Mandala e Personalidade

Mandala é uma palavra sânscrita que significa círculo, centro ou circunferência.

É um símbolo usado freqüentemente na meditação e outras práticas culturais.

Para Jung, na Teoria Analítica da Personalidade a mandala simboliza o processo de individuação, da busca da auto-realização

Através da criação das mandalas, podemos dar maior atenção e buscar compreender a linguagem de nossa essência, cujo dinamismo reside no inconsciente.
As mandalas contêm e organizam energias do inconsciente numa forma que pode ser assimilada pela consciência.
Jung estimulava seus pacientes a criar mandalas e a dar asas à imaginação de modo espontâneo
A utilização das mandalas tem seus aspectos ritualísticos e religiosos e também pode ser empregada como um modo de autodescoberta e de busca profundo do ser que habita em cada um de nós
Quando criamos uma mandala, podemos compreender, por meio de seus símbolos, a nossa identidade num determinado momento de nossas vidas.
Por meio da expressão gráfica, percebemos que no círculo desenhado expressam-se conflitos internos que podem emergir por meio da mandala, produzindo uma descarga de tensão, que pode vir a gerar no indivíduo um efeito tranqüilizante, efeito que também pode ser experimentado pelo simples fato de traçar um círculo, dando à pessoa a impressão de que esse círculo lhe outorga um lugar no espaço, trazendo uma sensação de estar protegido.
Para Jung quando o self, considerado o centro da personalidade ou essência do ser, encontra expressão nesses desenhos, o inconsciente reage reforçando uma atitude de devoção à vida.
Ao trabalhar com a mandala, podemos vivenciar momentos de grande expressão inconsciente que buscam o equilíbrio na consciência e experimentam uma realidade mais harmônica e significativa.
Com a interpretação das mandalas é possível conhecer a personalidade da pessoa que foi expressa por meio das linhas, cores, desenhos e disposições utilizadas em sua elaboração
Por tratar de uma forma projetiva de expressão, os conteúdos podem revelar aspectos da personalidade mais profundos e menos sujeito ao controle por parte de quem executa a mandala
Veja mais sobre como interpretar uma mandala e sobre a teoria analítica de Jung

  1. 1 Trackback(s)

  2. Oct 6, 2008: Mandala como Tecnica - Uso no Relaxamento | Psicologia na Net

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free