Doenças do Coração: Nossas Emoções e as doenças cardíacas. A influencia das emoções nas Pessoas que sofrem do coração

 Nossas emoções, seja ela qual for, vai sempre trazer uma mudança em nosso comportamento e vai alterar a função cardíaca, sendo que esta alteração pode ser desencadeada por raiva, ansiedade, medo, alegria, satisfação, etc., fazendo com que nosso organismo prepare-se pára se relaxar, defender, lutar ou fugir, modificando nosso ritmo cardíaco.

Veja sobre a influência do estresse na doença cardíaca

Veja sobre fatores de risco nas doenças coronarianas

Veja sobre fortes emoções no ataque cardíaco

Veja sobre aspectos emocionais nas doenças do coração

Veja sobre qualidade de vida e doenças cardíacas

O coração possui um sistema de controle próprio, embora esteja ligado ao sistema nervoso por dois sistemas distintos: o parassimpático e o nervo simpático.

A estimulação do sistema nervoso parassimpático produz importantes efeitos sobre o coração, como: freqüência diminuída dos batimentos cardíacos, força diminuída de contração do músculo cardíaco, condução retardada dos impulsos pelo nodo.

Este efeito diminui todas as atividades cardíacas, permitindo estágio de repouso e descanso ao coração e ao mesmo tempo ao organismo.

Na estimulação simpática os efeitos são opostos sobre o coração, pois quando este sofre estimulação há um aumento da freqüência cardíaca, força de contração cardíaca aumentada, velocidade da condução dos impulsos cardíacos pelo coração.

Para alguns indivíduos o medo ou enfrentamento de perigo, pode fazer com que este reprima uma ação, causando ansiedade. O medo é uma forma de defesa normal, porém para alguns indivíduos isso pode vir a ser como uma reação patológica, pois gera no indivíduo sentimento de insegurança.

Nem sempre é por meio da doença orgânica surgem os conflitos internos e as crises emocionais, porém estes conflitos contribuem para desencadear a doença, e degenerar a resistência do indivíduo, afetando seu equilíbrio homeostático.

A vida estressante, as perdas cotidianas ou perdas mais significativas, as alterações emocionais tanto de ordem positiva quanto negativas, alteram nosso sistema de controle e modificam nosso funcionamento.

Quando o indivíduo se defronta com uma dificuldade e não consegue elaborá-la, isso pode ocasionar uma quebra do estado de equilíbrio tornando-o mais propenso ao infarto.

O paciente coronariano tem uma forma psicológica de somatizar na qual o peso das emoções é transferido para um órgão ou parte de seu corpo.

A grande maioria das pessoas com problemas nos relacionamentos interpessoais, tende a usar mecanismo de defesa como projeção, e outros mecanismos que interferem em seu funcionamento prejudicando seu estado físico e psíquico.

A doença psicossomática pode ser entendida na relação que do indivíduo estabelece com o corpo, mente e meio externo, podendo sofrer alterações a ponto de se desorganizar no nível externo e interno.

A doença pode aparecer como uma forma de estruturação e não pode ser entendida isoladamente, pois depende de outros fatores como: meio cultural, físico, social.

O coração tem um grande significado a nível emocional e físico. Dessa forma, seja qual for a patologia, este indivíduo é um ser que possui uma história e uma personalidade singular.

O indivíduo quando sofre de cardiopatia, é atingido pela perda da onipotência, tornando-se uma pessoa com limitações, fragilizado, e com sentimento de que sua principal máquina que o mantém, está perdendo forças, enfraquecendo e minguando.

Segundo LAMOSA (1990) a importância de um estudo detalhado nos leva a compreender que os processos sociais, emocionais do indivíduo não podem ser excluídos no que se refere para a compreensão de um diagnóstico.

Existem evidências de que na vida cotidiana as tensões contribuem para o desenvolvimento de algumas doenças físicas, agudas e crônicas.

A Cardiopatia pode estar associada aos aspectos fisiológicos e também ao emocional devido as reações que são manifestas como: pressão, aceleração, parada cardíaca.

O papel das emoções reside no fato de serem expressas psíquica e fisiologicamente, sendo que o coração é sentido como ponto fundamental de queixas no que se refere à emoção e também quanto aos aspectos que este representa.

O coração é considerado como sede e origem das emoções e dos sentimentos, porém a realidade é que os efeitos destes sentimentos refletem sobre este órgão.

            Veja mais sobre doenças cardíacas, doenças coronarianas, doenças do coração, efeito das emoções nas doenças cardíacas, estresse e doença cardíaca, pessoas emotivas e doenças cardíacas, alterações das emoções na doença cardíaca, acesse estas categorias no site ou clique nos links desta página.

 

  1. One Response to “Doenças do Coração: Nossas Emoções e as doenças cardíacas. A influencia das emoções nas Pessoas que sofrem do coração”

  2. Oi,

    O Artigo vai de encontro ao que conversamos, vale a pena dar uma lida.

    Bjs

    By Wilson on Jul 11, 2010

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free