezar, porque na cabeça delas o problema é sempre com a mulher e não com ele, eu sou a quarta na vida dele e todas, agora sei, passaram por isso, inclusive violenta física. É muito difícil, eu tô desistindo.

    By Sasa on Apr 23, 2012

  39. Li o depoimento da Nana, e dos demais tbm, meu pai é assim. Vivo num tormento a 10 anos já, mas os últimos 2 anos tem sido super terríveis. Ele é fissurado por sexo, desconfia de todas as pessoas, faz planos mirabolantes p/ atrapalhar quem rodeia ele. Busca interferir ao máximo na minha vida e na da minha mãe. Faz discussões por quaisquer motivos, daí quebra xícara, joga panela cheia no chão… Chegou a tentar envenenar duas vezes minha mãe e tentou suicídio 3 vezes mas p/ que eu (filha) morresse junto (tentou jogar o carro numa ribanceira 3 vezes comigo dentro), isso entre outras coisas menores e diárias que ele faz. Já busquei inúmeras vezes ajuda, tanto médica quanto dos amigos e familiares, mas ele não aceita tomar nenhum remédio nem nada. Ele tenta me prejudicar (a mim e à minha mãe) até no trabalho, parece mesmo um psicopata. É super inteligente, p/ as outras pessoas é um doce e vive fofocando mentiras sobre mim e minha mãe p/ as pessoas. Se faz de vítima o tempo todo. A última vez que eu tentei conversar pq eu queria que ele fosse no médico, eu propus pagar o tratamento, ele literalmente, cuspiu no meu rosto. A cada dia que passa ele fica pior, é super vingativo, mas nunca teve motivos p/ querer se vingar de alguém, ele cria os motivos na cabeça dele e se vinga das pessoas. E não faz coisas leves não, tenho muito medo pq ele é capaz do pior. Minha mãe cansou de fazer boletins de ocorrência que de nada adiantaram, quando ele se altera muito, ele bate em nós duas, se vangloria por ser ”homem” e muitas vezes aconteceu dele fazer tudo isso e ainda mostrar o pênis dele p/ nós, alegando que ele era ”homem”. Na última vez que fez isso, a discussão era só com minha mãe. Eu interferi e dei uma bicuda na virilha dele. Desde esse dia pelo menos ele não fez mais o showzinho de mostrar o órgão. Ele não deixa minha mãe trabalhar pq tem ciúmes doentio, e tenta me atrapalhar no meu serviço pq teme que eu seja melhor do que ele, conquiste mais coisas na vida do que ele… Hoje mesmo eu tomei a decisão de esquecê-lo e tentar viver p/ minha vida. Sou filha única, tenho medo de ir morar fora pq não posso abandonar minha mãe. Ela já é uma senhora e não tem como sobreviver ao lado desse doente. Gostaria que alguém entendido me auxiliasse. Obrigada.

    By Thati on May 22, 2012

  40. Proponho fazermos um grupo no msn que possamos conversar trocar experiencias e ajudar uns aos outros.. quem quiser entra em contato comigo.. powermito@live.com

    By Daiane on May 22, 2012

  41. Gostaria muito de ouvir de um de vocês um final feliz. No meu caso foi a pior experiência da minha vida.
    Um aviso aos que tem um relacionamento assim, caiam fora o quanto antes, melhor pra vocês, pessoas assim não tem amor a nada quanto mais ao próximo, são dissimuladas e manipuladoras, vão conseguindo tudo o que querem, e quando encontram uma virgula fora do lugar sobra pra você.Eu que o diga, apanhei diversas vezes sem motivo, a ultima contarei aqui pra vocês verem o que uma pessoal assim é capaz de fazer.
    Ele já tinha me batido milhões de outras vezes e eu comecei a revidar pra ver se parava, não adiantou, depois de juras de amor eterno ( que é o que eles sempre fazem) eu prometi pra ele que nunca mais encostaria nele com a intenção de machuca-lo de novo,

    By Jeniffer on Jun 4, 2012

  42. Vivi 4 anos com uma pessoa com transtorno de personalidade paranóide, acreditem que é como descer o inferno. A desconfiança, a hostilidade e frieza de comportamento acabam por nos por doentes tambem. Pessoalmente não acredito em tratamentos, o melhor é o afastamento.

    By Manuela on Jun 28, 2012

  43. Eu sou mto ciumento e nao sei oque fazer qualque coisa que a minha namorada fais ow sai eu ja axo que ela ta me traindo algo assim e sofro mto por isso entao quero ajuda por favor me ajudem fiquem com deus abrss

    By Erick on Jul 4, 2012

  44. Os ciumes obsessivos nao são uma caracteristica unica do transtorno de personalidade paranoide, aliás os ciumes neste transtorno apresentam-se como um delirio constante, sem nexo e sem fundamento pois a realidade criada pelo doente com este transtorno, é uma realidade paralela que eles acreditam existir.
    É dificil diagnosticar esta doença, só quem vive uma experiencia e é vitima dela vai percebendo que os comportamentos não são adequados e normais.Vivi ao lado de uma pessoa assim, no inicio pensava que eram apenas ciumes exagerados, fui desculpando as atitudes e as discuções. Com o passar do tempo fui percebendo que os traços de personalidade eram estranhos, pois a agressividade verbal não se coadunava com o sentimento de AMOR. O sarcasmo verbal, a falta de afecto e ternura eram uma constante. Muitas vezes perguntava-lhe ” Como podes dizer que me amas se me magoas com acusações infundadas sobre a minha fidelidade?” A resposta era sempre a mesma … ” Tu é que me magoas com o que me fazes”. Pior que isto, é que estas pessoas têm um certo prazer em desdenhar do outro, criticar, rebaixar o outro até ao limite, a ironia é uma constante e o afastamento hostil torna-se um pesadelo para quem ama estas pessoas.Culpam sistemáticamente o outro das suas frustrações, pois eles é que estão certos e nunca erram. Nunca assumem culpa de nada, porque são perfeitos.Falo de uma pessoa a quem diagnostiquei desde cedo a doença, procurei convence-la a um tratamento mas o resultado foi o pior. Acabou a relação com a maior das friezas, depois disso perseguiu-me com telefonemas anónimos durante 2 anos, sempre num controlo da minha vida. A mim apenas me vê como um objecto que lhe fez mal e que não perdoa nunca, sem perceber o quanto me fez sofrer na luta por amar alguem assim.
    Acreditem que estas pessoas não conhecem o AMOR, a TERNURA os AFECTOS, e o RESPEITO. Hoje, depois de muito ler sobre o assunto, acredito que se trata de uma pré-fase da esquisófrenia.

    By Maria on Jul 8, 2012

  45. Tive um relacionamento a 10 anos com uma pessoa assim, que descofiava de tudo e de todos, o resultado foi o fim do relacioanmento que tinha tudo pra ser perfeito com muita agressão e hostilidade…ele sonhava que me via com outros homens e acreditava ser um aviso esses sonhos…ele acha que a mãe quer envenená-lo com a comida. tentei uma aproximação depois de 8 anos e ele acha que eu faço trabalhos de umbanda e coloquei alguma coisa na casa dele… tentei a aproximação porque o amo…ele é extremamente inteligente e carinhoso quando não tem essas crises… e atualmente pesquiso para descobrir a melhor maneira de ajuda-lo…e está sendo muito dificil , tenho medo que ele morra de tanto beber…

    By Paola on Aug 19, 2012

  46. Boa noite,
    É uma doença que vai deteriorando as relaçoes e a própria pessoa, pois com o passar dos anos, os amigos e colegas de trabalho são os primeiros a se afastarem. Depois a familia vai aos poucos se afastando e deixando de convidar as pessoas, ou se for a familia do conjuge contrário, só convida pela por conveniência. Eu compreendo perfeitamente toda a evolução dessa doença por ter vivenciado dia a dia com meu ex-marido. No ínicio, é como dizem “ciumes demais”, depois começei a perceber que era mesmo um ciume doentio, e fui deixando de fazer certas coisas para evitar brigas, deixei de ir no cursinho e desisti da faculdade, deixei de ir a entrevistas de emprego, e aos poucos me afastando da minha familia, até em festa de casamento deixei de ir porque ele “não se dava com a familia da noiva”…como me arrependo desse dia…depois notei que foram brigas e desconfianças infundadas, mas já estava completamente comprometida psicologicamente, eu COMEÇEI A ADOECER JUNTO COM ELE. Já não vivia mais, se eu fosse ao supermercado tinha que ligar avisando, ele colocava durex na porta quando sai para o trabalho pra saber se eu tinha saido de casa sem avisa-lo(isso só descobri depois). Sempre a culpa era minha, em tudo, ele dizia que eu provocava situações dubias pra faze=lo ter desconfiaças….enfim…foram 10 anos de casamento. Quando eu completei 32 anos senti a vontade de ser mãe, mas era financeiramente dependente dele…e mesmo sabendo que ele seria a ultima pessoa para ser pai de um filho meu, o meu desejo de ser mãe foi mais alto. Mas foi minha salvação. Ser mãe me devolveu a força de me libertar dele…foi a força que eu precisava, o sopro de vida pra me tirar daquela situação. Foi uma fase muito dificil a gravidez, o primeiro ano, mas eu sabia que ia me libertar, eu passei em um concurso federal e fui trabalhar, começei a me impor e fui ficando mais agressiva com ele, já não me importava mais, já não ligava pra o que ele me dizia, já não sentia medo dele. Durante meu casamento, quando eu era submissa a ele, juro que tentei ajuda-lo, fui a médicos, psiquiatras, e ouvir dos profissionais que ele era doente me entristessia, mas tentei e imaginei que o tratamento lhe curaria. Ele desistiu de 3 tratamentos que eu inicie pra ele. E desisti. Da ultima vez fizemos terapia juntos e me ajudou muito. De certa forma me libertei. No fim do ano falei que ia deixa-lo, que já podia me sustentar sozinha, desde então as brigas são constantes, mas não recuei,fui firme, entrei com o processo de divorcio, e neste ano saiu. Consensual!!!..rsrrs até hoje não sei como consegui. talvez tenha sido deus me ajudando. Hoje, eu luto pra que ele saia de casa. Todos os dias, ele me pede pra ficar e todos os dias eu o mando embora. Digo que não há mais possibilidade de vivermos juntos. Nos ultimos dias as brigas tem ficado mais sérias, mas eu não recuo, mas tenho imaginado até que ponto ele aguentará, e meu maior medo é dele surtar de vez. E cometer uma loucura comigo, como me matar em um momento insano….sei que esta chegando no limite da situação e penso em sair e ficar em um hotel com minha filha de 3 anos. Eu sei que seria o certo a fazer. Só digo que a quem está iniciando a conviv~encia de alguem com esse transtorno, é: Fique longe o mais rápido possível, se voce se apaixonar, tenha a certeza que não dará certo. Isso é sério. Deus me ajude a voltar a viver em paz em uma casa so minha, e nunca mais me deixar repetir este mesmo erro.

    By anna on Aug 19, 2012

  47. Gostaria de complementar meu cometário acima. Se filhos pequenos estão envolvidos, assim como no meu caso, onde tenho uma filha de 3 anos, digo que eles começam a perceber a diferença de comportamento do pai que sofre desse transtorno.Minha filha por diversas vezes já me disse coisas como :P apai é bobo, vive brigando, ou Papai não brinca comigo e não quero ficar com ele, quero ficar com minha mãe; Papai deixa a mamãe em paz, saí do quarto. Enfim, são situações que não quero que ela conviva….foi eu quem cometeu o erro, eu vou consertar. Boa sorte a todos.
    Anna

    By anna on Aug 19, 2012

  48. O que eu mais acho estranho e louvável é o amor que sentimos por essas pessoas dignas de pena, não dá pra sentir ódio..
    eu só quero o bem dele
    ainda o amo
    mas acho que não tem cura

    By Paola on Aug 22, 2012

  49. Exatamente como disse a Paola, não tem como odiá-los, mesmo que eles nos deem motivos pra isso… não vou contar a minha historia aqui pq seria uma repetição de tudo o que foi dito nos comentários, os comportamentos dos paranoides seguem um padrão, é incrivel como eles fazem as mesmas coisas… já desabafei bastante com amigos que consegui de volta depois que me separei, agora estou na fase de resgatar a minha vida de volta e tudo o que ele tirou de mim: amigos, vida social, família, direito de ir e vir, enfim direito de viver! Mas não é nada fácil, pois a gente se sente fracassada, sem forças… Depois que entendemos a doença tudo fica claro, e vemos que não foi de repente, eles sempre dão sinais que ha alguma coisa de errado, a gente que não percebe, fica tentando fazer o relacionamento dar certo… o meu durou apenas 8 meses, mas hoje me sinto liberta… e tenho muita pena dele, não consigo ter raiva… e ainda por cima o amo demais, isso é o que está sendo mais dificil resolver dentro de mim…

    By Rosana on Sep 13, 2012

  50. Sou paranóide.
    Peço perdão a todos àqueles a quem fiz sofrer. Peço perdão por não conseguir ser a pessoa que sonhei ser, ter uma família, tornar a vida de meus familiares ainda melhor, ser feliz.
    Sei que não mereço perdão, apesar de não ser extremo nos padrões comportamentais de um paranóide.
    Atualmente acredito que o isolamento será o melhor remédio.
    Não envolver pessoas nesse meu mundo distorcido. Evitar causar frustações, tristeza, sofrimento e impotência de pessoas amadas diante de um problema tão sério.
    Lamento ser assim.
    Desejo que todos vocês que se relacionaram ou que se relacionam com paranóides consigam voltar a ter uma vida normal.

    By Roberto on Sep 27, 2012

  51. Roberto, que bom que vc tem a consciência de ser um paranoide, e tem também a consciência de quanto mal causa a pessoas amadas e a si próprio por causa desse problema ou transtorno, prefiro chamar de doença, pois ninguém quer ser assim, da mesma forma que ninguém deseja estar doente… Acredito que ter essa consciência, saber e admitir que se tem essa doença já é um grande passo na busca de uma melhora, para se evitar a destruição de relacionamentos que ela causa. Só discordo de você, se me permite essa troca de idéias, quando você diz que lamenta ser assim e que o isolamento é o melhor remédio… já que você sabe o que tem e aceita essa realidade, não deveria se conformar com ela e se isolar do mundo, mas sim buscar um tratamento, pois ele existe, e dá pra ter uma convivência boa, um relacionamento normal se a pessoa consegue controlar os sintomas, o que é possível com terapia e medicação apropriada. Se as pessoas buscassem o tratamento adequado, muitas separações poderiam ser evitadas, como a minha própria separação, que foi uma coisa que eu não queria, pois amo muito meu ex-marido, e não queria estar longe dele agora, mas não houve outro jeito, ele não quis se tratar e a situação ficou insustentável… gostaria imensamente que o meu sofrimento e o de outras pessoas pudesse ser evitado, pois a separação quando ainda existe amor é uma das piores coisas que existe. Me desculpe, mas não me conformo por ter perdido o grande amor da minha vida pra essa doença maldita… Boa sorte a todos que vivem essa cruel realidade…

    By Rosana on Oct 3, 2012

  52. Estou enfrentando um momento difícil, pois acredito que meu marido tenha esse transtorno.
    Gostaria de conversar com alguém que tenha convivido/esteja convivendo com alguém que possui esse transtorno.

    email: fapaiva68@hotmail.com

    By Fabiana on Oct 17, 2012

  53. Olá Fabiana, estou entrando em contato contigo pelo email que vc postou, ok?
    Abraços
    Rosana

    By Rosana on Oct 18, 2012

  54. pelo visto as histórias se repetem, como aminha, tenho 2 bebes com meu marido, e depois do nasciemnto de nosso segundo filho hoje com 2 aninhos, ele piorou muito, estamos juntos a 6 anos, mas hoje tenho um bom emprego, e como ele pensa que fiquei mais bonita depois dos filhos, o ciume dele é muito dificil, vejo que ele sofre, e me magoa com sus atitudes paranoicas!!!me liga varias vezes ao dia, tem ciume de todos, até de mulheres, e muito dificil, na verdade tenho pena dele pq se ele não briga ele fica muito triste, quieto acreditando nas suas propriaas desconfianças, eu o amo demais não sei mais o que fazer!!!!mas como nosso filho de 4 anos, começou aperceber as brigas estou a ponto de me separar

    By caroline on Oct 27, 2012

  55. Gente, eu sofro…mas melhoreimuito com meditação. Recomendo.

    By Larissa on Dec 15, 2012

  56. meu namorado foi diagnosticado com esse mau. mas ele não tem ciúmes de mim e sim acha que é perseguido. que não gostam dele por ser japones ,me quer 24 horas por dia ouvindo ele, ja deu uma surra na mãe dele pois ela maltrata muito a vó muito idosa dele, ele se controla para não me bater pois eu sou muito ciumenta …

    By ariane on Jan 7, 2013

  57. O delírio ou manifestação extrema do ciúme se insere no contexto da desconfiança e paranóia. A psicanálise de FREUD considerava o mesmo uma projeção dos anseios reprimidos de determinada pessoa, desconfiando intensamente do parceiro, a fim de não ter de lidar com seus próprios impulsos ou desejos de traição sexual. O hiato acerca desta tese é que o ciúme revela uma grande soma de inveja e competição. A idéia de que o outro consiga mais prazer ou destaque em determinada área da vida, se torna o ponto central de ódio e desespero. O ciúme é uma representação da futura derrota num processo de competição afetiva e sexual;

    By Figueiredo on Feb 7, 2013

  58. Sou casada ha 20anos, meu marido sempre me tratou com muito ciume e desconfiança, falava que eu me sentia atraida por outros homens ex: amigos dele, cunhado, primo,vizinho,mas ha dois anos atras, meu marido teve um surto,dizia que era perseguido que todos o tinha traido e que DEUS o havia mostrado essa traiçâo em sonho, e passou a noite em claro e ao amanhecer quando acordei a parede e portão da casa estavam rabiscadas( mulher adultera,mãe e irmãs desonestas e judas)e ele saiu transtornado sem rumo,depois de algumas horas ele voltou xingando e acusando todo o mundo de traição, que todos faziam parte de um grupo secreto onde todos se ajudavam,no qual ele era proibido de participar e ficava exigindo que confessassemos a verdade,pois ele já sabia de tudo só queria a nossa confissão pra liberar o perdão.Eu e toda familia ficamos boquiabertas sem saber o q fazer,enfim hoje ele ainda não buscou tratamento e continua toda semana nos acusando, nos cobrando a confissão, nos chamando de judas. Ele trabalha ganha bom salario é inteligente, mas todos no trabalho também o sacanea,o zomba.Tenho uma filha de 19 anos no qual ele não se importa com o comportamento dela, quero dizer ele não me ajuda a corrigir/proibir atitudes erradas dela e ela está aproveitando a doença do pai pra cair no mundo, mas quanto a mim ele é dependente em todos os sentidos,diz que me ama e logo em seguida diz que sou falsa,adultera e quer que eu tenha vontade de fazer sexo,ele desenvolveu uma mania por cores,ele diz que a mãe dele não o ensinou a se vestir, se comportar então ele espera que eu o ensine isso e a posição correta das cores,ex: ele me pergunta qual a cor da roupa que eu vou a festa, pra ele poder vestir a cor certa e me pergunta qual é essa cor certa,pois ele ainda não sabe a sequencia pra ficar em harmonia. O fato é que eu estou ficando doente 37 anos,tenho duas filhas uma de 19 e 8 anos,a mais velha é irresponsavel e a mais nova eu quero criar longe dele,mas ele não sai da casa, diz pro meu grupo me dar uma casa, pro meu grupo corrigir a filha dele,mas que grupo,não existe GRUPO!.Preciso muito de ajuda,pois estou sozinha e sem forças!

    By Alecris on Feb 13, 2013

  59. Completando meu depoimento:
    Pesquisando na internet descobri que meu marido desenvolveu o transtorno de Personalidade Paranoid. E eu não sei como resolver nossa situação! Ele diz q a doente sou eu.

    By Alecris on Feb 13, 2013

  60. bom eu namoro a 8 meses , e esses 8 meses foram só de brigas , eu sou uma pessoa muito ciumenta , desconfiada demais , tudo que meu namorado me fala eu não consigo acredita de maneira alguma ..e ele me chinga muito por isso , e isso me encomoda muito , pois eu não queria ser assim , tenho muito medo de perde-lo por isso . Quando fico brava demais acabo falando coisas que machuca , acabo agindo por impulso , fantasio muitas coisas na minha cabeça .. e pra mim tudo ele está mentindo , traindo , etc . Isto está encomodando muito porque acabo sufocando e sei que isso chega num ponto que cansa .Eu gostaria muuito de confiar mais no meu namorado e para com esse ciumes e desconfiança em excesso , por tudo eu choro e acabo deixando de viver a vida e pensando só em coisas ruins .. gostaria muita de uma ajuda , pois ja me deramvarios conselhos e nunca consegui segui-los ..

    By franciele on Feb 18, 2013

  61. Oi, minha preocupação é com meu filho…Ele toma 10 mg de escitalopram de manhã junto com o Amato 50 mg…E a noite 0,5 mg de Risperidona com 50 mg de Amato. O que acontece com ele é muito diferente dos “Posts” aqui colocados. No caso dele o que percebo é que ele se sente perseguido, seja no mundo virtual qt no real, sempre vive me dizendo que muitos o perseguem, ele tem 18 anos, sou separado e vivo com um casal, ele 18 e a filha 17. Tenho levado ele ao Psiquiatra e ele faz terapia com uma amiga Psicóloga, ontem me deparei com ele fazendo as malas e dizendo que iria viver isolado em algum canto desse mundo, nem que fosse em uma mata fechada, sem contato com ninguém, só assim ele se sentiria melhor. Ele não estuda já faz mais de 04 anos, tem fobia social, agorafobia, pesa 145 Kilos. Me preocupa vê-lo nesta situação…Ai vem a pergunta: Se ele esta tratando com profissionais certos, porque o quadro se agrava mais e mais…Preciso de ajuda, quero salvar meu filho, antes que seja tarde, eu o amo muito e sofro junto com ele…Nos ajudem!

    By Edivaldo on Feb 20, 2013

  62. Olá lendo todas essas historias percebo,que estamos no mesmo barco.Tenho um relacionamento que já vai fazer 6 anos e passo por tudo isso,ele é muito ciumento,briga por qualquer coisa sem motivo terminou o nosso noivado pelo fato que eu estava trabalhando e ele falava que eu nao tinha tempo pra ele…e o pior de tudo é que eu amo muito ele.Gostaria de saber qual o tratamento para uma pessoa que sofre com essa personalidade paranoica.Abraços a todos

    By Daiana on Mar 1, 2013

  63. Estou saindo com um rapaz, aliás estava.
    Em um momento ele estava bem, do nada ele puxava um assunto nada haver de um twitter que eu deletei sem mostrar a ele e dizia que a confiança foi para sempre quebrada, que eu escondia as coisas nesse twitter.
    Ele me ofende mesmo, todas as vezes é assim. Começamos a conversa bem e acabamos brigando por coisas ilógicas.
    Uma vez saímos e ele queria ir embora dizendo que eu estava fazendo ele de palhaço, que eu olhava para outros homens. Pedi para ele ficar e ele automaticamente disse que era por causa da carona, coisa que era mentira, pois eu voltaria de táxi. Ele nunca veio me buscar em casa, apesar de morarmos perto. Sempre tive que ir de ônibus, táxi… Ele mudava radicalmente e brigava muito comigo. Depois dizia que eu era descontrolada emocionalmente e que ele tinha medo de mim e dos meus surtos.
    Depois automaticamente começou a dizer que eu só estava com ele pelo pênis dele, que ele não tinha importância na minha vida e que “não seria pinto de nenhuma mina não”
    Mas ele é uma pessoa super bacana, quando é para ser bacana é super bacana, mas depois vira o bicho e me faz chorar. E olha que nem namorados fomos. Prezo a amizade dele. Um dia sonhei em ter algo sério com ele, hoje quero apenas distância. Vejo esses comentarios de 5,6,7 anos de namoro e me pergunto “Como aguentaram?”

    By Pietra on Mar 8, 2013

  64. Moro com uma mulher que a alguns meses me disse que amava outra, sofri muito mesmo, mas consegui dar a volta por cima. Continuamos a morar juntas e eu me apaixonei por outra que me ama tbem, ai começou meu inferno. A minha ex entrou em parafuso, me xinga, briga direto comigo, chega a me agredir qdo sabe que eu estou com a outra, ofende a atual com palavras horriveis, chora descontroladamente e se tornou totalmente agressiva qdo tento falar da outra, já me agrediu com tapas vária vezes só de imaginar de estou falando com a outra, porem me diz que ama a outra e me adora, ela anda me assustando pq cada vez está piorando as crises, gostaria da sua opinião.

    By vera on Mar 10, 2013

  65. Bem eu falo por experiência própria.

    Esse transtorno é um problema complicado, e tal “desconfiança continua” pode ter sido desencadeada devido ter havido alguma má experiência anterior. Cada um que tiver esse tipo de sintoma pensem consigo mesmo, “Quando foi que isso começou ?”

    É importante termos consciência que nem mesmo irmãos gêmeos são iguais em tudo. Cada pessoa é única nesse mundo.

    Indivíduos com esse sintoma acabam por generalizar as pessoas atribuindo um “padrão” baseado em determinadas características/comportamentos/atitudes em comum.

    O sintoma de “frieza” comum em pessoas com esse sintoma seria algo como um “mecanismo de autodefesa” más aplicado de maneira negativa.

    Como é um problema psicológico, para conseguir vencer essa situação, em primeiro lugar é importante pessoas que tem consciência que possuem esse problema aprenderem a ter maior autocontrole, paciência, ponderar melhor as atitudes e principalmente aprender a ter mais confiança nas pessoas a sua volta.

    A confiança deve ser algo recíproco e contínuo.

    By Alex on Mar 11, 2013

  66. Meu marido vem apresentando isso ja tem um tempo, sofro muito e estou esgotada!!! As vezes toda semana tem uma crise as vezes passa dias sem ter nada e nesses dias que não está em crise é uma pessoa maravilhosa. Só que quando ataca é complicado é muito ciumento, agressivo, frio não aceita nada tudo é do jeito dele, ele força situações parece que quer me empurrar para outra pessoa que no caso seria meu ex marido, da a entender que ele quer nos ver juntos ou talvez próximos, não entendo a certo o que quer… não dou motivos de nada para ele. Me afastou da maioria de amigos homens que eu tinha e de algumas amigas mulher também, ele me xinga me humilha e já me agrediu. Eu estou tentando ajudar mas não estou aguentando mais estou ficando doente. Gostaria de saber se tem alguma coisa que nos indique como lidar com esse tipo de pessoa que sofre desse trastorno paranóide. Obrigado

    By Thais on Mar 25, 2013

  67. Eu estou a um ano e seis meses com meu namorado amo múito ele sofro com meu ciúmes acabo magoado meu namorado com desconfianças absurdas ele me ama muito e jamais me deu motivo pra desconfiança mais eu acabo vendo coisas onde não existe tenho ciência de que se isso continuar vou perdê-lo amo muito ele e quero ele pra me casar e constituir uma família mais estou sofrendo e não sei como controlar isso

    By kathelin on Apr 1, 2013

  68. Meu marido foi diagnosticado com TRANSTORNO DE PERSONALIDADE PARANOIDE – CID 10 F60.0
    Como conviver com ele…
    Qual a melhor conduta com relação a ele…
    Sou Enfermeira e procuro tentar administrar isso da melhor forma…Tenho medo pq essa patologia leva a crimes passionais e outros…Preciso de ajuda…Grata desde já pela atenção =D

    By Mathilde on May 9, 2013

  69. Diletos amigos! Fui casado por mais de 20 anos com traços de transtorno paranóide, e limítrofe. O namoro e noivado foi extremamente tranquilo. Após o casamento, no primeiro mês, iniciaram os problemas. Com mudança completa na conduta da criatura, apresentando ciumes excessivo, controle e manipulação. Fui evangélico praticante por todo o tempo de casado; cheguei à liderança de igreja. Apesar de minha formação superior, tratava tudo como coisa do mal, fraqueza da carne ou limitações emocionais. Somente qdo rompi com o meio evangélico é que percebi o qto adoecemos com o convívio com essas pessoas, e nem precisa de tanto, basta ser apenas um pouco mal caráter. Hoje leio muito sobre os transtornos de personalidade e disfunções do humor, a resposta básica dos profissionais é que não veem possibilidades de solução sem acompanhamento adequado, nem mesmo Jesus resolve, o máximo é que atenuam algumas condutas, ou como comentaram acima, reservam as condutas doentias para espaços reservados. Entendo quem tenha condição de sair dessas relações (especialmente daqueles que não reconhecem o mal), devem fazê-los antes de aprofundarem essas relações. É importante perceber que adoecemos tanto, a ponto de viciarmos no caos que essas pessoas criam, sem terem a menor consciência do quanto são cruèis, mesmo os mais moderados. A espiritualidade é válida especialmente para os parceiros dessas criaturas, fazendo-os se subordinarem às suas crueldades e se fazerem eternos perdoadores ou protetores. Lamento se fui cruel, mas é verdade. Felicidades!

    By Mario Costa on May 21, 2013

  70. Preciso de ajuda, tenho essa doença, mais quero me livrar dela, não quero perder meu marido… Ele é muito importante pra mim…Me afastei de todos os meus amigos por causa dessa doença maldita, meus familiares não se sentem bem ao meu lado, porque sou terrivelmente insuportável, quando descobrir dessa maldita doença minha vontade era morrer pra deixar as pessoas que amo em paz,não confiava em Deus, não existia mais fé, não me suportava mais… porque não sabia que existia vontade em mim de cura,… Mas existe sim, e oro a Deus, sei que ele pode me livrar dessas coisas ruins, essas paranoias que tenho, e que não existem… Vou mudar,quero ajuda…..

    By Rose on May 22, 2013

  71. ola sou casada a 7 anos e desde que casei sofro constantemente quase que todos os dias.o meu marido tem todas as caracteristicas acima mais não asume ele ve defeito em tudo e em todos me maltrata me humilha demais eu ja não aguento mais ele acha que eu do em cima de todos os homens tudo e motivo de brigas o que eu falo o que eu penso o que eu visto com quem eu falo se eu faço se deixo de fazer tudooooooo e briga eu ja estou ficando doente e penso em separar,ele e totalmente doente se alguem puder me da um conselho eu agradeço.

    By regiana alves on Jun 5, 2013

  72. Que conselho dar? Só quem viveu isso sabe a dimensão do sofrimento que é… e por mais que vc se livre do problema, as marcas ficam pra sempre, eu acho… já fazem 10 meses que me separei e não consigo esquecer e superar tudo o que passei… na época os únicos conselhos que recebi, inclusive de uma médica, foi o de sair de perto dele, pra manter a minha integridade física, e depois, longe dele, tentar resolver os danos psicológicos que a situação me causou… até hoje penso nele, acho que nunca vou deixar de amá-lo, mas acima de tudo quero viver, quero ter paz de espírito, quero viver sem sobressaltos, quero conviver com pessoas que eu gosto, quero ter direito de fazer o que quero, de ir onde quero… Um dia achei que poderia resolver o problema se o convencesse a fazer um tratamento, mas hoje sei que isso era impossível, ele jamais admitiria que o problema era ele e não eu, ele jamais faria o tratamento, e mesmo que fizesse, como seria depois? Ele teria que tomar remedio e fazer terapia pra sempre?… ou seja, pra mim, foi uma doença sem cura… essa realidade é muito dura, por isso nem sei que conselho dar à regiana alves, que escreveu o depoimento acima… talvez dissesse pra vc tentar levá-lo a um médico, psicólogo, psiquiatra, desejo de coração que vc consiga, mas isso é difícil de dar certo, desejo a vc boa sorte!

    By Rosana on Jun 9, 2013

  73. Boa tarde. Meu ex-namorado se enquadra em todos os critérios. Sofro ameaças ainda por parte dele, ainda tenho muito medo de andar só e sofrer algum tipo de violência contra a minha vida! Ele nunca me agrediu fisicamente, mas sempre fui agredida psicologicamente e verbalmente. Ele sempre me seguia e vigiava. Depois do término foi intensificado. No relacionamento e até após o término pedia constantemente para ir ao psicólogo e fazer um tratamento. A família dele não enxerga essa doença, até porque ele manipula todos lá. Gostaria de saber se existe um tratamento para o transtorno de personalidade paranóide? Na verdade tenho várias perguntas. A família dele um dia enxergará? Como faço? Como devo reagir e proceder com ele, diante das ameaças? Existe cura? Desde já, muito obrigada pelo conhecimento e aprendizado disponibilizado. Ana.

    By Ana Eliza on Jun 11, 2013

  74. Sofro de esquizofrenia paranoide já não sei o q fazer,

    By Elisangela Martins on Jul 6, 2013

  75. Olá. Convivi com um homem assim. Namoramos por 2 anos e meio. Os primeiros 3 meses de namoro foram praticamente “normais”, apesar de notar alguns episodios de ciumes moderados. No inicio de namoro as pessoas se empolgam e no meu caso, cheguei inclusive a sentir uma pontinha de “felicidade”, pois acreditava que o “ciuminho” era prova de que um sentimento mais forte por mim estava brotando. Não sei se é característica dessas pessoas,mas meu namorado é extremaente inteligente. E envolvente. Mas ao mesmo tempo que me elogiava, acabava por me deixar no chão, arrasada, com comentários maldosos e cruéis. Li muitos artigos a respeito desse transtorno de personalidade e no caso dele, é poss;ivel identificar além de ciume excessivo outros traços assustadores. Ele é um homem distante, hostil e extremamente egoista. As pessoas que mais o ajudam em sua vida são as pessoas que ele mais despreza. No meu caso, além de não confiar em nosso relacionamento e nos meus sentimentos, ele se mostrou bastante egoista. Jamais dei motivos para que ele sentisse ciume de mim, pois sempre o amei, sempre estive do lado dele, sempre esperei que ele ditasse as regras, o que deveria fazer e como fazer. Sempre fiz como ele quis, pois chegava a sentir medo do que ele poderia fazer. Impressionante era o quanto ele era capaz de me desestruturar, me atacar verbalmente e “fazer” com que eu sentisse culpa por erros que jamais havia cometido. Ela SABIA que eu era uma pessoa de boa indole, SABIA da minha fidelidade e SABIA do meu amor, mas assim mesmo me atacava, me culpava e distorcia toda a realidade. Hoje vejo essa doença como algo devastador. Me sinto mais doente que ele e chego a desconfiar se ele tem ou nao consciencia de que é doente. O probelma maior é que o amor é algo inquestionável e incontrolável. Eu o amo com todas as minhas forças e o “odeio” por alguns instantes, ao ponto de me entregar ao desespero total.
    Como disse, ciume nao é a caracteristica principal de sua doença. Ele é um homem egoista, frio, calculista, inseguro e muito mal agradecido. Não pede desculpas jamais, não admite suas fraquesas. Ele já me deixou inúmeras vezes e eu sempre o procurei, sempre dizendo que o amava. Ele me “aceitava” de volta, mas já faz muito tempo que não demonstra mais nenhum tipo de afeto/carinho por mim. Me aceita, mas em pouco tempo me “descarta” novamente, e diz que EU SOU O GRANDE PROBLEMA. Li muito a respeito da doença, comecei terapia, mas nunca comentei com ele que ele deveria fazer também. Sei que não irá aceitar. Hoje nos falamos as vezes, nos afastamos por longo tempo, depois nos encontramos novamente. É um relacionamento totalmente instável, sofrido… Me pergunto até que ponto ele é doente… será que suas atitudes não estão d e acordo com o seu “caráter duvidoso”? Mas o que me causaria mais sofrimento? tentar ajudar alguem com uma doença “incurável” ou me afastar definitivamente de alguém tão cruel/mesquinho?
    Me sinto totalmente derrotada…

    By Helena on Jul 15, 2013

  76. A cada novo depoimento eu fico pasma de ver como as situações são parecidas… meu Deus, parecem filmes com roteiros idênticos, mas com personagens diferentes, realmente impressionante! Querida Helena, a resposta a sua pergunta é sim, eles são muito inteligentes e envolventes, são simpáticos, agradáveis, todo mundo gosta deles, e quando você revela o que acontece na verdade, pensam que VOCÊ é louca! Mas só nós que convivemos com uma pessoa doente a esse ponto, sabemos como eles são cruéis, maldosos, e realmente existem coisas muito mais assustadoras do que ciúmes excessivos!

    By Rosana on Jul 17, 2013

  77. Olá pessoal, lendo aqui os relatos de vcs passou um filme de tudo que Vivi com minha esposa, ela criou tudo isso que foi citado e mais um pouco, ela mim agrediu, agrediu assim própria e ainda fez todos os familiares dela acreditar que eu fazia tudo que sua cabecinha criou, e digo uma coisa, eu realizei tudo que ela desejava com promessas de mudanças e sabe o resultado? Quase vou para cadeia, e ainda perdir uma filha que tive com ela Pq ela grávida eu não aguentava mais a situação e quis ir para o país de origem dela, para ver se ela melhorava, já que ela dizia que tinha várias mulheres aqui, chegando lá ficou ainda pior Pq ela dizia que eu tinha deixando as mulheres aqui e que todas mim esperavam rsrsrs, resultado perdir meu emprego, perdir minha filha, e perdi 2 anos de minha vida com essa pessoa, e ainda perdir o direito de saber de minha filha Pq com a ajuda dos pais dela ela sumiu, Sei que é uma doença e que é preciso tratar, mais quem se relaciona com essas pessoas não tem nada haver com isso, e antes de amar o doente e abrir mão da sua vida pro dele, ame assim mesmo, ou seja saiu Pq e uma bola de neve e só cresce e se ele não quiser se tratar, suma o mais rápido possível. Mário Santos

    By Mário Santos on Jul 18, 2013

  78. Helena fiquei muito penalizada com seu depoimento… e estou refletindo sobre o meu relacionameto agora… Hoje tive mais uma das inúmeras discussões com meu parceiro…sempre ele vira o jogo e eu saio como vilã…devido a algumas coisas que ele já soltou pra mim, tipo “que não vai atrás de ninguém, que tem seu amor próprio” e outras mais pesadas como ameaças de morte, eu levantei a hipótese de pesquisar… e meu relacionamento está descrito como o seu… Eu também o amo muito, ele é muito envolvente mas eu vou procurar apoio, vou me informar mais e quero sair fora… Não quero ser usada e enganada porque nos surtos ele diz que me ama e usa todo o charme dele, mas as atitudes não reportam a esse amor que ele diz sentir… Eu estou muito assustada…

    By Sabrina on Jul 22, 2013

  79. Rosana e Sabrina… vcs me entendem. Tenho certeza. Pelas suas palavras, me entendem.
    Qdo vcs dizem que “todos gostam deles” eu me sinto menos fraca por ainda guardar bons sentimentos em relação ao meu (ex)namorado. Sinto-me menos “diferente” da grande maioria.
    Mas a gente precisa mesmo buscar forças (embora eu nem saiba mais de onde) para desapegar dessas pessoas infelizes, pq elas fazem com que as pessoas que as rodeiam sejam muito mais infelizes que elas. Triste realidade.
    Sempre me pergunto: como podem dizer que amam e ferir tanto a gente ao mesmo tempo?
    Isso não é amor nem desamor.
    É uma doença e como tal, deveria ser tratada.
    Mas há tantos relatos. Alguns acreditam na possibilidade de amenizar os sintomas com um bom tratamento e alguns outros acreditam ser incurável.
    Espero que os profissionais se empenhem e busquem cada vez mais um tratamento que seja eficaz, para tornar as nossas vidas mais suportáveis…

    By Helena on Jul 23, 2013

  80. Li todas as postagens. Em geral todas relatam os mesmos sintomas. Comigo não foi diferente. Cheguei a fazer psicoterapia para melhor entende-la. Ela era de tal maneira convincente em seus delírios, que eu chegava a duvidar de mim mesmo. Penso que seria interessante recebermos depoimentos que pessoas que, ou tiveram esse transtorno ou conviveram com pessoas portadoras e encontraram o tratamento adequado, quer seja através a psicoterapia que através de medicamentos. Deve haver alguem que tenha conseguido se tratar ou conheca um caso que nos sirvam de exemplo.
    Grato,
    Adauto

    By Adauto on Jul 28, 2013

  81. Oi Helena, te entendo sim e sei exatamente como voce se sente, pois passei por tudo que voce passou ou passa ainda… se quiser trocar ideias sobre o assunto meu email é: rosanahein2@hotmail.com

    By Rosana on Jul 29, 2013

  82. estou namorando a seis meses , quando a gnt sai pra algum barzinho ou ate mesmo na rua, qdo comprimento alguem fica com umas paranoias acha que eu to olhando pra outro lugares, e super desconfiado ,qualquer palavra errada ja um motivo pra desconfiança, parece que ele fika preocurando pensando em algo pra dar as suas crises de paranoia. eu queria uma ajuda queria saber como lidar com uma pessoa , o que fazer?

    By kati on Aug 15, 2013

  83. Boas a todos, Conheci uma miuda em outubro mas só em fevereiro comecei a sair com ela, apaixonei-me e comecei a namorar com ela. Nos primeiros meses foi tudo espectacular, ela fez-me sentir coisas espectaculares com uma intensidade que até então nunca havia experienciado. Durante esses 3 meses já notei sinais preocupantes como bastante ciume, tentava controlar a minha vida social, fazia filmes com alguma coincidencia ou algo que eu disse-se, alguma agressividade,etc. Mas pensei que fosse passageiro até ela começar a conhecer me melhor e a confiar mais em mim, enganei-me redondamente. A partir dos 3 meses começou o inferno… Sempre a pôr em causa o meu caracter, a minha fidelidade, metia coisas descabidas na cabeça e por mais que tenta-se mostrar o contrário ora falando com ela ora com acções não consegui mudar o que se passava na cabeça dela. Começou a ser fria, distante, cínica e por vezes bastante agressiva. Já tive outras namoradas e nunca ouvi coisas tão feias a meu respeito como ouvi dela. A relação foi se degradando rapidamente e atingi um ponto que não dava mais… Saltei fora. Há duas semanas cometi o erro de sair e passar a noite com ela mas no dia seguinte tudo voltou ao mesmo. Agora para não voltar a cometer o mesmo erro mudei o numero de telemovel e não frequento os locais onde sei que a posso encontrar. Continuo a ama-la mas tenho que seguir em frente, estou muito triste por ter que acabar uma relação assim, a experiencia que fica com uma pessoa com este tipo de doença e que não faz um esforço para se tratar é de que devemos fugir quanto antes porque essa pessoa não é feliz nem te fará feliz e nada melhora, só piora de dia para dia. Fiquem bem. Abraços e beijos

    By Nuno on Aug 21, 2013

  84. Boa tarde a todos. É assustador ler a maioria destes depoimentos e com isso poder concluir que parece um filme/roteiro que se repete, TUDO muito parecido: as motivações, as cobranças, a forma de agir, a falta de fundamento nas conclusões deles, etc… mudando apenas os personagens! Infelizmente estou vivendo esta situação, o meu marido (tem 43 anos, estamos casados há 20 anos, temos 2 filhas adolescentes maravilhosas), mas tudo esta quase indo por água abaixo por causa desta maldita doença, pois eu o psicólogo dele não temos dúvida alguma que ele está sofrendo deste mal (em estágio adiantado), mas infelizmente ele não admite, e o pior é que não admitindo, não aceita tratamento, então o que gostaria, se possível, é a opinião de alguém (paciente, companheiro de alguém que tem esta doença ou um profissional da área) que tenha conhecimento sobre o assunto e que saiba me indicar como agir, pois o psiquiatra que trata ele, só sabe da síndrome do pânico que ele trata, mas não faz nem ideia deste grave problema pois ele não relata e o psicólogo que ele faz análise há uns 4-5 anos (com grandes intervalos de tempo), apresentou o diagnóstico pra ele, mas ele não aceita, então preciso de ajuda de como devo proceder, a quem recorrer pra fazer com que ele aceite o diagnóstico e comece a se tratar, pois o amo demais e não quero abandoná-lo numa hora tão difícil como essa, pois ele é um ser humano incrível (maravilho marido/companheiro/amante e especialmente, um pai como nunca vi na minha vida: perfeito), sei que sem ter consciência, ele tem me feito sofrer muito, mas sem dúvida, ele também sofre com isso, gostaria muito que ele aceitasse que “está doente” pois seria muito mais fácil da gente aprender a lidar com isso juntos, pois do tanto que a gente se ama, se respeita e se admira, separando, viveríamos infeliz para sempre, não tenho dúvida! Um grande abraço a todos.

    By Claudia on Aug 23, 2013

  85. boa tarde, Menina Claudia eu não entendo como alguem com perturbação de personalidade paranoíde pode ser um marido/companheiro/amante maravilhoso como diz e como pode ser um pai perfeito. Eu vivi 5 meses com uma mulher com esse problema e nunca consegui ter uma relação saudavel. Ou ficava fria e distante ou tinha acessos de raiva em que partia tudo, batia com as portas e gritava chamando-me de tudo. Só não me bateu por acaso mas tenho a certeza que se continuasse com ela isso aconteceria… Ela tem um menino de 3 anos e sei que o menino já foi exposto a situações de extrema agressividade e violencia domestica na anterior relação que ela teve antes de mim, não me parece que uma mãe perfeita fizesse isso… E todas estas discussões foram sem sentido porque os fundamentos eram falsos, criados na mente paranoica dela. Uma vez revirou a casa toda à procura de micro camaras e microfones, acusou-me de coisas tão ridiculas… é terrivel uma pessoa estar a ser constantemente acusada de algo que não fez e do que não é pela pessoa que se ama. É uma sensação de frustração porque ela não admite que está doente e não aceita ajuda… Cada caso é um caso mas não acredito que uma pessoa possa ter um relacionamento saudavel ao lado de uma pessoa assim. Fiquem bem

    By Nuno on Aug 25, 2013

  86. Sim, ter um relacionamento saudável com alguém que sofre dessa doença é impossível. Falo por mim. Sei falar bem de infelicidade, pq feliz com meu parceiro eu fui pouquíssimas vezes, dá pra contar nos dedos.
    Hoje ainda estava buscando mais informações na net, na esperança de ler algo novo sobre esse transtorno e me deparei com “misoginia” e “misandria”. Já leram a respeito?
    Sobre misoginia há um bloq interessante, caso alguém queira consultar segue o link:
    http://psicologico-al.blogspot.com.br/2010/01/ele-te-ama-e-depois-te-maltrata-ele.html
    Mas é só buscar por misandria que também é possível obter informações.
    Nós que somos leigos, quanto mais lemos sobre os diversos transtornos, mais nos sentimos confusos, principalmente porque certos sintomas são parecidos ou comuns em vários deles, mas acho que já é um bom começo buscar ajuda e conforto com pessoas que tiveram a experiencia de conviver com pessoas doentes.
    Eu pelo menos queria conhecer, me informar melhor e se possível ajudar quem precisa de ajuda… Eu também preciso! :-(
    Força a todos!

    By Helena on Aug 25, 2013

  87. * blog

    By Helena on Aug 25, 2013

  88. Bom dia

    Meu nome é Luana

    Estou com meu marido há 1 ano e 8 meses, sou muito desconfiada , acho que está sempre mentindo , fuço no celular dele , carteira, presto atenção nas conversar, olho corpo disfarçadamente para ver se não tem marcas , ele vai em algum barzinho com um amigo, não aceito, tenho medo dele passar do horário , onde ele olha presto atenção, sou atenta a cada gesto dele.
    Até na cama quando faz algo diferente minha cabeça na hora vai Amil , quando ele chega do serviço , não consigo olhar no rosto dele, fico agoniado , não consigo demonstrar a mesma coisa que ele sente por mim, quando temos alguma algo á discutir o , sempre retorno no nosso passado , que houve uma mentira que ele saiu mas não me avisou , mas não houve traição, mesmo ele pedindo perdão por tudo , eu bato sempre na mesma tecla , não tenho paciência com ele, não consigo sentar e conversar somente brigo, já ofendi ele demais , maltratei ele. e hoje ele terminou comigo, será que isso é um grande problema, que tive com um outro relacionamento meu , ou realmente é um ciúmes , o pela mentira que ele fez

    By Luana N. on Aug 26, 2013

  89. Nuno, acredite, estou casada há praticamente 20 anos e há apenas 3 anos que os “sintomas/evidências” deste transtorno começaram a aparecer no meu marido, até então, era como descrevi, uma pessoa maravilhosa em todos os sentidos e com todas as pessoas, mas devido à um problema familiar sério há exatos 3 anos (tenho certeza que isso foi o “gatilho”) a coisa começou a ficar explícita demais, tornou-se uma pessoa extremamente desconfiada de tudo e de todos, e aí começou a cortar relacionamento com todo mundo, hoje o contato dele é praticamente só comigo e nossas duas filhas (17 e 15 anos), quase ninguém mais. Mas sim Nuno, te juro, vivemos 17 anos em paz total, porém, agora, depois de descobrir que ele tem essa doença e ver o quebra-cabeças montado, começo a lembrar de um evento aqui outro ali, ocorridos dentro dos últimos 10 anos, então assim, antes disso, nunca ocorreu nada demais, até a dose de ciúmes que ele tinha de mim era normal/aceitável/saudável, mas depois que este gatilho foi disparado há 3 anos atrás, tudo mudou, e de quase 1 ano pra cá, meu Deus, ficou muiiiiito ruim, mas nos últimos 3-4 meses, está praticamente insuportável, e sim, agora ele me acusa de coisas absurdas, age de maneira hostil, frio, não confia em ninguém, e tem certeza que ele sempre está certo e que o mundo, conspira contra ele, e, devido a esse excesso de cobranças e desconfiança, eu vivo em estado de alerta, estou sofrendo de transtorno de ansiedade aguda, pois você viver tentando provar a cada instante que suas ações e intenções foram outras, bem diferentes do que seu parceiro viu/percebeu ou apenas concluiu, é terrível, vai te matando um pouco a cada dia. Então hoje te digo, que ele me faz sofrer muito, mas que antes disso, vivemos uma relação muito saudável, de amor, carinho e dedicação recíprocos, e é nisso que me apego pra não desistir dele, é por isso que quero achar um meio de fazer com ele tome consciência que está doente e que me permita ajudá-lo a se tratar, pois estou falando de uma relação que apesar de ter sofrido muito, ainda existe muito amor e consideração, por isso consigo ter o discernimento de que muito to “mal” que ele me faz é inconsciente e consequência desta maldita doença. Que Deus me ajude nesta luta, que tenho certeza que não será nada fácil, mas que estou disposta a tentar a encarar até quando aguentar, porque ele é um ser humano maravilho, que vale a pena sim. O que mais tenho pedido a Deus ultimamente é que ele tome consciência do problema, pois aceitando que está doente, juntos podemos buscar o tratamento mais adequado para espaçar as crises e minimizar o péssimo efeito que elas causam em todos em casa. Tudo de bom pra você Nuno, e força pra quem sofre por ver sofrer alguém que você ama tanto como eu amo o meu marido.

    By Claudia on Aug 27, 2013

  90. Um coisa que esqueci de falar Nuno, acredito que você já deve ter lido bastante também sobre este transtorno (eu já li, mas sem dúvida, tenho muito que aprender ainda sobre isso), uma coisa que vi claramente é que muitos casos começam no início da idade adulta, ou seja, não é regra, mas a partir daí que é comum darem mais sinais, e do meu marido, agora vejo que isso começou leve de uns 10 anos pra cá (com um evento muito espaçado do outro, quase imperceptível na época, mas analisando bem agora, já eram sinais da doença), mas depois do “gatilho” que falei que ocorreu há 3 anos atrás, aí não tem mais dúvida, só tem feito piorar, e se tornar cada vez mais distante, está maldita doença parece estar nos roubando ele cada dia mais, de tão longe que parece estar. Abraços a todos.

    By Claudia on Aug 27, 2013

  91. Olá.

    Lendo todos esses relatos me passou um filme na cabeça, parece um roteiro como já citado em muitos depoimentos acima, mas ainda tenho muitas duvidas e gostaria muito de esclarecimentos, pois tive uma relação com uma pessoa com esses sintomas, ciúmes obsessivo, onde eu não poderia nem olhar pro lado, qualquer mulher que se aproximasse de mim era por N motivos sexuais, e sempre com má intenção, dizendo que eu queria e desejava outra mulher, e estava sempre traído, a todo momento.
    Quando conheci essa mulher, nos primeiros 3 meses a primeira briga já foi levada por xingamentos e muitas humilhações, e por gostar muito dela, relevei tudo, conheço essa pessoa a um ano e meio e desde da primeira discussão as coisas só aumentaram na proporção de xingamentos, ofensas terríveis e fortes acusações e humilhações.
    Ela já chegou a ficar três dias direto me ofendendo e humilhando, todos os dias inventa algo para brigar, pega coisas do passado para colocar no meu da relação, envolve meus familiares nas brigas e até incomoda minha família.
    Uma vez chegou a admitir que precisava de tratamento, mas um dia depois falou que eu era o culpado de tudo aquilo, que havia feito tudo aquilo pelo que fiz no passado antes de conhecê-la, e que eu sim precisava de tratamento e não ela, isso me detona psicologicamente, pois a amo de verdade, mas não tenho mais como estar ao lado de alguém que se acha certa de tudo, e distorce tudo, e eu sempre sou o errado da situação, que não sabe perdoar, até diz que perdoa, mas logo em seguida diz que nunca perdoou e volta a me agredir de forma fria e exagerada, por tudo explode, nada está bom nunca e tudo que vem de mim a incomoda.
    Isso me detona muito, as falsas acusações dela me destrói, não entendo como alguém que diz me amar pra sempre possa me tratar assim, até onde existe amor nela não sei, e hoje sinceramente nem sei se pode amar mesmo a mim, por isso resolvi me afastar, mas sinto muito a falta dela, preciso reconstruir meu psicológico, pois não as humilhações foram as demais e só coisas pesadas, gostaria que de entender se e ter relato de pessoas que sofrem dessa doença, queria entender se ela é realmente doente, pois posso amar muito ela, mas meu amor próprio tem que ser maior, pois resolvi me isolar e não ter mais nenhum contato com ela.
    Hoje enxergo que me dediquei muito a alguém que dizia me amar, mas me tratou da pior forma possível, humilhando, xingando, ofendendo, criando situações de traição, de confronto com amigos e familiares.
    Alguém que entenda mais dos sintomas dessa doença pode me ajudar com uma das muitas perguntas que tenho, os sintomas dela são de uma pessoa com personalidade paranoica????
    Acredito que fiz o meu melhor a ela, mas nunca estava bom, fiz o melhor me afastando, mesmo amando muito ela?
    Os detalhes são muito mais assustadores, podem ter certeza.

    Agradeço muito a atenção e ajuda de todos.

    By Vitor on Oct 14, 2013

  92. E o pior de tudo é que quando você tem o bom senso de desistir de dar murro em ponta de faca e cair fora desse relacionamento doentio, você fica um bom tempo pensando que aquela pessoa destruiu todos os seus sonhos de ser feliz com alguém. No meu caso foi assim, pois apostei todas as minhas fichas nessa pessoa que era um sonho pra mim, a pessoa ideal, aquele que eu sempre quis, que achava que era perfeito pra mim… depois que nos casamos ele se revelou ser muito diferente do que sempre foi, vi que não era nada do que eu pensei que ele fosse, era na verdade um cara cheio de defeitos graves de caráter, certamente moldados pela doença. E quando, depois de muito sofrimento finalmente desisti de tudo, senti todos os meus sonhos de ser feliz destruídos… Hoje sou uma pessoa sem sonhos, não consigo mais sonhar, esse relacionamento destruiu minha capacidade de sonhar, isso é muito triste…

    By Rosana on Oct 17, 2013

  93. Vendo todos esses depoimentos me sinto mais tranquila em saber que o que passo não é coisa da minha cabeça. tenho 23 anos e namorava há 3 anos e pouco um rapaz de 20. Nosso relacionamento sempre foi conturbado, ele sempre com suspeita de que eu o traí. Eu fui criada em outro pais, outra cultura e nunca fui de sair, muito menos de ficar com outras pessoas. Ele raramente assumia suas falhas. E quando assumia, dizia que errou por que eu errei. Constantemente diz que estou encarando, ou afim dos amigos dele. Diz que eu tenho caráter duvidoso pois me interesso pelo amigo que tem dinheiro. Algumas vezes, dizia que eu olhava disfarçadamente para os homens na rua. E a qualquer deslize que eu cometia, sustentava mais a desconfiança dele,lhe dando a certeza de que eu não sou uma pessoa confiável. Certas vezes, o fato de eu mexer no cabelo era sinal de chamar atenção;

    Ele possui poucos amigos e o pouco que tem, ele não considera amigos de verdade. Desconfia que os amigos escondem dele que eu o traí, sendo que eu nunca o traí. Teve vezes que os amigos foram na casa dele, e tive que ficar dentro do quarto sem sair, para ele se sentir mais tranquilo. Então, eu não sei se é normal, mas a situação dele se agrava quando bebe. Fica agressivo e com muito mais desconfiança. Tem necessidade em beber e fumar.

    O problema é quando ele fala. Ele convence muito quando conta o que eu “fiz”. Possuí propriedade no que fala, justamente porque acredita naquilo. Por exemplo: Ele diz que eu olhei para o amigo dele quando o mesmo estava falando em uma roda de amigos, diz que pra onde esse amigo ia eu olhava pra ele. Eu assumi que olhei, mas não olhei com más intenções, olhei por ele estar falando na hora, e não me lembro de ter olhado para ele aonde quer que ele fosse. Quando começávamos uma briga, ele colocava novamente esse assunto em questão, dizendo que eu “assumi” que olhei para o amigo dele. É muito difícil essa situação, não sei mais o que faço, pois juntos construímos um sonho e somos muito compatíveis. Ele terminou comigo dizendo que não aguenta mais, quer uma mulher mais confiável e que ele possa confiar. Estávamos já planejando nosso casamento e tudo foi por água abaixo. Ficamos 10 dias sem nos falar e liguei pra ele, pra saber como ele estava, ele disse que estava sentindo falta de uma mulher que pudesse confiar de verdade. Pra mim isso é uma humilhação, pois sempre fui fiel e o respeitei. Ele sempre muito frio, orgulhoso. Terminou nosso relacionamento como se eu o estivesse traído.

    Antes, qualquer coisa que eu fazia para agrada-lo era visto como uma camuflagem da coisas erradas que já fiz. É muito difícil. Não quero perde-lo, estou com as mãos atadas diante disso. Por favor, vou deixar meu e-mail, se alguém quiser conversar sobre isso! cindyteno@yahoo.com.br

    By Giuliana on Oct 20, 2013

  94. E o mais impressionante Rosana e Giuliana e a todos os demais nos mesmos níveis de situações, é que além de destruírem nossos sonhos, vontade, autoestima, fazem com que acreditemos que nós sim somos os culpados por tudo que é criado por eles, as acusações, duvidas sobre caráter, as humilhações são constantes, só quem vive ou já viveu ao lado de alguém assim sabe o quanto é difícil e triste estar com alguém que te trata como um nada, e o pior de tudo como já citado a algumas publicações acima, sentimos grande amor por essas pessoas, mas viver ao lado de alguém que se acha certa de tudo, distorce e vê maldade em tudo e todos, transformando a relação em um verdadeiro caos com muitas brigas é extremamente complicado.
    Somente com o tempo para cicatrizar essa ferida deixada por uma relação nesse nível, infelizmente ainda amo minha ex namorada, mas sei que o melhor foi realmente me afastar e torcer que ela seja feliz, muito feliz mesmo.

    By Vitor on Oct 23, 2013

  95. Verdade Vitor, é impressionante como eles conseguem acabar com a gente psicologicamente, pois por mais seguro de si que a gente seja, por mais independente financeiramente que sejamos, você ouvir da pessoa que você mais ama e respeita em cada crise que ela tem, dizer que você é “um nada”, que você é o responsável por essas crises, só sendo de ferro pra não se abalar, e como nós não somos, ficamos desta forma, acabados, com nossa autoestima lá em baixo, sem ver graça em mais nada na vida, é realmente muito triste. Com meu marido não existe mais diálogo há tempos, cada vez que ele tem uma crise dessas, ele me ataca com cada insulto mais absurdo que o outro, e eu até posso falar o que eu quero, mas no final SEMPRE, acabo escutando o que não quero, a mesma ladainha paranóica de sempre, sempre as mesmas conclusões erradas, mas cada vez colocada de forma pior e mais pesada que a anterior, então, depois da última sessão que fiz com o psicólogo dele que ficou claro que ele tem esse maldito transtorno, e depois da pior das crises, que acho que foi no final de Julho, resolvi que não dava mais pra continuar assim, e resolvi falar muito sério com meu ele, mas como eu tinha certeza que ia escutar tudo aquilo de novo (que me magoaria mais ainda do que já estou), antes de começar, pedi a ele pelo amor de Deus que apenas escutasse, que por favor não repetisse aquelas ignorâncias porque eu já sabia de cor e salteado palavra por palavra do que ele tem repetido nesses últimos anos pra me ofender, e graças a Deus, ele escutou (parece que nada entrou na cabeça dele), mas pelo menos escutou, mas é claro, quando terminei ele já ia começando com o mesmo discurso, aí me alterei e disse: por favor pare, eu já te falei que não quero ouvir isso de novo que já sei palavra por palavra então que não falasse nada, ele de imediato perguntou, então isso é paranóide? Eu respondi: exatamente, essa sua atitude de usar sempre os mesmos motivos de maneira equivocada é totalmente paranóide. Sabe o que aconteceu depois dessa “conversa”? Pra evitar parecer paranóide, ele simplesmente se isolou mais, do mundo e agora de mim também, ou seja pra evitar parecer paranóide, evita uma simples conversa comum entre um casal, e há quase 3 meses, estamos daquele jeito que temos que agir com o motorista de transporte público: “FALAR SOMENTE O NECESSÁRIO”, e isso é triste, muito triste, alguém que você está junto há 20 anos, e que foi muiiiiito feliz com ele durante 17 anos, hoje estar do seu lado como um estranho total, pouca gente sabe do que se trata, mas asseguro, é triste demais. Por isso Vitor, acredito mesmo que você tomou a atitude certa, pois mesmo sofrendo pela falta da pessoa, conseguiu analisar a situação e sair fora antes de um envolvimento maior (casamento, filhos, etc…), conversando com a Guiliana, falei pra ela que sem dúvida, a decisão é dela, mas eu, considerando o que passo hoje, tomaria a mesma decisão que você, pois insistir numa relação dessas é pedir para ser infeliz. O meu caso é diferente, já existe o envolvimento de 20 anos, 2 filhas adolescentes, ou seja uma família, aí as considerações tem que ser outras, mas uma coisa te digo, tudo na vida tem um limite, e o meu se encerra caso haja uma agressão física ou caso não consiga que ele aceite o diagnóstico e tratamento, mas estou lutando pra isso, graças a Deus vi um progresso, pequeno ainda, mas do tanto que tenho sofrido com essa situação, estou muito esperançosa, será uma consulta no meio de Dezembro com o psiquiatra dele, pois na última consulta dele semana passada, o psiquiatra pediu isso, e milagrosamente, ele me passou o recado, então não estou nem dormindo direito de tanta ansiedade esperando esta consulta, que queira Deus, funcione pra ele aceitar se tratar, pois se isso não acontecer, se ele não aceitar tentar melhorar a situação, eu terei que fazer isso por mim e pelas meninas, pois, quanto a ele eu sei que nunca na minha vida terei paz por saber que estaria vivendo sozinho e sofrendo, ainda mais sabendo o pai/marido maravilhoso que foi pra gente durante 17 anos, mas da maneira que está, isso tenho certeza: não dá pra continuar. Força a todos, e dentro do possível, tentemos ficar bem!

    By Claudia on Oct 24, 2013

  96. Claudia, primeiramente agradeço pelas palavras de força, pois é isso que busco a cada dia, sei que nada importa daqui pra frente, mas viver infeliz e sendo humilhado, acusado, xingado de tudo, ninguém, mas ninguém mesmo merece.
    Depois gostaria de dizer sinceramente que ele aceite se tratar e olhe para o amor que vc e suas filhas sentem por ele, que possa deixar de lado o lado frio e insensível e realmente enxergar o amor que existe dentro de vc, espero que dê tudo certo e que ele aceite o tratamento e que vcs possam dar continuidade nessa história.
    Apesar de fazer pouco tempo e não ter nenhum sinal de vida dela, ou nem mesmo me procurou, pois ela acha que esta certa de tudo que me fez ou falou, passo acreditar que ela nunca me amou como falou que amaria para “sempre”, o que me causa grande decepção, só Deus mesmo sabe o que cada um de nós passa, ao lado e depois longe por amar alguém com essa personalidade.
    Também não fui atrás pois sei e sinto que não significo mais nada pra ela, pois o amor tem que ser reciproco e verdadeiro.
    Boa sorte Claudia, que Deus abençoe vc e sua família.
    Boa sorte a todos nós.

    By Vitor on Oct 24, 2013

  97. Vitor, certamente você não vive feliz e tranquilo por não estar mais ao lado da pessoa que você ama, mas o que realmente penso é o que te falei, que como o envolvimento de vocês ainda não era tão grande (casamento/filhos), você tomou a atitude certa, que pode até não te fazer feliz, mas que sem dúvida, não lhe fará tão infeliz por uma vida inteira ter que passar o que você já passou com ela durante o pouco tempo de convívio, e sinceramente, quanto aos sentimentos dela, é complicado tentar saber se te amava ou não, porque eles tem grande dificuldade em demonstrar sentimento, e pra piorar, pode ter algo mais ainda além do transtorno, o psicólogo do meu marido falou que ele sofre também de Alexitimia (uma perturbação que afeta o processamento emocional que resulta na incapacidade de exprimir as emoções, tanto em forma de sentimentos ou palavras), e convivendo com ele esses 20 anos, concordo plenamente com o psicólogo, pois ele sempre fez tudo de melhor possível pra gente, sempre se preocupou em nos proteger, com as meninas ele faz um esforço redobrado pra ser carinhoso, verdade que tem sido bem menos carinhoso com elas nestes últimos 3 anos, mas com elas ainda é, bem menos mais é, mas comigo, tem diminuído muito nos últimos 10 anos, mas de 3 anos pra cá, quase nada de carinho, sempre manteve o cuidado, preocupação e proteção, mas carinho praticamente zerou. Então Vitor, desejo que você se recupere dos sofrimentos que passou, das lembranças ruins que ficam e desejo que você encontre uma pessoa bacana que te mereça e te ajude a superar o que for possível, porque infelizmente, certas marcas irão nos acompanhar pela vida toda, pois mesmo amando muito o meu marido e por termos vivido 17 anos maravilhosos (mesmo com um probleminha e outro normal dentro de um casamento, até os 17 anos fomos muito felizes), sei que jamais esquecerei certas coisas que ele usou pra me ofender, porque mesmo sabendo que eram calúnias, eu tenho sentimentos, e me sinto muito magoada. E sim, só Deus e nós mesmos sabemos o que cada um de nós passa sofrendo e ver sofrer essas pessoas que amamos tanto. Eu particularmente, espero do fundo da minha alma, que junto com o psiquiatra dele, consigamos na consulta (no meio de dezembro) fazer com que ele aceite se tratar, porque se isso não acontecer, meu Deus, não tenho ideia da reviravolta que nossa vida dará. Muito obrigada pelas palavras de carinho e apoio, tudo de bom pra você e que Deus nos abençoe grandemente.

    By Claudia on Oct 25, 2013

  98. Meu Deus, esto a sofrer muito com este problema. Tudo que foi escrito acerca dessa doença, tem acontecido comigo, aando desesperada porque nao sou feliz, desconfio de todos qiue me rodeiam. Esto num lugar onde nem existe psicologo para eu me consultar, se puderem me ajudar por internet, seria muito grata.

    By Marvete Fina Caetano Uane on Oct 29, 2013

  99. PELO AMOR DE DEUS ALGUEM FALA DE ALGUM CASO QUE OBTEVE CURA OU UMA MELHORA BOA , POIS NAO POSSO PERDER A ESPERANÇA DE ME CURAR , TENHO UM FILHO PARA CUIDAR E PRECISO DE PAZ PARA MINHA CABEÇA E DE PAZ PARA MINHA MULHER; NAO AGUENTO MAIS ESSES PENSAMENTOS E MEDOS QUE ME PERSEGUEM, SOU UMA PESSOA BOA TENHO BOM CORAÇÃO E SOFRO DEMAIS COM ESSE TRANSTORNO, ALGUEM TALVEZ ALGUM PSICOLOGO OU PSIQUIATRA TRAGA ALGUMA ESPERANÇA POIS NAO LI NADA QUE DESSE ALGUMA LUZ NESSES TEXTOS.

    By Um homem transtornado que gostaria muito de ser curado on Nov 19, 2013

  100. Boa tarde “Homem Transtornado…”, me desculpe a intromissão pois vejo que pede ajuda profissional, mas não resisti em escrever ao ler seu desabafo/apelo, pois é um enorme passo para quem reconhece o problema e quer realmente se tratar para minimizar os péssimos efeitos. Acredito que sozinho não tem como sair dessa, com certeza precisará de apoio de um psiquiatra e um psicólogo sim, então pelo amor a sua família vá atrás desse tratamento o quanto antes, pois eu estou quase a ponto de desistir de um casamento de 20 anos pois apesar do meu marido também ser uma ótima pessoa com um coração enorme, tem ficado cada mais mais agressivo e hostil devido a esse transtorno e o pior é que ele não aceita em hipótese alguma ser um paranóide, mas é com todos os sintomas e evidências possíveis. Boa sorte.

    By Claudia on Nov 21, 2013

  101. Eu sou nova e meu namorado (e ex namorado) é novo tb. Nós tínhamos um relacionamento no meio do ano passado mas q acabou pelo motivo dele ser muito ciumento e eu ñ aguentar mais tentar reverter as historias que ele imaginava. Acabei q reencontrando ele no meio desse ano e começamos a reatar, eu desde o principio estava cética de q ele iria melhorar, mas eu estava errada. Ele continua com as mesmas historias e falando coisas sem sentido, ilógicas, se contradiz nos meios de uma discussão e outra e fala q se comporta assim pq “há coisas mal resolvidas desde o passado”, fala q tive caso com um amigo dele, o fato de eu ficar a tarde inteira sem entrar na internet q é por onde nos falamos pela semana, já é certo pra ele q estou traindo-o, entre outras coisas absurdas q qualquer pessoa q visse isso de perto, ficaria chocada com o comportamento surreal q ele toma. Eu descobri essa pagina agr msm e estou chocada como tudo faz sentido, eu ñ sabia o nome disso e nem q tinham tantas pessoas passando pelo msm. Eu tentei mostrar a ele e fazer ele refletir e ele se nega a acreditar nisso, falou q eu to dando de louca pra ocultar coisas erradas q fiz, q eu sou sociopata e se ele tem problema com isso, o problema sou eu. Eu ñ quero me separar dele, quando estamos mais próximos, a gente faz planos e sonha em se casar e viver juntos numa boa. Por ele ser novo e só desenvolver isso comigo, eu queria saber se há mais chances de eu conseguir reverter isso. Nós moramos no msm estado mas ñ na msm cidade, nos encontramos quase todo fim de semana e quando estamos juntos é mais difícil ele se comportar assim, só as vezes, mas quando estamos longe, ele parece outra pessoa, parece transportar outra personalidade. Eu o amo muito e vou mudar pra cidade dele no fim do ano, tenho medo dele ñ melhorar msm eu estando todos os dias com ele.Eu vou continuar tentando até o ultimo segundo, tentar fazer ele refletir e conscientizar sobre a Paranóide.

    By Natalia on Nov 28, 2013

  102. Olá Natalia.
    Meus relatos estão mais acima e sinceramente, já ouvi milhões de vezes que uma mudança viria dessa pessoa que me relacionei, e não aconteceu, primeiramente ele precisa enxergar e querer de verdade se tratar para amenizar os danos que esse transtorno causa a eles e também a nós, pois somos os culpados de td e as humilhações e ofensas são constantes, e só vão aumentando, para eles estamos sempre traindo.
    Se eu pudesse lhe dar algum conselho, seria por não fazer nada precipitadamente, seria como meu caso, se vcs nem casaram ainda e já esta assim, imagine a sua infelicidade passar por isso todos os dias no seu casamento.
    Sei e entendo perfeitamente como vc se sente, pois fazemos planos e sonhamos ao lado dessas pessoas e amamos elas de verdade, minha situação ficou insustentavél, eu não aguentava mais ser acusado e ofendido de coisas que não fiz, td voltado a traição, e infelismente tomei a decisão de me afastar.
    Pense bem antes de tomar qualquer decisão, pense na sua felicidade.
    Boa sorte.

    By Victor on Dec 1, 2013

  103. Bom dia a todos, mais uma vez venho postar um desabafo (longo), que sinceramente, espero que sirva de alerta a pessoas que sofrem com parceiros paranóides e que ainda estejam em estágios do relacionamento que possam evitar maiores envolvimentos e, certamente, evitando assim maiores sofrimentos e infelicidade. Na minha opinião, pessoas que como o Vitor, a Rosana e alguns outros que decidiram por terminar a relação doentia que viviam, acabando com o ciclo de humilhação e desgaste que é viver com um paranóide antes de maiores envolvimentos (casamento/filhos), sem dúvida alguma sofreram muito, pois é uma decisão muito dura, porém a mais sensata das suas vidas! Como eu havia comentado mais anteriormente, estava esperando ansiosamente o grande dia (a consulta entre eu, meu marido e o psiquiatra dele para o dia 16/DEZ), mas no dia 15/NOV, infelizmente, ele teve um novo “surto” o pior de todos, mesmo sabendo que as coisas estavam piorando, não tinha ideia que era tanto e tão rápido, ele se superou e quando eu pensava que já não tinha como ele me magoar mais, ele conseguiu, ao ponto de quase me agredir, só não aconteceu porque GRAÇAS A DEUS eu consegui controlar a situação, mas prometi pra mim mesma que isso não iria mais acontecer sem que eu impusesse meus limites pra ele, e impus, agressão física e nesta consulta ele continuar se recusando a aceitar o problema e juntos acharmos a melhor forma de tratar pra evitar tanto sofrimento, e dada a seriedade do assunto o psiquiatra dele adiantou a consulta, que aconteceu ontem (02/DEZ). Semana passada tive uma conversa muito séria com meu marido, coloquei tudo pra fora o que ele precisava ouvir, finalmente, ouviu tudo sem falar nada, o que é um milagre em se tratando de um paranóide, no final parece que nada entrou na cabeça dele, mas pelo menos desta vez só ouviu sem me ofender, e desde esta conversa ele parecia mais tranquilo, ao ponto de eu e minhas filhas ficarmos bastante esperançosas achando que ele finalmente estava voltando a realidade e que a consulta seria muito bem sucedida, puro engano, ele agiu da mesma forma que age comigo em casa, me acusando dos absurdos de sempre, só que agora, não apenas pra mim, mas na frente de um profissional que tentou mostrar a ele que estava errado, mas infelizmente, ele continuou irredutível, o que me deu forças para na frente do médico, dizer a ele que sem ele aceitar se tratar, meu limite se esgotava, então é isso, estou arrasada por chegar a triste conclusão de não temos outra alternativa, pois pelo bem da família e na esperança que ele acabasse aceitando se tratar, tenho “relevado” durante esses últimos 3 anos, mas o último delírio que ele teve mês passado, deixou claro, que foi apenas mais um, e que daqui pra frente, a coisa pode ficar ainda mais séria, e de coração, não quero pagar pra ver, não quero que minhas filhas continuem sofrendo por me ver sofrer tanto com isso pois afeta elas muito também. E ontem, após a consulta fui a pé para casa, pra ir pensando na vida e tentando aceitar a dura realidade de ter que por em prática a separação da minha família, coisa que acreditava que jamais aconteceria, pois não era ilusão minha não, era um casamento onde existia muito amor, companheirismo e muito sólido, daqueles que dão a certeza que seria até o último dia das nossas vidas juntos, e que tenho certeza que para nossos amigos e parentes, será coisa de não acreditar que aconteceu, mas é verdade, aconteceu! Era, tudo que eu menos queria na minha vida, juro por Deus, mas pensando racionalmente, é o melhor a ser feito, antes que ele fique ainda mais descontrolado e agressivo e uma tragédia aconteça, pois ele acredita piamente nas insanidades geradas pelos pensamentos errados que tem, e isso sem tratamento, só tende a piorar, e não vou pagar pra ver até onde pode ir. Então, peço a Deus que me dê forças pra saber lidar com essa nova realidade da minha família, que me dê sabedoria pra conduzir da melhor maneira possível a criação das minhas filhas e essa nova fase das nossas vidas, e quanto ao meu marido, estará sempre, sempre nas minhas orações para que sofra o menos possível, porque não tenho dúvida que em sã consciência ele não faria a gente passar por isso nunca, pois ele é um ser humano incrível como citei nos meus primeiros relatos e até essa doença se acentuar, o que ele fez foi nos cuidar, proteger e amar incondicionalmente, por isso que tentei tanto, fiz tudo que estava ao meu alcance para que ele aceitasse nossa ajuda, mas não deu certo e não vejo outra alternativa a não sei a separação antes que algo pior aconteça, e o que posso fazer por agora, é apenas isso lutar pra refazer minha vida com minhas filhas e viver pedindo a Deus que proteja e o ampare, sempre. Força a todos que lutam contra os péssimos efeitos causados por esse transtorno. E, obrigada ao site por este espaço para desabafo.

    By Claudia on Dec 3, 2013

  104. “Era um casamento onde existia muito amor, companheirismo e muito sólido, daqueles que dão a certeza que seria até o último dia das nossas vidas juntos” essa palavras mexeram de verdade comigo, pois desde do começo que comecei a vir nesse site e comecei a ler os relatos, os de Claudia nos mostram além de um forte amor que ela tem pelo marido e pela familia também uma dimensão de que a situação chega a um ponto totalmente insustentavél.
    É extremamente complicado, pois quando achamos que a situação vai virar e tudo melhorar, que a pessoa que lutamos pra estar ao lado está se esforçando, somos surpreendidos com um balde de água fria, e as acusações, ofensas e criações de situações que não existem voltam e numa propoção acompanhada de palavras que nos detonam de uma tal maneira, de forma cada vez pior, que só quem passa por esse tipo de situação vai entender o que eu escrevo nesse momento.
    Sempre esperamos que eles entendam que as acusações e ofensas nos magoam muito, mas infelismente são frios e acham a todo momento que estamos traindo ou querendo o mal deles, o que nos coloca ainda mais pra baixo pelo fato de amarmos e muito essas pessoas.
    Claudia, espero de coração que dê tudo certo daqui pra frente pra vc e sua familia, pois essa será outra batalha que irá começar na sua vida, lembrando que ele irá te procurar e dizer que irá mudar, que tudo será diferente e que nunca mais irá fazer isso, mas sabemos que sem o devido tratamento nada acontece e como vc disse, as crises se tornam cada vez pior.
    Hoje por amar minha ex namorada muito ainda, evito sair de casa, para não correr o risco de vê-la com ninguém, pois eu não iria suportar, não pelo menos agora, estou me segurando muito e me esforçando a cada dia para não ir atrás dela, de verdade.
    Sofrimento, é isso que descrevo o que a relação me deixou, e dói muito saber que além dela achar que está certa de td e não estar nem ai pra mim, achar que sou o culpado dela ser assim.
    Que Deus abençoe vc e sua familia, pois sei bem como vc esta se sentindo, sei bem a batalha que terá que enfrentar e muita força terá que ter, que dê tudo certo daqui pra frente.
    Meus sinceros votos de forças.

    By Victor on Dec 3, 2013

  105. Muito obrigada pelas palavras de carinho Vitor e que Deus te abençoe também e que você consiga ir aos poucos minimizando os impactos desse trauma que ficou para que as cicatrizes possam ir “melhorando”, acredito que seja possível cicatrizar sim, mas impossível sem deixar grandes marcas, e como a gente diz (parceiros de paranóide), não é qualquer pessoa que entende o que a gente passou ou passa por sofrer e ver sofrer pessoas que a gente ama por causa deste transtorno. E, por favor Vitor, pelo seu bem, mantenha-se firme, não permita acreditar que ela poderia mudar, pois chega uma hora (exatamente a que meu marido está) que eles ficam 100% fora da realidade e não conseguem mais discernir o que é real ou delírio) e você voltar a se envolver com ela, só faria piorar o que você está sentindo, pois mesmo que fique tudo bem no recomeço, logo a paranóia toma conta novamente e aí sem dúvida, você se arrependeria muitíssimo de ter tentado levar adiante algo que infelizmente, não tem futuro (bom). Então de coração, muito obrigada pelo apoio e tudo de bom pra você também.

    By Claudia on Dec 3, 2013

  106. Claudia, sinceramente eu sinto muito pelo desfecho dos acontecimentos relativos ao seu casamento, pois você era a única (das pessoas com quem conversei sobre suas vivências com paranóides)que ainda se propunha a tentar salvar a relação por ainda conseguir enxergar qualidades no parceiro paranóide e ainda ter esperanças reais de salvar seu casamento. Mas infelizmente como você disse, mais cedo ou mais tarde chega uma hora em que a situação fica insustentável e se torna impossível continuar com o relacionamento, a ponto de ser possível e em alguns casos ser bem provável que aconteça uma desgraça. Foi exatamente por isso que tive forças pra colocar um ponto final no meu relacionamento com aquele que foi e sempre será o grande amor da minha vida, pois só assim consegui preservar a minha integridade física e a dele também, pois chegou num ponto em que além da tortura psicológica devido à desconfiança e acusações infundadas, começaram as agressões físicas e verbais, culminando com ameaças de suicídio dele, e ameaças de morte feitas a mim. E é impressionante como isso deixa marcas profundas na gente, e apesar de tudo, isso não acaba com os nossos sentimentos de amor, pois passados 1 ano e 4 meses da minha separação ainda o amo… fico pasma com isso, mas ainda o amo! Como eu queria ter raiva dele, odiá-lo e tirá-lo do meu coração por tudo que ele me fez passar, mas eu só consigo ter pena dele e continuo a amá-lo do mesmo jeito… Mas enfim, fiz o que tinha que ser feito, fui sensata e passei por cima dos meus sentimentos… mas não é fácil conviver com as lembranças de tudo o que aconteceu… Por isso desejo a você Cláudia, a você Victor, Helena, Giuliana e tantos outros que aqui registraram suas angústias e desabafos, desejo a vocês muita força pra ir em frente, pois a vida continua, apesar do que passamos… Muita paz, equilíbrio, sensatez, amor próprio e tranquilidade para tocarmos nossas vidas… Fiquem com Deus

    By Rosana on Dec 6, 2013

  107. (daqui a pouco o site vai bloquear minhas mensagens, pois já está quase virando um livro, rsrs). Sinceramente Rosana, no pé que minha situação chegou (mesmo sem jamais ter desejado isso) o mais quero hoje na minha vida é a separação, o que parecia ser a solução de acordo com o que ele falou pois não tem nada para tratar porque não está doente. Há uns 20 dias tenho feito teria (foram 3 sessões), com uma psicóloga muito séria e que está se dedicando muito ao meu caso, na última sessão (3 dias atrás) ela enfatizou muito que ele não quer se separar, que ele ainda vai jogar muito comigo dado o sistema de um paranóide e o grau de inteligência que ele tem (é inteligentíssimo), e não deu outra, esses últimos 3 dias (desde a consulta com o psiquiatra e meu marido juntos, quando falei que queria a separação por ele não aceitar se tratar) tem sido um desgaste emocional monstruoso pra mim, pois, pra me pressionar a “aceitar por uma pedra em cima do que aconteceu e começar do zero”, na terça-feira mesmo, ele se humilhou muito (coisa que NUNCA fez na vida dele) fez mil promessas e concessões pra eu deixar ele continuar cuidando de mim e da meninas como ele sempre fez, etc… etc…, mas falei pra ele que abria mão de tudo que ele me ofereceu, que minha única exigência era ele aceitar se tratar adequadamente, aí ele respondeu que essa era a única condição que ele não aceitava, pois ele não está doente e com isso não tem nada pra tratar aí falei que então não tem jeito mesmo, que tínhamos que dar início a separação, e assim na quarta-feira ele começou a separar documentos (me mostrando que está se preparando pra ir embora), aí ontem me perguntou se eu já estava preparando as meninas para esta situação, e eu disse a ele que sim, que não se preocupasse com isso que elas estão bem cientes e inclusive aceitando bem (dentro do possível) pois estão vendo que não tem mais condições de seguir assim, avisei também que ia precisar que ele assinasse daqui uns dias o recibo do carro que está no nome dele (pois a manutenção do nossa carro não caberia mais no meu orçamento). Nossas férias estavam programadas para o meio de Janeiro (sempre viajamos de carro), falei que já iria comprar as passagens aéreas para mim e as meninas, pra evitar que fique divagando com aquelas ideais absurdas e equivocadas (que vou de repente viajar com “o meu macho” como ele sempre diz), mas infelizmente ele está tão fora da realidade, mas tão fora, que interpretou tudo isso de forma errada, pensei que esclarecendo as coisas assim, ia mesmo arrumar as malas pra ir embora amanhã como ele havia me dito mas ontem durante o dia agiu com as meninas como se nada de errado estivesse acontecendo e a noite quando cheguei em casa, super normal comigo também, pediu pra me abraçar (dormir de conchinha) e queria sexo como se isso apagasse todo o pesadelo que temos vivido, eu fiquei tão chocada que simplesmente fiquei igual uma pedra virada para o lado oposto a ele, como se não tivesse ninguém abraçado a mim, até que passou o baque da surpresa e adormeci, hoje acordei mais chocada ainda, por concluir que ao contrário da certeza do sofrimento de amanhã ver ele saindo de casa, eu e as meninas sofrendo muito com essa cena por ver nossa família se desfazendo (literalmente), agora essa certeza foi substituída pela garantia de que o que a psicóloga me falou há 3 dias atrás, infelizmente, é o que está acontecendo, pois quando mostrei pra ele que poderia ir que eu já estava preparada pra recomeçar com as meninas, ele agiu daquela forma ontem (parou de se preparar pra ir embora) pois não é isso que ele quer nem o que ele vai fazer, pois se ele sair, já vou trocar o carro, procurar outra casa, ou seja, antes que eu faça coisas que não estão nos planos dele, deu um passo atrás, pois ele não quer isso, quer apenas “jogar comigo” para que mais uma vez eu volte atrás e finja que nada está acontecendo. Então, mais uma etapa da batalha está apenas começando, pois nunca estive tão certa do que quero: sair desta situação doentia, e sendo assim, manterei a minha decisão, se quiser a minha ajuda e aceitar se tratar adequadamente, sem dúvida tentarei pelo amor que tenho a minha família, pelo ser humano que ele é e pela gratidão do pai/parceiro maravilhoso que ele foi pra gente durante 17 anos, mas se não aceitar se tratar, eu não vou ficar parada esperando ele ficar cada vez mais agressivo a ponto de virar um psicopata e fazer uma desgraça nas nossas vidas. Com certeza as coisas não estão nada fáceis dada a atual situação, e o que me entristece mais é saber que ainda pode piorar muito, mas creio muito em Deus, e sei que ele não me daria uma cruz mais pesada do que posso carregar e com o apoio Dele, das minhas filhas e de pessoas importantes na minha vida, eu vou conseguir resolver essa situação, seja fazendo com que ele aceite a se tratar ou seja tendo que encontrar um meio da separação acontecer e eu refazer a minha vida com minhas filhas, mas o que estou certa, é que da forma que está, não pode ficar. Por isso Rosana, conforme você citou SENSATEZ, tem que ser a palavra chave quando as agressões estão passando das verbais/morais, a gente precisa de sensatez, sabedoria e equilíbrio para controlar nossos sentimentos para sermos mais racionais e tentar sair do problema e não deixar que eles nos dominem, pois eles (paranóides) estão fora da realidade, fazem tanta ignorância que nem tem noção mais, mas a gente que está na realidade, sofre demais, se machuca demais e temos que achar um meio de acabar com esse ciclo vicioso porque causa danos irreversíveis na vida da gente. Então, muita sensatez, sabedoria e equilíbrio para as pessoas que como eu, a Giuliana e muitas outras que estão nesta fase do processo e para pessoas que como você, o Vitor, a Rosana e muitos outros que já passaram dessa fase, mas que estão com certeza numa fase de muito sofrimento também, mas que acredito, terem se livrado de um problema maior, e que Deus abençoe que mantenham-se firmes na decisão que tomaram, pois foi sim a mais sensata das suas vidas, não duvidem disso nunca! Força a todos nós e que Deus esteja sempre do nosso lado.

    By Claudia on Dec 6, 2013

  108. Olá,
    estou tendo problemas sociais que me foram colocados pela namorada psicologa. ela muito compreensiva e amável te sido muito tolerante com minhas desconfianças. ate entao eu nao tinha consciencia que poderia ser um transtorno ou disturbio de personalidade pois sou muito administrador de meus sentimentos e passos. Minha vida tem me mostrado que minhas desconfianças quase sempre foram fundamentadas pois as nuances de comportamento foram comprovadas no futuro proximo o que me confundiu muito e crsceu muito minha confiança em querer administrar os acontecimentos. Hoje se tornou insustentável e me faz criar situaçoes que irao me fazer perder a companheira mais fantastica que tive nessa vida. Nao quero perder essa dadiva por essa vida vazia que essa paranoia ira me trazer, alem do arrependimento eterno.
    Quero poder contar com ajuda mas gosto de me informar bem primeiro pois nao disponho de recursos para me tratar em consultas. Se
    Seria possível esse tratamento atraves da leitura?
    Eu li o diagnostico e me vi em varias situaçoes.
    Preciso de ajuda!

    By FlavioP on Dec 13, 2013

  109. “Como eu queria ter raiva dele, odiá-lo e tirá-lo do meu coração por tudo que ele me fez passar, mas eu só consigo ter pena dele e continuo a amá-lo do mesmo jeito…” palavras de Rosana que resume o que estamos passando, também sinto o mesmo pela minha ex e o mais impressionante é nos perguntarmos, como podemos amar alguém que transformou nossas vidas em verdadeiros caos e destruição de sonhos e estados pscicologicos.
    Mas vc Rosana foi feliz em dizer que precisamos ser sensatos e buscar a cada dia o amor próprio… E assim vamos seguindo, dia após dia.
    Já a vc Claudia, era de se esperar que as batalhas seriam cada vez mais fortes, mas tenha força, muita força mesmo, que vc consiga vencer esses obstaculos, que Deus abençoe vc e suas filha e saiba que estamos todos aqui torcendo por vc, pois a batalha só está começando. Boa sorte a todos nós que deixamos de certa forma esse sofrimento de ofensas e absurdos e passamos por um momento dificil e muito mais sorte as pessoas que passam pela mesma situação da Clauida, tenham amor próprio e como disse a Rosana, sejam cada vez mais sensatos.

    By Victor on Dec 14, 2013

  110. Doenca que deve ser tratada e levada muito a serio!!Tive uma experiencia com uma portadora desta doenca…E TUDO ACABOU EM UM SUICIDIO!
    Cuidado,muito cuidado com quem convive com estes doentes.

    By michele on Dec 15, 2013

  111. A condição de quem tem um relacionamento com um paranóide, acredito ser sempre de sofrimento, pois insistindo em continuar com a pessoa sem que ela aceite ajuda, é certeza de ser constantemente torturado psicologicamente (e muitos casos fisicamente) pelas atitudes deles, e no caso de não aceitar continuar sem que ele aceite se tratar (a opção que tomei no início do mês, como última tentativa), também é a certeza de viver sofrendo, por ter destruído a família e por ficar imaginado o que nosso ente querido deve estar sofrendo sozinho pela vida (pois é impossível sim Rosana e Vitor, odiar alguém que no fundo é merecedor de pena), no meu caso, com o agravante de ter plena consciência de ter vivido 17 anos maravilhosos com esta pessoa que só fez cuidar de mim e das minhas filhas com amor incondicional até está doença se desencadear de 3 anos pra cá. No dia 07/DEZ ele foi embora, e quando fui deixar ele no aeroporto, falou pra minha filha mais nova (de 15 anos) que quando ela era pequenina não sabia estalar os dedinhos, mas que agora ela sabe, então era só ela ou qualquer uma de nos estar os dedos que ele voltava, aí de imediato estalei os dedos e falei pra ele que não precisava ir, era só ele aceitar a minha ajuda pra se tratar adequadamente, então ele respondeu, que tinha mesmo que ir, pois não estava doente e não tinha nada pra tratar, hoje fazem 9 dias que ele voltou para a cidade dele (Rio), nós moramos no Paraná, e pra não dizer que ele não fez nenhum contato, ligou 4 dias após a ida apenas para resolver algo relacionado as nossas contas, totalmente frio e distante devido ao estágio adiantado da doença e pra piorar pelo problema da alexitimia, totalmente sem emoções, remorso, ou qualquer outro sentimento. Não liga sequer pra saber das meninas, e do fundo do coração, pouca gente pode entender como me sinto devastada com esta situação, por imaginar que semana que vem é Natal e dali a pouco Reveillon e pela primeira vez em 20 anos passaremos essas datas separados, estou sofrendo só de imaginar o que sentirei nesses dias, e minhas filhas, meu Deus, não consigo mensurar o sofrimento que será pra elas. Mas Deus há de nos dar força, pois é isso aí, na atual situação, SENSATEZ é a palavra mais importante. Fiquem com Deus!

    By Claudia on Dec 16, 2013

  112. eu tenho ciúme patológico e estou fazendo tratamento com pisiquiatra e psicólogo a uns 3 meses e os resutados estão sendo péssimos cada vez que vou la voulto pior so alimentao o meu problema acho que vou me matar acho que vai ser a melhor solução pois estou nessa a uns 5 anos estou muito cassando disso já chega quero ponto final

    By marcelo on Dec 20, 2013

  113. Cara.
    Sinceramenre se matar não vai resolver teu problema, muito pelo contrário, só trará sofrimento a quem esta do seu lado, para e pensa um pouco, seja racional e não deixe o seu problema lhe dominar, olhe pro lado e veja a sua familia, seus amigos, seus filhos, mulher, pense nas pessoas que amam vc e que vc ama de verdade, pense e aceite o amor que essas pessoas tem por vc, acredite, tenha fé, tenha vontade de viver, de sorrir, de ajudar o próximo e amar com todas as forças.
    Tirar sua própria vida só trará sofrimento a quem vai ficar, para e pense um pouco nisso, não cause o sofrimento de ninguém.
    Entenda que o principal passo vc já deu, que foi começar o tratamento, todos os relatos aqui só pedem isso, que seus parceiros, amigos e amores aceitem um tratamento para se livrar dessa doença, então não desista jamais, continue indo, no começo tudo é dificil mesmo, mas não desista, pois aposto que muita gente tem orgulho de vc, pode ter certeza.
    Só tenho a te desejar boa sorte e vai ser feliz cara, continue forte e não desista, não desista jamais.

    By Victor on Dec 21, 2013

  114. Verdade Marcelo, como disse o Victor não vai resolver mesmo! É muita covardia tentar resolver as coisas dessa forma, só porque o começo do tratamento está difícil… o mais importante você já fez cara, assumiu que tem esse transtorno e foi atrás do tratamento! Agora é só dar tempo ao tempo, com a terapia e medicação apropriada tudo vai dar certo, tenha paciência, esse tipo de remédio demora um pouco pra começar a fazer efeito, mas logo logo você e as pessoas do seu convívio vão começar a notar as melhoras! Quisera eu que meu ex marido assumisse que sofre dessa doença, e que era isso que estava acabando com nossas vidas… quisera eu que ele aceitasse minha ajuda e meu apoio para levá-lo a um médico… mas não, ele não quis, ou não conseguia enxergar que o problema era esse… preferia ficar me atormentando 24h por dia com acusações infundadas, com falta de confiança, com dúvidas sobre o meu caráter, enfim, era uma verdadeira tortura psicológica. Mas como meu amor era grande demais eu relevava quando me pedia desculpas, e muitas vezes ele nem pedia, mas eu deixava pra lá, na ilusão de que tudo ia melhorar… na época eu não sabia do que se tratava, só vim a saber depois que me separei dele, contei a ele o que era essa doença, ofereci ajuda, eu queria continuar ao lado dele, tinha certeza que tudo ficaria bem se ele se tratasse, mas ele só sabia dizer que a culpa era minha, porque eu não assumia meus erros e minhas falhas, minhas traições… e eu dizia a ele que não iria assumir o que eu não tinha feito, e aí eram gritos, ofensas, agressões físicas e verbais… nessas horas eu queria desistir de tudo e voltar pra casa da minha mãe, onde era bem tratada e não tinham dúvidas do meu caráter e meu valor. Aí ele ameaçava se matar, e com a faca no pescoço me dizia que faria isso, se mataria na minha frente pra que eu sentisse essa culpa pelo resto da minha vida. Eu sentia pena dele, por ele ser tão fraco e covarde… Graças a Deus essa desgraça não aconteceu, apesar das inúmeras ameaças… Mas digo a vc Marcelo, seja forte e corajoso, como vc foi ao assumir a doença e buscar tratamento, não permita que essa doença o domine, não permita que ela estrague sua vida e a de quem está do seu lado, não permita que ela lhe faça sentir vontade de desistir de tudo, tirando a própria vida, seja mais forte que ela, você é capaz de dominá-la e não deixar que ela lhe domine. Se leu esse artigo você já sabe do que se trata, vc conhece o inimigo, é só se manter firme na luta, seguindo corretamente o tratamento, tudo vai dar certo, Marcelo… tenha fé… e muita força e determinação, você vai conseguir!!! Força!!!

    By Rosana on Dec 22, 2013

  115. Fazia um bom tempo que não via as postagens por aqui, mas já li tudo e me atualizei. Sinto muito, por todos que estão por aqui e que passam por momentos tão difíceis. Claudia, eu tenho lido tudo o que você posta e me solidarizo contigo. Não sei bem o que dizer. Mas entendo como se sente. Eu faço idéia… Também convivi com uma pessoa doente, que amo ainda com todo o meu coração. Mas sei que não pode ser. As ultimas noticias que tive é que ele está frequentando uma igreja, o que acho importante e muito válido, mas ao mesmo tempo penso: Deus pode ajudar sim, mas eu acredito que se nós mesmos não quisermos nos ajudar, como será? Não se trata apenas de ter fé. Tratam-se também de “disfunções” químicas, orgânicas e é por isso que tem que se tentar um tratamento com medicamentos, com terapia… O tratamento religioso, a crença em uma força maior – Deus – faz parte de um conjunto de medidas que seria o “ideal” que uma pessoa nessas condições tomasse. Claudia, espero que você seja forte o suficiente para suportar esse momento, mas saiba que irei torcer para que sua familia continue unida. Vc, seu marido e suas filhas. Que ele, em algum momento, possa repensar tudo e “voltar” para vcs. 17 anos!!! Isso me comove muito. Meu relacionamento durou aprox. 3 anos e a separação ainda dói muito, sofro pelo que não poderei viver com ele (pq eu achava que não seriam só coisas ruins, eu acreditava nele). Mas não depende de nós…E 2014 está quase aí. Quantos sonhos… Natal sem ele foi triste…
    Mas a gente não pode desistir. A gente tem que acreditar que existe algo de muito bom esperando por nós, lá na frente. Tem que haver! Desejo a todos vcs muita força, muita lucidez para tomar decisões e sustentá-las, para que possam viver em paz! Um 2014 de paz a todos vcs!

    By Helena on Dec 26, 2013

  116. Obrigada Helena pelo apoio e torcida, sem dúvida isso é muito importante vindo de familiares e amigos, mas é muito especial também vir de uma pessoa que nem conheço, mas que entende, as vezes, muito mais que os “próximos” o que tenho passado. Dia 22/DEZ foi meu aniversário, faziam exatos 15 dias que ele tinha ido embora e ligado apenas uma vez durante esse tempo, no dia do meu aniversário ele me ligou de manhã para me dar os parabéns e pedir para voltar, se esforçando ao máximo para ter uma resposta positiva e dizendo que ele aceita se tratar, não com um profissional que eu quisesse, mas da escolha dele, de começo não era o que eu queria, pois preferia escolhermos alguém bem experiente no tratamento desse transtorno, mas parei pra pensar na dura realidade que os portadores deste mal passam, que eles são os que menos aceitam a possibilidade de estar doente e consequentemente são os que menos se tratam, e dei um passo atrás, considerando que o dele, foi um passo enorme, pelo simples fato de dizer que vai se tratar, mas como eu sei que entre dizer e fazer tem uma enorme diferença, durante nossa conversa, reforcei muito pra ele que ele ir a um psicólogo apenas pra falar/desabafar, não serviria de nada, que ele tinha que se permitir ouvir e interiorizar o que for apontado para que possa mudar a maneira (errada) de pensar e agir, então, te digo que a conversa foi muito forte, mas ele está desesperado pra voltar pra casa, porque apesar de tudo que tem acontecido, não tenho dúvida que nós somos tudo na vida dele, e isso é uma certeza que TODAS as pessoas que convivem (ou conviviam conosco antes dele se afastar e nos afastar de todos, pensam também), ninguém acredita que estamos separando, todos dizem: NÃO É POSSÍVEL, VOCÊS NÃO! Então no dia do meu aniversário minha família fez uma festinha pra mim e quando falei que ele está voltando pra casa parecia que estava dando doce a uma criança, foi uma alegria que só, isso sem falar na minha pequena (de 15 anos) que estava ao meu lado no momento que estava conversando com ele, e quando percebeu que estávamos “acertando as coisas” começou a chorar de alegria, e logo que terminamos de conversar, ele pediu pra falar com nossas duas filhas pra contar a novidade, que iria voltar no dia 02/JAN, pois com certeza já tínhamos combinado de passar Natal e depois o Reveillon com alguém e ele não queria atrapalhar o que tínhamos planejado, porque também, ele tem cara pra encarar ninguém por enquanto, e assim ficamos acertados, mas… na noite de Natal, nossa pequena teve uma crise de chora que começou quase 1:00 da manhã, foi terrível, ela estava muito triste, então mandei uma mensagem pra ele pedindo que assim que pudesse ligasse pra ela pois tinha dormido chorando por causa dele, de imediato ele ligou e conversaram por mais de meia hora, e a ligação toda ela chorando, sem contar que mesmo depois dele ter desligado, ela continuou chorando por pelo menos mais duas horas, e, depois que eles conversaram, ele falou comigo e perguntou se podia comprar a passagem pra voltar logo, e claro que concordei, não tinha mais porque prolongar esse sofrimento pra nenhum de nós, do meu lado, sem dúvida alguma, estou muitíssimo magoada, mas tenho amor de sobra por ele, por isso estou disposta a tentar (mas óbvio, dentro do que me propus, apenas com ele aceitando se tratar seriamente), sei que a luta não será fácil, mas o mais difícil já aconteceu, ele aceitar se tratar, então vou abraçar a causa e fazer o que eu puder pra acompanhar de perto, acreditando muito e pedindo muito a Deus que realmente funcione, e percebi que quando parei de lutar contra e implorar a Deus que as “coisas melhorassem” e passei a dizer: QUE SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, as coisas começaram a se ajeitar mais rápido e tranquilamente, então é isso, não sou nenhuma beata, mas tenho minha fé (muito forte) em Deus e confio que Ele fará o melhor para minha família, seja ela permanecendo unida ou até mesmo se separando, o melhor será feito, e estou disposta a fazer minha parte com todo o esforço que se fizer necessário, pois não existe nada mais importante na nossa vida que nossa família, e eu faço tudo pela minha. Depois de amanhã no começo da tarde ele chegará, Deus queira que ele se mantenha firme no que combinamos, pois assim, as chances da gente ter um recomeço promissor, aumentam muito. Semana passada, fui ao hospital fazer uma consulta, e passou do meu lado um casal de idosos (muito idosos, acho que ambos na faixa dos 80 anos) bem debilitados, andando meio escorados um no outro, mas ainda andando, não consegui segurar a emoção de ver aquela cena, pois era daquela forma que eu imagina que eu e meu “velho” ficaríamos: até o final juntos. E, como disse antes, mesmo magoada, estou disposta a travar essa batalha com ele pelo bem da nossa família, quem sabe ainda existe a possibilidade da gente envelhecer juntos ainda, como nós (e todo mundo) acreditava que aconteceria com a gente? Pra variar, escrevi demais, mas é difícil explicar isso tudo em poucas palavras, então enquanto o site não me bloquear, rsrs, vou continuar os “meus desabafos” por aqui. Mais uma vez, obrigada pelo apoio (Vitor, Rosana, Helena e todas as outras pessoas que mesmo não tendo escrito diretamente a mim), mas que leram meus desabafos e que mesmo que por uma fração de segundos tenha torcido pela melhora da nossa situação, desejo de coração a todos vocês que Deus lhes abençoe e que lhes dê um 2014 cheio de saúde, paz e força pra continuar na luta com as escolhas que fizeram. Tudo de bom!

    By Claudia on Dec 27, 2013

  117. Olá, li todos os comentários e observei como o parceiro (a) que sofre os ataques verbais ou físicos se sentem. Há apenas 2 meses meu noivo me expulsou de sua vida e de nossa futura casa a qual no dia do fato estávamos mobiliando para o casamento agora em janeiro de 2014 após 9 anos de namoro. Tudo certinho para casar até a viagem para um lugar paradisíaco. Pensem como a noiva no caso eu estava feliz e de repente o noivo lindo, forte o homem que me fazia suspirar de amor diz que você esta fazendo feitiço para tomar a casa dele (a qual construímos juntos) e você é expulsa do lugar que você estava contando os dias para viver uma nova vida e ele toma posse de tudo que é de vocês e vai morar sozinho na casa. Tristeza/Revolta/Amor/Pena/etc nos atormentam. Uns 15 dias passam e ele não atende seus telefonemas e nós ficamos aflitos: O que esta acontecendo! Eu na coragem fui até nossa casa e no portão espero ele. Ao chegar me insulta verbalmente para toda a vizinhança ouvir e muda o foco de quem faz feitiço: Agora é minha mãe. Quanto a mim ele descobriu que sou falsa, não tenho valor nenhum. Ele perdeu o tempo comigo. Seus gestos são de raiva, olhos esbugalhados, rosto de choro e agressividade ao mesmo tempo. Detalhe manteve distância de mim. É possessivo quanto referi as nossas coisas. Num estado de pânico ele diz: São minhas, minhas e bate no seu peito. Eu estática não sabia se chorava ou gritava. Fiquei parada até ele me mandar embora. Ao dobrar a esquina entrei num estado de choro, desespero. Detalhe: a uns dias antes do ocorrido ele me disse que depois de casar eu não poderia mais fazer trabalhos extras a 4 horas da cidade que moramos e se ele me visse traindo-o ele não responderia pelos seus atos. Levei isso na inocência mas deveria ter refletido e indagago ele. Para vocês terem idéia estou flutuando estes dias não sei se tenho raiva ou pena ou amor nesta angústia que me sufoca. Estou precisando de tratamento agora. Minhas lágrimas quando sinto já cairam. Meu choro é silencioso porque é minha alma que dói. Ele está morando sozinho em nossa casa e por comer na casa da mãe estão dando remédio escondido ao consultarem com um médico psiquiatra de conhecimento meu que suspeita de um caso paranoico ou de esquizofrenia devido outros minuciosos detalhes comportamentais que o acometiam antes e que para nós era mania normal. O que mais me deprime é saber que ele está vivendo como se nada aconteceu e usufruindo de tudo que é nosso casa e carro, além de sair para beber. Vejo que cada caso tem uma singularidade mas a dor para o parceiro ofendido é única também só muda de endereço, porque a principio não entendemos e de repente vemos aquele que fez júrias de amor com nós seguir em frente em seus propósitos ao ser medicados como se você nunca esteve na vida dele.Ele lembra da data do casamento mas não tem atitude de desmarcar tudo que já estava pago e ainda ri da gente como meu caso: Ainda não foi buscar o dinheiro. A vontade foi de dizer tem que pagar rescisão de contrato. São situações tão complicadas gente. Vejam: O médico diz que ele está em surto paranoico e pediu para eu me afastar mesmo dele, pois ele já teve depressão com ciúme exagerado. Os amigos dizem que ele está bem, está convicto em não casar mais. Outros dizem que é espiritual.A família dele diz que daqui uns meses tá tudo bem entre nós. Ninguém pensa em nós as vezes. Ele (a) te agride verbal ou fisico e depois tudo é normal. Me sinto incapaz, sem ajuda, sem rumo. Amar é lindo ter m relacionamento de cumplicidade é uma dádiva e de uma hora para outra o amor e a relação se torna uma tempestade em nossas vidas que vai passar quando o outro estive fora de surto e as sequelas o que fazemos? Me perco em meus sentimentos e pensamentos ao ver minha vida amorosa voltar para o ponto de partida e ter que procurar um jeito de sufocar esconder este amor. é minha vida ou o amor por ele! Por que essas doenças existem? Fazem tão mal a nós todos e ao doente? Entendi também que é na ajuda bem distante que podemos fazer algo por eles como também nas orações. Meu momento, meu novo ano (2014) chegou ferido em minha vida. Ao escrever aqui há lágrimas, confissão e a vontade gente de correr e beijá-lo como faziamos nas tardes de sabado, mas não posso. Estou sonhando gente e tudo isso vai passar é assim que estou vencendo cada dia. Força para nós os parceiros que são guerreiros na dor do amor!

    By Aline on Jan 4, 2014

  118. Oi Aline, eu sinto muito por tudo que você está passando viu? É muito difícil nos depararmos com essa situação de uma hora pra outra… pra mim também foi assim, de repente aquele homem doce, amoroso, carinhoso, atencioso, aquele com quem eu sonhava passar junto o resto da minha vida, se transformou em outra pessoa, ficou um homem desconfiado, amargo, egoísta, agressivo e transtornado. O que você contou tem muito em comum com o que aconteceu comigo… ele também acusou minha mãe de estar fazendo macumba pra separar nós dois, e a coitadinha estava entrevada numa cama quase pra morrer… minha mãe estava morrendo aos poucos e ele teve a coragem de acusá-la de estar fazendo macumba pra nos separarmos, tentando explicar a razão de nossas inúmeras brigas… durante as discussões ele também ficava com o rosto transfigurado de ódio, os olhos esbugalhados como você disse, isso me deixava muito assustada, como um homem tão bonito se transformava daquela maneira? Quando fui embora de casa ele também se isolou na casa onde morávamos (como fez seu ex noivo),e queria continuar morando lá, só que o aluguel estava no meu nome e quem comprou todos os móveis fui eu, sozinha, ele não ajudou em nada, e queria ficar usufruindo de tudo sozinho, só que eu não dei esse gostinho pra ele não. E quando eles entram em surto, a única coisa que devemos fazer é nos afastar, pois existe o risco de fazerem uma besteira… o meu me ameaçou de morte se eu me separasse dele, mas um dia eu dei um basta nessa tortura psicológica, até Boletim de Ocorrência por ameaça de morte eu fiz contra ele! Quem diria, aquele homem maravilhoso que me fazia juras de amor, me ameaçando de morte! Não é a toa que nós ficamos doentes, precisando de tratamento psicológico, esse terror deixa marcas profundas na gente… Como eu te entendo Aline… Você diz: “Por que essas doenças existem? Fazem tão mal a nós todos e ao doente?” Me fiz essa e inúmeras perguntas milhões de vezes, e foi assim que vim parar nesse site, tentando entender a doença… e conheci pessoas que sofreram e sofrem como eu sofri e ainda sofro… Como você eu morro de saudades de quando tudo era um mar de rosas… como você eu desejei muito que tudo fosse apenas um sonho ruim e eu fosse acordar vendo tudo como era antes… mas o tempo vai passando e a gente vai entendendo essa dura realidade pra nós… Eu sinto muito que seu 2014 tenha começado com esse tsunami devastando sua vida… o meu foi em 2012 e ainda estou catando os caquinhos do que restou de mim, pra tentar refazer a minha vida… Espero que você consiga passar por tudo isso sendo muito, mas muito forte! E veja em nós, parceiros de sofrimento, como amigos dispostos a te apoiar na sua luta… Se quiser conversar mais meu email é rosanahein2@hotmail.com fique com Deus!

    By Rosana on Jan 9, 2014

  119. Sinto muito Aline por você ser mais uma pessoa a “entrar no grupo”, como disse a Rosana (que sempre está a disposição pra “acolher” os novos “parceiros de sofrimento”, ainda mais da forma traumática que foi com você às vésperas do seu casamento, realmente é terrível, mas (EU) analisando friamente a sua situação, apesar do tamanho sofrimento que você está passando, te diria, melhor (ou menos pior) agora do que lá pra frente quando tiverem totalmente comprometidos, com filhos e sofrer mais ainda por ver os filhos sofrerem junto além de você já estar tão desgastada com tanta humilhação e tanta tortura psicológica que um paranóide é capaz de fazer, que sem dúvida, se já está desse jeito, daqui a pouco ficará insuportável, então Aline, seja muito forte pra superar isso, apagar as marcas que já estão em você é impossível, mas superar e levantar a cabeça pra se refazer vai depender muito da sua força, reforce sua fé (não digo passar a ir à uma igreja caso não seja do seu costume), mas sim se apegar com muita fé em Deus e pedir QUE SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, mesmo que essa vontade, seja de vocês se separarem definitivamente pra evitar sofrimentos maiores no futuro. A minha situação hoje, é a seguinte: no dia 30/DEZ meu marido voltou pra casa, e de lá pra cá tem sido uma maravilhoso (como foi durante os 17 anos de paz que vivemos antes dessa maldita doença se agravar), tem agido exatamente como antes dessa transformação, o que dá a impressão que os últimos (duros e traumáticos) 3 anos não houvessem existido na nossa vida), mas só quem passou o que eu passei com ele especialmente durante 2013, entenderia como estou me sentindo, não estou vivendo com “pedras na mão pra tacar nele a qualquer momento” mas também não estou confiando cegamente nesta mudança ultra, mega radical, sei que ele sofreu muito nesse quase um mês de separação, pra mim e para as meninas foi um pesadelo terrível, e segundo ele me falou quando voltou, foi terrível pra ele também, disse que parecia estar anestesiado, fora da realidade com a separação, então assim, estou dando tempo ao tempo, e como a vida de todos nós meio que só volta a rotina normal depois das férias e depois que os filhos voltam pra escola, e ele também vai voltar a estudar no dia 05/FEV e se Deus quiser, passar na última etapa de um concurso que ele fez (eram 3 fases, já passou em duas), e é claro, junto com essas mudanças (que diminuirão o tempo de cabeça vazia e consequentemente, menos tempo pra pensar/produzir merda) ele TEM QUE retomar o acompanhamento psicológico que combinamos, e de coração, é com essas possibilidades que estou contando com a chance da gente retomar nosso casamento, que tenho certeza, jamais será como antes, mas ele sabendo aproveitar essa oportunidade de mudança com o meu apoio, a gente tem grandes chances de viver em paz, mas te digo uma coisa, depois de passar por essa tempestade eu vi que o que “parceiros de sofrimento” mais falam aqui que “você precisa ser forte” é a maior verdade de todas, e te digo, mesmo que você pense que não suportará, acredite que é possível sim, você tira forças sabe Deus de onde, hoje tenho orgulho da postura que tomei diante desse problemão que apareceu na nossa vida, ainda sofro muito com todas as mudanças que aconteceram na nossa vida, mas estou mais forte, e pretendo usar esta força para ajudá-lo a se cuidar adequadamente, mas se isso não acontecer, Deus há de me ajudar a ter a sabedoria de usar esta força para me afastar definitivamente dele me separando e vivendo em paz só com minhas filhas, mas como te disse, confio muiiiiiito em Deus e acredito ter feito a escolha mais certa da minha vida: deixar que seja feita a vontade Dele, pois Ele fará o que realmente tem que ser. Então, Aline, seja forte, muito forte pra suportar isso e superar da forma menos traumática possível tudo isso de ruim que tem passado. Muito boa sorte pra você. Seu 2014 não começou nada bem, mas estaremos torcendo para que melhore logo. FORÇA!

    By Claudia on Jan 9, 2014

  120. Extremamente complicado e triste sua situação Aline, assim como todos acima, sei e entendo muito bem o que você esta sentindo, o sofrimento é inevitável sabemos, pois, as acusações e agressividade deles nos assustam muito, cada palavra de ofensa e acusação, as humilhações a nós e nossos familiares, nos destrói como espadas que entram em nossas carnes e ficam ali cravadas e dói muito.
    Como você relatou, eles vivem o dia seguinte como se não estivesse acontecido, tudo fica normal e partem pra outra numa boa, isso machuca muito mais ainda a todos nós.
    Eu procuro ser forte, mesmo sabendo que minha ex já está com outro e ela fez questão de mostrar isso aos meus amigos, colegas e familiares e também a mim, de forma baixa e vulgar.
    Tenha força Aline, procure dentro de você a cada dia muita força, para poder passar por cima desse trauma que só quem vive sabe, você é capaz mesmo achando que não, tenha fé, tenha calma, seja sensata, mas tenha em mente sempre que existe alguém que merece mais seu amor do que ele, VOCÊ MESMA, se ame antes de ama-lo, sei que na prática tudo isso é difícil, sei porque passo por isso, falar é fácil, o difícil, é passar e viver por tudo que passamos e seguir adiante de forma normal, é impossível eu sei.
    Mas tenha força, muita força e sempre que precisar desabafar, passe por aqui e coloque tuas angustias pra fora.
    E que seu 2014 que começou péssimo fique a cada dia melhor e feliz.
    Tudo de bom a você e a todos nós, Rosana, Cláudia, Helena e aos demais muita força ai na caminhada e bom 2014 a todos.

    By Victor on Jan 13, 2014

  121. Oi, é a primeira vez que escrevo aqui. Estava xeretando a net e encontrei esse site.. faz uns cinco dias que terminei um namoro de 11 meses, acontecia a mesma coisa dos relatos que li aqui, ainda não parei de pensar nele, amo muito ele… e sempre vou amar.. mas a situação estava insustentavel. Na primeira semana de namoro precisava comprar uma sandália para a formatura de uma amiga e pedi para ela ir comigo, e resolvemos de ultima hora irmos ao shopping… não tinha avisado ele que iria ao shopping e como era a primeira semana de namoro e começamos a namorar muito rapido em tres dias, eu estava meio constrangida de pedir para ele me levar comprar sapatos. E pedi para minha amiga, ele apareceu no portão de casa para me ver e eu falei para ele que iria comprar uma sandália com uma amiga no shopping… foi ai que tudo começou ciúmes e desconfiaças. começou a perguntar do meu passado com quem eu já tinha me relacionado e queria detalhes e não bastava falar uma vez, sempre voltava no assunto e se vc contasse faltando uma virgula que fosse, ele questionava e falava q a historia tava mal contada que eu estava mentindo escondendo coisas dele… primeiro que ele não tinha nada que perguntar isso pq foi antes dele. E sempre o passado voltava nos atormentar… uma vez cai na burrada de aceitar uma pessoa no face com quem eu já tinha saido duas vezes e ele apenas me perguntou como estava o trabalho pois ele já tinha trabalhado comigo e eu respondi e fui cortando o assunto e falei que estava namorando… devia ter falado para ele, mas nem passou na minha cabeça que isso se tornaria um inferno… e um dia ele fussando meu computador como sempre fazia e mexia no meu celular tbm viu… e foi motivo de briga, terminou comigo falou que eu era mentirosa, entre tantas coisas… pedi desculpas me arrependi tudo… acabamos voltando… mas eu já não aguentava mais tanta desconfiança com tudo ele imaginava historias e me acusava de estar traindo ele.. ele se transformava era muito feio de ver… ficava agressivo, com agressões fisicas e verbais. Ele é controlador, ciumento, viajava nas coisas.. muito inteligente com uma carreira, fazendo mestrado, mas era doido.. ele tem uma coração bom, mas dava cinco minutos e pronto briga, xingos, ameaças… começou a achar ruim de eu ir no mercado quando ele não estava, pq ele trabalha em outra cidade… eu não podia fazer mais nada, eu ia pra faculdade ele arrumava briga, me ameaçava dizendo q iria fazer escandalo lá na frente ia me tirar de lá no tapa, no meu trabalho ele tbm me ameaçava… tinhamos planos de nós casarmos esse ano que termino a faculdade, mais foi chegando num ponto que eu não estava aguentando mais… tinha ciumes do cunhado, eu não podia mais falar com minhas amigas, quase nem com minha familia… eu chegava em casa, ele já estava lá… estava me sufocando… ele perdia a cabeça por tudo, arrumava briga com todos não só comigo.. só dele contar uma historia ele ficava irritado, e ele fala que é orgulhoso, arrogante, prepotente e não acredita em ninguem. tentei conversar com ele para procurar ajuda, mas ele não aceita, fala que é feliz assim que gosta de ser assim e que não vai mudar… e que não há amor no mundo que faça ele mudar… e ta doendo muito, pq eu gosto dele… mas cansei das humilhações e ameaças, dos xingos, dos gritos… precisava desabafar.

    By Bruna on Jan 15, 2014

  122. Oi, eu postei acho que não faz nem um hora e sumiu.Bom eu terminei um namoro faz cinco dias, namorei por 11 meses… Ainda doi muito, pois amo muito ele, e sempre amarei. Mas ele fazia as mesmas coisas que li nos relatos acima. Ele sempre me perguntava do passado, com quem eu tinha me relacionado e queria detalhes, e nunca era o suficiente, pois vira e mexia ele voltava novamente no assunto. Eu já não aguentava mais e acabei escondendo quando ele me perguntava se eu já tinha saido com fulano eu negava, pois sempre ele perguntava varias vezes e se tivesse uma virgula faltando era motivo de briga, desconfiança.. ele falava que eu estava mentindo, enganando ele… falei varias vezes que passado é passado, foi antes dele… mas ele sempre dava um jeito de parecer que só ele estava certo e que tinha razão… eu comecei a pensar q eu estava sempre errada. Fui entrando na nois dele… ele tinha ciumes de tudo… viajava… colocava uma coisa na cabeça e para ele era verdade e pronto… Ele sempre achava que eu estava enganando ele, mentindo… ate com a familia dele era assim… Ele é uma boa pessoa, mas estava me fazendo mal, era tortura psicologica. Eu não podia nem ir mais ate o mercado sozinha.. Ele é muito inteligente, trabalha na area que gosta, esta terminando o mestrado… Não entendo pra que tanta desconfiança… Ele entrava no meu quarto procurando alguma coisa pra brigar, imaginar historia… Começou a me xingar, agressões ficicas e verbais, me humilhou varias vezes… e eu fui tonta pq deixei. Falei pra ele sermos amigos e para ele procurar ajuda profissional, pq do jeito que estava eu não aguentava mais.. ele se negou, falou que não quer ser meu amigo, falou que ele gosta de ser assim, pq assim ninguem engana ele e mesmo assim ele ainda cai em algumas armadilhas… Ele é extremamente orgulhoso, arrogante, prepotente e ele admite isso… e disse que não quer e não vai mudar… que amor nenhum no mundo vai fazer ele mudar… Para ele todo munda ta errado, todo mundo engana, mente… só ele que não… é triste pq amo ele… tinhamos planos de casarmos esse ano,mas ele briga e termina, e se transforma em outra pessoa, dá medo. Ele me ameaçava falava que ia me arrebentar na faculdade ou no trabalho, na rua… Se ele me ligasse e eu não atendesse…. pq eu estava ocupada, eu retornava e pronto… ele atendia no berro pq oq eu estava fazendo q não atendi o telefone. com quem eu estava… eu não podia entrar no banho em paz… tava me fazendo muito mal isso… ta sendo dificil, pq penso nele direto… mas não dava mais… eu estava ficando doente…

    By Bruna on Jan 15, 2014

  123. Olá pessoal, tenho 28 anos, sou pedagoga passei por esse mesmo problema que vcs.
    namorei um rapaz de 32 anos, lindo,porém com todas as caracteristicas apontadas acima, pela Rosana, Claudia, Victor e etc. É muito triste! ele desconfiava de todos, nao confiava em ninguem, tinha ciumes ate dos irmãos dele, do cunhado e até do meu tio que é um senhor, achava que todos estavam afim de mim. brigavamos muito por causa disso, chorei em muitas festas de familia, churrascos de amigos por desconfianças sem pé nem cabeça. Não sei se ele tem essa doença que todos falavam, mas sei que ele nao é normal. Conversei com ele sobre isso muitas vezes, e o aconselhei a procurar ajuda,no inicio acho que ele no acreditava muito, mas com o tempo e por me ver sofrer ate aceitou ser doente. terminei umas vezes mas voltei, ameacei terminar outras mas desisti, ele iniciou um tratamento com uma psicologa que arrumei mas mentiu pra mim que estava indo porém nao continou. Por fim de tanto sofrer, agora no final do ano, terminei o relacionamento, ele teve um surto em uma viagem que fomos no Reveillon, chorei ate as lágrimas secarem, ele cismou que o proprio irmao estava olhando pra mim, eles brigaram, foi um horror, nunca na minha vida havia passado por uma situação dessas, e o pior e que viajamos com toda a familia DELE. A unica coisa diferente dos relatos que vi acima, e que ele ao contrario dos outros citados, sempre se arrependia de tudo que fazia, chorava, dizia que estava mesmo errado, pedia perdão, mas infelismente nunca mudou. Dessa vez ele disse que esta fazendo o tratamento, nao nos falamos desde que terminamos a duas semanas, mas ele nao para de mandar mensagens, ja ligou pra minha mae pedindo pra eu falar com ele, a mae dele ja me ligou, os nossos amigos dizem que ele ligou. nao sei o que faço, sinto que ele nao vai mudar, mas acho que o amo ainda? isso parece absurdo né? as vezes acho que eu estou doente também. queria saber o que fazer.por enquanto estou decidida a esquece-lo, porem nao sei se vou aguentar se ele vier atras de mim e implorar por mais uma chance.triste e perdida.

    By kelen on Jan 17, 2014

  124. Olá Rosana, Cláudia e Victor obrigado pela força. Os dias passaram e já completaram 2 meses do episódio que relatei. Aquele momento de raiva passou, mas as consequências são eminentes: não tenho fome, estou magra e tomando remédio para dormir. Todos que olham para mim veem nos meus olhos a imagem da minha alma. Estou com medo de mim mesmo porque mesmo pela dor preciso seguir com as tarefas trabalho na área da saúde e meu serviço é prioritário não posso parar até as férias tive que adiar de novo. Ele me procurou após meu pai colocar na justiça a divisão dos bens. Eu o amo mesmo gente. Conversamos e pela pouca experiência na área apesar de trabalhar com pessoas com transtornos (bipolar, depressão, etc)percebi que nele a falta de alguém para ele compartilhar seus sentimentos. Na casa dele não há dialogo isso eu sempre soube. Isto é tão certo que até hoje ninguém sentou com ele e conversou sobre o que esta acontecendo eles agem (a familia) como se tudo fosse normal.Ele se abriu para mim, falou tudo o que aconteceu com ele nestes dias que esteve afastado de mim. Parecia uma criança ali. Não foi fácil para mim. O amor que ele teve foi sempre o meu e o de minha familia. Percebi que ele tem uma rejeição materna a mãe não deu amor. Ele continua seu trabalho, passeia, está mais bonito. Esta semana resolveu ir ao médico porque se sentiu angustiado procurou nosso amigo psiquiatra. Ele voltou a ligar para mim. Pediu para conversar de novo e eu atendi já que ele está se abrindo para mim sobre o que se passa com ele. O médico não foi convincente. Apenas passou uma vitamina e o haldol (10 gotas) perguntei se o profissional havia feito determinadas perguntas, explorado o que ele sentia e pensava e não houve isso. Aí ficou a dúvida em mim. Agora é tentar ve se ele vai a outro médico. Ele relatou a mim que ficou com medo de casar, prefere viver junto, não queria gastar tanto com a cerimonia e tudo mais logo agora que ele começou a trabalhar autonomo. Ele demonstrou gente desespero, angustia, dúvida,medo. E eu ali neste confessionário como doeu, como me machuca tudo isso: Ele diz eu te amo muito e eu estática vejo uma criança abandonada chorando em meu colo porque perdeu-se de seus pais. A minha vontade é de sumir, esquecer de mim mesma. Esta semana tenho saído do trabalho e vou andar pelo centro da cidade ou no shopping e volto já na hora de dormir. Não aguento olhar mais para mim mesma. Ele cobrou de mim coisas que o fizeram ter essa atitude. Gente eu tive que trabalhar de domingo a domingo, fazer universidade pública e até ter dois três empregos temporários para realizar o casamento e ajudá-lo na construção da casa. Ele queria atenção ele ficou com ciúme de mim e a minha familia porque enquanto a dele é cada um por si a minha é muito unida. Isso incomodou ele como disse. Estou desolada porque é preciso um diagnóstico preciso sobre o que passou com ele, ele quer voltar para mim, eu o amo, minha família sei que não vai aceitá-lo mais. Meus irmãos seguem suas vidas e eu me isolo em minha solidão em uma cidade onde não tenho parentes só é nós mesmo. Porque eu larguei minha vida e acompanhei meus pais para a cidade natal deles me pergunto. Depois volto atrás eu precisava passar por isso, acredito no destino, mas porque sofro será destino? Amor a gente só tem uma vez na vida. Quando não dá certo no nosso íntimo fica uma ferida que nunca vai cicatrizar, podemos encontrar outros parceiros mas algo sempre vai nos lembrar daquele (a) pessoa. Tenho que ficar bem, ser sensata minha situação está complicada mas confio em nosso criador. Abraços a todos.

    By Aline on Jan 18, 2014

  125. olá kelen e Bruna, parece que as doenças psicóticas tomaram conta do século, mas vou dizer-lhes. Meu ex-noivo tem 32 anos tb. Olha meninas, postei recentemente que meu ex noivo o qual tive um relacionamento entre amizade e namoro e noivado de 9 anos voltou a me procurar. Encontrei ele várias vezes estes dias e observei que a procura por mim só foi porque entrei na justiça para reaver meus bens, ele esteve em algumas conversas onde propos para a gente viver juntos e não casar ele estava frio e calculista nem queria que eu pegasse na mão dele sempre arredio. Aí eu percebi na conversa e no olhar que ele quer voltar só para não perder dinheiro. Pode isso. Ontem quinta ligou para mim e foi grosso como das vezes que surtou comigo fiquei arrasada quando ele se referiu a mulheres e outras coisa e hoje liga para conversarmos como gente. Detalhe falei umas verdades e não vou atende-lo mais nos veremos no tribunal. Para ele descobri que só o que interessa é a casa ele quer ficar com ela de qualquer jeito até fez ameaça. Agora sair para as festas e ficar com garotas e levar para a casa que eu construir e comecei a montar e nem usufruir nada ele faz com a maior clareza das ideias e ainda esnoba de mim falando delas ou comentando com vizinhos. A raiva gente é tremenda. Mas eles sabem ser gentis, cordeais quando querem alguma coisa agora quando estão no mundo deles não somos nada (somos falsas (os), traidoras (os) e aí vaí). Se eu não cuidar de mim foi enlouquecer o meu médico aumentou a dose do remédio que ele receitou para mim. Percebi nestas duas semanas que encontrei com ele várias falhas nas conversas hoje ele diz que não fez nada de errado e no outro dia diz que fez isso e aquilo. Hoje me ama muito e depois diz que tem um pouco de raiva ainda, continua dizendo que minha mãe é feiticeira e agora ele é um pouco espirita. É demais. Procurei o médico e ele explicou é preciso ter confiança do paciente para aos poucos descobrir as coisas mas ele com seus 31 anos de medicina falou para mim que ele precisa de cuidados e que eu devo seguir minha vida. Não vou mentir que tive esperanças de voltar para ele. Mas todo mundo fala para mim quem esta sabendo que Deus me livrou de uma tragédia futura e detalhe pessoas que não sabem quando encontro na rua tem falado palavras como: é preciso saber qual o querer de deus para nós, ou é tempo de mudanças Aline. Sou muito católica e sei que jesus e maria me guiam. Tenho que tirar forças do meu mais íntimo para enfrentar a divisão de bens e ve-lo depois esnobar com uma garota gostosa e poposuda como ele fala que é bom. Aí a gente já ve o problema até o dia antes do surto eu era a melhor mulher do mundo não podia usar roupas curtas nem falar com homens na rua e agora ele menospreza-me. Tá dificl mas para deus nada é impossivel. Gente sei que eles não tem culpa do que está acontecendo o médico até pediu para eu perdoar ele porque cheguei arrasada no consultório do psiquiatra amigo nosso (revoltada). Ele até pode ter uma vida tranquila tomando os remédios com outra mulher pois não teve desconfiança ou surtou como comigo. Agora eu ficaria naquela situação sempre de defesa com ele. Isso não seria família (casal)né mesmo. Vcs acreditam que mesmo separada ele demonstrou ciume de mim quanto aos colegas de trabalho quando ele me procurou. É gente vamos fazer corrente de oração e ter muita fé para deus nos direcionar nas decisões que devemos tomar e que seje melhor para nós. Olhem escrevo com racionalidade neste momento mas meu coração ainda dói, não posso me deprimir como fiquei está semana “louca”. Conforto a todos.

    By Aline on Jan 24, 2014

  126. O mais impressionante é que todos passamos pelas mesmas situações, ofensas, acusações de “feitiçaria”, traições, e milhares de coisas absurdas que só nós sabemos o quanto isso nos destrói e nos abala e muito, psicologicamente e fisicamente, pois com a mente abalada o nosso corpo sente e muito, parece que vamos definhar.
    A frieza, e a falta de demostração de afeto e amor por nós, só muda de endereço, pois a dor deixada é mesmas saber que aquela pessoa que você ama está curtindo a vida e se relacionando com outra pessoa como se nada tivesse acontecido, machuca e machuca muito, entendo todas vocês, vivo tudo isso também sabendo de todas as coisas que minha ex namorada está fazendo, sofro muito a cada dia e calado, e sempre voltando a me perguntar, como posso amar alguém que me tratou assim e hoje não está nem ai para o que vivemos, como pode tratar de forma fria uma relação que parecia existir amor? Pois ela falava que amava, e hoje diz a todos q odeia e que não passei de tempo perdido. Como pode? Dói muito saber que eles não se arrependem de nada.
    Alguns meses se passaram e o amor continua o mesmo, mas já sei que ela está em outra relação.
    É preciso buscar forças de onde não sabemos, e continuar firmes, pois devemos nos amar mais a nós mesmos do que qualquer outra pessoa, mesmo que amemos essa pessoa de verdade.
    Bruna e Aline, sejam fortes e sensatas, espero que possam voltar a viver, mesmo eu sabendo que é difícil demais, mesmo sabendo que a dor é muito forte e parece que não iremos nos erguer nunca mais, sejam fortes, tenham fé e sigam firmes, pois quem ama de verdade sabe o verdadeiro significado da palavra amor e dos sentimentos que essa palavra realmente trás, o amor te faz bem, simples assim.
    Que possamos seguir fortes, boa sorte a todos nós.

    By Victor on Jan 27, 2014

  127. Victor,muitíssimo obrigado pela força. Abraços.

    By Aline on Jan 31, 2014

  128. Tenho um namorado 10 anos mais velho que eu, no começo achava ser por conta disso! Mas o tempo passou e ja vivi coisas q se nao fosse pelo amor imenso que sinto, ja teria sumido. Me afastei de todos meus amigos, nao posso nem falar oi na frente dele, tem ciumes das minhas roupas, e ate das minhas amigas mulheres ultimamente tem implicado! Me humilha, vive dizendo que estou paquerando outros homens, unica coisa q pelo menos nunca fez foi me bater! Mas com palavras ja me machucou muito mais do que se tivesse batido! Vive brigando, uma hora ta bem, do nada ja se transforma! Quando esta bem é o melhor namorado do mundo, mas quando nao, minha vida vira uma tortura! Ja conversei, pedi para fazer tratamento mas ele se nega! Quando ele termina e eu consigo ficar firme longe dele, ele volta um amor, mas dai uns 15 dias começa tudo de novo! So sei de uma coisa e muito difícil amar alguém assim!

    By Melissa on Feb 16, 2014

  129. to casada faz um ano foi tudo tão rapido se conhecemos em um mes e no outro mês nos casamos no cartorio e ja moramos juntos e por isso nunka namoramos . ele antes de nos casar era um homem ki bebia mto e era mto safado. eu nao era ciumenta mais quando casamos ele sentiu falta da bebida e amigos, e me deixou por causa da bebida, e com 3 dias ele voltou p mim e eu perdoei ele, mais eu era mto liberal deixava ele ir na casa de amigos, mais ele na verdade depois de uma semana ki nos voltamos ele fugiu de mim e se encontrou c uma piriguete e levou ela para a casa da mãe dele escondido,e la eles se beijaram, eu liguei p mae dele e a mae dele me falou ki ele tava c uma menina la dentro do quarto. desde ai eu fikei louka obissessiva e me senti a pior mulher do mundo,mais perdoei ele de novo, apos isso ele foi a festa da empresa dele 7hs e voltou 11 hs da noite em ksa mto porre. e ele voltou p ksa da mãe e dormiu la, e veio de manha p ksa. foi mto humilhante pra mim me senti feia, pensei ki ele n estava me amando, dai pedir p gente se separar, qndo ele viu que ele tava me perdendo ele pediu a ultima chance, mais eu era mto ciumenta e meu casamento tava ruim demais n acreditava mais nele. mais ele mudou muito em tudo ele ligva dizia a hora ki vai chegar e eu n confiava mais nele, sempre fico insegura tenho medo de perder ele. ele tem medo de mim. ele faz tudo o ki kero. eu prendo ele em ksa. ele n sai p nenhum lugar so se for comigo, tenho ciume dele qndo ele sai p trablhar tenho ciume dele qndo ele sai comigo para passear, penso ki ele ta olhando para outra mulher, mais e tudo da minha cabeça, e eu brigo com ele, ele eum excelente marido, ja tive crises de ciumes, ja me cortei com gilete os pulsos, ja tomei varios remédios e tentei me matar , ja entrei em depressão e fikei mto magra, afastei ele da familia dele. eu falo palavras horiveis para ele dizendo que vou trair ele, mais e tudo da boca pra fora. mais eu sinto ki ele ta no limite dele, mais ele me ama muito e n consegue me deixar. eu sou muito ciumenta, meu marido tem medo de mim. eu sei ki ele me ama e faz todas minhas vontades . eu quero mudar e voltar a ser como antes e ter confiança no meu marido o que eu faço?

    By RENATA on Feb 22, 2014

  130. Acredito Que… em muitas situaçoes citadas pode sim haver Um exagero por partes de alguns homens em certos relacionamentos, mas ha certos tipos de mulheres que tem a necessidade de elevar o grau de raiva de seus parceiros, e ainda por cima saem por ai comentando com as amigas e ate com pessoas que nao teem nada a ver… existe um feminismo incutido na cabeça de algumas delas que so serve para pixar a imagem do parceiro… ele é ciumento demais ! ele é paranoico ! E as amigas dizem… larga esse cara vc merece outro melhor… quando chegam a largar arruma um cachorrao que so quer sexo e mais nada, começam a fazer elas de trouxa, e ai que a coisa vira de quem e a paranoia ! Sera que todo ciume é infundado? Ou tem um fundo de razao ?

    By neopaxeco on Feb 24, 2014

  131. Oi meu nome e leticia meu marinfo fala que nao mim trai mais eu nao tenho confianca em nele e tenho muito siume o que eu faco

    By leticia on Mar 2, 2014

  132. Olá pessoal, muito tempo sem postar meus desabafos, é que tenho passado por uma fase tão ruim que nem pra isso tenho achado tempo e motivação, mas como hoje é um dia muito difícil (ainda mais do que tem sido durante esse último ano na minha vida), hoje eu PRECISO desabafar. Para quem leu meus relatos anteriores e namora, se relaciona ou até mesmo tenha um casamento recente com um paranóide, e ainda tem alguma dúvida sobre a possibilidade desta relação só lhe trazer prejuízos emocionais, vou apenas “atualizar” a minha situação. No último desabafo que fiz (dia 09/JAN) eu falei que estava esperando o “ano/rotinas” da família serem retomadas depois das férias e retorno mesmo ao dia-a-dia pra ver ele se mexer começando a fazer o devido acompanhamento com psiquiatra e terapia, fomos junto ao psiquiatra, mas como é de praxe aos paranóides, relutou até onde pode e não começava a tomar a medicação. Terapia? Nem pensar, quando ele não conseguiu mais tampar o sol com a peneira e o clima voltou a ficar ruim, comecei a pressioná-lo para buscar o tratamento, claro que ele não foi, aí a situação só foi piorando, eu não conseguia ter nenhuma intimidade com ele e mal estávamos nos comunicando, aí vendo que não teria opção, comprou a medicação receitada pelo psiquiatra (antipsicótico) e tomou apenas 3 comprimidos e parou, e pra piorar ainda tudo, há uns 20 dias atrás ele fez algo que nunca tinha feito em 20 anos de casamento, foi para o boteco, encheu a cara (das 19hs até 1 e meia da manhã bebendo), como não tinha levado chaves nem celular pra ligar quando estivesse voltando, bêbado daquele jeito, pulou o muro de casa (de quase 3 metros de altura) e depois quase arrombou a porta da sala, estava tão bêbado que nem foi na outra porta que estava aberta), mas isso são apenas detalhes daquela noite de terror… o problema é que quando entrou, estava tão furioso, mas tão furioso, que teve mais uma daquelas crises, infelizmente dessa vez, na frente das nossas filhas, foi terrível, nunca na minha vida queria que elas tivessem visto o pai delas naquele estado, foi muito traumático, a ponto da nossa filha que em breve fará 18 anos, dizer pra ele que passou a ter medo dele, ficou tão assustada com as feições dele (que mudam, parece outra pessoa, fica com os olhos vermelhos e esbugalhados), as meninas imploraram pra ele parar com aquilo (as acusações e insultos de sempre que ele faz sempre direcionados a mim), mas nada adiantou, ele parou apenas quando quis, ou julgou ser o suficiente. No final do outro dia, claro que ele não tinha a mínima ideia do que tinha feito, mas tinha a certeza que tinha feito algo, e que agora, tinha envolvido as meninas, aí sentou na mesa com a gente “pra se desculpar” coisa que ele nunca mais tinha feito quando os rompantes eram só comigo, mas nós estávamos tão machucas que não só não aceitamos as desculpas dele, como falamos tudo a ele o que tinha feito na noite anterior, e implorando pra ele entender que está muito doente e que precisa se tratar e que a gente iria apoiá-lo no tratamento, mas de nada adiantou, ele diz que não aceita tratamento porque como ele diz, não está doente, então começamos a falar seriamente em separação, mesmo encaminhado as coisas, semana passada ele tocou no assunto de “acertarmos as coisas” mas eu jurei pra mim que não passo mais por isso, depois de ter envolvido minhas filhas: chega! EXIGI, não dei mais alternativa, ou ele se trata, ou separamos mesmo, e sabem o que ele escolheu? Separar, pois não tem nada a tratar! Pra aguentar esse tranco, continuo fazendo terapia (iniciei no final no início de DEZ), primeiro, com o propósito de aprender a lidar com a doença do meu marido para levarmos uma vida mais “normal” possível, ou então, caso ele não aceitasse se tratar, pra me ajudar a tomar a decisão mais dura da minha vida, mas que no fundo, eu esperar nunca ter que tomar, a separação da minha família. Graças a Deus, dei a sorte de encontrar uma ótima profissional na minha cidade, que sempre que preciso me força a entender que preciso, a todo instante, deixar de lado os sentimentos e emoções e ser mais racional (normalmente, sou meio a meio), mas depois de entender 100% do que se trata, e saber identificar o que era real, e o que era “jogo psicológico” que ele fazia comigo, agora estou mais firme e forte do que antes, sei que as coisas não acabam aqui, que os problemas não se resolveram, que vamos sofrer muitos com a separação, mas que infelizmente, é o melhor a se fazer diante da recusa (definitiva) dele em se tratar. Me senti péssima quando ele teve aquela crise na frente das meninas, mas por outro lado, elas viram e sentiram na pele, exatamente o que eu estava passando e passaram a me apoia a separar, mais do que nunca, a ponto, de uma delas me dizer: “mãe, não sei como você tem aguentado isso há tanto tempo, eu com uma vez só, tive certeza que nunca mais quero ver isso de novo”. Então, desde que ele voltou pra casa (28/DEZ) tenho dado tempo a ele, e acredito mesmo que esse tempo que dei, era necessário pra ele se conscientizar que precisava de tratamento, mas na verdade, esse tempo, foi só o tempo suficiente pra ele não conseguir fingir mais e “se apresentar” (como ele realmente está agora, com a doença avançada, a ponto de não controlar mais as crises) para nossas filhas, o que me deixou ainda mais decidida a dar um basta nesta situação, pois não quero que ele deixe marcas tão profundas nelas como ele tem deixado em mim, e sei que só eu posso evitar isso agora, por isso, totalmente contra a minha vontade, estamos nos separando. Não tenho dúvida que serei julgada por pessoas que não sabem o que estávamos vivendo, pessoas que só conheciam o lado maravilhoso dele (antes desta doença ficar tão forte), elas terão certeza que eu estou sendo ingrata e injusta “colocando ele pra fora de casa”, mas o que me importa é que Deus sempre me deu e continuará me dando forças pra seguir a diante, e também a manter minha consciência tranquila de que tentei tudo que pude para ficar com ele e ajudá-lo, e, o mais importante, tenho o apoio das minhas filhas, e isso me basta, Deus há de continuar a me dar forças e sabedoria pra conduzir minha família (agora a 3), pois PRECISO voltar a dormir direito, a ter paz, parar de tomar remédios tarja preta (que não prestam, mas me ajudaram a segurar a barra, quando sem eles, teria me afundado numa depressão), pois a vida segue, com ele ou sem ele, a vida segue, e como disse para minhas filhas, como mulher, minha vontade de continuar com ele acabou mesmo de tanta mágoa que ele me causou, mas pelo que resta de amor, consideração e respeito à ele e à “nossa família”, se um dia ele aceitar se tratar, não pensarei duas vezes em apoiá-lo, mas isso não quer dizer, ele voltar para casa para se tratar, porque isso ele já me provou que não funciona, teria sim uma possibilidade, caso ele começasse a se tratar e estando bem melhor a ponto de EU ter certeza (absoluta) que ele está entregue ao tratamento, aí sim eu aceitaria ele voltar para casa, porque como falo para as pessoas que estão sabendo da situação, que aceitar uma separação numa relação onde ouve traição, ou motivos fortes/reais que justificassem o fim, sem dúvida, é sempre ruim, mas aceitável/justificável, mas numa relação onde SEMPRE (antes da doença tomar conta) só existia cumplicidade, amor, respeito, consideração, admiração, etc…, etc…, é incompreensível e inaceitável. Então, única e exclusivamente nesta condição eu aceitaria tentar pela última vez, mas caso contrário, hoje (28/MAR) dia em que ele sairá de casa (já alugou uma casa em outro bairro) e fará a mudança hoje mesmo, sem dúvida, será mais um dia traumático que teremos que aprendermos a lidar, e vamos! O que pretendo com esse meu novo “post”? Primeiro, desabafar pra não explodir de tanta tristeza que estou sentindo, e, pretendo acima de tudo, reforçar o alerta a pessoas que namoram, se relacionam ou são casadas com um paranóide que não finjam (talvez por ter grandes sentimentos envolvidos, talvez por conveniência, ou sei lá quais outros motivos poderia ser), mas que não se permitam aceitar situações ruins como se fossem “normais” pois a gente sabe muito bem diferenciar o que é normal, do que a gente está “aceitando como normal”, mas sabendo no fundo que não é. E, por último, para as pessoas que desistiram de uma relação doentia dessas (como o Vitor, a Rosana, a Helena, e com certeza algumas outras), que se mantenham firmes, na certeza de terem tomado a melhor decisão das suas vidas, terminando suas relações doentias, porque sem dúvida, a gente tem que amar e tentar ajudar nosso(a) parceiro(a), mas isso precisa ter um limite, o de que eles queiram ser ajudados e confiem na gente, senão, o sofrimento de ter que lidar com uma separação, passa a ser menor do que o sofrimento diário dentro de uma relação desgastantes dessas, que acabam com o sabor da vida. A propósito, uma das coisas que mais desejo agora, é ter vontade de sorrir e sonhar de novo, coisa que há tempos, esse desgaste me tirou, mas vou lutar pra isso, porque sei que a vida é maravilhosa, mas, breve! Fiquem com Deus, e que Ele dê forças a mim e minhas meninas pra suportar o que este final de semana nos reserva: o desfecho de uma separação (literalmente falando) e o vazio sem o pai/marido dentro de casa no final de semana, o primeiro, sem ele nos almoços de domingo (que pra nós) acontecia sempre lá pelas 16hs da tarde, uma das “nossas manias…”. Sei que cada lembrança dessas, nos maltratará, mas que farão parte do novo dia-a-dia da família, mas nós vamos superar mais isso, eu sei que vamos! Tudo de bom a todos.

    By Claudia on Mar 28, 2014

  133. olá. desculpem a invasão, mas ando a pesquisar sobre transt paranoide e formas de lidar e ajudar . O meu marido sofre de tal transtorno, algo que eu desconhecia quando o conheci e só há bastante pouco tempo sobe a verdade!
    a vida desde que me casei há 7 anos tem sido quase um permanente inferno… não consigo isolar um acontecimento ou um sintoma mais predominante, diria que tem todos, em maior ou menor escala!estou no meu limite, já desisti da relação, mas tudo isto me entristece. ainda assim, numa última tentativa de salvar o casamento peço ajuda para lidar com a situação.
    desde já o meu obrg.

    By carla carvalho on Mar 28, 2014

  134. Eu namoro uma pessoa, que se encaixa em todos os requisitos, eu sofro com ataques doentis de ciumes, cada vez piores, vivo um inferno que parece ser eterno, ele não enxerga as coisas que me faz, e o tanto que eu sofro, ele nunca conseguiu ter um relacionamento antes de mim, acho que nenhuma mulher aguentaria o que eu aguento.
    Nâo importa o quanto eu faço de tudo para ele se sentir melhor, ele não enxerga que isso é doença,
    para ele é normal. As vezes eu penso eu sumir da Terra, por que estou muito mal por causa dele já.

    By Tainá on Apr 11, 2014

  135. Olá Tainá, sinto muito pelo que tem passado e gostaria de dizer apenas uma coisa: você tem que sumir do convívio dele e não da terra, afinal quem tem problema é ele e não você. Saia desta relação doentia e desgastante, se valorize e retome sua vida que quando menos esperar, alguém que realmente te mereça vai cruzar o seu caminho. Boa sorte, estarei torcendo por você.

    By Claudia on Apr 14, 2014

  136. olá…sou filha unica e falei para minha mãe que vou casar ela é idosa e vem mostrando comportamentos estranhos.

    By andrea on Apr 17, 2014

  137. olá…sou filha unica e falei para minha mãe que vou casar ela é idosa e vem mo que faço?mostrando comportamentos estranhos.o que faço?

    By andrea on Apr 17, 2014

  138. Impressionante como essas pessoas sao iguais…

    6 anos já nessa luta.

    nao demonstram afeto de forma alguma
    jamais pedem desculpa (a nao ser q vc insista mto)
    parecem que vivem em outro mundo
    estao sempre de cara feia para vc
    sempre te acusando de coisas absurdas
    acabando com passeios
    acabando com seu dia

    nao sei mais oque sentir
    pena? raiva? amor?

    vejo pessoas aqui falando que essa tortura ja dura 10 15 20 anos…

    sao pessoas legais no começo, vc se apaixona, e do nada elas manifestam seus problemas, e vc passa anos e anos esperando que elas voltem a ser oq era antes, mas nunca voltam, as vezes dao sinal de melhora, oq nos reanima, e logo em seguida, volta tudo ao normalmnete paranoide egoista de ser.

    vivemos esperando que o passado volte…

    nunca volta…

    é uma merda

    covarde da p$%#$@, destroi tudo e nao demonstra um pingo de arrependimento.

    nao foi deus que criou o mundo? entao ele que cuide de seus filhos!

    By Tinytankz on Apr 23, 2014

  139. sinto que quanto mais vc faz oque eles pedem, mais eles pioram…

    ja praticamente nao tenho contato social nenhum
    jaja nao poderei mais frequentar a casa da minha familia
    jajaja nao poderei mais olhar pela janela de casa

    reafirmo…
    covardes da po2$@!@! destroem tudo e nao demonstram um pingo de arrependimento!

    By Tinytankz on Apr 23, 2014

  140. Tinytanks, concordo com absolutamente tudo que você falou! E quanto ao que sentir, sinceramente, acho que é PENA, deles, pelo sofrimento pessoal que esse transtorno lhes impõe, e da gente, pelas consequências que SEMPRE nos afetam em absolutamente todos os campos da nossa vida. NADA JUSTO! Estou há 1 mês separada, encarando a dura realidade de ver minha família desfeita, mas graças a Deus já vejo possibilidade de sair daquele circulo vicioso e doentio que eu estava vivendo, apesar de estar sofrendo muito e ainda estar tomando remédios pra controlar a ansiedade e nervos, GRAÇAS A DEUS, desde então, tenho dormido sem precisar tomar remédios para esse fim e me sinto melhor em não ter alguém ao meu lado me acusando (julgando e condenando) tudo a todo tempo, o que falo, o que penso e como ajo. Do lado dele, a única coisa que está muito clara pra mim é que ele nunca foi atrás de tratamento algum, nem no ponto que chegamos, e pra piorar, o que realmente mais me machuca agora, e ver estampado na cara dele a raiva que tem por “eu ter posto ele pra fora de casa”, pois na cabeça doente e paranóide, ele não enxerga que a separação ocorreu porque ele não quis tratar esse maldito transtorno (com a minha ajuda ou sozinho mesmo), com isso, não consegue sequer parar para pensar que o que nos levou a este ponto, foram os pensamentos/conclusões erradas que ele tira a respeito de tudo e todos, das suas atitudes ignorantes, ofensivas e agressivas. Por um lado, estou muitíssimo triste pela separação do meu casamento de 20 anos (que foi perfeito durante 17 anos), mas estou achando força na boa relação que tenho com minhas filhas pra levar a vida e tentando me sentir menos triste, me agarrando na certeza do quanto é digno e justo, você não se sentir mais “torturada psicologicamente”, e como dizem, é impossível fazer um omelete sem quebrar os ovos! FORÇA A VOCÊ A TODOS NÓS!

    By Claudia on Apr 25, 2014

  141. Tive este transtorno e com a ajuda de um profissional psiquiatra que me receitou risperidona e psicologa parei de me sentir perseguido, de ficar bravo com o que os outros falavam e retrucar com raiva pensando que era um ataque pessoal a minha pessoa e nem fico mais remoendo algo que alguém falou antes eu pensava que era um ataque pessoal. O ciume tinha ciume até de uma pessoa que não era minha parceira sem motivos alias ela não tinha nenhuma relação afetiva comigo. E eu não entendia porque eu pensava que a pessoa fazia “ciumes para mim”. Andava muito estressado no trabalho pois além da perseguição que eu sentia, eu também me sentia lento ai aumentava meu ritmo de trabalho para não me sentir lento quer dizer eu estava num ritmo muito acelerado e me sentindo lento, graças a medicação estou tranquilo e calmo com meu trabalho até brinco mais com os colegas em resumo uma grande melhora.

    By Eder on May 3, 2014

  142. Eder, sem dúvida alguma, você é uma pessoa de muiiiiiita sorte, porque é muito raro um paranóide admitir que tem o problema, e mais difícil ainda aceitar tratamento, mas graças a Deus você conseguiu dar esses dois passos (enormes) na sua vida, de acordo com os psiquiatras que consultei, esse realmente é o medicamento mais indicado, inclusive o mesmo ue o psiquiatra do meu marido receitou a ele (e claro, que ele não aceitou tomar, porque como diz ele, não tem problema nenhum a ser tratado). Muito obrigada Eder por postar este comentário (tão diferente da maioria de nós) que vem aqui apenas pedir socorro e desabafar pelo sofrimento que passamos por ter um ente querido com esse transtorno, PARABÉNS por se dar a chance de ser uma pessoa mais feliz e que certamente, não causará sofrimento aos seus parentes e amigos, e a si próprio, como provavelmente, causaria sem o devido tratamento. Faço votos que você JAMAIS abandone o tratamento e acompanhamento psicológio, pois sem dúvida, é só por eles que você teve essa melhora, pois sem eles, o problema só tente a se complicar. PARABÉNS!

    By Claudia on May 5, 2014

  143. Sabe, eu não aguento mais ter ciúmes, e o pior é que acho que realmente tenho problemas seríssimos, eu imagino situações, eu praticamente as vejo, eu não sei se é por causa das drogas que uso, não sei se é psicológico, mas nunca consigo confiar completamente, é mais forte que eu mesma, é incontrolável esse ciúmes, explosivo. Queria ser feliz com meu namorado, poder dormir em paz sem pensar no que pode acontecer aonde ele está, e quem vai encontrar, passam coisas absurdas em minha cabeça,quando bebo, fumo maconha ou alguma coisa assim, começam mais fortes as paranoias, entro em estado critico, vendo coisa aonde não tem, vendo amigos dele dando sinais, umas coisas escrotas assim EU PRECISO QUE VC VA EMBORA CIUMES eu emploro, vá embora, eu só quero ser feliz, vá embora.

    By vanessa on May 21, 2014

  144. Bom dia Vanessa, quem sou eu pelo problema que estou passando pra dar suporte a alguém? Mas, sei bem o que é conviver com um paranóide, então me atrevo a comentar. No seu caso, isso pode ser apenas efeito das drogas que você diz usar, ou até mesmo, você pode ter problema de paranóia que se agrava com o uso dessas substâncias, mas seja lá qual for a causa, o efeito e sempre péssimo, pra você e para as pessoas que convivem com você, então, a busca pela solução, depende exclusivamente de você, que é buscar apoio e suporte, para no mínimo, deixar as drogas, e se realmente for uma paranóide, fazer o tratamento adequado (terapia+medicação), caso contrário, você nunca conseguirá fazer feliz e permitir que as pessoas ao seu redor também sejam. Desculpe ser tão direta. Não sou mediadora do site, mas me atrevo a fazer esses comentários, porque sei que quando a gente chega aqui, para fazer nossos desabafos ou apelos, é porque estamos precisando de qualquer tipo de apoio, respostas, meio que pedindo socorro mesmo, e é muito frustrante a gente conseguir por pra fora algo tão angustiante e não ouvir nada de ninguém, então me desculpe novamente por ter me “atravessado”, mas sinceramente, desejo que faça a escolha certo: buscar ajuda, porque você pode viver em paz sim e ser feliz. Muito boa sorte.

    By Claudia on May 22, 2014

  145. Boa Tarde a todos! Há quase um ano acompanho os depoimentos de vocês, porém agora chegou o momento deu expressar o que sinto e o que eu passo. Compreendo plenamente tudo o que todos vocês têm passado porque é exatamente isso que eu também tenho passado e sofrido. Namoro um rapaz há cerca de um ano. Antes deu começar a namora-lo já percebi nele algumas cobranças e um pouco de ciúmes, porém imaginei que ele estava somente inseguro por ainda não estarmos namorando, nesta época estávamos somente na amizade e começando uma paquera. Pois bem, algum tempo depois, ele me pediu em namoro e eu aceitei, nesta época imaginei que ele fosse melhorar comigo, já que estávamos namorando, ele não tinha mais o porquê ficar inseguro comigo. Antes deu aceitá-lo, eu obtive referências maravilhosas dele, que era um excelente rapaz, inteligente, de ótima família, voluntário de 2 entidades, inclusive uma delas ele é presidente. Não tive dúvidas de que seria um excelente rapaz, porque ele sabia que eu sofri muito com relacionamentos anteriores e o que eu não queria e não merecia era sofrer novamente. Em menos de um mês de namoro, ele começou a mostrar uma personalidade totalmente diferente do que aparentava ser. Mas fui levando, levando, sempre é assim, muitas pessoas nos cobram “porque você não cortou o mal pela raiz”? mas no fundo sempre queremos dar uma chance a alguem que acreditamos que esta pessoa pode melhorar e nos fazer feliz. Mas o tempo vai passando e vemos que nada acontece…Olha ele começou a implicar com tudo, tudo mesmo, ciúmes de tudo, inclusive de minha família. Ele é tão egoista que ele não suporta eu ter que dar a atenção mesmo que para um membro de minha família, ele quer que eu viva somente em função dele. São tantas passagens que eu já vivenciei que este email ficará enorme, mas vamos lá, quero desabafar com vocês algumas coisas que eu passei.

    By Belly on Jun 2, 2014

  146. Neste depoimento quero dar continuidade ao que eu disse anteriormente. Começou a implicar com uma dança, faz mais de 10 anos que por hobbie, eu faço uma dança que amo demais. Começou a se inciumar com a dança e dançarinos, ele sabia que eu fazia essa dança antes de começar a namora-lo, alias, ele sempre elogiava antes do namoro, dizia que era maravilhoso, que teria um enorme prazer de namorar alguem que sabia dançar, porem foi começar a namora-lo que ele mostrou toda a contrariedade, um tempo depois eu parei de tanta pressão psicológica que eu tava sofrendo. Esta foi minha primeira dor. Sempre gostei também de academia, um dia ele foi na academia sem me avisar, na hora que eu o vi eu fiquei feliz mas o rosto dele mostrava toda a contrariedade, começou a falar coisas horriveis para mim, dizendo que tinha muitos “machos” que frequentava, um monte de criticas e humilhação comigo, eu tentei me defender, mas ele nunca ouvia, sempre gritando, sempre se fazendo de vitimas. Comecei a perder o contato com minhas amigas, estava cada vez mais dificil, lembro uma vez que eu avisei ele que iria benzer com uma amiga somente isso mas ele disse que era mentira, que eu iria encontrar com um homem que tudo isso era desculpa amarela, um dia fui na casa de outra amiga, tomar um café de manhã, disse que era um encontro, que ela estava me acoitando dentro da casa dela, até com minha mãe, quando vou a supermercado fazer compras do mês ele me liga, grita comigo dizendo que era todo dia agora uma compra, que era mentira da minha parte. É ciúmes de meu facebook, investigando e duvidando de tudo, já mexeu várias vezes em meu celular, deletou contatos e agora começou a ver coisas que nao existe, alegou que eu estava na sacada de meu trabalho conversando com um cara sendo que isso nunca existiu. Estou há quase um ano neste martírio, é um amigo me falar oi ele já grita comigo e me condena que eu já saí com o cara, que já tive casos, não aguento mais tanto sofrimento, tantas criticas, ele dá a entender que eu tenho outros homens ou a ponto de ter a qualquer momento, ofende meu caráter, me humilha. Ele mostra pra sociedade ser uma pessoa, mas quem convive com ele vê que é outra totalmente diferente. Estou em depressão. Conversei com ele neste fim de semana depois de no mínimo umas dez vezes, me pediu uma chance, disse que iria mudar, mas sinceramente, acho que não tem jeito, ele apronta coisas terriveis comigo e eu já pedi para ele procurar ajuda mas diz que não é louco, que quem apronta sou eu. Descobri que quando ele era criança ele sofreu de disrritmia cerebral e precisou tomar Gardenal, nao sei se isso tem alguma influência com esta personalidade de hoje em dia. Ele nunca foi de muitos amigos, sempre fez a linha do isolado, solitário, meio introvertido. Ele me cobra de tudo, tem ciumes até do meu passado. Sinceramente, acredito que vou analisa-lo e a proxima vez que ele tiver um surto terei que deixa-lo mesmo meu coração pedindo para ficar. Estou aberta para sugestões e conselhos. Fiquem com Deus!

    By Belly on Jun 2, 2014

  147. Bom dia Belly (sempre eu me atravessando para dar pitacos, rsrs). Pode parecer arrogância dizer que nada do que você falou é novidade pra mim, mas de verdade, não é mesmo, pois isso são atitudes “básicas” de um paranóide, mas para nós, isso não é, e tem efeitos devastadoras, nos marcam profundamente para toda a vida. Então Belly, muito objetivamente, lhe dou o conselho de que já passou da hora de você dar uma basta nesta situação, porque em apenas 1 ano ele já conseguiu causar este estrago na sua vida, como você estará daqui uns 10 anos convivendo com ele? Na minha opinião, ao contrário de dar a ele mais uma chance (de te magoar ainda mais), não seria mais prudente você se dar uma chance de cair fora dessa relação doentia, que sim ou sim, só aumentará seu sofrimento e suas mágoas, que pelo jeito, já não são poucas. Durante esse processo todo que tenho passado, o que mais pesou na minha decisão, foi ouvir de um grande profissional da área médica, que um paranóide só tem chance de voltar ao “normal”, nascendo de novo, ou seja, sem aceitar se tratar (medicação + terapia), o problema, inevitavelmente, só piora, então, mesmo amando muito meu marido (20 anos de casamento) e família maravilhosa que formamos, pensei: se ele não quer minha ajuda pra se tratar e ficar melhor pra ele mesmo e pra nós, eu tenho que adoecer com ele (ou melhor, enlouquecer com ele, pois doente já estou)? NÃO MESMO! Fazem 2 meses que nos separamos, não está sendo nada fácil (mas isso já sabia que não seria), porque o amo muito, mas a maior certeza que tenho, é que pra amar alguém, a gente precisa primeiro se amar, e eu me amo e preciso estar bem para minhas filhas, minha família e amigos, que ele sempre fez de tudo, pra “nos” afastar de todos. E uma última coisa, quanto ao problema que ele sofreu quando criança, confirme isso com um profissional da sua confiança, mas acredito que influenciou sim, pois meu marido, quando criança, tinha problema de epilepsia e as crises de convulsões que sofreu, possivelmente foi deixando pequenas sequelas que somadas a outros fatores (como o péssimo ambiente que viveu, a rejeição que sofreu por parte da mãe a vida toda, a discriminação geral no bairro em que vivia, entre vários outros problemas que enfrentou durante a vida), segundo os médicos que conversei, me afirmaram que influencia sim. Então Belly, o primeiro passo pra conseguir sair de uma relação doentia como essa, é separar as emoções da razão, pois se pensar só com o coração, você jamais o deixará, mas mesmo amando muito, você precisa ser racional, senão, arrastará esta situação por anos e mais anos, já se imaginou daqui uns 10 anos, e, de repente com filhos participando dessa loucura? Você não merece isso! NINGUÉM MERECE ISSO! Muito boa sorte Belly. FORÇA!

    By Claudia on Jun 3, 2014

  148. Oi Claudia! Com toda minha sinceridade, eu imagino de verdade tudo o que você passou e passa. Sinto muito por você, de coração. Eu li todos os seus relatos aqui nesse espaço, aliás, praticamente também de todas as pessoas. E realmente, lendo os relatos, como é curioso saber que as histórias, ou melhor, o sofrimento é igual, praticamente idêntico, muda somente o personagem mesmo. Estou tão infeliz nesta situação que convivo, mas não sei o que acontece, parece que esse tipo de situação mesmo doentia, nos faz permanecer, ficar. Será amor? Falta de amor-próprio? Um vício? Independente, sinto que mesmo com tantos sofrimentos e perdas, ainda insistimos em permanecer nesta situação. Mas concordo plenamente com você, que antes de amarmos alguém, temos que nos amar. Sabe o que me revolta tanto? Além de todo ciúme, controle, possessividade, me revolta o egoísmo da pessoa. Nada ele admite, nada, estou vivendo em função dele, não tenho mais vida social, praticamente perdi todos os meus contatos (amigos), não tenho mais hobbie, até meus familiares tem mágoa de mim devido eu ainda querer permanecer neste circulo doente e vicioso. E sei que se eu me manifestar contra, reclamar com ele ou confrontá-lo sei que vou “perde-lo”. Cheguei em uma conclusão: Ou faço tudo, mas tudo mesmo que ele quer, que é viver somente e exclusivamente em função dele e mesmo assim ainda ter que escutar chingos, humilhaçoes e acusações infundadas porque nada satisfaz eles, veem defeitos em tudo ou eu o deixo e tento me resgatar principalmente a minha paz.

    By Belly on Jun 6, 2014

  149. Claudia eu agradeço de todo coração o seu apoio e conselho e torço muito pela sua felicidade, caso você quiser manter contato comigo, me deixe seu email que escrevo para você, assim você se desabafa, conta suas experiências e eu também. Fica com Deus! Abraços!

    By Belly on Jun 6, 2014

  150. Oi Belly, é assim mesmo, as histórias são praticamente as mesmas, mudando apenas os personagens, e infelizmente, o futuro dessas relações também: sofrem com eles ou sofrer sem eles, a única diferença é que optando por sofrer sem eles, a gente tem a chance de viver mais dignamente, sem sofrer as humilhações que eles nos impõe, e te digo sem um pingo de medo de errar, nunca mereci nenhuma delas, pois sempre, sempre mesmo, fui uma esposa e mãe totalmente dedicada a minha família. Claro que não sou (aliás ninguém é) perfeita, mas sempre dei o meu melhor para eles e as acusações (infundadas) que ele sempre me fez, me magoaram muito, causando marcas que acho que nunca apagarão. Quanto a sua conclusão de fazer tudo (mas tudo mesmo que ele quiser) pra tentar viver em paz, já te adianto o resultado (pois também fiz essa escolha) tentando salvar nosso casamento pelo amor, respeito e consideração que sempre tive por ele e pela família maravilhosa que construimos: não adianta de nada, pois isso só serve pra deixar eles se enfiarem cada vez mais no mundinho paranoico, solitário, manipulador, e, que pra gente, só serve pra nos machucar mais e nos afastar mais das pessoas que a gente gosta, sabe porque? Você mesma deu a resposta: eles NUNCA, mas nunca mesmo estão satisfeitos, nada agrada, mesmo que você viva em função apenas deles, jamais ficarão satisfeitos, o “controle e domínio” que já conseguiram, nunca é o bastante, ou seja, se a gente não quebrar esse ciclo, a gente acaba enlouquecendo, porque o desgaste emocional é enorme e suga as energias da gente de uma forma impressionante, não sei mais me divertir, não sonho mais (quando sonho, meu sonhos são totalmente sem nexo), não tem uma comédia que me faça rir mais (pra não ficar tão chato), ensaio uma risada amarela, mas não vejo graça mais nas coisas que adorava antes. Eu sofri tanto Belly, mas tanto com o que passei durante o último ano com ele, que estou ainda muito arredia e me esforçando muito para me recompor, então quem lê meus “conselhos” pra pular fora dessas relações doentias, deve imaginar que me arrependo do que vivi, de forma alguma, pois como relatei, ficamos casados durante exatos 20 anos (e um mês) e durante os 17 anos (antes da dessa doença tomar conta), vivemos uma história linda, sem contar que foi ele quem me deu os maiores/melhores presentes da minha vida: minhas filhas, e, com elas (e ele junto), do fundo da minha alma, juro que fomos muito felizes, então, quando aconselho, pessoas como você (que ainda estão na fase do namoro), ou até mesmo que já se casaram mas ainda não tem filhos, aconselho sim a pularem fora, pois a única certeza numa relação dessas, é o sofrimento e desgaste emocional, pois ser feliz (com uma pessoa que já lhe trouxe tanta infelicidade em tão pouco tempo de convívio), chega a ser questão de sorte, que graças a Deus, tive durante 17 anos, por isso me custa acreditar que nossa vida virou o que virou, chegando ao ponto de quando encontro alguém que pergunta como estamos, ou por não ver ele junto, pergunta sobre ele, aí falo que separamos, TODOS, sem exceção reagem assim: NÃO, VOCÊS SEPARADOS NÃO! Então é o que sempre falo pra eles, se vocês (de fora) não aceitam, imaginem eu, que sei melhor do que ninguém, que NUNCA, mas nunca mesmo, tivemos motivos (óbvios) para uma separação. Então Belly, quando reforço tanto esse conselho, é por imaginar que vocês já sofreram tanto com uma relação que mal começou (alguns tem poucos meses de namoro, outros como você, em apenas um ano de relação já conheceram o pior dos seus parceiros), imagine como será isso daqui há mais uns anos, quando estiverem mais envolvidos, e de repente, já tendo filhos pequenos convivendo com isso, penso que “cortar o mal pela raiz” seria a decisão (muito dura a ser tomada), mas, seria a mais sensata de todas, pois te daria a possibilidade de tentar mudar uma história ruim antes que ela aconteça, pois o roteiro, como todos sabemos, já está escrito e (raramente) foge a regra. Hoje (após 2 meses e meio de separação), continuo fazendo terapia (há quase 6 meses, agora já mais espaçadamente), introduzi dois hobbies (já não tinha nenhum mais), pra ajudar a desviar o foco do problema, há mais ou menos 1 ano, cultivo orquídeas e faço mosaico, só pra casa, amigos e parentes, mas sem dúvida, sofro muito com a ausência dele (porque ainda existe muito amor e consideração), mas, graças a Deus, já consigo ver pequenos sinais positivos com a decisão (drástica) que tomei de me separar: já consigo dormir sem precisar de remédios, não me sentir oprimida no que faço, no que penso, para onde olho, diminuiu (muito) a sensação ruim de ter que viver longe das pessoas que gosto (não quer dizer que viva com elas, na casa delas ou elas na minha), mas a sensação de não estar tão “amarrada e impedida” de ver ou falar com eles quando sinto vontade ( como eu vivia) me traz um certo alivio, com certeza o “controle/domínio” que um paranóide faz sobre a gente, é tão forte que mesmo agora, eu vivo me policiando, dando satisfações para as minhas filhas, que sei que não precisaria, mas a pressão psicológica era tanta, que estou muito sugestionada ainda a viver dando satisfações, como se vivesse “aprontando”, como ele sempre certeza que eu vivia. Por essas e outras conclusões Belly, que mais uma vez te aconselho a tentar retomar as rédeas da sua vida antes que essas marcas ruins que ele tem feito a você, fiquem mais profunda e incuráveis. Claro que vai sofrer sem ele, mas, se dando esta chance, quem sabe as chances de ser feliz sejam maiores? MUITO BOA SORTE!

    By Claudia on Jun 9, 2014

  151. Boa tarde! A um tempo venho notando que tenho todas as característica dessa doença. tenho 24 anos e tive um relacionamento aos 15 e engravidei e tive um filha, e me separei… separei pq ja não gostava mais desse cara, ele me fez sofrer demais, eu era ingenua quando começamos a namorar, ele começou a me trair, bebia demais… se a gnt saia, ele só me fazia passar vergonha, brigava com os caras,mexia com mulheres na minha frente, até que eu cansei, peguei nojo dele e me separei aos 18 anos. Dai fui aproveitar a vida, festas, amigos e ter uma vida social normal. Até que tive um outro namorado aos 22 anos, ele era mais novo que eu, um rapaz de boa índole, tranquilo… só que eu era paranoica, briga com ele a todo momento, nao deixava ele conversa com ninguem, fuçava em tudo, tudo mesmo… até que do nda fui deixando de gostar dele e terminamos… SORTE DELE. Hje tenho 24 anos e tenho um relacionamento ha quase um ano, meu namorado é uma pessoa boa, nele eu vejo que o que sinto é amor… só não estou conseguindo ter uma vida normal, desconfio de tudo, fico mandando msg, insinuando coisas, e to vendo que desse jeito ele vai colocar um fim na nossa historia. EU SOFRO DEMAIS POR SER ASSIM. Eu queria mudar minhas atitudes, poder confiar mais nele, pq isso ta minando, chorro, sofro, uma angustia, uma vontade de desistir da vida. Nem atenção para minha filha consigo dar… vivo em função de querer saber o que ele esta fazendo ou deixando de fazer. ODEIO ME SENTIR ASSIM. Ja procurei psicologos mas nenhum me diagnosticou com essa doença. Mas tenho todos os sintomas. Da ultima vez q fui na psicologa ela conversou comigo outros assuntos e disse que se eu visse que precisava era pra eu voltar, achei estranho… pois achei q ela poderia me ajudar, pois nao sei para q lado correr. Ja fui agressiva com ele, até ao ponto dele descontar em mim a agressão… acho q preciso ter meu autocontrole mas é tão dificil. SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO! QUERIA DEIXAR CLARO QUE NÃO FAÇO ISSO POR QUE QUERO… ALGUEM PODE ME AJUDAR????

    By KARLA on Jun 9, 2014

  152. AAAAA, ACHO Q ESSE SENTIMENTO VEM DEVIDO AO FATO DE TER SOFRIDO TANTO COM O PAI DA MINHA FILHA… SERÁ…

    By KARLA on Jun 9, 2014

  153. olá
    eu já li varias pessoas falando um pouco desta doença, eu vim aqui escrever neste site porque acho que tenho esta doença, mas não tenho a certeza, devido a ter a uns minutos uma discução com o meu marido.
    Nós namoramos a 8 anos, eu desde do inicio da nossa relação tinha muitos ciumes tinha medo que ele me deixa-se, quando alguma mulher falava com ele eu descutia a seguir, o facto é que agora já passou muito tempo e já não tenho ciumes nenhuns, agora descutimos por causa do nosso filho que tem 1 ano, tambem porque o meu marido é mesmo muito desarrumado, deixa tudo no chão não me ajuda em nada e ainda tenho de tomar conta do meu filho, e eu chego a um ponto que grito fico com muita raiva, bato com as portas,para não falar da minha sogra que me tira do serio e agora já não consigo me conter respondo sempre mal, pois ela esta sempre a dar opinião sobre o meu filho, faz assim que assim é o certo, eu sou ainda muito nova, nunca fui mãe, e não pensava em ter filhos quando fiquei gravida, mas agora Amo o meu filho.
    eu tive uma infancia muito má, queria realmente saber se tenho alguma doença destas, que quero realmente resolver, sem ter de tomar medicamentos para acalmar.
    Peço então que me possam ajudar.

    By sonia on Jun 16, 2014

  154. Ultima postagem faz 2 meses…

    nada mudou…

    mesma coisa…

    ontem falei pra ela ” vc parece possuída! parece q tem um capetinha na sua orelha te dizendo um monte de merda” coisas como “ninguém te ama” “ninguém respeita você” “todo mundo quer te fazer mal”.
    é impressionante como essas pessoas sofrem
    as vezes acho que a paranoia é um tipo brando de esquizofrenia.
    não há nada que vc fale que a pessoa acredite. NADA! é impressionante.
    o mais impressionante é como ela busca razoes para oque faz. Em momento algum ela busca mudar, o que ela busca é justificar suas atitudes.

    sempre sempre e sempre só buscam justificar suas atitudes para se sentirem melhores e poder fazer tudo denovo.

    By Tinytankz on Jun 16, 2014

  155. NOva briga feia hoje.

    Ela me destroi mentalmente com suas agressoes verbais, eu revido a ignorando (para noa fazer pior) e ela usa isso para justificar suas atitudes.

    exemplo: vc nao me ama, estava olhando pra quela piriguete no onibus, nao me ama nada!

    dai eu fico mtooo triste por ela fazer isso cmg e a ignoro, ou a deixo sozinha para nao piorar as coisas.

    Ela usa isso contra mim, “ta vendo, se vc me amasse nao tinha me deixado sozinha, eu nao te fiz nada

    Hj voltando do servido, de onibus, reparei que entrou uma pessoa no onibus, qdo olhei, era uma moça, imediatamente virei o rosto para o lado oposto da moça, nem vi se era um travestir ou uma moça mesmo. O trauma é tao grande, que ando na rua olhando para o chao…

    è muita opressao…
    é muito ridiculo a forma como essas pessoas nos tratam…

    depois diz “vc nao me ama, ta me ignorando e eu nao te fiz nada…”

    é trist…

    POw se agente nao os ama, porque eles simplesmente nao vao embora???

    Porque insistem em nos dominar mentalmente a ponto dagent se achar um monstro

    O que sao essas pessoas, pq fazem isso?

    By Tinytankz on Jun 16, 2014

  156. caracteristicas basicas de uma pessoa paranoide

    -desconfiaça com tudo e todos (filho, desiste, ela NUNCA

    By Tinytankz on Jun 16, 2014

  157. vou dizer umas coisas que minha namorada ja fez comigo e vcs veem se com vcs é a msm coisa.

    - se agente ta com aguem por perto, to flertando com essa tal pessoa (nao faço isso, nem olho em direçao a mulher alguma)
    - se nao tem ninguem por perto, to pensando em alguma mulher (ridiculo)
    - se to tomando banho com ela, ela diz que to reparando nela e comparando ela com outras mulheres (detalhe nem falando eu estava, apenas estava olhando pra ela pq ela é muito linda)
    - se estou no trabalho, estou fletardo as pessoas do trabalho ( detalhe so dou bom dia e tchau)
    - se vou na casa da minha mae (que mora a 100m de mim e eu vo la de vez em nunca e fico nem 1h) quando volto ja esta de cara feia dizendo que nao a amo. ( detalhe ela NUNCA vai la)
    - se vamos a uma reuniao de familia como um simples almoço ou churrasco na praia, ja estraga tudo dizendo q to olhando pro peito de todo mundo (estraga todos passeios de familia)
    - se vamos sozinhos a algum lugar, é a mesma historia, cara feia, ofensas e desconfiança

    hj minha vida é: de casa pro trabalho, do trabalho pra casa, de tarde arrumo meu jardim, cuido dos cachorros, e as vezes, nao sempre, minha mae da uma passadinha rapida pelo meu quintal, ja que dentro de casa minha mulher praticamente proibiu ela de entrar…

    me afastei de tudo e de todos, e a paranoia somente piorou…

    nao cometam o mesmo erro

    nao deixem de fazer o que voces acham certo, se vc gosta de dançar, dance, se gosta de nadar, nade.

    Nao caiam na ilusao de achar que se vc parar de fazer algo, que a paranoia e ciumes vai diminuir, pelo contrario, só aumenta.

    Se vc continua com seu hobbie sua vida fica com inferno, se vc para com seu hobbie sua vida vai continuar um inferno só que sem seu hobbie….

    By Tinytankz on Jun 16, 2014

  158. Tinytankz, não tem nada, absolutamente nada que você tenha descrito que eu já não tenha vivido com meu marido, e, fiz a mesma opção que você de me afastar de tudo e de todos pra tentar ter paz com ele, infelizmente, ao contrário de melhorar, só piorou, ficou insuportável, pois eles são extremamente manipuladores e nuca se satisfazem com nada do que fazemos por amá-los. Só discordo de você em um ponto, onde você diz: “se agente nao os ama, porque eles simplesmente nao vão embora???”. Eles não vão embora, porque pode ser que mesmo do jeito (escroto) deles, nos amam, e principalmente, por sermos o núcleo paranóide da vida deles, então, a gente tem que saber qual nosso limite, e como eles não tomam iniciativa, nem de se tratar nem de mudar, a gente tem que fazer isso pra tentar resgatar nosso bem estar e dignidade, sem dúvida, é dificílimo, estou separada há praticamente 4 meses, estou sofrendo muito, mas muito mesmo, mas GRAÇAS A DEUS, sei que já que ele não vai se tratar, é a decisão mais sensata que poderia tomar, não me arrependo, e estou sendo forte, sei que vou me levantar, e, apesar de estar sofrendo sem ele, sinceramente, estou me sentindo muito melhor do que viver naquela opressão que vivia. Pare pra pensar, se esforce para separar a emoção da razão, pois se não fizer isso, jamais terá coragem de deixá-la, só pensando muito racionalmente pra conseguir tomar a decisão de sair dessa loucura que dia após dia vai nos tirando o sabor da vida. Força e sabedoria pra fazer o que deve ser feito.

    By Claudia on Jun 17, 2014

  159. Depois de ter postado o comentário anterior, li novamente, é me pareceu ter sido escrito de uma maneira fria, tipo: é muito sacrifício manter esta relação, então, simplesmente separe. De modo algum é frio ou simples assim, só Deus sabe o quanto essa decisão me custou e me custa dia após dia, como eu disse anteriormente, é questão de respeito a si mesmo, saber discernir que sofrimento será menos dolorido e desgastante pra você, eu sofro muito pela falta dele, por saber o que está passando sozinho, pelas nossas filhas que sempre imaginaram (como eu) que nosso casamento era para a vida toda, mas mesmo com esse sofrimento todo, não tenho dúvida, vivo bem menos infeliz do que estava ultimamente com ele, eu não tenho dúvida que eu não merecia o que estava passando, e por isso mesmo, eu digo que não estou feliz com a separação, mas me sinto bem menos pior por ver a possibilidade de ter minha dignidade resgatada e quem sabe, mais pra frente, eu consiga sentir prazer novamente nas pequenas coisas que ele foi tirando o gosto de cada uma delas e eu consiga voltar a sentir graça, que seja em um comédia, pois nem isso me faz rir mais.

    By Claudia on Jun 17, 2014

  160. Olá parceiros de sofrimento (ridículo esse termo, mas é a realidade, somos parceiros de sofrimento mesmo por causa dessa doença). Já tem um bom tempo que não entrava mais aqui, andei evitando pra ver se parava de pensar no que eu passei, e se conseguia deixar de amar a pessoa que me fez sofrer tanto, meu ex marido… Claro que não adiantou nada, mas de certa forma foi bom desviar um pouco o foco disso… Mas depois refletindo um pouco, vi que posso focar meus interesses em outras coisas, sem deixar de vir aqui trocar idéias, experiências e quem sabe poder de certa forma ajudar alguém a entender melhor a situação e tomar uma decisão que melhore sua vida… Li as últimas postagens pra me atualizar e tive a triste constatação de que essa doença continua fazendo cada vez mais vítimas, e trazendo mais e mais sofrimento. Mas por outro lado, me sinto um pouco melhor ao ver que existem pessoas que tem esse transtorno, e estão conseguindo enxergar isso, admitir que estão doentes e que precisam de algum tratamento e de ajuda. Isso sem dúvida alguma é um grande passo, porque a coisa mais difícil do mundo é a pessoa admitir que sofre desse transtorno e que precisa se tratar… que bom que algumas pessoas estão conseguindo enxergar isso… Queria comentar também uma colocação da amiga Claudia, a qual ja tive oportunidade de trocar idéias por aqui, que achei muito interessante. Claudia, quando você diz que “eles não vão embora, porque pode ser que mesmo do jeito (escroto) deles, nos amam, e principalmente, por sermos o núcleo paranóide da vida deles,…”, pensei a respeito e realmente é exatamente isso! Nós, parceiros dessas pessoas doentes, somos o núcleo paranóide deles, de certa forma nossa presença na vida deles é o que alimenta a manifestação dos sintomas dessa doença… Vejo pelo meu ex marido, que era uma pessoa completamente diferente antes de nos casarmos, uma pessoa segura, amável, educado, inteligentíssimo, amoroso, carinhoso, dedicado, com excelente caráter, honestíssimo, enfim, um companheiro maravilhoso… Quantas vezes, na época de namoro, pensei que tinha tirado a sorte grande ao conhecer uma pessoa tão especial, e ser tão amada e desejada por ele! Mas foi só nos casarmos para ele se transformar em outra pessoa: egoísta, maldoso, rude, desconfiado, manipulador, chantagista, controlador, inclinado a fazer coisas ilícitas, enfim se transformou em um monstro, o oposto do que eu mais admirava nele! Então, o amor que ele sentia por mim, ao passarmos a viver juntos, foi o que fez surgir (ou resurgir, vai saber…) esse monstro que vive dentro dele. Monstro que aparentemente voltou a estar adormecido desde que saí da vida dele… Até onde eu sei, ele voltou a ser aquele homem doce e maravilhoso de antes (detalhe: pra ele eu não existo mais, simplismente me odeia pra sempre). Portanto, cheguei a conclusão que o melhor pra essas pessoas, é que fiquem sozinhos, que não se relacionem amorosamente com ninguém, já que não enxergam que são doentes e que precisam se tratar! E assim talvez parassem de transformar a vida das pessoas num inferno! Desculpem o desabafo, mas a mágoa ainda é muito grande… Abraços a todos, e em especial a Claudia, espero que você esteja bem, na medida do possível… Fiquem com Deus

    By Rosana on Jun 17, 2014

  161. Olá Rosana, estava sentindo sua falta, as vezes eu também penso em parar de acessar essa página, para quem sabe, desviar o foco do problema, mas sinceramente, não dá pra fugir da realidade, que isso, infelizmente, faz parte (muito profundamente) das nossas vidas, e mesmo os amigos e parentes que gostam da gente e nos apoiam não nos entendem por completo da forma que nós daqui (como você disse, sabiamente: parceiros de sofrimento) entendemos uns aos outros, só nós sabemos da marcas profundas que um relacionamento desses deixa na gente. Como relatei anteriormente, quando encontro alguém que recém ficou sabendo que eu e meu marido nos separamos, sem exceção, reage assim: NÃO, VOCÊS SEPARADOS NÃO, e é tão sincero o que sinto, que respondo a mesma coisa à todos: SE VOCÊ (DE FORA), NÃO ENTENDE E NÃO ACEITA ISSO, IMAGINE EU!!!”, pois é isso mesmo que sinto (dentro do possível), estou lidando bem com a nova situação, mas acho que nunca vou conseguir ACEITAR isso muito bem, pois vejo pelo seu exemplo, que disse que quando namorado, seu parceiro era um homem maravilhoso que foi só se casar, ele se transformou em outra pessoa, agora Rosana, o que dizer do que vivi (eu não tinha dúvida que tinha acertado na mega sena acumulada), pois desde o primeiro dia de namoro até 17 anos de casados, ele foi o melhor marido, pai, amigo, parceiro, amante, etc… etc… nem eu acreditava como uma pessoa podia se dedicar tanto a outra (como ele se dedicava a mim e as meninas), me surpreendia como ele tinha tanto interesse por mim, que fosse apenas pela companhia ou também para sexo, sempre fazendo questão de demonstrar o quanto continuava me desejando, isso depois de mais de 17 anos juntos, então ver isso tudo acabado agora, é devastador, não me entra na cabeça como uma pessoa que me amou e respeitou tanto (durante quase uma vida) sinta apenas raiva de mim agora e me cumprimenta como se cumprimenta um estranho qualquer (pois na cabeça paranóide dele, e equivocada demais da conta, fui eu quem causou a separação, ou seja, ele está fora de casa, por culpa minha, afinal, eles NUNCA, admitem estar errados, é sempre a gente quem errou ou induziu eles a errar, fazer as ignorâncias que fazem. E é isso aí Rosana, mesmo que a gente passe um tempo tentando se distanciar do problema, eles já fazem parte do nosso DNA, e disso, infelizmente, não vejo como fugir, pelo tempo que você ficou afastada daqui, o Vitor e a Helena também, e por nunca mais ter visto um comentário de vocês, não vou negar que sinto falta, mas por outro lado, fica sempre uma curiosidade (boa), de quem sabe, tenham conseguido se desligar disso e estejam vivendo mais felizes em outra realidade, mas isso parece meio utópico, não é? Mas… dentro do possível, vamos nos esforçando para ficar bem, tudo de bom pra você e todos que vivem essas tristes histórias como a gente.

    By Claudia on Jun 18, 2014

  162. Ah Rosana, esqueci de comentar sobre o que você disse em relação a algumas pessoas que postaram seus desabafos aqui admitindo ter esse problema (pois uma das características mais fortes deste transtorno, é a incapacidade de aceitar estar doente), sinceramente, acho que essas pessoas, ao contrário de se sentirem mal por sofrer deste transtorno, acho que tinham que levantar as mãos para o céu pelo simples fato de conseguirem admitir que estão doentes, e assim, dar o passo mais certeiro das suas vidas, que é aceitar a ajuda do parceiro(a) e/ou familiares, para fazer o tratamento adequado para que não façam tantas pessoas sofrerem em consequência das suas péssimas atitudes, e acima de tudo, por si próprio, porque eles, sem dúvida alguma, são as maiores vítimas desta situação, pelo que viveram, e consequentemente, pelo que se transformaram, e com isso, no que transformam nossas vidas: UM CAOS!

    By Claudia on Jun 18, 2014

  163. Agente tem que punir essas pessoas

    vo começar a fazer isso

    tpw, se vou para a praia e ela la faz seu showzinho de ciumes, a proxima vez eu vou pra praia sozinho!

    Vo testar fazer isso…

    (sab qdo vc faz as coisas sem esperança de que de certoh…)

    By Tinytankz on Jun 18, 2014

  164. Bom, hj de manha vi um vídeo no youtube, “descobrindo sua mente – transtorno paranoide”, acredito de TODOS aqui já tenham visto… Esse vídeo mudou a forma como eu vejo a minha esposa. Ela sofre muito, qdo ela chega dar um “showzinho”, é pq ela já esta num sofrimento a tempo… È o ciclo (ela esta na defensiva, me trata mal por algo que eu não fiz, eu revido tratando ela mal também e sendo assim ela “confirma” seus medos). Mudar eles nunca vao mudar, a cura esta neles não deixarem seus pensamentos ruins guiarem suas vidas, o que é muito difícil já que o transtorno impõe a eles que oq eles sentem é a verdade, dai o difícil tratamento… como o psicólogo disse “o rapaz continua achando que as pessoas estão olhando pra ele e tramando contra ele, mas isso não o impede de ser feliz, de trabalhar e conviver com as pessoas que gostam dele”… O objetivo do tratamento é esse, NAO DEIXAR OS PENSAMENTOS RUINS, DETERMINAREM COMO SERA SUA VIDA.

    By Tinytankz on Jun 20, 2014

  165. Ola boa noite.li muitos dos depoimentos aqui expostos,e dei conta da doença que tenho.
    o meu marido (agora)enquanto namorados,aprontou me tudo o que uma mulher podia suportar,desde fazer engomar a camisa para ir num motel com outra,a uma qual quer ligar me contar detalhes do relacionamento deles,enfim eu costumo dizer que ele é viciado em mulher ou viciado na conquista.
    casamos e agora nao consigo confiar nele,um telefonema eu fico logo alerta.chego ao cumulo de mexer no telemovel dele tentar tirar todos os numeros que liga para saber se algum é de mulher,mexo nos apontamentos dele e paço a noite revirar na cama para tentar descobrir o codigo a senha do telemovel,do ipad,e tudo que ele tem.ele ja falou comigo ja pediu desculpa mas a verdade é que estou descontrolada pk faço coisas que nunca fiz.por favor diga me como agir pk nao quero perder o meu marido..

    By filomena on Jun 25, 2014

  166. Esse Laerte da novela “Em Familia” tem transtorno paranóide de personalidade, desde o inicio da novela achei isso… na primeira fase da novela era claro, evidente… na fase atual “parecia” que ele tinha melhorado, mas a cada cena do Gabriel Braga Nunes com alguma mulher, eu dizia pra mim mesma, se eu fosse ela ficaria com um pé atras com esse Laerte, uma hora ele vai pisar na bola, não é possivel que ele tenha se transformado em outra pessoa, assim sem tratamento… E dito e feito, foi só ele começar a se envolver afetivamente com alguém de uma maneira mais intensa pra começar a bater pino… Legal seria se falassem na novela o nome desse transtorno, pra desmistificar e tornar mais conhecida a doença, e ser tratada como tal, não apenas como “ciúme doentio”. Ciúme doentio é apenas um dos sintomas do transtorno paranóide, e seria bom que as pessoas soubessem que isso é uma doença psiquiátrica, e não apenas “ciúme obsessivo”. Quando vivi na pele o dilema de conviver com um paranóide, se soubesse do que se tratava e da gravidade dessa doença, talvez tivesse agido de outra forma, talvez tivesse caído fora logo nas primeiras demonstrações de que havia algo muito errado com nosso relacionamento, talvez buscasse na família dele um apoio e ajuda para fazê-lo aceitar o fato e se tratar, talvez tudo fosse diferente… mas como a maioria das pessoas eu ignorava do que se tratava, achava que era apenas “ciúme obsessivo”, e que ele estava enlouquecendo… E parece que é esse enfoque que será dado na novela, infelizmente… O cara já está fuçando na bolsa da noiva, olhando registros de ligações no celular, já está surtando, tendo rompantes de violência, e já li em algum site que “Laerte começa a dar pistas que está enlouquecendo”… infelizmente, todos pensarão que o cara tinha tantos ciúmes e amava tanto a noiva que acabou ficando louco… E nós que já vivemos esse drama na pele, sabemos que não é nada disso, sabemos que ele é um paranóide, que precisa de tratamento, e que sem esse tratamento continuará fazendo infelizes as pessoas que convivem com ele e a ele próprio… Que pena que seja assim, seria uma excelente oportunidade de divulgar a existência dessa doença, evitando quem sabe tanto sofrimento como vemos nos depoimentos acima…

    By Rosana on Jul 5, 2014

  167. Eu amo muito meu ex namorado. Mas ele terminou comigo por paranoias da cabeça dele. Ele achava que eu enganava ele. Ele achava que eu era falsa, manipuladora e que minhas aritudes não demonstrava o que eu falava. Ele me fez acreditar em tudo isso que eu o enganava. Mas eu nunca enganei. Mas ele tirava situações da cabeça dele e eu até acabava entrando na paranoia. E com medo de eu perder ele eu ficava tão confusa e aceitava que eu era o problema e culpada. Dai ele falava que eu tinha que mudar e mudar e mudar. Eu tentei mudar tinha cautela com tudo o que eu falava pra ele, porque tudo tinha um duplo sentido na cabeça dele. Enfim ele terninou comigo porque acahva que eu queria enganar ele e que eu queria ser uma pessoa que eu não sou. Chorei corri atrás, mas o bonzinho foi agressivo. Alias sempre que discutiamos ele agia de forma grossa e com ódio nos olhos. Nunca imaginei que eu poderia ter feito tanto mal pra ele, eu por amar pedi perdão por não ter feito ele feliz, mas na verdade depois que passou que eu vi que era tudo coiss da cabeça dele.

    By Talitha on Jul 7, 2014

  168. Nada muda
    nao ha esperança
    nunca muda

    assim que é

    nao importa oq vc faça, nunca vai confiar em vc
    nao importa oq vc faça, nunca vai ser o suficiente

    nao tem cura

    nao tem esperança

    By Tinytankz on Jul 14, 2014

  169. Acho que a pessoa que venho me relacionando tem este transtorno.Porém, ele não demonstra muito ciúme.
    Gostaria de saber se eles costumam apresentar alguma mania, como ver televisão, ou seja , interage mais com a TV do que com você. Como é de forma mais detalhada a questão afetiva. Se são carinhosos,se gostam de beijar, abraçar, andar de mãos dadas… Com quem estou,parece não gostar de nada disso. Fazer amor, diz que estou de castigo… Estou sempre de castigo por algo que não fiz. Diz o tempo todo que não presto atenção no que ele fala, que atiro para todos os lados, que sou egoísta, não sou humilde, estou sempre querendo brigar, mas não faço isto, parece transferir o que ele é para o outro. Tá difícil…

    By Ana on Jul 15, 2014

  170. Faz uns dois messes que vejo essa página e fico sem coragem de escrever,mas hoje me bateu uma enorme embora que escrevo e quero apagar,vivo a um ano com uma pessoa que apresenta esses sintomas ele mora em outra cidade,porém nos conhecermos na internet e depois de 3 messes de namoro a distância eu fui morar cm ele outra cidade,abrir mão do meu emprego de 6anos,ajudei a ele financeiramente pois ele tem um pequeno negócio,fiz tudo o que podia e faço,durante o período do nosso ele apresentava alguns de desconfiança,mas eu achava q iria melhorar pq vivíamos longe,pois bem fui embora atrás de minha felicidade se é que posso dizer isso,ele é um homem inteligente,honesto,trabalhador,não bebe,sair sempre comigo,mas é extremamente ciumento,ignorante,grosso,quando tem alguma raiva me esculhamba,me humilha,sofro agressão verbal diariamente,quando eu faço que ele que ele um santo,mas quando eu me nego eu sou uma puta,a um mês eu vim pra minha cidade resolver um problema da minha tia e tive que vim logo,pois bem ele me esculhambou disse q eu vim atrás de homem,que sou mentirosa,que minha tia é uma puta ela me tirou dele e quando no outro dia ele liga como se nada acontecido,e sou a culpada por tudo da errado na vida,como ele já disse que era um encosto…desculpas mas vou tentar outras situações pra vcs entenderem melhor.

    By Sandra on Jul 16, 2014

  171. Desculpas alguns erros ortográficos,porém então difícil escrever isso.

    By Sandra on Jul 16, 2014

  172. desistam
    isso não tem cura
    pois não eh uma doença
    soh eh doença se o cara tiver surtos psicóticos, ou seja, misturar seus pensamento a realidade normal. ver pessoas que não existem ou ouvir vozes que soh ele ouve.
    a pessoa eh asism pq quer meo
    ela não quer mudar
    ela quer q VC mude
    é VC que tem q deixar de ser galinha
    não ele q tem q ver v vc nada fez

    é gente ruim msm
    sai fora
    pq é furada
    6 anos já sofrendo

    By Tinytankz on Jul 17, 2014

  173. transtorno de personalidade não eh doença

    isso não foi passado a elas

    é por livre decisão delas serem assim

    por isso elas não mudam

    elas são assim pq querem

    jamais demonstram querer mudar de verdade

    tudo que elas fazem elas tem uma explicação para esta fazendo tal coisa

    desistam! têm mais de 100 post aqui! ninguém tem uma boa noiticia! nenhum dos parceiros paranoides aqui mudaram! pq o seu mudaria???

    reflitam
    eles não mudam

    soh mudaram talvez um dia qdo nos perderem! soh qdo eles realmente conseguirem enxergar que ser paranoide não eh a forma correta de viver, ai sim eles mudam!

    Acreditem! nenhum deles vai mudar! não insistam!

    Eles não estão tristes pq estão acabando com o relacionamento!!! Eles estão tristem pq VOCEEEE esta acabando com o relacionamento, dando motivos para eles serem “paranoides”

    desistam! têm mais de 100 post aqui! ninguém tem uma boa noiticia! nenhum dos parceiros paranoides aqui mudaram! pq o seu mudaria???

    By Tinytankz on Jul 17, 2014

  174. Eu li, não sei se foi aqui ou em outro site com post, que um homem com o transtorno a qual falamos, dizendo que melhorou muito com o uso de risperidona prescrita por um psiquiatra.

    By Ana on Jul 18, 2014

  175. Sim Ana, Risperidona também foi prescrita para o meu ex-marido, mas claro, ele não aceitou tomar, porque como diz: NÃO ESTOU DOENTE, ENTÃO NÃO TENHO O QUE TRATAR.Ou seja, uma luz no final do túnel, só existe se o doente aceitar a tratar, mas como já ouvi de vários psiquiatras, o transtorno de personalidade paranóide, é o que menos aceita tratamento (medicação + terapia), e quando aceita, não o fazem adequadamente (pois são extremamente manipuladores e desconfiados), o que os leva a desistir do tratamento, e sendo assim, quais são as chances reais de mudarem? Por essas evidências, cada vez mais, acredito no que ouvi de uma grande profissional: UM PARANÓIDE PRA SER NORMAL, PRECISA NASCER DE NOVO! Muito triste esta colocação, mas cada vez mais, a atitude do meu ex-marido (fomos casados por 20 anos e estamos separados há pouco mais de 4 meses) me leva a crer que faz sentido, pois eu pensava que ele ficando sozinho como tem vivido (sem contato com nenhum amigo ou parente) ele parasse pra pensar e aceitaria tratamento, mas sabe o que aconteceu, esse tempo sozinho, tem servido pra ele cada vez mais juntas provas (pra ele mesmo) que ele estava certo (como sempre estão) que tudo que ele fez/faz de errado, fui eu quem dei base pra ele agir daquele jeito, inclusive semana passada me falou, que eu sou egoísta, que eu causei a nossa separação, mas graças a Deus, eu, minhas filhas, meus amigos e parentes, sabemos muito bem, que eu fiz o que pude e não pude pra ajudar ele a se tratar, mostrando que não me preocupava com prognóstico, que estaria com ele sempre na luta independente do que estaria pra vir, mas é claro, ele não cedeu e transfere toda e qualquer culpa pra mim, isso me entristece muito, mas não ao ponto de abalar a minha certeza, de que não tenho motivo algum pra ter peso na consciência, pois de corpo e alma, sempre estive pronta pra encarar essa luta com ele, mas pra isso acontecer, ele teria que aceitar minha ajuda, mas isso segundo ele: sem chance! Então, tomei a pior (porém) a mais sensata decisão da minha vida, se separar para preservar a minha dignidade e das minhas filhas, estou muito mais tranquila, e se Deus quiser, vou me levantando com o tempo, as marcas que ficaram, não acredito que vão desaparecer, mas farei o máximo possível para que não me impeçam de lutar pra reencontrar o gosto pela vida, reaprender a sorrir, pois a vida é maravilhosa e não pode ser desperdiçada aceitando ser torturada psicologicamente (como eu me sentia ultimamente), porque NINGUÉM MERECE ISSO, ter sua vida totalmente controlada por alguém descontrolado e que te prova dia após dia que não vai mudar. E, se eles nos impõem esta certeza, quem será que tem que tomar uma atitude para efetivamente ver essa situação mudar?

    By Claudia on Jul 18, 2014

  176. Preciso da ajuda de vcs,já tem quase dois messes que estou na casa de minha mãe e nosso contato é por telefone e por wattsapp,a maioria das minhas coisas está na casa dele,fiquei aqui fazendo exames e me cuidado,mas na cabeça dele estou com alguém,brigamos muito e ele perguntou a mim o que eu queria da vida e eu disse se fosse pra viver assim era melhor terminar,ai começa as ofensas que sou safada,trair ele,falsa e começa falar mal de minha família,me controla no wattsapp diz que fico falando cm meus machos,que eu fiz de tudo pra terminar,ele tá triste por minha causa,a minha familia deve está muito feliz e etc,na verdade eu gosto dele,mas quando eu lembro das ofensas do quanto ele me magoa não tem respeito,poxa eu fiz de tudo pra esse homem dei meu dinheiro,o meu nome na empresa dele,faço de tudo e é o pagamento que recebo???mas o que me deixa intrigada é que quando ele quer ser bom é otimo comigo fala a todo mundo que eu sou a mulher da vida dele,que hoje ele é outro homem e tal,mas quando tá cm raiva fala tanta coisa que mágoa,porém a minha familia não que q eu volte pra ele….não sei mais o que fazer. será que ele vai mudar,eu sinto pena dele.

    By Sandra on Jul 21, 2014

  177. Para quem já viveu com pessoas que sofrem desse mal, queria que ouvissem e levassem muito a sério: é pior pra pessoa que sente do que pra pessoa que é sufocada. É simplesmente um inferno viver dentro de nossas cabeças que vivem a maquinar. Dependendo da educação que tiveram, vão se fechar em mau humor e não perceber que têm problemas, mas é sempre uma situação completamente descontrolada. Os pensamentos surgem na cabeça à todo momento, sem que você consiga controlar. O estômago se contrai e vem as crises de agonia. O coração pequeno, a tentativa de tentar juntar fatos, horários, mensagens, tentar cercar de todas as formas e se certificar de que a pessoa não está te traindo ou mentindo pra você. E mesmo que mudem as pessoas, as paranoias continuam as mesmas. Nos sentimos impotentes e a única solução que parece viável é se afastar. Não conseguimos descolar os fatos (que às vezes realmente merecem atenção, podem realmente ser traição) das nossas paranoias, as coisas se misturam e já nos sentimos culpados de perguntar mas perguntamos mesmo assim. Nos sentimos culpados de sufocar, mas não conseguimos guardar e acabamos por sufocar e chorar sem querer. E vamos acabando com quem éramos antes de nos envolver. Éramos lindos antes de nos envolver. Quando não há sentimento vinculado, somos leves. Somos desencanados. Depois que começamos a nos entregar, de repente parece que a nossa felicidade depende da assertividade do outro. Qualquer pequena atitude merece lupa. E então mesmo que alguma atitude mereça atenção porque de fato pode ser motivo para desconfiança, você se sente mal de desconfiar. A autoestima vai para o dedão dos pés e logo somos pó de gente. Sem luz. Sem amigos, porque eles não aguentam mais ouvir suas paranoias e tentar de convencer do contrário. Sua família, que é a mais sincera o possível, fica irritada com você e logo você pode sim, ser taxado de masoquista e manipulador, porque você tem a chave para fazer o que é necessário mas não consegue. Quantas vezes não ouvimos: vá viver a sua vida, cuide de suas coisas, você pode fazer exercícios, vá sair com seus amigos: não conseguimos nos desligar. Sonhamos com as coisas. É pura tortura, parece que a sua própria voz foi feita pra te intrigar e tirar a sua paz. Não tenham raiva de quem passa por isso. Precisa, sim, ter cuidado, se a pessoa não tem capacidade de entender que está doente e precisa de tratamento, isso pode tomar proporções absurdas, claro, é bom se afastar. Mas se você pode ter uma conversa completamente amorosa, dizendo que entende o que ela sente, sua agonia, seu sufoco, seu sentimento de culpa, de repente, as portas para que essa pessoa tente se controlar mais fiquem abertas. Quanto mais sentimento de culpa essa pessoa tiver, menor será a chance de recuperação dela. Pelo menos sinto isso comigo. Eu pergunto coisas tentando cercar respostas: me sinto culpada pois vêm em tom de cobrança. Estou com a pessoa, mas estou pela metade, porque o que sai da boca dela me soa mentira e eu nem mesma sei tenho capacidade de distinguir entre algo que precisa de atenção ou paranoia minha. Também podemos nos afundar em situações de dominação por alguém que se aproveite dessa nossa paranoia. Como escapar de nós mesmos? Assim como temos doenças autoimunes no corpo, parece que o nosso cérebro também tem isso. Sinto como se ele quisesse combater seu próprio raciocínio. É completamente doloroso e desesperador. Se afastar parece uma solução coerente porém pouco corajosa. Pouco forte, porque assim você não está tratando o problema e sim colocando um analgésico. Como cuidar? Algum psiquiatra ou psicólogo realmente especializado nesse tipo de problema tem dicas? Remédios? A esquizofrenia se caracteriza por uma voz de terceiro falando na sua cabeça, nesse caso é a nossa própria voz. Como desconfiar de nós mesmos, não é?

    Se sentem assim também? Falem comigo quem se sente assim. Podemos nos ajudar. Quem sabe?

    By Natália on Aug 11, 2014

  178. Bom dia Natália, do tanto que tenho lido a respeito dessa doença, digo sem medo de errar, que até agora, não havia ouvido um depoimento tão sincero, esclarecedor e que detalha, de fato, o que se passa na mente de um paranóide, particularmente, te parabenizo pela bravura de reconhecer o problema que tem e entender como isso afeta a sua vida e de quem convive, porque mesmo sendo o alvo dos ataques (normalmente, o parceiro, como no meu caso) e sabendo que a coisa funciona exatamente assim como você expôs, para certas pessoas, é muito mais fácil acreditar que o “sufocado” está exagerando e sendo injusto ao resolver dar um basta a essa tortura que somos submetidos, então esse alerta que você fez, realmente faz muito o sentido, de tentar “ter uma conversa completamente amorosa, dizendo que entende o que ela sente, sua agonia, seu sufoco, seu sentimento de culpa, de repente, as portas para que essa pessoa tente se controlar mais fiquem abertas.” Mas o que dizer e fazer quando você já fez isso inúmeras vezes, por saber que você é uma grande vítima nessa história mas que a maior delas na verdade, é o “sufocador”, mas que ele tem certeza (absoluta) que você é o causador do problema, a ponto de jamais aceitar a ideia de que ele, por um instante que seja, pode estar vendo coisa onde não existe. Esse tipo de repetição constante, vão acabando com nossas forças e vontade de continuar com a pessoa, pois a tortura psicológica vai ficando insuportável, a minha, se esgotou de tanto tentar ter “conversa completamente amorosa” com alguém que já parecia não ter mais sentimento algum, nem sentimento bom e nem remorso das ignorâncias que falava e muito menos de dar ouvidos as várias e várias tentativas que tive de mostrar que o amava como no início (20 anos atrás), que não me importava com o que viria com o prognóstico desta doença, que queria estar do lado dele pra ajudá-lo no que precisasse, mas sobe o que ele concluía (e me calava)? Dizia que o que eu estava falando era tudo mentira, que ele tinha certeza (absoluta) que não era nada daquilo que eu sentia, ou seja, chega uma hora que é tão dominado pela doença, e também pelo narcisismo, meio que intrínseco a esse mal, que se julga tão superior, mas tão superior, que é capaz de saber o que passa não apenas na cabeça deles (que sempre tem as conclusões mais perfeitas e corretas do mundo), mas que tem o “dom” de assegurar o que os outros sentem, mesmo que não faça sentido algum, mas ele tentava me calar dizendo que era aquilo e ponto. Aí quando chegamos numa situação já praticamente sem saída, que a separação era a única coisa viável, sabe o que ele me disse? “Nós tínhamos prometido que seria até que a morte nos separasse, na alegria na tristeza, na saúde e na doença, não é?”, aí respondi, exatamente, e pra mim isso nunca mudou, tudo que eu mais queria é poder estar contigo também na doença, mas podendo te ajudar a ficar melhor pra você e pra nós, mas não apenas pra me matar de tanto sofrer com seus ataques. Ou seja, mesmo já não tendo mais opção, ele (como sempre) transferia pra mim toda a responsabilidade das atitudes dele, e nesse ponto específico, sendo “covarde” (mesmo que sem intenção, mas dominado pelas certezas absurdas dele), que nossa família estava se acabando por minha causa, que eu estava impondo a solidão a ele, “colocando ele fora de casa”, enquanto a ÚNICA exigência que fiz foi: fazer um tratamento adequado pra não termos que viver no inferno que estávamos vivendo ultimamente. Foi apenas isso que pedi, e insisti que o apoiaria neste tratamento, mas de nada adiantou e estamos separados há quase 6 meses, e claro, durante esse tempo, ele (totalmente sozinho) continua remoendo as certezas que tem enquanto eu e nossas meninas (15 e 18 anos), estamos vivendo dia a dia o luto da separação, de uma família que vivia em paz total, felicidade e amor antes desta maldita doença disparar como aconteceu há quase 4 anos atrás. Por isso Natália, depois de tentar tudo e mais um pouco, sou muito franca em dizer, que o que realmente sinto por ele (além do amor, consideração e respeito ao pai e marido maravilhoso que sempre foi), é algo nada digno de se sentir por alguém, que é pena, mas infelizmente é o que mais sinto por ele hoje, por ver na solidão que vive, por ter certeza do tamanho do sofrimento que ele esta passando, pois ele é o tipo de pessoa que não merecia passar por isso, pois sempre foi uma pessoa altruísta, totalmente dedica a fazer o bem para nossa família e as pessoas que ele tinha consideração, mas depois que a doença tomou conta, a primeira coisa que fez, foi começar a “destacar” os defeitos das pessoas (por menor que fossem) pra fundamentar o “necessário” afastamento que ele ia impor, e isso foi acontecendo com um por um na vida dele, até chegar a mim, durante 2 anos fui levanto e tentando explicar que focinho de porco não era tomada, já no terceiro ano, foi muito difícil, a pressão passou a ser insuportável, a ponto de não haver amor e consideração que aguentar levar essa situação adiante, então (EU) acredito que conversa amorosa funcione sim (aliás, que essa é uma das poucas alternativas) que podem fazer com que a pessoa perceba que é amada e terá apoio da família pra “ficar melhor/sob controle”, mas (muito) infelizmente, no nosso caso não funcionou. Uma grande pena! Mas você com todas as certezas que tem (dos males que este mal causa e sabendo qual o melhor caminho a ser trilhado), pelo amor de Deus, confie na sua família, pois não existe bem mais precioso nesse mundo que o amor e apoio da sua família, e com o apoio deles, procure ajuda profissional pra melhorar sua qualidade de das pessoas que convivem com você, não se permita perder pessoas tão valiosas na sua vida.

    By Claudia on Aug 12, 2014

  179. q inferno viver com alguém assim
    burro eu q fiz uma família com alguém assim

    ridículo dizer que quem mais sofre eh o sufocador

    quem mais sofre eh o sufocado que tem sua vida reduzida a zero por um monstro que soh te machuca.

    e não vai embora nunca

    da vontade de abrir mao da família e jogar essa praga la no meio da rua.

    By Tinytankz on Aug 14, 2014

  180. Finalmente acabou

    Finalmente

    O pior de tudo é vc ver a pessoa ir embora, sem um pingo de arrependimento, remorço, nada nada.

    Ela sai do relacionamento com a convicçao absoluta de que a culpa realmente foi minha, que sempre dei motivos para ela fazer o que fez.

    Sai de casa dizendo que eu falava que ela tinha uma problema somente para EU poder olhar trair e enganar ela. (vc faz as coisas e dps diz que eu tenho problema)

    Tudo isso para nao mudar. Ao inves dela ver que ela tem um problema, ELA SABE QUE TEM, e realmente se arrepender doq faz e mudar. Nao, nao! O que ela faz eh culpar os outros para nao precisar mudar.

    Sai do relaciomento como se eu fosse um monstro que sempre enganou ela.

    De verdade? Parece que ta feliz, pq se livrou do peso de ver a verdade.

    Agora ela pode dizer para todo mundo, como é triste viver com alguem que a engana.

    Eqto eu fico aqui, sem ter feito nada que podesse ser considerado uma falta de respeito, triste.

    Ainda vem uma escrota dessa ai de cima dizer que quem sofre msm é a pessoa que acusa! HA HA HA!!!

    Deus que te livre de viver com uma pessoa como vc!!!

    Familia partida

    Egoista ao extrema, arrumou alguem para culpar e se livrar da necessidade de mudar.

    É como uma pessoa que tem medo de cachorro pq um dia foi mordida. Um caozinho bonzinho se aproxima dela para brincar, ela por sua vez espanca o cachorro e dps diz que ele veio morder ela. Ela nao tem como provar que o caozinho veio morder ela, entao ela arruma desculpas para provar que o cachorro veio morder ela. ” ele tava com o rabo levantado, balançado, isso eh tipico de uma cao agressivo”. A merda da historia é que o cao de tanto apanhar acaba revidando as vezes “verbalmente” e entao ela diz com toda convicçao ( TAAAAA VEEENDDDDO ELEEEEE É SIMMMM AGRESSIVO ). Isso que mata!

    Pior tipo de pessoa para se conviver!

    Tem um livro que nao lembro o nome que cita que pessoas com personalidade paranoide estao entre os PIORES tipos de pessoas para se conviver e principalmente para namorar, casar etc…

    Logo que conheci ela meu pai, que por sinal nao eh exemplo de muita coisa, mas ele tinha razao qdo me disse “sai que eh fria, teve um amigo meu que depois de casado nao podia sair de casa nem para trabalhar!” Eu bobao cego de paixao, nao vi onde estava me metendo.

    Entao a dica que eu do para todos que se envolvem com esse tipo de gente eh “NAO PAGUE PARA VER! ACREDITE EM MIM! SAI QUE EH FRIA! É INSUPORTAVEL! NAO ACHE QUE COM VC VAI SER DIFERENTE NAO PQ NAO VAI! SE VC GOSTA DELA OU DELE, DEIXE O(A) SOZINHOS, PQ ELES VIVEM MUITO MELHOR SOZINHOS! QDO ESTAO COM VC, A VIDA DELES SE TORNA UMA PRISAO, ELES SE ANULAM E ANULAM VC!”

    ACREDITE NOQ DIGO, NENHUM DELES MUDA!

    O SEU TAMBEM NAO VAI MUDAR!!!

    fica a dica…

    By Tinytankz on Aug 15, 2014

  181. Sou casada à 10 anos e sempre percebi que me meu marido apresentava um comportamento extranho, a pouco tempo uma pessoa da familia, conhecendo-o me disse que achava que ele poderia sofrer deste transtorno. Lendo as características realmente tenho certeza de que é isso mesmo. Ele desconfia das pessoas com quem trabalho, acho que o esttou traindo, acha motivos banais para não gostar das pessoas da minha familia e não querer contato com elas, me acusa de não lhe dar a atenção que merece, e respostas que seriam normais a qualquer pessoa, para ele são um ataque. tenho filhos com ele, mas pensó muito em me separar pois não estou mais aguentando conviver, me sinto sufocada. Pensa que sempre estou mentindo, é terrível. Já sofri demais, mesmo a separação sendo difícil, imagino que seja o melhor nesse momento.

    By Ana on Aug 22, 2014

  182. Tinytanks, tenho a mesma sensação, que é impossível que a pessoa mude, se sentem os donos da verdade. E concordo plenamente, os que mais sofrem são os que convivem com ese tipo de pessoa. Por mais que tenha existido amor ele é completamente corroído pelas acusações, críticas e humilhaqções infundadas.

    By Ana on Aug 22, 2014

  183. BOA TARDE…BOM GENTE TUDO QUE VCS RELATARAM DE SUAS VIDAS EU TENHO VIVIDO…E JA ESTA NA PIOR FASE..E ACREDITO QUE A FÉ QUE TENHO EM DEUS QUE SÓ DEUS LIBERTA, OBSERVEI QUE PROCURARAM TODOS OS TIPOS DE TRATAMENTO E NÃO OBTEVE EXITO, EU JA NÃO SUPORTO MAIS VIVER DESTA FORMA, MAIS EU ACREDITO NO MEU DEUS, O PIOR É QUANDO A PESSOA NÃO TEM CRENÇA NENHUMA, NÃO ACREDITA EM DANA, ISSO É PIOR, EU QUERO MUITO AJUDAR ELE, ELE PRECISA DE AJUDA…SÓ DEUS LIBERTA,RESTAURA E TRANSFORMA…

    By Raquel on Aug 25, 2014

  184. Tinytankz, as pessoas com transtorno de personalidade paranóide (NÓS) não são as piores pessoas do mundo para conviver. A questão é a seguinte, a doença pode ser igual para todos, porém a inteligencia da pessoa é que nos diferencia. Meu exemplo, sofri durante 7 anos com o transtorno sem saber. Fiz vários tratamentos com antidepressivos e asiolíticos que só me fizeram piorar. Ate q finalmente um médico excelente me diagnosticou corretamente. Hj, com uma dose mto baixa de antipsicótico, que não me provoca efeito colateral nenhum, e um pouco de terapia eu não tenho mais os sintomas q antes me faziam sofrer tanto. Vivo muitissimo bem com meu namorado lindo, por quem sou apaixonada e não sinto ciumes. Vivo mto bem com minha familia, tenho mtos amigos, um excelente emprego e me relaciono mto bem com as pessoas. Tenho uma vida profissional, amorosa, familiar, social mto boa! Quando digo q oq diferencia os doentes é a inteligencia é pq considero q pessoas como eu, que buscam e aceitam o tratamento podem ter uma vida COMPLETAMENTE NORMAL! Sinto mto pelo seu caso. Beijos!

    By Vivian on Sep 7, 2014

  185. Tenho um casamento de 26 anos, 3 filhos e um marido com transtorno paranóide. E como pudemos ler acima é realmente insuportável conviver com uma pessoa assim. meu psicólogo me perguntou a quanto tempo eu venho percebendo esses sintomas nele e eu disse que existem desde que namorávamos. Então ele disse: E assim mesmo você se casou? Mas naquela época eu não imaginava que isso fosse um problema, pensei que fosse “amor demais”,”ciúmes”.Minha vida tem sido um inferno, de tempos em tempos vem uma crise e tudo parece o fim, eu sempre contorno a situação tentando manter o casamento e a família, mas está horrível. Tenho sido acusada de coisas que não fiz, sou agredida verbalmente e psicologicamente torturada, por mais corretas que sejas minhas atitudes. Ele, ainda por cima é uma pessoa muito inteligente e manipuladora, convence as pessoas de suas ideias paranóicas e até a mim já chegou a convencer de que eu é que era a errada. Estou a um passo de me separar também. E sei que vou ser julgada por todos como a culpada desta sepração pois ele aos olhos dos outros é o correto. Gostei muito dos relatos de vocês, em especial da Claudia que me fez pensar muito em minha situação. Abraços a todos.

    By Rubia on Sep 11, 2014

  186. Bom dia Vivian, mil desculpas por me “atravessar” na conversa, mas pelo que tenho (temos) visto, um paranóide assumido e esclarecido igual a você, é caso muiiiiiito raro, então, mantenha-se sempre firme no seu tratamento, pois, paranóide, não é questão de “estar” e sim de “ser”, então jamais desista do seu tratamento, desta forma, você não abrirá mão de viver com qualidade e se permitindo ser feliz e fazer feliz quem está a seu lado, e, acima de tudo, sinta muito, mais muito orgulho mesmo de você por romper a pior barreira de todas (da aceitação da doença e tratamento), pois poucos conseguem esse feito. PARABÉNS! Tudo de melhor possível na sua vida!

    By Claudia on Sep 11, 2014

  187. transtornos de personalidades, penso que não tem “cura” por, na minha opinião, não se tratar de uma doença. É o “jeitão” de ser da pessoa. São escolhas que elas fazem, para, ao meu ver, fugirem do real problema. Insegurança, Ansiedade, Medo… Sinto que a pessoa ao invés de encarar seus problemas, ela foge, para um caminho completamente distante do seu problema, acaba procurando na sociedade uma desculpa para suas atitudes. No caso dos paranoides em questão, a pessoa ao invés de lutar e buscar vencer sua insegurança, ela culpa os outros pelos seus problemas, usando os outros como “provas” de tarem agindo de tal forma. O centro da paranoia em si, assim como de praticamente todos os transtornos, são um FUGA dos problemas. Para um TOC ou TPB ou mesmo PARANOIDE, o pesadelo da vida deles é se observar, é lutar. Pessoas transtornadas fogem de si mesmo o tempo todo. Jamais elas olham para si de forma racional, apesar de saberem que oq estão fazendo esta destruindo suas vidas e das pessoas que as amam. Tipo, um paranoide “prefere” ser ciumento, possessivo, manipulador e frio, ao enfrentar seu problema de baixa autoestima. Sinto que essas pessoas, qdo não conseguem mais “culpar” os outros e procurar na sociedade uma forma de explicar suas atitudes, elas fogem. Fogem para outro relacionamento, outra cidade, outro emprego, se possível ate outro planeta. “Prefiro perder tudo ou ate mesmo me matar, ao ter que enfrentar minha baixa autoestima. E as pessoas realmente vivem assim, o borderline, é um grande exemplo disso, dessa fuga incondicional dos problemas. O que fazer? NADA? Bom, só vai melhorar com medicamento para controlar as crises, tratamento psicológico e o mais importante, CORAGEM! Coragem de encarar a vida, de encarar, os problemas, parar de fugir. Um cliente uma vez, contou como superou a síndrome do pânico, ele qdo via que ia ter crise, ele dizia “VO MORRER? ENTAO TA BOM, VOU SENTAR AQUI E VER SE VOU MORRER MSM” 5 minutos se passaram, 30min se passaram e nada dele morrer… nunca mais dele teve síndrome do pânico. DEUS nos criou para sermos felizes e saudáveis. NÓS que nos fazemos infelizes e doentes! NOS! Entao ta na hora desse pessoal “transtornados” encarar a vida, olhar pra dentro de si, e mudar. Querer mudar. Transtorno de personalidade tem cura SIM! Mas quem vai curar um paranoide, não eh o marido que sofre com as perseguições da mulher ou o filho, ou o sobrinho ou os pais, quem pode solucionar o problema é apenas o próprio transtornado. Mudar, fazendo escolhas dolorasas porem corretas! Um paranoide sabe que as pessoas não estão “perseguindo” ele, mas ele se nega a tomar a atitude correta de confiar na pessoa, pq se nega a ir pelo caminho da razão, prefere fugir. Enquanto um transtornado fugir das atitudes corretas, não há cura. A pessoa sabe que não deve seguir a esposa na rua, mas ele se nega a confiar nela, pq confiar nela, doi, é complicado confiar nela, pois isso implica em encarar seus problemas, então como forma de fuga, ele arruma desculpas para segui-la. Você, somente vc pode resolver seus problemas. Remedio ajuda sim, tratamento psicológico ajuda sim, mas não existe comprimido de autoestima, nem um psicólogo que faz transplante de personalidade. Ate quando vocês vao fugir…

    By Nikoma on Sep 11, 2014

  188. Ate quando vocês vao fugir dos problemas, um dia vcs ter que encarar a vida de frente, parar de arrumar “desculpas” por tarem agindo assim. Transtorno de Personalidade poderia chamar Vicio de personalidade. É meio que um vicio. Um drogado normalmente usa droga para fugir dos seus conflitos e problemas internos. Correto? Ele faz isso sabendo que isso esta destruindo sua vida, correto? Uma pessoa com transtorno de personalidade faz EXATAMENTE a mesma coisa. Para fugir da sua baixa auto estima, (no caso paranoide), ele comete atitudes erradas (assim como os drogados) para fugir, e não precisar encarar seus medos e problemas, MESMO sabendo que isso esta destruindo sua vida. Se torna um vicio mental… uma fuga constante. Todo drogado, alcolatra, ladrão, ciumento, psicopata, normalmente busca culpados pelas suas atitudes. É o pai que batia, (as vezes nem batia), é a mae que abandonava (as vezes so de ir trabalhar já era julgada como abandono).

    Bom, para pessoas transtornadas,´é mais fácil culpar os outros e optar por atitudes erradas, doq encarar os problemas. A grande questão, é que isso se torna um vicio mental, onde as pessoas depois chegam a perder o controle desse vicio, e fazem isso o tempo todo.

    Você sabe que esta fazendo errado, ate quando vc vai querer ser assim? Ta na hora de ter coragem para mudar, ser feliz e saudável, pq fomos feitos para sermos perfeitos.

    By Nikoma on Sep 11, 2014

  189. Rubia, você disse: “eu sempre contorno a situação tentando manter o casamento e a família”, muitas mulheres aceitam esta condição por serem dependentes ou por falta de amor próprio, não te conheço pra opinar sobre seu caso, mas posso falar por mim, durante mais de 3 anos (desde que meu marido começou a ser dominado pela paranoia)fiz tudo que podia para manter nosso casamento e família também, mas Graças a Deus, não por ser dependente dele nem por falta de amor próprio, e sim por amor a família maravilhosa que construimos juntos e pelo grande amor que SINTO por ele, cheguei ao ponto de virar uma autodidata sobre este transtorno para ter conhecimento de como lidar com a situação, de como poder ajudá-lo a ficar melhor e não permitir que esse transtorno destruísse nosso amor e nossa família, mas como negar a doença foi mais forte, ele não aceitou a única condição que impus: TRATAMENTO (com o meu apoio incondicional), então, como relatei acima, estamos separados há quase 7 meses, inclusive semana passada, assinamos a petição do nosso divórcio, foram 20 anos casados, 17 deles, maravilhosos, então mesmo estando tão firme e convicta que estou fazendo o correto/sensato, me sinto meio anestesiada como se vivendo situações que não fazem parte da minha vida/história, é muito surreal, porém é a minha atual realidade, por isso te digo, não existe amor e boa vontade que resista a tanta acusação infundada, agressões verbais e torturas psicológica, sinceramente, ainda nutro muito amor por ele, mas que ficou meio soterrado com tanta mágoa que ele me causou, e não tenho dúvida, que quando chega a esse ponto, somente colocando Deus no comando para que a gente consiga separar a emoção da razão, e nos fazer enxergar que é impossível você amar tanto outra pessoa, sem antes ter amor próprio, e isso, tenho muito Graças a Deus, dou muito valor a maravilhosa vida que Ele me deu, às filhas (que nem consigo resumir em uma só palavra o que significam pra mim) de tão importante que são, então, por mim e por elas, dei um basta, porque mais um pouco, seriam duas adolescentes com pai e mãe doentes, não apenas o pai, me doeu muito admitir pra mim mesmo que não tinha mais jeito, mas consegui, e não me arrependo, pois assim, podemos tocar nossa vida mais tranquilamente, vivendo num ambiente muito mais tranquilo sem aqueles inúmeros “sobressaltos”, já imaginou o mal que eu estaria fazendo para a vida das minhas filhas se não tivesse tomado essa decisão? Deixando duas meninas, uma de 15 anos e a outra de 18 anos terem que praticamente anular a vida delas pra cuidar de um pai totalmente paranóide e uma mãe com transtorno de ansiedade generalizado e depressão, definitivamente: elas não merecem isso, e eu não podia fingir não ter esse esclarecimento. Ah, quanto a “serem muito inteligentes”, isso é uma característica muito comum num paranóide, mas infelizmente usam muito desta inteligência para manipular e fazer jogos (torturas) psicológicas com o(a) parceiro(a), mas uma vez, repito: NINGUÉM MERECE VIVER SE SUJEITANDO A ISSO! Eu também tinha preocupação de ser julgada também, porque aos olhos de todo mundo, ele era o melhor pai e marido do mundo (e realmente era sim), melhor pai do mundo ele não deixou de ser (claro que presença e demonstração de afeto, caiu bastante), mas continua sendo um ótimo pai paras nossas filhas, mas marido/parceiro (companheiro como sempre era), neste último ano que vivemos junto, eu quase não tinha mais, era praticamente um estranho, que estava sempre pronto para me atacar (verbalmente/psicologicamente) com acusações absurdas que eu não merecia, sequer ouvir. Por isso Rubia, te digo sem medo de errar, que nenhuma dessas pessoas que “podem” (ou não) te julgar, façam ideia do inferno que você tem vivido, desta forma, cabe a você tomar a decisão mais sensata para a sua vida e dos seus filhos, e, quanto a essas pessoas, se realmente te amam e te consideram, entenderão os seus motivos (que não tenho dúvida, são extremamente fortes e sólidos), e acabarão por te apoiar e ajudar a superar a separação que é um processo muito doloroso (e indesejado), falo por experiência própria, Graças a Deus, recebo diariamente muito apoio, até de quem eu pensava que jamais entenderia, mas no fundo no fundo, o que importa é você ter a certeza de estar fazendo a coisa certa, e se teus filhos te apoiam, seja forte e aja! Estamos aqui só de passagem, a vida é maravilhoso e merecemos ser feliz, e ter a sensação de que você passou a dormir com um inimigo muito intimo, tira seu sono e lhe rouba a paz. Só alguém que conviveu tantos anos com um paranóide, para entender ao pé da letra o que isso significa. FORÇA, MUITA FORÇA E SABEDORIA!

    By Claudia on Sep 12, 2014

  190. Bom dia Claudia, li no seu ultimo comentario, uma parte onde vc diz “um pai totalmente paranóide e uma mãe com transtorno de ansiedade generalizado e depressão,” achei interessante, pois comigo, minha ansiedade multiplicou por 100x dps que convivi por anos com uma pessoa assim. Queria saber das pessoas daqui q sofrem com um parceiro paranoide, QUANTOS DE VOCES DESENVOLVERAM TRAÇOS FORTES DE ANSIEDADE APOS INICIO DO RELACIONAMENTO COM PARANOIDE?

    fica a duvida…

    brigado

    By Nikoma on Sep 14, 2014

  191. Claudia, obrigada pela força. Estou me esforçando para ficar bem, pois sei que meus filhos vão precisar de mim. Li um livro, que gostaria de indicar para Nikoma e a todos vocês, é sobre viver com pessoas problemáticas. O livro traz referências a pessoas que vivem com alcoólicos ou compulsivos, mas se aplica muito bem a nós, que vivemos com pessoas com transtorno de personalidade e acabamos por nos tornar co-dependentes. O livro é: Codependência nunca mais de Melody Beattie (tem na internet disponível pra baixar). Me ajudou muito a entender o que eu fazia a mim mesma… Boa sorte a todos

    By Rubia on Sep 14, 2014

  192. Nikoma, infelizmente fiquei extremamente ansiosa depois que a doença dele desandou sim, até então, tinha um nível “normal” de stress e ansiedade devido ao cargo de muita responsabilidade do meu trabalho, mas depois que a doença do meu marido tomou conta e ele não conseguiu mais tapar o sol com a peneira, eu desandei em relação ao nível de ansiedade. Venho tomando ansiolítico há quase 1 ano, mas continuo tão ansiosa que, se esqueço de tomar, nem percebo diferença, e com esse processo que estou passando (recém assinada a petição do divórcio), tenho ficado ainda mais ansiosa, então, não tenho dúvida quanto a relação de aumento da ansiedade ser decorrente dos efeitos do convívio de uma relação doente dessas, pois você ser constantemente acusado de coisas que não deve, e passar uma vida tentando convencer o outro que não é nada daquilo que ele pensa, gera um nível de stress, ansiedade e frustração enorme, chegando a um ponto de esgotamento que você tem que fazer uma escolha, particularmente, a mais difícil que tomei em toda minha vida, estou sofrendo muito em ver minha família “desmontada”, mas graças a Deus, já consigo me sentir melhor pelo simples fato de não ter que ouvir mais aquelas acusações absurdas, tendo que lidar com aqueles ataques de fúria (daqueles que a gente só acha ser “aceitável”) se direcionado a inimigos ou grandes desafetos, e jamais a quem se ama e divide uma vida.

    By Claudia on Sep 16, 2014

  193. Rubia, muito obrigada pela indicação. Por amar muito meu marido e minha família, li tudo que você possa imaginar tentando buscar conhecimento suficiente, primeiro para descobrir qual o problema que ele tinha (de tanto sofrer com os efeitos do transtorno dele) e depois de descobrir do que se tratava (descobri sozinha) pesquisei muito, sem ajuda de psicólogo ou psiquiatra, pois só depois que descobri que se tratava de um grave transtorno de personalidade, fui até estes profissionais para ter certeza se era isso mesmo e ver como podia fazer para ajudá-lo buscando um tratamento adequado, foi quando, tanto o psicólogo dele, quanto o que comecei a me consultar, bem como o psicólogo dele e depois a minha, confirmaram que ele é paranóide sim (alias, muito, com traços muito fortes do transtorno), mas infelizmente, todos ficamos com a certeza do que ele tem e de como isso poderia ser controlado, mas ele, jamais aceitou, sequer, que tem algum problema, mas como eu não tinha dúvida que algo sério estava acontecendo, o amor incondicional que sentia por ele, passou a ter uma condição (uma única condição), que seria ele se tratar para que nossa vida não virasse um inferno, mas não funcionou, como diz ele: “vamos “fechamos as contas” porque não estou doente e não tenho nada a tratar”. Por isso Rubia, acredito sim que toda e qualquer informação para que a gente aumente nosso conhecimento acerca de uma situação, contribui, mas graças a Deus, toda vez que ele me torturava psicologicamente, eu me sentia muito magoada e triste, mas em momento algum me senti culpada (apesar de a maioria dos esforços dele, terem esse fim, eu me sentir culpada por coisas que não fiz), na cabeça dele, não existiam dúvidas, eu tinha feito o que ele pensou e ponto, então como eu não tinha dúvida da minha integridade, da minha fidelidade, dos meus sentimentos, das minhas intenções, NUNCA me permiti me sentir culpada, e também o fato das minhas filhas saberem que eu não devia nada do que ele jogava nas minhas costas, me fortaleceu e me ajudou a tomar a dura decisão de me separar, não tem sido fácil, pois se fosse uma separação pelos motivos “normais, como por exemplo, uma traição, seria dolorido, mas acho que talvez por estar com raiva, seria mais fácil aceitar a separação, mas você ter que se afastar da pessoa que amou a vida toda, que ainda ama, que respeita e admira pelo ser humano que é, do fundo da minha alma, digo que é muito complicado e dolorido, mas graças a Deus, já consigo perceber que foi a decisão mais sensata a ser tomada (não nego nem pra mim nem pra ninguém que o amo muito, que sinto muita falta dele) mas que já venho sentindo algo que não sentia mais de tão desgastada que fiquei durante esses últimos anos, que é paz de espírito, que é poder ter a certeza (agora sem as torturas e jogos psicológicos que ele fazia), de que realmente, eu não devia nada daquilo mesmo, sequer, devia viver escutando aqueles absurdos, porque eu nunca tive dúvidas dos valores que tenho, e não permito por mais que o ame, que me tire o meu direito de ter paz de espírito e poder reafirmar que tenho motivos pra ter minha consciência tranquila. Se você passou por situações como eu passei, te digo seguramente que você não vive feliz, e pior do que tem se sentido, não pode ficar, então converse com seus filhos, e deixe-os a par de tudo que está acontecendo, isso é muito importante, que eles conheçam profundamente suas motivações para tomar essa decisão, e eles entendendo, mesmo amando o pai, eles entenderão que a mãe não tem o porque se sujeitar a isso caso ele não aceite a ajuda de vocês para se tratar, e não se julgue alto suficiente pra resolver tudo sozinha não, pois é um processo muito sofrido, porque quando sentimentos estão envolvidos, a gente pode se perder no meio do caminho, por isso, lance mão de um bom apoio psicológico para que em momentos cruciais, você tenha a capacidade de separar as emoções da razão para conseguir fazer o que deve ser feito e não apenas “seguir a voz do coração”, pois foi fazendo isso, considerando o amor que tenho pela minha família e tentando mantê-la, que passei por coisas que eu não merecia, especialmente, no último ano com ele. Então Rubia, FORÇA, muita força mesmo pra mudar essa situação.

    By Claudia on Sep 16, 2014

  194. Cláudia! Muito obrigada pelo apoio! Sabe, infelizmente tenho lido muitas bobagens por aqui… hehehe mas é normal, as pessoas não sabem do que estão falando, nem sequer leram um livro ou um artigo sobre o assunto para falarem algo, mas simplesmente dizem oq acham. Eu não leio tudo pq não tenho tempo! Mas passando os olhos vi q vc toma ansiolíticos a quase um ano e isso não a ajuda. Já parou pra pensar q não ajuda simplesmente pq o tratamentos está errado??? rsrs Procure um bom médico pq vc está colocando várias substancias em seu corpo em vão. Provavelmente seu tratamento não seria com ansiolíticos, mas sim com antidepressivos. Procure saber! Enfim, eu estudo bastante sobre o assunto (transtorno de personalidade paranoide) e só corrigindo é possível sim “estar” paranóico. Estou achando estranho a maioria das conversas aqui é sobre casais, né?? Sobre ciúmes. O meu problema na realidade nunca se desenvolveu nessa área. Eu era desconfiada de outras pessoas, achava q todo mundo queria me fazer mal e q de alguma forma mirabolante iriam conseguir me prejudicar, mas com meus relacionamentos amorosos nunca tive problema. Talvez o problema da maioria das pessoas aqui nem seja transtorno de personalidade paranoide e sim ciumes doentio, sei lá! Bom, era isso!! Bjos!!

    By Vivian on Sep 16, 2014

  195. Olá Vivian, realmente, muito é dito na internet baseado em achismo e “pré-conceitos” (totalmente pessoais, e equivocados), como eu falei anteriormente, para entender o que estava acontecendo com meu marido, busquei muita informação, e antes mesmo de saber o diagnóstico por profissionais, eu mesma descobri o que era, de tanto sofrer com os efeitos do problema por não receber o tratamento adequado, aprendi do que se trata de uma forma muito ruim, e que mesmo amando-o demais, me desgastou muito, pois foram ofensas e insultos, que acabaram por desgastar demais nossa relação, com toda certeza, todos temos muito que aprender ainda a respeito da complexidade que envolve um problema como esse, mas, sobre o meu caso especificamente, conheço o suficiente para ter tomado a decisão que tomei, que não tem sido nada fácil, mas que sinceramente, não tenho dúvida alguma, que foi a mais sensata, e, que apesar de ainda não ser possível ver melhorias a “olhos vistos”, Graças a Deus, não tem piorado como estava acontecendo dia após dia quando estávamos juntos, porque estava virando um pesadelo, só pra você ter ideia, eu só dormia a base de medicamento (controlado), há pelo menos 2 anos, eu já não sonhava mais nada (literalmente falando). Nosso sono, para ser restaurador tem que passar por 4 etapas, e sonhar é uma delas, ou seja, necessária para que se possa realmente descansar, e como eu estava dormindo artificialmente e com tantos problemas na cabeça, eu já não sonhava mais a respeito de nada, nem sonho bom, nem sonho confuso, sequer pesadelo, há uns 3-4 meses, voltei a sonhar, uns sonhos meio confusos, alguns fazem pouco sentido, outros, nada a ver com nada, mais me sinto feliz, simplesmente pelo fato de saber que, mesmo que seja aos poucos, existe sim a possibilidade de retomar a normalidade (mesmo que essa normalidade não seja a que eu sonhei, que era ter meu amor, meu companheiro sempre ao meu lado), mas que nessa nova normalidade, que se possa pelo menos dormir em paz, e viver dignamente sem ter que aceitar ser ofendida e desrespeitada toda vez que a paranoia ataca, a propósito, eu disse que “paranóide” não é questão se estar e sim de ser, porque os pensamentos passam a ser automáticos e as atitudes também, mas estar “paranoico”, claro que é possível sim só “estar”, pra qualquer pessoa. Quanto ao seu caso Vivian, acredito que por você levar um vida saudável, não deveria ter as (piores) características de um paranóide, pois você relata ter relacionamentos saudáveis com seu namorado, sua família, amigos e além do trabalho, então o processo pra você, pode ter sito mais “light” até saber do diagnóstico e do tratamento adequado (terapia+antipsicótico), pois só assim se consegue levar vida normal, agradeça a Deus por isso, pois é maravilhoso ter a oportunidade de saber qual o problema e aceitar a solução/controle, aliás, acredito que isso é o maio desejo da maioria dos parceiros de paranóides, mas infelizmente, não é o mais comum acontecer, e acredito também que o sucesso no seu caso se deu por você ter buscado tratamento sem o agravante que o problema do meu marido teve, que foi um grande trauma (problema familiar), que segundo todos os profissionais que tivemos contato confirmou, que serviu de fator desencadeador desse transtorno, que provavelmente, ele tem desde muito cedo, pois ela já era paranóide, mas conseguia “dominar” os sintomas, mas que depois deste “gatilho” disparar, se tornou impossível, e eu não tenho um pingo de dúvida, pois foi exatamente a partir desse problema sério que tivemos (há exatos 4 anos atrás) que a coisa começou a desandar, até aí, era tão controlado, que uma coisinha aqui outra ali, passava despercebido, mas que depois desse evento, só fez piorar, as cobranças aumentarem, passou a desconfiar de todo mundo, a cortar relação com todos (parentes e amigos), e evitar se relacionar com quem quer que fosse, a ponto de ficarmos praticamente só os quatro em casa, ou seja, ele precisava ter o domínio total da situação e de nós mesmos, por isso, sinceramente, não acredito que a opção pelo tratamento tenha a ver com o nível de inteligência não, me desculpe por discordar de você nesse ponto, pois meu ex-marido é uma pessoa extremamente inteligente, mas que está tão dominado por esse mal, que não consegue perceber que essa inflexibilidade dele (só pedi para ele se tratar, nada mais) foi o único motivo para nossa separação, pois fiz o impossível para deixar muito claro que estaria com ele para o que desse e viesse, mas ele preferiu acreditar nas razões/verdades (absolutas) que a mente doente dele elaborou, e passados praticamente 7 meses da nossa separação, semana passada, ele mandou recado através do irmão dele, que ele não quer destruir nossa família, então a única chance da gente retomar, seria eu retirando a condição que impus a ele (de se tratar), por isso, digo que ele está mais doente do que eu tinha certeza, pois como pode pensar que depois de amargar 7 meses de uma separação indesejada, eu tomaria uma atitude tão sem noção como essa, de, tipo: “ volta pra casa meu amor, eu só queria te dar um susto, mas já que você não vai mesmo se tratar, chega dessa birra e vamos retomar nossa vida do ponto que paramos”, ou seja, de onde paramos só iria piorar, pois não tenho dúvida que na próxima crise, ocorreria agressão física, pois do jeito que estava “progredindo” não teria como ser diferente, imagine se nem se quer um motivo real ele já tinha certeza que eu merecia ser destratada daquele jeito, e agora com a certeza (distorcida) de que “eu forcei ele a sair de casa exigindo ele se tratar”, quer dizer, sem motivo já estava acabando comigo, e com um motivo forte como esse (pois assim ele define nossa separação, que eu causei isso tudo), como sempre, ele a vítima e eu a culpada, entendo muito bem que ele é sim uma grande vítima por ter passado por coisas terríveis na infância entre outras durezas durante a vida, que tudo de ruim que vivei contribuiu muito para que ele tivesse esse transtorno, mas porque eu teria que simplesmente aceitar que ele é um coitado e me submeter ao que eu estava me submetendo na tentativa dele aceitar minha ajuda, se estava e está muito claro que não vai aceitar? Não tenho dúvida que fiz tudo que podia para que ele aceitasse minha ajuda para buscar um tratamento adequado para podermos viver em paz, pois ele é um ser humano incrível, que não merece viver isolado do jeito que tem vivido, mas, mesmo sentindo muito pela nossa situação atual, deixo sempre muito claro pra mim, para minhas filhas, minha família e amigos, que tenho muita pena mesmo da situação dele, mas que tenho deitado e dormido tranquila por ter minha consciência muito tranquila em relação a TUDO que aconteceu, e sei que é por isso, que tenho o apoio incondicional das nossas filhas, que foram o fator de maior força pra me ajudar a tomar essa decisão tão dura e que mudaria tanto nossas vidas, mas que do fundo da minha alma, não me arrependo. Sei que já virou um clichê meu, mas: NINGUÉM MERECE PASSAR POR ISSO, ninguém merece ter sua paz abalada dessa forma sem dever nada.

    By Claudia on Sep 23, 2014

  196. Ah Vivian, esqueci de te responder quanto ao ansiolítico que estou tomando, o tratamento esta certo sim, estou sendo acompanhada por um ótimos psiquiatra, uma ótima psicóloga e com aval de um segundo psiquiatra (marido da minha psicóloga), mas infelizmente não tenho como tomar a dosagem certa, pois agora sou mãe separada, que tenho que carregar a família e a casa nas costas sozinha, e um trabalho (período integral) de muita responsabilidade, então não tenho mesmo como tomar a dose adequada, até porque, inevitavelmente, pra eu conseguir ficar “zen”, poderia ficar “zen demais” e afetar minha rotina, tudo o que eu não preciso nem posso nesse momento, mas tirando a ansiedade (altíssima, justificável por tanta apreensão, tensão e incertezas que me cercam agora), estou indo bem, continuo fazendo terapia, o que tem me ajudado muito mais que medicação, pois você aprender a pensar da maneira correta, te ajuda a tomar decisões mais acertadas, e tem funcionado bem, porque, sofrer com uma situação dessas, é inevitável, ou seja, o que dá pra aliviar é bom aliviar mesmo, mas até sofrimento faz parte desse processo, não tem como pular, só, que do mesmo jeito que os problemas vem, eles vão, e estou lutando muito para ver o sol depois desta tempestade, e como nada dura pra sempre, daqui a pouco, o temporal passa. De qualquer forma, obrigada pelo toque.

    By Claudia on Sep 23, 2014

  197. Boa tarde, tenho duvida quanto ao meu relacionamento, pois algumas atitudes em relação ao meu namorado é um pouco diferente, na verdade eu acho que ele é perturbado, ele desconfia de pessoas que nao tem nada a ver e nem conhece, nao posso falar a respeito do meu trabalho, se eu vou ao mercado ou a qualquer outro lugar ele fica me ligando a todo momento pra saber onde estou e se ja estou indo embora, se tem alguém comigo e se tiver nao me liga mais, cria situações e coloca a culpa em mim, vive arrumando confusão comigo por coisas inúteis, reprova tudo o que eu faço, quando me apóia é para mais pra frente jogar na minha cara, pede as coisas para os outros mas nao pede pra mim pois acha q depende de mim e que tento torna-lo inferior a mim, adora fazer pirraça, e muitas outras situações, nao posso mexer no celular quando estou do lado, tenho que dar atencao para ele 24hs, ele acha que tenho que ser submissa a ele, nem na internet posso acessar quando estou com ele, pqrei academia, caminhada, sorvete com as amigas, porém nunca me agrediu, muito pelo contrario uma vez ele me irritou tanto que perdi o controle sob mim, ele é carinhoso, faz de tudo para me agradar mas os defeitos dele esta falando mais alto pois é constante, isso que só nos encontramos aos finais de semana a exatamente quatro anos, nunca mudou esse jeito e eu sempre na esperança, nao sei mais o que fazer pois esta insustentável, insuportável conviver com alguém assim. Alguém poderia me dizer que sintomas sao esses? Estou infeliz!

    By Ana on Sep 27, 2014

  198. Oi Ana… Eu acho que tudo isso que você contou faz parte do pacote! Quando conversei com uma médica neurologista sobre o transtorno paranóide de meu ex marido,ela não me relatou sintomas desse tipo,nem vi nada disso nas coisas que li sobre o assunto,mas meu marido apresentava essa atitudes que você relatou também,mas isso ficava tão pequeno em relação a outras atitudes mais graves que ele tinha, que eu nem ligava pra isso… mas ele também queria a minha atenção única e exclusivamente pra ele as 24 horas do dia… até nos meus sonhos e nos meus pensamentos ele queria me dominar! Ele me afastou de tudo e de todos, até da minha família ele me afastou… das coisas que eu gostava de fazer,dos lugares que gostava de ir, dos papos com amigas de tudo ele me afastou e me fazia sentir culpada por gostar de coisas que ele não podia fazer parte,como por exemplo,uma tarde na casa de amigas pra bater papo,como eu podia querer ficar com outras pessoas e não com ele? Sabe, coisas absurdas desse tipo começaram a fazer parte da nossa rotina e eu nem percebia o quanto isso era nocivo pra mim. Enfim Ana, eu acho que tudo isso faz parte da doença sim, os aspectos mais graves da doença ainda não apareceram porque vocês se vêem pouco, conforme me disse a neurologista, os sintomas aparecem com a convivência, por isso quando nós nos víamos pouco na época do namoro ele não demonstrava nenhuma atitude estranha, parecia o homem perfeito pra mim, mas foi só nos casarmos pra ele se transformar em outra pessoa. Portanto Ana, se o seu namorado já está apresentando essas atitudes sem vocês conviverem muito, imagine depois que vocês se casarem por exemplo…tome muito cuidado, observe bem o comportamento dele com você, não deixe ele te isolar do mundo,fazendo com que você viva por ele e para ele unicamente, é o conselho que eu te dou… Porque se ele realmente for um paranóide e você não permitir que ele te anule e te isole do mundo,ele não vai aguentar isso e vai acabar pulando fora ou vai te pressionar até você fazer o que ele quer… Se ele for um paranóide a melhor coisa pra você é pular fora desse relacionamento doente, pois acredite, as coisas podem ficar infinitamente piores pra você, acredite… Boa sorte pra você!

    By Rosana on Oct 1, 2014

  199. Boa tarde!
    Estou totalmente anestesiada e quase não acreditando que hoje depois de quase 15 anos de relacionamento, sendo 11 de casada; consegui identificar o que meu marido tem… sempre achei que fosse ciúme demais e por incrível que pareça ele sempre fez isso desde o primeiro mês de namoro e eu sempre aceitei.. já desrespeitou a todos da minha família e depois simplesmente pede desculpas. Sempre achei que ele tem um coração bom e por isso eu sempre o desculpava. Já passamos por todos estágios, de discussão a irmos nos tapas…Depois de 02 anos para cá tudo está de mal a pior, ciúme dos melhores amigos dele.. até do meu irmão… O pior ainda é que temos um filho de 06 anos e que já entende bem o que acontece e até o coitado ele o envolve no meio dizendo que só gosto de mim, que não gosto dele, que não preocupo com ele… comecei a gravar as acusações dele no celular para que no outro dia eu escutasse e escutasse para que entrasse em minha cabeça de largar esse homem de vez por todas, então procurei um advogado há 15 dias e adivinhem…novamente escutei mais juras e desculpas e que iria procurar um tratamento que reconhecia que tinha algum problema a ser tratado (sempre falei isso com ele e que me dizia que a louca era eu) e essa semana aconteceu tudo novamente… como se fosse a primeira vez, todos desaforos, eu realmente as vezes até acho que sou uma fracassada como ele diz, principalmente por não ter força de ir adiante do processo de separação e sair fora desse inferno; sinto que não tenho mais vida, por vezes acho que seria ótimo nem mesmo estar mais… mas penso em meu filho que precisa muito de mim e assim estou nessa bola de neve. Vendo o depoimento de todas e sabendo que não tem cura para isso e que mais cedo ou mais tarde todo o inferno vai se repetir e que eu posso sair fora e não saio, me sinto mais errada que ele.
    Nas brigas atuais fico somente calada… não adianta discutir… no outro dia acorda pedindo desculpas e juras infinitas de melhorar… acho que eu é que preciso de ajuda.

    By Bethania on Oct 6, 2014

  200. Bethania, considerando os muitos relatos que já li, a maioria dos paranóides são pessoas muito inteligentes e de bom coração, seres humanos que valem a pena que tenhamos paciência tentando que aceitem um tratamento adequado, e o tempo dessa “paciência” varia de acordo com o amor que sentimos e de como o convívio progride depois que esse mal toma conta, no meu caso, passei 3 anos aguentando, lutando contra, tentando mostrar que não era nada daquilo que ele pensava, concluía, sendo que no último ano, já praticamente não tínhamos mais qualidade de vida no que diz respeito ao relacionamento de um casal, tudo girava em torno das vontades e humor dele, isso foi minando minha vontade de continuar com ele, fui até onde pude, nos afastamos de tudo e todos pra ver se tínhamos paz dentro de casa, até que chegou um momento que ficamos praticamente só eu, ele e nossas duas filhas, no mundo perfeito “que ele criou”, mas aí como ele achava fundamentações para eliminar um por um da vida dele (claro, que selecionando só o que não “prestava” de cada uma das pessoas, justificando assim, que ele tinha razão para tal atitude), ficando só nós 4, e como a cabeça deles não para de produzir M, e tem uma habilidade incrível de piorar o que parece impossível de ser piorado, era inevitável, que a próxima pessoa a ser “atacada” seria eu, e não tinha dúvidas quanto a isso, pois quando ficou claro pra mim que a doença dele tinha desandado eu falei claramente pra ele que da mesma forma que ele estava eliminando um por um da vida dele, e da forma que ele vinha agindo comigo, eu não tinha dúvida, que aconteceria o mesmo comigo, dito e feito, no último ano, ele lançou mão de um arsenal muito pesado pro meu lado, usando de acusações totalmente sem fundamento, palavras muito pesadas as quais nunca imaginei que poderia ouvir da pessoa que mais amo na minha vida (sim, ainda amo), chegou a um ponto que eu estava ficando tão esgotada, crise após crise, até eu não aguentar mais e exigir que ele se tratasse, senão, não teríamos mais como viver juntos, e claro, como ele sempre se julga o dono da verdade, a única vítima desse processo, e tinha como certo que por ele ter sido um marido maravilhoso pra mim, eu tinha a obrigação de simplesmente aceitar tudo que ele estava me impondo, ou então ele teria o direito (como julga ter) de me rotular como estar sendo ser injusta, por ter “colocado ele pra fora de casa”, pois essa é a maior certeza que ele tem em mente hoje, apenas por eu não aceitar retirar a “ÚNICA” exigência que que fiz, que era de ele se tratar para podermos retomar nossa vida tendo paz dentro de casa, então me perguntei seriamente que tipo de amor é esse que resta da parte dele que eu simplesmente teria que ignorar tudo de mal que ele tinha me causado e por “gratidão ao ser maravilhoso que ele ERA” eu teria obrigação de continuar me submetendo a aceitar toda vez que ele tomava uma cerveja, o que automaticamente, desencadeava uma crise (cada vez mais agressiva) e ser desaforada, humilhada e ofendida ao extremo, sendo que nas últimas crises, faltou pouco para uma agressão. Se o processo que ele planejou pra gente era exatamente assim, eu só tinha 2 opções, aceitar ou dar um basta, e como não tenho dúvidas da minha integridade, dos meus sentimentos e intenções, escolhi me respeitar e dei um basta, pois nem eu nem minhas filhas merecemos passar que estávamos passando, merecemos sim, viver em paz como temos vivido (sofrendo muito com a falta dele e da família estruturada que tínhamos), mas sinceramente, o que menos sinto falta, é daqueles olhos vermelhos esbugalhados de tanta raiva é do dedo dele apontado para a minha cara dizendo que não interessava se eu queria ou não ouvir as ofensas que ele estava pronto a despejar em cima de mim, que eu ia ouvir sim e cem vezes se ele quisesse repetir porque eu sou uma vagabunda e mereço isso. NÃO, NÃO SOU UMA VAGABUNDA E NÃO MEREÇO VIVER NO INFERNO QUE ELE ESTAVA ME FORÇANDO A ACHAR QUE ERA NORMAL. Por mim como mulher e para que minhas filhas não cresçam achando que isso é normal, dei um basta, então Bethania, se seu marido já age assim com você há 15 anos, você ainda vê alguma possibilidade que ele mude? Eu desisti, porque pelo que os profissionais que acompanham nosso caso me deixaram claro, é que “normal” ele nunca mais será, mas que fazendo o tratamento adequado (terapia + medicação) poderíamos ter uma “certa” qualidade de vida, mas o que fazer numa situação que a pessoa não aceita sequer estar doente, quanto mais, se tratar, já que não está doente? Do fundo da minha alma digo que foi a decisão mais dura que tomei em toda a minha vida, mas se ele não tomou a única que precisava, essa era a única que me restava. Sinto muito em ser tão direta na minha opinião, mas se você quer que essa sua situação ruim mude, tome você a atitude de mudar, pois, pra ele, as coisas estão dentro do previsto e desejado: ele faz as ignorâncias e você perdoa, mas até quando vai aguentar isso se até nos “tapas” vocês já chegaram? Esse jogo (sujo) de tentar que você aceite a verdade dele como absoluta, até de que você não gosta do seu filho, faz parte dos jogos psicológicos que os paranóides fazem, pois o meu ex-marido, queria me obrigar a aceitar que eu preferia os filhos dos outros do que as minhas, ele usava de argumentos, que na opinião dele, eram irrefutáveis, mas que hoje não tenho um pingo de dúvida, que só faziam parte do “processo dele”, eu nunca duvidei do que sinto pelas minhas filhas, até porque, a maior força que tive pra tomar essa dura (mas acertada) decisão, veio do apoio que recebi delas, porque elas sabem (como eu também sei) que sou uma mulher batalhadora, uma mãe que faz o que pode e o que não pode pelo bem estar delas, sou honesta, fiel e com muitos valores, bem diferente do que ele queria que eu aceitasse ser. E não duvido que você também seja, então não se permita em momento algum pensar que é uma fracassada como ele diz, ou então, pensar que não valha mais a pena “estar aqui”, o que parece não valer mais a pena, é estar com ele, então, procure ajuda profissional (um bom psicólogo e um bom psiquiatra), e acima de tudo, apoio de pessoas que realmente te amam pra sair disso, mesmo durante as horas mais difíceis do processo de separação, você já vai conseguir ver que a vida vale muito a pena sim, que você pode ter uma vida maravilhosa com seu filho, que existe sim, vida após a separação, e que pode ser melhor e muito mais saudável do que você pensava ser possível. Se você está sem forças pra tomar essa decisão por você (o que é compreensível, pois nos sentimos sugadas e parece até em alguns dias que não temos mais energia vital), então olhe para seu filho, e veja que ele merece sair desse ambiente doente e viver com qualidade. Peça muito a Deus que SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, e Ele fará o melhor pra vocês, não duvide disso em momento algum! FORÇA, MUITA FORÇA E SABEDORIA!

    By Claudia on Oct 9, 2014

  201. Olá Cláudia, realmente minha vida não foi fácil em nenhum momento e como mencionei sempre foi desde o principio, foram tantas humilhações, palavrões e sempre a promessa de melhorar, e que eu sempre acreditei.
    Hoje não sei mais se é amor, pois não acredito que há amor que dure a tudo que venho sofrendo; minha mãe sempre fala que quem gosta cuida e é isso que venho pensando… revendo todos os meus conceitos e princípios e até onde deixei me gostar para manter um casamento conturbado. Sou sim, uma mulher guerreira, trabalhadora, de família simples mas honesta e amorosa (e até disso ele tem ciúmes) estar nessa situação é simplesmente TRISTE… não tenho mais palavras que explique o que estou sentindo… tantos anos… tantas vergonhas… promessas… é um vazio imenso, não tenho nem coragem de falar tudo que venho passando com minha mãe, ela não merece saber que a filha está sofrendo e principalmente porque quer; porque essa é a explicação: eu me permito a isso!
    É por isso Cláudia, que realmente estou muito disposta a abandonar essa loucura, não tenho mais forças para tanta vergonha, tristeza, conturbação… preciso de paz, leveza, a vida é muito simples, é somente termos respeito com o próximo que a reciproca virá.
    Vendo todo seu relato, sou solidária com você e rezei a Deus que abençoe sua vida e de suas filhas (que infelizmente sentem o reflexo disso tudo) sei muito bem em numero, gênero e grau o que vocês já passaram e que ainda passarão…
    Pedi muito a Deus também para que me de forças e por incrível que pareça e para minha surpresa, ele procurou ajuda essa semana… foi à uma médica psicoterapeuta e homeopata, voltou com 02 remédios para o tratamento. Ontem tivemos uma dura e sincera conversa, acho que ele foi humilde em aceitar que tem “algum transtorno” e segundo a medica ele irá conseguir.
    Já pedi para marcar uma consulta c/essa medica e entender o real diagnostico e confrontar com os medicamentos que ela passou, quero explica-la tudo (segundo ele já explicou) mas mesmo assim, quero conversar e principalmente ouvi-la e explicar que essa é a ultima chance que o darei.
    Como te falei, não sei se ainda resta amor, mas tenho respeito, carinho e consideração por ele, e se ele sentiu que se não houver uma mudança do comportamento, perderia sua família, tenho que tentar e ter paciência e mais que isso: TORCER para que o tratamento surta um resultado positivo. Obrigada por seu retorno à minha mensagem e volto a fazer meu depoimento em breve e se Deus quiser positivo!
    Fique com Deus e tenha muita paz, saúde e realizações em sua vida e de suas filhas! Abraço

    By Bethania on Oct 10, 2014

  202. Olá Bethania, obrigada pelo carinho e pelas orações. Fiquei muito feliz com sua boa notícia, Deus abençoe que seu marido leve o tratamento a sério para que vocês consigam encontrar a paz indispensável pra se viver com qualidade. Já que ele deu esse passo tão importante de aceitar se tratar, sem dúvida alguma, vale muito a pena tentar mais uma vez, pois não há nada mais importante que a família, mas faça questão de acompanhar o tratamento dele, por dois motivos, pra que ele perceba que você se preocupa com ele e que só quer a melhora dele, que consequentemente, será a sua também, e também, para evitar que ele “te enrole”, pois conforme ouvi de vários profissionais, é o tipo de transtorno que menos aceita tratamento, e dos que aceitam, a maioria deles desiste ou tenta “dar o nó”, manipulando ou simplesmente fazendo de conta que está se tratando, Deus ajude que isso não aconteça, que ele esteja realmente percebendo que se não mudar, pode perder a família dele e que se dedique para ficar melhor para evitar mais sofrimento e tristeza a você. Mas Bethania, se infelizmente, depois de você dar mais esta chance e apoia-lo no tratamento e ele não mudar, lembre do que você disse “Sou sim, uma mulher guerreira, trabalhadora, de família simples mas honesta e amorosa” e que “realmente estou muito disposta a abandonar essa loucura, não tenho mais forças para tanta vergonha, tristeza, conturbação… preciso de paz, leveza, a vida é muito simples”, faça mesmo tudo que puder pra manter sua família, mas sem permitir ser ainda mais magoada que já foi, e se ele não mudar mesmo, MUDE VOCÊ, porque o que você disse, é uma das maiores verdades, que a vida é muito simples, e pra viver com qualidade é necessário ter paz e leveza, só com isso a gente consegue tapar o vazio que a gente passa a sentir depois de sofrer tanto desgaste convivendo com uma situação dessas que a gente convive, por isso digo que apesar do grande sofrimento por estar passando pelo processo de uma separação tão indesejada, já consegui encontrar paz e leveza, que eu já não acreditava mais que seria possível, de tanto desgosto que estava passando, ou seja, eu optei por sofrer sem ele, e não me arrependo, pois hoje o único mal que tenho que lidar é a falta que ele faz nas nossas vidas, pois o amamos muito. Estarei pedindo a Deus por vocês também em minhas orações, e devemos sim deixar nas mãos Dele, pois ele sabe o que é melhor pra gente. Fico na torcida por boas notícias, você, seu filho e sua mãe merecem. Fique com Deus.

    By Claudia on Oct 10, 2014

  203. Olá pessoal,

    È muito dificil conter as lágrimas ao ler todos esses depoimentos.
    Meu nome é Giovana, sou casada a 5 anos e tenho 2 filhos.
    Meu marido sofre desse transtono, e eu simplimente não aguento mais, o pior é que meu amor se transformou em odio.
    Como todos, ele desconfia de tudo e todos, eu tb tenho que andar de cabeça baixa, pra vcs terem uma ideia, ele acha que tenho algum amante no trabalho, ou que sou garota de programa, até, uma faca no meu pescoço ele já foi capaz de colocar.
    Eu nunca menti, eu nunca trai, vivo a pró da minha familia, e o pior de tudo é que não consigo, e não posso me separar por causa das crianças.
    Ele iniciou um tratamento no psiquiatra, mas por conta da igreja ele parou, e hoje esqueceu tudo o que a psicologa falou.
    Sofro muito,doi muito, e eu não sei mas o que fazer

    By giovana on Oct 14, 2014

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free