Pesquisa qualitativa em psicologia

A pesquisa científica qualitativa em Psicologia usa uma metodologia que implica em um processo dinâmico de investigação dentro de um determinado sistema teórico.

A pesquisa qualitativa é considerada uma pesquisa-ação, pois conforme a ação vai sendo construída ela também é investigada e interpretada, modificando o próprio processo de construção e do conhecimento.

Ao considerarmos uma pesquisa científica implica-se em considerar uma teoria como base e um método como procedimento.

A teoria, como forma de produção do pensamento, fornece um conjunto de regras capazes de assegurar a explicação de um conjunto importante de fatos.

A teoria é uma forma de produção do pensamento humano, que cria um quadro de categorias ou conceitos, visando explicar o fenômeno estudado.

Uma teoria pressupõe um conjunto dinâmico, em constante modificação, cuja característica essencial é ser testável e refutável.

Como pressuposto básico da ciência temos a métodologia numa lógica para investigação de uma determinada realidade, de acordo com o modelo teórico adotado.

Todo método consiste essencialmente em: formular enunciados, propor hipóteses e colocá-los à prova

A teoria e o método são os dois pilares da pesquisa científica, que vão possibilitar a investigação do conjunto de problemas relativos ao foco e objeto de estudo.

A pesquisa em psicologia clínica possui uma complexidade ao adotar o modelo qualitativo de pesquisa científica, pois este implica em um processo personalizado e dinâmico de investigação

Trata-se de um procedimento essencialmente construtivo-interpretativo, que tem suas raízes históricas na Antropologia Cultural.

Batista Pinto (2004) comenta que neste procedimento incluem-se:
A integração de partes de um processo numa nova configuração;

A integração da informação obtida na investigação a partir de um conjunto de aspectos qualitativos e subjetivos;

A interpretação como o elemento de contato na investigação da realidade estudada;

A transferência como o instrumento da investigação.

Dessa forma temos que:

A própria investigação interfere no objeto a ser investigado e, por isso, não há neutralidade possível.

A pesquisa está sempre associada à realidade e à subjetividade do pesquisador.
há influências diretas e indiretas, conscientes e inconscientes do pesquisador na própria ciência que produz, tendo em vista que a sua produção sofre interferências de sua história e de seu funcionamento psicológico

Diversas teorias psicológicas têm sido usadas como base na pesquisa qualitativa em Psicologia Clínica, sendo a Psicanálise a mais utilizada dentre elas

Ref.
Batista Pinto, E. A pesquisa qualitativa em Psicologia Clínica. Psicologia USP, São Paulo, v. 15, 2004

  1. 1 Trackback(s)

  2. Aug 25, 2008: Pesquisa Científica em Psicologia - Método e Tipo de Pesquisa | Psicologia na Net

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free