Depressão: Causas, sinais e sintomas de uma pessoa deprimida

A depressão e os sinais e sintomas que indicam pessoas que estão com esse transtorno de humor

Segundo Ivan (1987), a expressão facial de um paciente deprimido é de tristeza, abandono, desesperança, os olhos tendem a voltar-se para baixo, a movimentação corporal se torna lenta e a postura é corcunda, cabeça baixa, falta de apetite progressiva e conseqüente perda de peso, mau hálito, língua esbranquiçada e constipação intestinal.

Faça um teste e descubra se possui os sinais  e sintomas da depressão: clique em teste de depressão

Apesar de muito tempo de estudos sobre o tema, as dificuldades com o termo depressão permanecem até os dias de hoje (Stoppe e Neto, 1999).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que 3 a 5% da população mundial sofre de depressão (Ivan, 1987).

Arroyo (2000, p.13) define a depressão “como um distúrbio mental decorrente de um conflito interno e de uma alteração bioquímica, sendo que o conflito interno pode ser desencadeado ou despertado por vários fatores: psíquicos, orgânicos e sociais”.

De acordo com Teles (1992), a depressão está associada à frustração e desejos não realizados, além de outros fatores, tais como o stress, o perfeccionismo, o medo do fracasso, desequilíbrios hormonais, morte da mãe antes da adolescência, doenças como a anemia, hipo ou hipertireoidismo, diabetes, alcoolismo e problemas sexuais. A autora ainda prossegue especificando que a depressão severa tem as seguintes características: lentidão psicomotora da fala; sentimento de que a vida não vale mais a pena e que nada mais lhe dá prazer; o indivíduo sente-se pior pela manhã; dificuldade de tomar decisões; queixas generalizadas e sensação de frio.

Para Bleichmar (1983), o paciente depressivo tem um forte sentimento de culpa, vive um momento doloroso, podendo ser consciente ou inconscientemente. O paciente depressivo tem as seguintes características: identifica-se como infrator de uma norma e a maneira pela qual reage diante dessa situação é com a culpa persecutória, isto é, medo do castigo. Outra maneira de se identificar como infrator é sentindo pena do dano provocado e o desejo de repará-lo. Teles (1992) concorda que o sentimento de culpa no paciente depressivo é muito comum.

A depressão pode ser classificada em síndrome leve, moderada e profunda. No primeiro caso, o deprimido se sente incapaz, infeliz e reage de forma pessimista, desqualificando a si mesmo. No segundo, o indivíduo tem maiores dificuldades em suportar a pressão e acaba tendo um comprometimento na sua clareza de percepção. Já na depressão profunda, há uma tensão desagradável e constante de dor mental, que compreende angústia, desespero, desgosto e profundos sentimentos de raiva e medo. A insônia é um sintoma predominante (Solomon e Patch, 1975; Arroyo, 2000).

Dentro da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10) há três graus de depressão: leve, moderada e profunda. Os sintomas são assim definidos: F32 (CID-10, 2000, p. 327) “rebaixamento do humor; redução de energia e diminuição da atividade; alteração da capacidade de experimentar o prazer; perda de interesse; diminuição da capacidade de concentração; fadiga acentuada; problemas de sono e diminuição do apetite; diminuição da auto-estima e da autoconfiança; idéias de culpabilidade; lentidão psicomotora; agitação; perda de peso; e perda da libido”.

A CID-10 (2000) considera que na depressão leve, geralmente estão presentes ao menos dois ou três dos sintomas citados anteriormente. Apesar do deprimido sofrer com os sintomas, ainda há provavelmente uma capacidade de desempenhar a maior parte das atividades. Segundo Moreno e Soares (2003), neste grau da depressão, o indivíduo tem dificuldades para iniciar atividades.

Ainda na CID-10 (2000), na depressão moderada geralmente estão presentes quatro ou mais dos sintomas citados anteriormente. Neste caso o paciente aparentemente tem muita dificuldade para continuar a desempenhar as atividades de rotina. Já a depressão profunda pode ser sem sintomas psicóticos ou com sintomas psicóticos. No primeiro, vários dos sintomas são acentuados e angustiantes, como a perda da auto-estima e idéias de desvalia e culpa. Idéias de atos suicidas são comuns e observa-se em geral uma série de sintomas somáticos. No segundo caso, a depressão grave, há sintomas psicóticos, onde os vários sintomas presentes no caso anterior são acompanhados de alucinações, idéias delirantes e lentidão psicomotora. Para o deprimido, todas as atividades sociais normais tornam-se impossíveis, podendo existir o risco de morrer por suicídio, desidratação ou desnutrição.

Além dos graus de depressão mencionados na CID-10, acrescenta Teles (1992) que há vários tipos de depressão. Há a depressão grave, a crônica, a involutiva, a cíclica,  a vital e a depressão anaclítica.

 

  1. One Response to “Depressão: Causas, sinais e sintomas de uma pessoa deprimida”

  2. prezado colega:
    Tenho atendido muitas mulheres com depressão, com ou sem sintomas psicóticos mas com labirintite H83, O que pode dizer a respeito.

    Forte Abraço

    Carlos Alberto Zeilmann

    By CARLOS ALBERTO ZEILMANN on Oct 23, 2014

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free