Dupla Personalidade – Personalidade Múltipla e Suicídio

A dupla personalidade é um transtorno de personalidade com características ainda discutidas no meio acadêmico e científico.

Atualmente o transtorno de dupla personalidade é denominado como Personalidade Dissociativa.

Esta perturbação é uma situação grave e crônica, que corresponde a uma incapacidade da pessoa em recordar informações e comportamentos pessoais ou apresentam amnésia, provocando confusão em relatos ou esquecimento de atitudes que acabam sendo designadas à outra “personalidade coexistente”.

O transtorno de dupla personalidade ou de personalidade dissociativa apresenta característica peculiares para seu diagnóstico e riscos de comportamentos e suicídio de forma frequente.

Algumas pessoas com o transtorno de dupla personalidade apresentam relações entre essas identidades como se conhecessem e interagindo entre si num mundo interior complexo.

Desta forma, no transtorno de dupla personalidade ou de personalidades múltiplas, poderiam acontecer relatos da pessoa como se esta pudesse observar e opinar sobre a personalidade coexistente, ou ao contrário, não ter consciência dela, estando a nível inconsciente.

Esse transtorno de dupla personalidade provoca situações graves e complicadas, pois estas pessoas podem correr riscos e ações fora de controle, com mais propensão a suicídios já que estão potencialmente perturbadas em seus pensamentos e comportamentos.

A dupla personalidade, múltiplas personalidades ou de forma mais científica, perturbação de identidade dissociativa parece ser uma perturbação mental bastante freqüente.

A prevalência estima-se em até 4% das pessoas que buscam ajuda ou são hospitalizadas por conta de suas ações e por outros problemas psiquiátricos.

As pesquisas mais recentes, a nova nomenclatura e nosologia alterando a denominação de transtorno de dupla personalidade para transtorno de personalidade dissociativa, permitiu mais esclarecimentos e conhecimento da população e com isso, o diagnóstico se tornou mais freqüente, o que possibilitou um direcionamento de tratamento mais adequado e mais breve.

Veja mais sobre dupla personalidade, múltiplas personalidades e transtorno de personalidade dissociativo acessando a categoria transtornos psiquiátricos e psicológicos ou os ícones deste post.

  1. 52 Responses to “Dupla Personalidade – Personalidade Múltipla e Suicídio”

  2. Olá!! me chamo Daiane tenho 17 anos como poderei saber se sofro ou não de DPM, pois as vezes de uma hora pra outra posso estar brincando e me virar e ficar uma fera,posso estar falando mansinho e logo depois já estou gritando ou vice-versa, por favor ajude a me Entender, sofri muito na minha infância e um pouco da minha adolecencia, com agressa Fisica e com Palavras, não tenho uma relacão aberta com minha mãe e ela me acha meio pirada, pois em vez de sair prefiro ficar em casa. amo ler, e ela acha loucura, esse é o meio que eu encontro para viajar alem dos limites,sempre pego algumas coisas dos personagens para mim, sera que pode ser isso?sei que já estou ficando meia Obssecada por Ler, fico sem comer, as vezes chego a durmir Duas ou Três horas por dia para eu poder ler, não saiu com minhas amigas, nem na casa de meus parentes eu vou, antes eles viviam me chamando para sair e eu sempre dizia não agora eles não me convidam mais, se falam mau dos meus livros Fico uma Fera e sou capaz de voar na cara de um se continuar falando mas, logo em seguida já estou calma como se nada tivesse acontecido por favor me ajude a Entender isso meu primo chegou a falar que sofro de Distúrbio de Personalidade Multipla.Bjkas Daiane

    By Daiane on Jan 29, 2010

  3. Olá, meu nome é Daniela, tenho 15 anos e acho que sofro se personalidade multipla, pois em vários momentos tenho opiniões diferentes e uma hora posso estar feliz me divertindo e em segundos, do nada, fico deprimida ou vice-versa. Também penso, frequentimente, em suicidio. Muitas vezes converso, mentalmente, comigo mesmo, até gerando discussões mentais com, supostamente, minhas outras personalidades. Também, muitas vezes faço de tudo p/ não chamar atenção e odiando, também, deixar as pessoas com medo, mas as vezes falo coisas cruéis, diabólicas e sinto prazer em ver, no olhar de quem estou conversando, o medo. Muita vezes, tenho reações que na são minhas, que considero até imbecis e isso me irrita, pois pareço uma idiota. Também, já tive alguns lapsos de memória, não reconhecendo minha irmã. Minha memória não é muito boa, quando alguém me acorda, perto. Isso já aconteceu, qundo minha irmã me acordava. Eu não a reconheci, fiquei com muito medo e comecei a gritar p/ ela ir embora, mas não parecia eu, e sim outra pessoa e até mesmo, uma criança. Demorei bastante p/ me recordar disso, e só lembrei com muito esforço, pois minha avó estava contando, que minha irmã havia contado esse fato. Por favor, me ajudem a descobrir oque tenho.

    By Daniela on Apr 27, 2010

  4. Ola, prefiro não postar meu nome, tenhu 23 anos , sou homem, trabalho e tenhu vida social consideravelmente ativa( lider de teatro, trabalho como aux adm, tenhu namorada,e amo mto mmorpgs{jogos online}).
    Meu problema é que sinto como se eu tivesse 4 pessoas em mim, um mto bonsinho, sempre defendendo os outros , um mto ruin, que tem odio do mundo e sede de poder e sangue( discupa se parecer pesado), outro que é o pensador, sempre com pensamentos logicos sem emoçoes, e o 4º q eu creio q seja eu….controlado pelos 3º meu humor muda com frequencia , sou 1 para cada pessoa ou grupo , não consigo controlar, normalmente só percebo qdo não estou mais perto das pessoas, tenhu mta dificuldade para dizer, qual desses seria eu de verdade…sofri bastante qdo criança( surras , discriminaçoes raciais[sou decendente arabe com indio, mas a parte arabe é mais aparente em mim]humilhaçoes em publico qdo ainda criança , e sempre fui mto nerd, e tbm sofri com isso[deveria ser motivo de orgulho ser inteligente e esforçado, não é?]e eu não tenhu vontade me suicidar , ao contrario, eu me amo mto e amo muito minha vida [tenhu mto medo de morrer])bem , não sei se consegui me espressar bem, mas ta ae.

    By Mistic on Jul 29, 2010

  5. Olá, na verdade eu nem gostaria de expor meu caso aqui…porque pelo que vi é um pouco mais grave do que os citados a cima…Eu faço coisas e falo coisa das quais nao me lembro ter feito, e as vezes me deparo em lugares que nao sei o que eu estou ali ou o que me levou até lá(Normalmente estou com amigos e eles sempre falam “estamos aqui faz tempo, vc agora pouco disse estar se divertindo” ou “ué, vc que nos chamou pra vim nessa festa”)…Eu nao sei se pode ser, comecei a pesquisar sobre esse transtorno a pouco tempo, e muita coisa das quais descobri batem..
    Gostaria que vcs entrassem em contato para q eu possa explicar melhor e tirar minhas duvidas…Obrigad

    By A. on Aug 16, 2010

  6. É assim minha infacia não foi nada agradavel sabe(não vou entrar em detalhes)dai no decorrer da minha vida eu fui adiquirindo muitas e muitas personalidades so que algumas eram muito ruins e dai depois de um tempo eu concegui expulsar elas mas ainda hj eu tenho 4 personalidades que eu não concigo tirar sabe dai eu fico com essas 4 versoes de mim e isso acaba me atrapanhando muito em alguns casos queria muito falar com um psiquiatra mas não sei bem onde eu encontro 1 pra conversar… vou falar 1 pouco sobre cada personalidade
    1- É todo educadinho bomzinho com todo mundo jentil, gosta de ajudar todo mundo e tal…
    2- quer matar todo mundo, é cheio de odio quer ver os outros na desgraças…
    3- intelijente, pensativo no entanto é sem coração, friu, não se emporta nem um pouco com o que acontece com os outros e tal…
    4- acho que talves so talves este seja eu amigavel, falo com todo mundo, sabe acho que esse é o eu normal… queria muito falar com um psiquiatra sobre isso as não conhesso nenhum
    bem falei um pouco sobre mim ai em cima…

    By Hudson on Nov 8, 2010

  7. Bom, eu acho esse asunto muito interessante, não sou portadora de DPM/DID, mas sei algo sobre o assunto, acabei de ler um livro muito bom de Sidney Sheldon: conte-me seus sonhos. Que é focado nesse assunto.

    By Norma on Dec 28, 2010

  8. Um livro que fala sobre DPM/DID é “conte-me seus sonhos – Sidney Sheldon”. O livro conta a história de uma mulher que sofre que DPM/DID, vale muito a pena ler, é um livro muito bom.

    By Regina on Jan 8, 2011

  9. Eu concegui me ver em todos comentarios acima, em especial quando se refere a multiplas personalidades.Quando pequeno não tive alguem para me espelhar,por isso todas pessoas que convivi,me esforcei ao maximo em ser como elas.Atualmente todas essas caracteristicas estao se apresentando com muita frequencia,como se varias pessoas estivessem no mesmo corpo.Infelizmente em tanta personalidade não sei qual é a minha.E isso me torna muito instavel, ao ponto de perder amigos,emprego,familiares e namorada.Como posso determinar ao certo que tratamento é apropriado para mim?

    By wesley on Jan 9, 2011

  10. Tenho 21 anos e gostaria de ficar no anonimato. O meu caso é o seguinte: da minha infância simplesmente, até dezembro, não me lembrava. Agora, ao tentar buscar explicações para “o que eu sou” eu dolorosamente vou me recordando de tudo o que me fizeram. Não é nada agradável (prefiro não entrar em detalhes). Às vezes tenho atitudes, pensamentos que não são propriamente meus. Eu sou uma pessoa equilibrada, amigável e extremamente racional; entretanto quando me sinto ameaçado por algo ou por alguém perco o controle de tudo e ajo como se fosse outra pessoa; parece que eu fujo para dentro de mim mesmo e deixo esses outros eu me defender da realidade; porém sempre me lembro do que fiz e por isso me deprimo muito. Diariamente “incorporo” um personagem infantil, relativamente, divertido. A impressão que tenho é que há 6 outras pessoas na minha cabeça, tentando tomar o controle, e quanto mais eu sofro mais fácil é ser outra coisa. Existem aquelas de eu gosto, de outras tenho muito ódio. Será que nesse transtorno é possível ter consciência do que as outras personalidades fazem ou a amnésia recente é um sintoma fundamental?

    By Calus on Jan 12, 2011

  11. Eu tenho… Fui diagnosticado a algum tempo… Prefiro não entrar no assunto muito mas e melhor quem acha que temm buscar ajuda e rapido..Viver com muita gente na sua cabeça, muitas vozes, e vc perder o controle do seu corpo e consicência e não se lembrar de muita coisa, so de algumas personalidades que deixam sempre brechas não é uma experiência interessante…

    By Alexan on Jan 20, 2011

  12. Bom, um amigo meu contou-me que seu amigo tem este transtorno. Ele disse que ele simplesmente abaixa a cabeça e se torna outra pessoa. A outra personalidade é bem violenta, chegando ao ápice de quase agredir seus amigos fisicamente (por pouco) e impor regras de convivência quando ela (segunda personalidade) assume.
    O amigo que tem o transtorno, pelo que sei, não faz idéia da segunda personalidade; pelo visto os amigos preferem esconder. No entanto, a segunda personalidade usa o nome normal da primeira e faz idéia dela, e mesmo assim é outra pessoa. O garoto também tem lapsos e pergunta onde estão, como chegaram no local, etc.

    By Gu on Feb 27, 2011

  13. até onde li, a maioria das pessoas que postou, parece sofrer de transtorno bipolar, salvo exceções. Eu fui diagnosticado com Transtorno de Personalidades múltiplas aos 17 anos. Com doze anos eu fui vítima de um pequeno incidente. Naquele dia nasceu o monstro. O que me levou a procurar uma ajuda, foi quando após uma intensa briga com uma namorada, dormi, no dia 17 de julho de 2001, e quando acordei, achando que era dia 18 de julho de 2001, eu estava no dia 21 de setembro de 2001. E quando fui sair do quarto ele estava trancado. E a minha mãe apavorada do lado de fora. Eu havia sido expulso da minha escola. Haviam três queixas na polícia em relação a mim, e um rapaz hospitalizado. Fui processado, e quase preso. Antes, ele se manisfestou novamente, e em algumas terapias também. Hoje, eu tenho ele sob controle. Com a ajuda dos medicamentos, e das terapias.

    By M. on Mar 10, 2011

  14. Gostaria se uma ajuda profissional pois observo sinais que algo esta errado.
    Lapsos de memoria e tempo.
    Pessoas dizem que tem dias o coisas que disse que não esta na minha memoria e as vezes lembro do nada.

    como posso resolver isso?

    By Claudio on Mar 24, 2011

  15. tenho um problema muito sério de dupla personalidade,sou uma cara muito bom que ajudo as pessoas,sincero amoroso,carinhoso enfim;mais por outro lado tenho a outra face que ñ posso ser contrariado de forma alguma que me transformo numa outra pessoa,uma pessoa agressiva,impaciente,chego após o q acontece me sentir um monstro e fico sem animo pra nada, fico muito mal quando passa o surto afinal de contas estou machucando pessoas que gosta de mim.o que posso fazer pra excluir da minha vida a personalidade má a que so me faz mal…obrigado.

    By cristiano on Mar 24, 2011

  16. Um livro que fala sobre multiplas personalidades é o livro:Hoje eu sou Alice. Uma moça que foi abusada quando criança, desenvolveu 9 personalidades como defesa p seu sofrimento. São relatos autobiográficos de suas lembranças, lutas, terapias e vida!

    By dilidevo9 on Mar 28, 2011

  17. eu preciso de ajuda mesmo. Mas eu não sei como conseguir, pq cada vez que vou ao psiquiatra, um alterego meu age e camufla os meus sentimentos e não conta o que realmente acontece isso. Eles não me deixam pedir ajuda, se escrevo no diário com um alterego, o outro vem e rasga e joga fora é um descordando do outro, eu sei que eles estão aqui pra me proteger, mas eu quero ser só eu … um deles sempre me faz passar vergonha mas se faz passar por mim, mas eu sempre ter “que limpar” a sujeira deste é a Rhanna, ela é agressiva verbalmente, ela ataca as pessoas, pessoas que eu amo, nas redes de relacionamento eu tenho que ficar excluindo os comentários dela etc… ela me “suja” entende, tenho outros … mas antes que ela apague esta mensagem deixa eu postar logo!

    By Renata on Apr 18, 2011

  18. oi eu num sei o q tenho,eu num tenho varias personalidades na verdade só tenho uma alem de mim ela é a nick … tem 18 anos e é muito má com as pessoas, gosta de festa, pensa coisas ruins das pessoas.se eu to conversando com alguem ela pensa maldades deboches meios de matar…eu tenho 16 anos minha vida é normal mais tenho algumas subtas aminesias e as vezes brigo comigo mesmo e num presto atenção no q estão falando comigo…eu ouvi ela quando tinha 10 ela dizia “eles nao te amam ninguem te ama”foi assustador mais hj ja to acustumada nunca falei disso para ninguem, mais tenho medo dela…obrigado pelo desabafo N.

    By n. on Apr 20, 2011

  19. BY
    você já procurou ajuda profissional? não tenha vergonha de falar os seus sentimentos. é melhor procurar ajuda antes que algo mais difícil aconteça.Nessa idade existem algumas complicações e todo mundo as vezes precisa de ajuda.Faz parte da vida e do crescer.

    By florinda on Apr 26, 2011

  20. oi, preciso de ajuda imediata, ano passado tentei suicidio e nao funcionou porque minha mae interveio e me levou ao hospital, me encaminharam pro caps, mas nao estava surtindo efeito pelo pouco caso que a doutora deu. Vivo em constantes sonolencia troco o dia pela noite, minha mudança de humor é extremamente radical, nao consigo ficar sozinha preciso sempre de alguem perto de mim, em meus namoros eu sufoco a pessoa de tal maneira que acaba assustando-as, e se nao dar certo ja pulo logo pra outro, sou bem esquisita em minhas relaçoes sexuais, gosto dee inventar e sexo selvagem muito masoquista tipo me amarrar apanhar morder tanto em mim quanto no meu parceiro, muitas pessoas intimas e amigos falam que sou imatura de mas. Sao tantas coisas girando na minha cabeça que mal consigo fazer ao menos uma delas. Hora quero estar numa festa dançando muito e bebendo e me da vontades loucas tipo fumar um quebrar algo espancar alguem bater muito quebrar as coisa e Hora mestrou depressiva me sentindo inutil uma pessoa sem valor, fico andando pela casa, nao consigo controalar clertasa atitudors sou m uito ompulsiva, nao consigo controlar o dinheiro, tenho pesadelos pior q muitos filmes e jogos q existe, sofro de trauma de minha infacia, quando eestou namorando quero aquela pessoa pra mim o tempo todo, minha mae diz que falo quando consigo dormir, e quando me decepciono com alguem eu fico tao arrasada que sonho com esse fato e eu faço uma estrategia e mato a pessoa e sinto o prazeer no sonho. Enfim preciso desespradamente de ajuda porfavor antes que nao tenha mas volta.

    By tarcila on May 16, 2011

  21. Bom dia a todos. Estou precisando de ajuda há muitos anos e não sei mais se posso ser ajudado.Sei, pelos “sintomas” e tudo que estudei sobre o assunto, que desenvolvi dupla personalidade. Precisei fazer isso desde criança. Hoje tenho 27 anos e sei como sofri. Já conversei com meus pais sobre isso, já enviei para eles material de leitura sobre essa síndrome…mas, para variar o descaso é grande, e as opiniões sobre minha fácil desatenção, esquecimentos, violência de tom de voz e palavras , entre outros, é que eu sou uma pessoa perdida. Mas nunca falam sobre. Eu apelidei esse outro “eu”, para que eu possa saber quando sou eu ou ele. Passei por situações complicadissimas por conta dele…mas, a verdade, é que quando eu o chamo, ou ele vem sem eu o chamar, eu sinto que estou seguro. Nada me acontecerá. Ele me defende. Ele é muito forte e domina completamente meu corpo e minha mente. É muito dificil falar sobre isso, admitir esse defeito de formação…mas quando somos nós, podemos falar sobre…Não tenho certeza se quero , e se é possivel, me desvencilhar dele…Hoje em dia nem me deprimo mais…n me sinto mto triste, ou quase n choro mais…já tentei me matar por causar tristezas…já fui parar em reabilitação, sem ser dependente quimico de coisa alguma…sei que a força desse outro eu”, é minha…mas quando estou normal”, não sou o mesmo…por isso tudo, preciso de ajuda. Nem que seja apenas para conversar com alguem que também entenda ou passe por tais situações, como nos trabalhos dos grupos de AA e NA. “Sozinho eu não posso, mas só eu posso”. Espero que alguém leia…e possa me ajudar…o nome é fictício, prefiro não revelar…pelo menos não aqui, em rede aberta. Estou a um passo de aceitar que não há volta…ele é muito forte.

    By eduardo on May 30, 2011

  22. Gostaria de uma opnião. quando tenho que tomar decisões sérias eu sofro muito e mudo de idéia muitas vezes, geralmente quando decido eu me arrependo e volto atráz, então decido a outra coisa eu me arrependo e volto novamente atráz é como se toda decisão que tivesse toamdo fosse a errada. Quando finalmente tenho certeza eu mudo de idéia, acho que isso é personalidade multipla, e as vezes eu tenho uma forma de agir que acho errada, mas acabo agindo do mesmo jeito em outra situação.Me ajuda, me manda um e-mail.

    By Anonimo on Jul 16, 2011

  23. Estou impressionado com os comentátios! Eu conheço uma pessoa que tem transtorno dissociativo de identidade. Hoje esse transtorno é chamado assim. Sinceramente, é um tanto quanto difícil acreditar na existência desse transtorno. Hoje eu acredito porque essa pessoa conseguiu se abrir comigo e depois de ouvir tudo que ela me falou, eu pesquisei sobre o assunto e consegui encontrar bastante informação sobre o problema. Logo depois que ela me contou sobre o que tem, aconteceram coisas horríveis com agente, as quais eu não prefiro comentar também. Por isso, hoje em dia, sempre que eu tenho tempo, procuro absorver mais informações sobre esse transtorno. Só tava faltando mesmo encontrar outras pessoas que sofrem do transtorno e saber o que essas pessoas teriam para dizer. Isso acabou de acontecer e me deixou perplexo pelas coinscidências e acontecimentos em comum entre vocês. Eu tenho tentado ajudá-la, encontrei um lugar onde o tratamento pode ser feito, mas uma das personalidades dela já está me enchergando como uma ameaça e tá fazendo o possível pra manter agente distante. Dessa forma, ela não faz o tratamento e as personalidades continuarão no controle. A pessoa já reconhece que sofre de TDI, quer se tratar, mas não tem nenhum controle sobre as outras personalidades, o que torna tudo muito dificil. Eu já conversei com quase todas, sei os nomes e idades, mas a familia e os amigos não sabem porque as personalidades se passam pela pessoa verdadeira. Estou tentando conscientizar a família, mas a mãe tem sindrome do pânico, em função de tudo que aconteceu com elas quando ela era criança, tanto a mãe quanto os outros alegam que não perceberam diferença nenhuma nela e isso acaba dificultando tembém. Eu quero muito ajudá-la, mas tem hora que eu sou muito maltratado por uma das personalidades e é dificil aguentar. Queria ajuda para ajudá-la. É mais ou menos isso que eu tinha a dizer…

    By RJR VS TDI on Aug 14, 2011

  24. Bom,eu me chamo Michael e tenho 17 anos, eu não sabia ao certo se eu tinha isso mas, eu converso com outras pessoas dentro de minha mente, várias vezes eu esqueço o que estou fazendo e me torno diferente, mas com o tempo consegui controlar e conhecer o outro eu e é isso o que eu tenho a dizer.

    By Michael on Aug 24, 2011

  25. Um filme muito bom que relata um homem com DPM/DID
    se chama “Identidade” vale a pena assistir!

    By Michael on Aug 24, 2011

  26. Tenho 13 anos, multipla personalidade, um pouco de depressão, crise de perseguição (muito pouca, alem de lapsos de personalidades alheias (as vezes me deparo agindo a uma pessoa, com seus habitos, mesmo que não a conheça muito bem, a personalidade da pessoa (ou nem precisa ser real) desperta uma semelhante em mim, não é tão grave, mas em crises ja cheguei a pensar naquilo, alem de que quando vejo na tv ou filme alguem com outra personalidade nela ativa, ocorre o mesmo comigo e percebo que estou conversando e discordando de mim mesmo, o interessante é que meu subconsiente já não esta mais sobre meu total controle, pensando coisas (as vezes assustadoras) e influenciando alguns de meus comportamentos que só vou perceber que fez isso muito tempo depois, quando ligo os fatos.

    By Lucas on Aug 28, 2011

  27. Olá meu nome é Rômulo, tenho 20 anos e eu acho que sofro transtorno de personalidade múltipla. As vezes eu tenho distúrbios psicóticos ou até mesmo assassinos. Já outras vezes preso tanto a vida do meu próximo do que a minha. Já me deparei discutindo comigo mesmo dentro da minha mente com relação as pessoas a minha volta e o resto do mundo. e as discações são as mesmas. Perdoar e amar ao próximo mesmo que ele me faça algum mau ou desejar malignamente um plano diabolicamente maquiavélico pra poder me vingar muitas vezes pior do que qualquer humano poderia pensar. já não aguento mais. minha mente é uma guerra as vezes

    By romulo on Sep 12, 2011

  28. Ola,meu nome prefiro nao dizer,mas acredito que também posso sofrer de dupla personalidade.
    Quando tenho que decidi algo,eu nao consigo,muito indeciso em “TUDO”,tudo mesmo,as vezes isso me deica com “RAIVA” de nao poder decidir,tudo que digo tenho desconfiânça,desconfio de mim mesmo,tudo o que vejo,a pessoa vai e me pergunta o que vi,as vezes eu tenho emdo de dizer porque nao tenho certeza se era aquilo,sendo que era.
    So também uma pessoa que é respeitosa,respeito todos que me respeitam,nao gosto de dizer palavras obsenas,mas as vezes saêm essas palavras,eu fico triste por dentro de dizer aquelas coisas,fico pensando coisas sempre ruim.
    Ja agredi amigos meus de “RAIVA”,é algo que aquece meu sangue em milésimos e nao me controlo,e sempre em seguida me arrependo,pedindo desculpas.
    Sou muito filósofo fico pensando muito na vida me perguntando coisas e eu memso respondendo.
    Desabafar aqui me faz bem :]
    Tenho 15 anos e preciso de algumas respostas sobre o que eu disse aqui.

    By Douglas on Sep 13, 2011

  29. Olá, sou jhess e venho aqui por causa da minha namorada, ela apresenta os sintomas de dupla personalidade + ñ sabe ainda ao certo, gostaria de poder entender e ajuda-la. Eu já sei diferenciar e as vezes fico bem assustada. Ela nunk lembra de nada, são 2 personalidades totalmente diferentes, uma má e uma boa.
    Por favor, quero q alguem a ajude a entender isso.

    By Jessica on Sep 22, 2011

  30. oi,eu tenho 14 anos e acho que sofro de DPM,as veses noto que as minhas atitudes mudam radicalmente de um dia pro outro,acabei por perder minhas amigas por causa disso,nao sei o que fazer,
    acho que tenho por volta de seis personalidades(pelo que dizem minhas ex-amigas)toda hora elas reclamam comigo e agora eu vejo que eu não lembro do dia anterior,pelo menos nao das minhas atitudes,só vou lembrar dois dias depois…O QUE EU FAÇO!!!!

    By Nayla on Nov 30, 2011

  31. Sei que há casos muito piores que o meu, pelo que lí..mas gostaria de registrar o meu.
    Tenho 26 anos, e sofri de depressão há alguns tempo atrás, fiz analise com piscólogo que me encaminhou ao psiquiatra que me receitou, um remédio chamado “Cittá”. Após algum tempo de tratamento, me recuperei em grande escala, já sentia algum tipo de felicidade(oque eu não sentia fazia tempo). Hoje me sinto feliz e quase normal. As vezes converso comigo mesmo e “ouço” muitos comentários dentro de mim….alguns me ajudam mas outros são comemtários pesados e opcenos… Tenho dificuldade em me decidir e mudo de opinião muuuuitas vezes… quase tudo que começo eu não termino, seja ler um livro, um curso, algum projeto…. isso me deixa frustrada pois não consigo atingir meus objetivos. As vezes me sinto capaz de realizar grandes coisas e outras vezes tenho muita dificuldade de raciocinar e perceverar… paro e espero passar o tempo… mas isso acaba me fazendo desistir dos planos que tenho. Gostaria muito da ajuda de uma pessoa que entenda do assunto pra me ajudar e me entender melhor o que se passa comigo e como posso aprender a controlar meu humor…
    Obrigada.

    By Gis on Jan 5, 2012

  32. Bom eu preciso de ajuda por favor .. me chamo Joyce tenho 17 anos
    O meu namorado tem apenas 15 anos na família do pai os homem todos tendem a ser esquizofrênico só que ele é bipolar o nome dele é Kenri conheci ele a 5 meses e estamos juntos só que agora ele falo que nao é mais kenri que é outra pessoa ele crio outro nome uma pessoa que nao existe ele crio tudo isso outra personalidade e estou com medo de tudo isso ate mesmo dele nao sei como ligar com isso. E pra piorar ele tem vontade de matar as pessoas ele bebe demais eu preciso muito de ajuda ando sofrendo demais com tudo isso e com medo dele mesmo so que ele nao aceita que eu fale nada so pede pra mim esquecer o kenri porque ele nao é mais essa pessoa.. Por favor alguem me ajuda se preciso eu entro em contaro com alguem mais me ajuda por favor nao sei como lidar o que fazer e se devo ter medo ou nao.. :(

    By Joyce on Jan 5, 2012

  33. olha conheco uma pessoa que creio ter 4 personalidades, um parece ser uma criança, muito carinhoso e brincalhão, o outro gosta de beber, outro parece que e cheio de ódio e gosta de bater . eu não sei ainda o que fazer diante da pessoa pois gosto muito dela. as vezes penso em falar sobre o assunto e esta pessoa tem um pouco de conhecimento sobre estas personalidades, so que não sei se ele esta ciente se pode ser um caso de multipla personalidade.
    esta pessoa tem tontuiras, faz coisas que não se ve e não se lembra, já conversopu comigo duas vezes, um sendo o cara que gosta de beber e outra vez quando era o mais carinhoso e brincalhão. semp´re se referem à pessoa mesmo como Ele, falam das suas manias e ate do que nao gostam nele. o que gosta de bater nunca falou comigo.
    gostaria de ajudar, mas queria saber se devo alertar sobre multipla personalidade, pois esta pessoa acha as vezes que é medium, mas seus sintomas tão mais para personalidade dissociativa. por favor mande o teste para eu fazer com esta pessoa. grata.

    By mikaela on Jan 12, 2012

  34. gostaria de perguntar se tem cura e o que é mais viável a fazer para ajudar a pessoa e para a prórpia pessoa se ajudar, pois ele me parece ter consciencia das personmalidades, fala com elas interiormente e as vezes até briga com elas em voz alta, principalmente quando está dormindo. so que prefere deixar este assunto só pra ele, como se a gente não fosse capaz de entender. E como saber realmente quem é a pessoa, ou seja quem e a personalidade verdadeira. Pois a tem nós que so temos uma personalidade temos varições de humor.

    By mikaela on Jan 12, 2012

  35. bom, eu conheci este problema ha alguns dias, e… ao observar direito meu comportamento, comecei a perseber indicios de que sou portador de DPM, quando falo com meus amigos eles ignoram, ou levam tudo na brincadeira, as vezes sinto que nao estou só, as vezes estou perdido, mas é como se alguem me diz “vai em frente, e vire a esquerda, voce vai encontrar o caminho de volta, ja estivemos aqui, nao se lembra?” e isso me assusta bastante, as vezes eu agrido meus amigos, quando dou por mim estou os empurrando, ou os sacudindo,isso me deixa bastante constrangido, tenho vergonha desses atos, por favor entrem em contato comigo… eu tenho medo de machucar meus amigos.

    By william on Jan 14, 2012

  36. bom, eu conheco todoas as minhas duas personalidades, eu sei que cada um tem seu jeito, posso citar seus nomes um se chama W.A.J. Esse nao tem paciencia com nada, nao é muito bom para agradar ninguem, o outro é Will, esse gosta de desenhar, é calmo, sabe dar conselhos, em outras palavras é uma boa pessoa, e eu, william, eu me considero comum. gosto de ler, estudar…Eles tanto W.A.J.como Will, gostam de mim, me ajudam quando preciso, o problema deles é que eles tem comportamentos diferentes dos meus. sei que deve ser normal, mas enquanto um é estressado, outro é calmo,eu, sou um pouco dos dois,em outras palavras… eu gosto deles. Sei que pode ser perigoso, mas sao meus amigos… e acho que é comum agente brigar com os amigos de vez em quando

    By william on Jan 14, 2012

  37. soucasada tenho 2 filhas e um marido mutio bom,1 hora quero largar ele e minahs filhas e ir embora sair pelo mundo curtindo aliberdade ,outra hora sinto odio do mundo das pessaos da vizinha de todo mundo ,depois ja quero morrer ,em seguida me pinto me arrumo como s etivesse uma festa mesmo que arrumada eu limpo a casa eu brigo muito com as pessaos ,um dia eu gosto no outro sinto nojo acho defeitos em tudo .meajudem

    By manu on Feb 5, 2012

  38. Nossa achei muito interessante os comentarios,graças a Deus não tenho esse problema.Percebi que muitas pessoas procuram ajuda em sites,deveriam ir a um especialista.;)

    By Oliver on Feb 11, 2012

  39. Não sou uma especialista no assunto, porém gosto muito de apreciar. Acredito que na maioria dos casos a cima as pessoas sofrem de bipolaridade e não de multipla personalidade, na verdade pode até ser estresse, muitas coisas para se preocupar, podem causar esses sintomas. Essa é apenas a minha opinião mas aconselho voçes a procurar um especialista.

    By Isabela on Mar 14, 2012

  40. Somos ao total 4 eu Tainah, a Lígia, a Lucy, a Gabriella.

    Eu Tainah sou explosiva, odeio crianças birrentas e cri cris. Sou sociável sou bissexual.
    A Lígia ama crianças de qualquer jeito. tbm bissexual.
    A Lucy é extrovertida amavel, um pouco triste e talvez vingativa.
    E A Gabriella encanta a todos é sedutora ao extremo, vive atras de aventuras sexuais e faz questão que todas nós soubessemos sobre elas.
    Comunicamo-nos entre nós é como se em um corpo existisse 4 pessoas e a gente convive hiper bem entre nós mesmas.
    Somos irmãs além de tudo, estamos gravidas e esperando nosso primeiro filho.
    Defendemos uma as outras. Nos amamos.
    As vezes discutimos mas a gente se entende.Não compreendo as pessoas que nos chamam de loucas, apenas somos felizes, nãofazemos mal a ninguém, apenas cuidamos uma das outras como uma só. Para todos aí de cima, tentem achar o meio termo entre vocês, vocês verão o quanto serão felizes, claro não deixem de procurar o médico especialista, mas conviver com todas é plenitude!Abraços a todos de Ligia tainá Lucy e gaby!

    By Tainah on Apr 8, 2012

  41. bom eu tenho isso tem veses que estou na escola e emus amigos dizem que eu me comportava estranho que em intantes era eu e depois nao eu gostaria de ajuda me diseram que ouvi sobre a natureza e depois parecia um ripi e depois eu vi arvores gueimadas e voutei

    By le on May 17, 2012

  42. Olá, tenho 17 anos, bom queria contar um pouco da minha história.Bom quando eu era pequeno era tímido e gordinho, então sofria muito burllying na escola e meus pais nunca tinha tempo para conversar, por que trabalhavam fora, a partir de um tempo, eu resolvi tentar mudar, eu queria ser o popular e extrovertido. Então começei a ter episódios de depressão e tinha sempre na minha mente que tinha que mudar, e agora eu tenho muitos problemas, as vezes eu ainda sou esse garoto tímido, mas vezes eu sou o garoto extrovertido, eles são bem diferentes, como o bem e o mau, um bem diferente do outro, e quando tento me lembrar de um determinado momento, as vezes não consigo me lembrar e outra vezes é como se eu tivesse assistindo o que eu fiz, e eu fico me perguntando por que agi daquele jeito.E, tambem, as vezes eu estou depressivo, pensando que todo mundo me odeia, e então é como se algo me possuisse, aí me viro e penso “Não preciso de ninguém, eu sou o melhor”. Alguém pode me ajudar?

    By Vinicius on Jun 9, 2012

  43. Bom dia,
    Identifico-me plenamente com o que a Lucy, Tainah, Gaby e Lígia escreveram.

    Somos a Andreia, a introvertida e tímida ao extremo; a Sofia, a desbocada, tem sempre qq coisa a dizer e também bissexual como de resto a Gabriela e a Linda; a Linda adora crinças mas também é algo tímida e a Gabriela é a estouvada, não há homem nem mulher que a páre. Enfim, também temos uma relação de irmandade, convivemos dentro da minha cabeça mas pelo menos para mim e por enquanto nem sempre é fácil pois sou comprometida e é como ter diabinhos a falar aos ouvidos..Desejo muita força e coragem aos demais. As coisas têm a importância q nós lhe dermos e eu sei o que elas andam a tramar, eu Andreia:)Beijos a todos

    By Andreia on Jun 26, 2012

  44. Anônimo, 16 anos, 7 tentativas de suícideo, 4 psicólogos, perda constante de memória. Os médicos alegaram que em setembro de 2003, eu tinha sintomas de multiplas personalidades. Há dois anos fasso sessões, todas as quintas-feiras com meu psicólogo. Ano passado, nas férias da escola, peguei um ônibus para outra cidade, quando o “eu” de agora acordou, estava sentado no banco do ônibus com uma revista na mão e cigarros no bolso da calça. Nunca soube como e quando fiz isso. Mês passado, tentei suícideo novamente e acordei dentro da banheira cheia d’água. No começo não sabia o que fazer e me desesperava. Sempre estando em lugares, dos quais eu não fazia ideia de como havia chegado lá. Agora, com ajuda de um psicológo, eu estou conseguindo “superar” este meu transtorno. Mesmo assim, depois de todas as medidas tomadas, quando deito na cama a noite, entro em confronto com minhas personalidades, não existe como descrevê-las, pois é complexo demais. Não tenho como dizer como são as outras personalidades, eu esqueço de tudo e não recobro as memórias dos meus outros eus. As vezes posso ter uma ideia pelas atitudes e relatos das pessoas. Já tentei sessões de hipnotismo para saber quantas personalidades eu possuo, mas nada deu resultado. Estou me expondo aqui por que, depois de ler alguns casos acima, achei totalmente fora de contexto. Essa cituação não é brincadeira! Apenas quem sofre desse mal sabe o que é não lembra-se de fazer as coisas ou mudar totalmente os gostos e humores do nada. Dupla personalidade ou personalidades multiplas não é uma brincadeira e não é divertido. Obrigado.

    By anonimo on Jul 6, 2012

  45. olá meu nome é laisa tenho 17 anos ,quando eu era menor passei em varios medicos pois minha familia achava que eu tinha dpm na verdade até hoje eles pensam eu sempre criava outras pessoas dentro de minha mente mais na verdade oque eu criava eram outros eus que me seviam de apoio e nao outra pessoa capaz de fazer coisas ruins e machucar as outras pessoas

    By laisa on Aug 16, 2012

  46. Pelo que eu li nos comentários acima, meu caso é muito indentico aos outros. Eu tenho 14 anos, moro com minha avó e minha e meu pai são divorciados. No começo da divorciação eu nem liguei eu dizia “isso naum afetou em nd minha vida, e naum vai afetar”, mas acabei descobrindo q afetou. Eu morava com minha mãe e meu padastro é dificil de se dar (insuportavel!!!!!. Só q no começo naum “outra” personalidade era eu msm, eu msm estava me tornando um pscopata (frio, calculista, impiedoso…). Depois eu consegui ir morar com meu pai (naum quero falat como), e dai acho q o choque dessa decisão me afetou e me dividiu. Eu me tornei três pessoas diferentes (o psicopata, eu msm e um novo muito bonzinho q me ajudava a tomar decisões certas e discutia com o ruim). Depois apareceu mais uma q era como um velho sábio. Era incrivel! Ele me dava muitos conselhos e me ajudou muito msm. Meu caso é q as personalidades falavam cmg elas interejiam e algumas vezes tomavam o controle do meu corpo. O sábio era como um amigo pra mim e o mal dizia q queria o corpa pra ele e se autonominava de um nome (que naum me lembra, na verdade naum lembro nd da minha vida nem o q eu comi ontem!) quem quiser conversar cmg ai ta meu e-mail:victordanielbaratto@hotmail.com. Quem quiser conversar me add lá.

    By Victor on Sep 16, 2012

  47. Tenho 47 anos, tive uma infância muito difícil mesmo – não sofri abuso sexual – mas fui constantemente humilhada, xingada (tipo: retardada, idiota, incapaz, monstro e qualquer coisa horrível que minha mãe pudesse dizer quando surtava – o que acontecia com freqüência). Até os 11 anos, enquanto meu pai estava em casa, a quem eu adorava, eu consegui me desenvolver bem, bem comportada, leal ao meu pai, boa aluna, tímida, mas seguindo normalmente. Depois, meu pai se apaixonou loucamente pela secretária delem foi embora e me deixou sozinha para cuidar dos meus dois irmãos menores e ao mesmo tempo segurar a minha mãe que conseguiu trabalhar e ganhar dinheiro suficiente para nos manter, porém no resto era totalmente incapaz de cuidar da casa, de providenciar roupas ou comida boa e suficiente para nós e parecia se divertir muito em destruir tudo que eu tentava fazer por mim e meus irmãos. Por exemplo: ela muitas vezes chegava do trabalho e nem notava a sujeira ou a bagunça na casa, e as vezes um chiclete em cima da mesa da sala era motivo pra ela surtar e xingar todo mundo, ou até jogar um monte de pratos sujos no chão que quase nos machucavam, pois se partiam em vários pedaços. Nessa épica eu pedia ajuda ao meu pai, mas ele dizia que ia fazer isso ou aquilo, mas de fato nunca fez nada e nos deixou seguir como podíamos. Aos 16 anos fiquei grávida logo do meu primeiro namorado, a quem eu apenas suportava, mas eu quis muito ter esse filho. Minha mãe disse não: chutou minha barriga para matar meu filho, a família do meu namorado não queria complicações, ele até queria esse filho, mas não sabia como ajudar. Fugi de casa e fui abrigada por uma amiga que podia me dar apoio, casa e comida, mas de fato não podia fazer nada. Minha mãe venceu: me levou a uma clinica de abortos na D. Mariana, eu briguei, xinguei, esperneei, consegui ficar por uns dois meses com meu filho ou filha na minha barriga (meu pai nessa época estava morando em São Paulo e ia escrever uma carta para dizer que me apoiaria em tudo, só que nunca fez nada). Depois de lutar ferozmente como uma menina de 16 anos, grávida, e sem apoio, podia; acabei fazendo o tal aborto e passei 10 anos me culpando e sofrendo com esse crime que pra mim é horrível. Aos 20 anos comecei a namorar um cara realmente incrível, minha primeira grande paixão e na época tentamos meio sem consciência tentamos engravidar durante os cinco anos que durou nosso relacionamento. Ele vinha de uma família bem estruturada e realmente tentou ficar comigo, mas eu era insuportável de ciumenta, possessiva, arrogante e agressiva com quem me ofendia de qualquer forma. Fomos levando o relacionamento, não engravidei, enchemos o saco um do outro e ficamos nos aguentando por algum tempo. Aos 26 anos, eu estava trabalhando em uma ótima empresa, porém fora da minha área de atuação e detestava muito aquele trabalho e aquela empresa – modelito americano – te alimentamos, damos remédio, todo tipo de tratamento médico – e vocês trabalham muito; 12 horas todos os dias e as vezes também nos finais de semana. Ganhei um bom dinheiro enquanto consegui não me meter em confusão – nessa ocasião fui procurar ajuda de um psiquiatra que me fazia responder umas intermináveis listinhas com perguntas chatas e não falava comigo – final da história: quando eu fiquei furiosa por causa da notícia de umas crianças que tinham sido maltratadas e abusadas de forma horrível numa festa na periferia, ele finalmente pereceu despertar e pareceu ter finalmente encontrado o meu problema (que até onde sei não fui abusada, pelo menos sexualmente), eu sai do tratamento e soube pela minha prima, que era amiga particular dele, que depois de mim ele surtou no consultório, quebrou alguns móveis e pouco depois mudou com a família pra serra de Friburgo. Por algum tempo preferi me manter afastada dos psiquiatras; vai que outro surtava comigo de novo! (só pra esclarecer, não gosto de mentir, respeito muito a verdade e por mais estranho que seja essa história; “só sei que foi assim” (como diria Chicó, no brilhante filme Auto da Compadecida.)
    Nessa época eu e meu namorado tínhamos conhecido um grupo de amigos legais, vegetarianos (me identifiquei direto), fumávamos um baseadinho amigo dividido por várias cabeças e uma ou duas garrafas de vinho, também divididos por nós. Era divertido, eu me identificava cada vez mais com o grupo e meu fiel namorado cada vez menos – meu namorado começou a querer sair fora, lentamente e politicamente correto – e eu e meus queridos e divertidos amigos tentamos formar uma sociedade alternativa em Tiradentes, uma pequena e adorável cidade no interior de Minas, esse sonho durou os 4 dias de um feriado na casa de uma amiga, pois no final desse curto período os dois pretensos lideres do grupo disputaram tanto entre si que o grupo acabou se desfazendo, mas eu já tinha encontrado o lugar onde queria morar e como eu tinha conseguido sair da perfeita e insuportável empresa americana, estava com algum dinheiro, fiz um arranjo com um casal nais velho do grupo e fiquei morando num quarto em cima da casa que eles também tinham lá em Tiradentes, mas não frequentavam mais, e em troca eu pagava a conta de luz e água, enquanto esperava por uma casinha rústica que eu gostei, mas ainda estava ocupada por uma família que em breve sairia do imóvel. Nesse meio tempo conheci uma colega de profissão, criamos um formato de programa jornalistico para a rádio da cidade vizinha (nessas alturas eu tenho que confessar – sou formada em jornalismo e com louvor). O arranjo seria assim: eu faria a cobertura – seria a voz – do inverno cultural, e minha colega venderia as cotas de publicidade, já que a voz dela era horrível, mas ela era ótima para vendas. Tudo certo, eu estava livre da minha insuportável mãe, o programa deu certo, o diretor da rádio (que era casado e pai de 4 filhos) queria que eu continuasse na rádio (desde que dormisse com ele), mas como eu sou teimosa e adoro desafiar autoridades, me interessei por um vendedor de cotas de publicidade que trabalhava na rádio, que também tinha se mudado do Rio para Tiradentes há pouco tempo e queria dividir as despesas comigo quando a casa rústica ficasse livre pra nós morarmos. Conseguimos: juntamos coisas daqui e dali (inclusive algumas que meu ex-namorado conseguiu pra mim – tipo geladeira, panelas e etc.) e fomos eu e o agradável e bonito jovem de 19 anos (só para constar eu na época estava com 26 anos) e já instalados na nossa casa, conversa vai e conversa vem, acabamos transando umas poucas e desastradas vezes, até o dia 3 de janeiro de 1990, em que transamos pela última vez, em pé, embaixo do chuveiro, difícil de engravidar, mas eu consegui ficar gravida de um quase desconhecido (que não queria o filho de jeito nenhum) e eu resolvi que mesmo sem o pai – que mandei embora da minha casa – esse filho ia nascer de qualquer forma. Nessa ocasião, meu pai resolveu me ajudar financeiramente para o nascimento do bebê, que nasceu de parto de cócoras (delicioso, quase sem dor), no dia 18 de setembro de 1991. Consegui arrumar mais algumas confusões em Tiradentes já que na verdade eu não ia conseguir cuidar sozinha de mim, do bebê e tentar ganhar dinheiro para me manter (pois a ajuda financeira do meu pai ia parar), então acabei voltando pra casa da minha até então adorável mãe que me apoiou como pôde durante a gravidez, até eu mudar de mala e cuia e com um bebê de cinco meses para casa dela no Rio. Aí, começou de novo o massacre da mãe perversa; continuava me odiando, tentando me derrubar a cada passo do caminho e agora tinha mais uma vítima nas mãos: meu filho recém-nascido. Vou pular nesse momento os vinte anos seguintes porque foram só de confusão, dor e loucura (minha – drogas, da minha mãe, surtos esquisofrênicos constantes e um jeito todo especial de realmente machucar com as palavras a todos que estavam ao seu alcance: eu, meus irmãos e meu filho). De um jeito ou de outro, estou em 2012, meu filho fez 21 anos e é um adolescente mais ou menos normal, que está vivendo sua primeira grande paixão por uma mulher mais velha que ele, que é realmente incrível e como todo filho normal: o que mais quer nesse momento é distância de mim, e ao mesmo tempo consegue aguentar a minha mãe ligando estérica pra ele toda hora para saber se ele está vivo e quando volta pra casa. Que bom que pelo menos eles se aguentam assim; eu, de minha parte estou feliz que meu filho se case e tenha outros filhinhos mais loucos que ele e mais parecidos comigo (como naquela música da Rita Lee – de 20 em 20 anos … não lembro a letra, mas acho que alguns devem saber qual é a música). Hoje, estou com 47 anos, terminei de criar meu filho, encontrei o homem que é e sempre foi o meu príncipe encantado, só que consegui criar mais um monte de confusão e quando achei que ele ia me abandonar, fugi pra casa da minha mãe, me convenci de que pra gostar tanto de mim quanto ele parecia gostar só podia ser um psicopata perigoso que pretendia me matar e não só me abandonar. Só que com o abandono eu já sabia lidar: bastava fugir antes dele me abandonar. Até agora consegui algumas coisas: ser protegida pela Lei Maria da Penha (as vezes ele ficava nervoso, e tapava minha boca com força para eu não gritar igual a uma louca às 6 horas da manhã, mas ele nunca me machucou de verdade). No momento ele tem que se manter distante de mim por pelo menos 500 metros. Ele tentou diversos contatos comigo por telefone, mas eu me recusava a atender (pois pra mim ele era um psicopata perigoso que só queria me matar e não me pergunte como eu cheguei a essa conclusão porque não sei direito); o que sei é que estou sem falar com ele há vinte dias, completamente perdida na minha confusão – que nem sei direito como consegui criar – e ontem, mais perdida que cego em tiroteio, liguei pra ele, chorando e pedindo ajuda pra me tirar dessa confusão e, por incrível que pareça: parece que ele gosta mesmo muito de mim (e só Deus sabe porque?)e ainda que ficar comigo, só que ele finalmente entendeu que eu sou bipolar e preciso mesmo de ajuda e eu acho que estou entendendo que na verdade tenho personalidade multipla e preciso realmente de ajuda, só não sei qual? Por isto estou aqui, se alguém sabe e pode me ajudar a entender o que diabo eu sou? Me dá uma dica, não quero correr o risco de surtar outro psiquiatra ou me perder de vez sozinha na minha loucura.

    By Malu on Sep 23, 2012

  48. Eu acho que tbm tenho esse transtorno, só que ainda não consegui identificar todas as minhas personalidades. Eu sei que tenho varias personalidades, porque para cada situação eu ajo diferente, é impossivel controlar a mudança de personalidade, a mudança é simplesmente repentina. Eu copio as personalidades das pessoas que convivo, quando percebem que copiei já é tarde demais e a pessoa se distancia de mim. É tanto que o nome das personalidades é o nome das pessoas que eu copio inconscientemente. Eu so percebo que copiei quando eu vejo o meu tom de voz mudar para o tom da outra pessoa, e quando a pessoa me olha com olhar de quem percebeu que eu estou a imitando. Essas personalidades me limitam e ao mesmo tempo me ajudam. Mas eu tento evita-las a maior parte do tempo, eu simplesmente evito o que encadeia elas. No caso para que elas desapareçam eu me distancio das pessoas foco da dissociação. Hoje em dia eu não tenho mais amigos algum. A solidão tem sido o unico refugio para evitar a dissociação, o pior é ver os amigos nas redes sociais vivendo suas vidas sociais enquanto eu tenho que evitar socializar. É triste a minha realidade. Mesmo na solidão da minha casa, ainda tenho umas duas personalidades que continuam me fazendo uma certa companhia, as vezes converso com elas. Mas antes que pensem que moro sozinha afirmo que moro com minha mãe e minha irmã. Minha mãe ver a personalidade irritada e a alegre quase ao mesmo tempo, mudo as vezes repentinamente, e ela fica dizendo que eu sou muito má, grito com ela e depois a trato bem como se nada tivesse acontecido. Meu ex-namorado presenciou a maioria das minha personalidades, ele achava estranho as minhas mudanças, mas não me deixava por causa do sexo. Ele me traia e eu o perdoava, e depois eu brigava com a personalidade que perdoou, ficava chamando-a de burra, e acabava entrando numa depressão horrivel, não tinha acreditado no que a outra personalidade fez, na personalidade que terminou o relacionamento, ela odeia ele, acha que jamais devo voltar pra ele, já a outra é carente e fica se humilhando pra ele, ja mandei sms totalmente distintos, um da carente e outra da independente, uma falando que amava e queria voltar e outra dizendo que o odiava que nunca mais queria ve-lo e chamava-o de todos os palavrões possiveis. Eu queria ser normal, foi essas personalidades que estragaram meu namoro. Eu estou falando com essa tranquilidade pois hoje tem sido o dia em que tenho confrontado as minhas personalidades e por enquanto estou bem pois sei que tenho um problema, e que ele tem nome. Tenho tentando chegar ao meu eu, procurá-lo dentro de mim. As vezes em momento de depressão nem sei quem sou. E paraliso como se eu não tivesse personalidade nenhuma, é a pior sensação do mundo. Nunca fui abusada na infancia, apenas sofri bullyng por parte dos meus irmãos, e minha familia so vivia em guerra, era um querendo matar o outro, meu pai batia na minha mãe e via as cenas de violencia dele para com ela. Eu gostaria de ficar o dia inteiro aqui falando de como esse disturbio afeta minha vida, mas é muita coisa. Bom, essa é minha realidade. Obrigada por lerem.

    By Vivi on Jan 5, 2013

  49. Olá, “Vivi” que publicou a ultima mensagem, me identifico totalmente com o que acontece com você. Acontece igual comigo, de imitar e copiar a personalidade das outras pessoas, pensei que eu fosse um caso raro no mundo e que era a única. Queria muito poder entrar em contato com você por email e conversar mais sobre isso. aguardo! obrigada!

    By melisa on Mar 10, 2013

  50. Olá gostaria de saber se tenho DPM, a cada momento hora estou com um humor, uma personalidade. Desde o romântico até o irritado ao extremo. Quando leio livros ou filmes absorvo as informações e me configuro de acordo com o enredo do livro ou filme. Estilos músicas roupas etc. Quando estou sem ler ou ver filmes estou tranquilo calmo só observando alheio a todos e guardando todas as informações em minha mente. Minha memória para coisas que me acontecem recentemente as vezes falha mas fatos muito antigos como exemplo de criança lembro nitidamente.Coisas banais se me perguntarem o que aconteceu em 2000 com um amigo sei contar em 3D até. Sou ao mesmo tempo quando estou creio eu “normal” calmo e agitado. Gosto muito de mudanças, de mudar de emprego amigos que enjoo etc. Mas as vezes fico tão tranquilo relaxado que o mundo pode cair ao meu redor que não ligo. Poderiam me responder?
    Desde já agradecido.

    By Lorran on Apr 30, 2013

  51. Olá.Acho que tem duas pessoas dentro de mim, um malígno que tenta se matar e fazer muitas besteiras como roubar, enganar e me prejudicar com atitudes anti-sociais. moro só e em casa ele domina a situação e vê filmes pornograficos homossexuais e vive me jogando pra baixo, falando coisas pra mim.Não sou homossexual, gosto de mulher e me sinto bem com elas, com homens não sinto nada de mais. O outro é um cara bom, sábio e me ajuda a resolver e combater esse mau que existe dentro de mim, ele utiliza o espelho pra falar diretamente comigo, olho-a-olho. Eu sou uma vítima desses seres que se manifestam dentro de mim. As vezes fica uma briga, uma discussão. E as vezes parecem que estão ao meu lado conversando comigo. Ando desconfiado das pessoas, nao sei se são reais, acho que algumas pessoas querem me fazer mau. Ando achando que sou inútil na vida, me acho excluido e sem direito de viver, não me acho gente. Parece que sou um fantasma ou uma coisa fora da sociedade. As vezes penso em morrer.Já fui internado por tentativa de suicídio e faço acompanhamento mas eles não me entendem, não sabem de nada.

    By Milton on Jul 25, 2013

  52. bom dia!eu preciso da sua ajuda.

    By nelma on Oct 20, 2013

  53. Oi, eu não sei se sofro de dupla personalidade pq se auto-avaliar meio que parece que vc esta querendo ter isso, mas realmente eu me vejo em muitas faces, meus amigos me vem como uma pessoa seria e cruel as vezes, outras são tão alegre e divertida, em outras sou um poço se sentimentalismo e filosofia pura, sou um tanto negativa, ja pensei em suicidio (mas sempre fui covarde)e as vezes penso que meu lugar não é aqui! cheguei a pensar que talvez eu fosse bipolar…mas nunca se sabe! As vezes eu só gostaria de ter alguem com quem desabafar ou bater até a raiva que eu tenho sair.

    By Pessoa on Dec 14, 2013

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free