CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MENTAL LEVE: Como diagnosticar e identificar a deficiência mental em crianças

CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MENTAL LEVE

É importante identificar e reconhecer os sinais da deficiência mental e do autismo infantil em crianças escolares para que as limitações não se tornem mais penosas e dificultosas no convívio social e escolar.

Conheça sobre testes psicológicos neste site. Clique também em teste de inteligência e testes de personalidade

De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais (DSM-IV, 1995) da American Psychiatric Association, as características essenciais do retardo mental são:

  • critério A : funcionamento intelectual significativamente inferior à média;
  • critério B: acompanhado de limitações significativas no funcionamento adaptativo em pelo menos duas das seguintes áreas de habilidades: comunicação, autocuidados, vida doméstica, habilidades sociais/interpessoais, uso de recursos comunitários, auto-suficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança;
  • critério C: o início deve ocorrer antes dos 18 anos (DSM-IV, 1994, p. 39).

 

É necessário que estas três condições estejam presentes para que um indivíduo seja considerado deficiente mental, para não ser cometido o engano devido a  um comportamento adaptativo prejudicado ou um quociente de inteligência rebaixado.

 

A classificação de deficiência mental é composta de quatro graus:

 

Deficiência Mental Leve                      (QI 50-70)

Deficiência Mental Moderada              (QI 36-50)

Deficiência Mental Severa                   (QI 35-20)

Deficiência Mental Profunda                (QI 0-20)

Para elaboração do presente trabalho, será abordada apenas a Deficiência Mental leve (DM leve), pois entende-se que a inclusão contempla esta categoria.

De acordo com o DSM – IV, a DM leve ou os chamados pedagogicamente de “educáveis” é  o maior grupo de portadores de necessidades especiais, atingindo cerca de 85% dos indivíduos deficientes mentais.

Outra fonte bastante utilizada é a Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10, que nomeia a infra-dotação diferente do DSM-IV, usando a terminologia retardo mental.

Segundo a CID-10 as categorias existentes são as seguintes:

Retardo Mental Leve                  QI (50-69)

Retardo Mental Moderado         QI (35-49)

Retardo Mental Grave                QI (20-34)

Retardo Mental Profundo           QI ( abaixo de 20)

 

De acordo com a CID-10, pessoas com retardo mental leve são capazes de total independência em cuidados próprios, potencialmente capazes de trabalhar em atividades práticas como trabalhos manuais e têm habilidades domésticas.

No que se refere ao êxito escolar, muitos têm problemas referentes à leitura e escrita, dificuldades na memorização de sons e imagens, na  elaboração de conceitos, na imaginação, criatividade, o vocabulário é empobrecido e dificulta a compreensão de instruções, dificuldade na atenção e concentração, mas são capazes de superar esta dificuldade com uma educação planejada (Mendes, 1996).

Segundo Assumpção Junior (apud Louzã Neto, 1995), a DM leve ou Retardo Mental Leve,  atinge cerca de 2 a 3% das crianças em idade escolar, não apresentam grandes prejuízos quanto à adaptação social, na comunicação e torna-se difícil diferenciá-los das crianças sem deficiência mental durante a infância.

Na adolescência podem chegar a cursar até a 6ª série (atual 2º ano do ensino fundamental II), mas seu nível de pensamento permanece na escala piagetiana das operações concretas (Louzã Neto, 1995).

Ao chegar à idade adulta, têm capacidade de se sustentar economicamente, adquirir uma profissão e estarem inseridos na sociedade de forma adaptada. As dificuldades dos Deficientes Mentais Leve ou Retardados Mentais Leve são bem próximas à das pessoas que possuem inteligência considerada normal (DSM – IV e CID-10).

Reconhecendo a capacidade que o portador de deficiência mental leve possui, busca-se através da inclusão escolar, garantir da melhor maneira possível o desenvolvimento do potencial destes indivíduos em um ambiente que visa transmitir o conhecimento produzido através das gerações à todos os cidadãos, sem exceção .

É importante lembrar que as limitações e dificuldades dos portadores de deficiência mental leve não desaparecerão, mas a inclusão escolar e social poderão facilitar e garantir melhorias na qualidade de vida destes indivíduos.

 

  1. One Response to “CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MENTAL LEVE: Como diagnosticar e identificar a deficiência mental em crianças”

  2. Meu marido foi diagnosticado com deficiência mental leve por volta dos 14 anos, hoje com 47 anos, pode esse número aumentar? Uma vez que estou percebendo várias mudanças em seu comportamento? poderia ser devido a isso a agressividade?

    By Elisete on Mar 9, 2015

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free