Transtorno Borderline – Personalidade Impulsiva – Personalidade Limítrofe

Esse transtorno de personalidade pode ser denominado de diferentes maneiras: personalidade borderline, personalidade limítrofe e personalidade impulsiva.

Porém o mais assustador é que esse termo, na maioria das vezes, é classificado em sujeitos que não tiveram uma adequada avaliação psicológica e médica médica e, por conseguinte tiveram um diagnóstico genérico.

 

O termo “borderline” significa nas entrelinhas uma coisa e outra.

 

Originalmente, este termo era utilizado quando o médico não estava certo sobre um diagnóstico, pois o cliente manifestava uma mistura de sintomas neuróticos e psicóticos.

 

Muitos médicos viam os pensamentos destes clientes como estando na fronteira entre neuróticos e psicóticos e, assim, o termo “borderline” entrou em uso.

 
O termo “borderline” tem sido usado para uma série de formas que são bastante diferentes dos critérios do DSM-IV para transtorno personalidade limítrofe (TPL), e que a utilização abusiva deste rótulo diagnóstico há muito tempo, tem sido alvo de críticas.

 

Em alguns círculos médicos, o termo de fronteira é ainda usado como um “pega-tudo”, ou seja, um diagnóstico provável para indivíduos que são difíceis de diagnosticar ou que são interpretados no sentido de ” um indivíduo quase psicótico“, apesar de uma falta de suporte empírico para essa conceituação do transtorno.

Além disso, com a recente popularidade de “categoria fronteiriça” como uma classificação diagnóstica e a reputação destes clientes como sendo de difícil tratamento, fez com que o termo “borderline” fosse utilizado como um rótulo genérico para clientes difíceis ou como uma boa desculpa para uma terapia que não está caminhando bem.

A característica essencial da pessoa com Personalidade Borderline é um padrão persistente de instabilidade das relações interpessoais, auto-imagem e afetos, e acentuada impulsividade que começa no início de idade adulta e está presente em uma variedade de contextos.

 

Os indivíduos com transtorno borderline são muito sensíveis às circunstâncias ambientais.

Para essas pessoas a experiência é intensa e inadequada que refletem situações de abandono, receios e raiva mesmo quando são confrontados com a realidade.

 

Apresentam ainda uma angústia pela separação real de tempo ou quando existem mudanças inevitáveis em planos, por exemplo, pelo súbito desespero e reação a uma situação de um médico anunciando o fim do atendimento.

 

Apresentam pânico ou fúria quando alguém importante para eles está atrasado ou cancela um compromisso, ou quando uma programação que havia feito falha e não dá certo.

 

Veja mais sobre transtorno de personalidade borderline, personalidade fronteiriça e transtorno de personalidade limítrofe, acessando estas categorias no site ou clicando nos links desta página.

  1. 5 Responses to “Transtorno Borderline – Personalidade Impulsiva – Personalidade Limítrofe”

  2. tenho uma dupla personalidade,o quadro eo seguinte, fico com a mente totalmente vazia parece que o cerebro não esta no lugar, meus ouvidos querem fechar os timpanos sinto um zumbido nos ouvidos, não consigo pensar ou me concentrar, minhas mão ficam suadas, minha cor fica branca, o chão anda para os lados, coloco a unha na testa e não sinto nada,fica como se tocasse num vazio,meus dentes batem, meu corpo fica com frio,sinto lagrimas saido dos olhos,dai vem exesso de chouro e horrivel a senssação, pare que minha alma esta saindo do meu corpo, dai demora uns 15 minutos e começo a voltar a sentir minha testa, coloco a uma unha e sinto a minha testa esta ficando cheia de novo, ea vida volta ao normal. alguel tem explicação para isso. por favor mande para meu email. agardeço de coração.dasmotos@gmail.com

    By antonio on Feb 17, 2010

  3. Apenas uma correção, caros amigos: no CID 10, o tipo borderline e o tipo impulsivo estão classificados entre os subtipos de Transtorno de Personalidade Emocionalmente Instável, sendo a nomenclatura “Personalidade Limítrofe” utilizada no DSM IV.
    Claro que há muitas coisas que na prática, acabam não diferenciando bem os subtipos, mas acredito que há que se separar as nomenclaturas para uma melhor didática.

    Fora isto, ótima abordagem sobre o tema. Puxaram os tópicos mais importantes das publicações sobre TBP.

    Grande Abraço.

    By Hami Cristine on Aug 8, 2010

  4. Olha acho que tenho algo tb. Eu tenho momentos sexuais intensos quereo fazer muito sexo paquerar e etc.. sair fazer sexo de forma lidibinoso… com varias mulheres. E tenho fazes que quero uma vida mais harmoniosa quero meditar controlar essas pulsões sexuais, que me afastam da vida espiritual.. Eu acredito que tenho uma dessas duas ai … Me der uma força? O que fazer para eu me auto ajudar?

    By gabriel on Nov 5, 2010

  5. A saída é a terapia cognitivo comportamental junto com antipsicóticos de ação nos impulsos, no pensamento e na possível mania (Geodon, por exemplo, ou Zyprexa).Geodon tem ação antidepressiva.

    By Paulo Duarte on May 6, 2011

  6. sou casada e quando eu e meu marido temos uma discursão por bobagens eu reajo da pior maneira,bato nas coisas e muitas vezes até me agrido,se for uma situação causada por mim eu fico muito deprimida,pode ser a coisa mais boba como o fato de ele nao me esperar no local combinado,eu não consigo induzir uma conversa amistosa eu perco mesmo o controle;ele mesmo me insentiva a procurar ajuda,isso começou ainda aos 13 anos,foi quando me agredi pela primeira vez pq quebrei um prato da minha mãe…que ajuda procuro?como faço pra melhorar algo que nunca teve melhora e eu nem perebi?

    By Bete on Jun 18, 2011

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free