Avaliação do paciente no Hospital: Uso do Sistema Multiaxial DSM IV

Como avaliar o paciente no hospital e detectar os diferentes tipos de transtornos que influenciam na doença e no tratamento, bem como adotar uma classificação de acordo com o DSM IV

Segundo SPITZER e cols. (1996), o DSM-IV Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (APA, 1995), incentiva o uso de um sistema multiaxial para a avaliação, já que este sistema avalia o paciente em uma série de variáveis e em diversos eixos, cada qual referindo-se a um diferente comando de informações que podem vir ajudar o clínico a descrever o tratamento e até mesmo “adivinhar” o resultado. A classificação multiaxial do DSM-IV (APA, 1995) é composta de cinco eixos:

Eixo I Transtornos clínicos

Outras condições que podem ser um foco de atenção clínica

Eixo II Transtornos da personalidade

Retardo Mental

Eixo III Condições médicas gerais

Eixo IV Problemas psicossociais e ambientais

Eixo V Avaliação global do funcionamento

Segundo o DSM-IV (APA, 1995), o Eixo I traz alguns Transtornos como: do humor, de ansiedade, sexuais, alimentares, do sono, relacionados a substâncias e somatoformes. Já o Eixo II diz respeito aos Transtornos de Personalidade (Anti-Social, Paranóide, Dependente, Obsessivo-Compulsivo e outros) e Retardo Mental. No Eixo III analisa-se as Condições Médicas Gerais como: doenças infecciosas, neoplasias, doenças metabólicas, endócrinas, doenças do sistema nervoso, circulatório, respiratório, digestivo e outras). O Eixo IV vai relatar os Problemas Psicossociais e Ambientais como: problemas de educação, ocupacionais (desemprego), moradia (adequada, inadequada), problemas econômicos (pobreza, recursos financeiros inadequados), problemas com o acesso aos serviços de cuidados à saúde, problemas relacionados ao ambiente social (viver sozinho, discriminação, adaptação à transição no ciclo de vida como aposentadoria) ou ainda problemas relacionados com o grupo de apoio primário (família). E por fim o Eixo V, que é a Avaliação Global do Funcionamento, onde se considera o funcionamento psicológico, social, ocupacional em um continum hipotético de saúde-doença mental.

Diversos estudos observaram que o transtorno de somatização freqüentemente coexiste com outros transtornos mentais. Aproximadamente 2% dos pacientes com transtorno de somatização apresentam sintomas psiquiátricos identificáveis, e até metade dos pacientes têm outros transtornos mentais. Os transtornos da personalidade freqüentemente associados são aqueles caracterizados por aspectos paranóides, esquiva, autodestrutivos e obsessivos-compulsivos (KAPLAN, SADOCK e GREBB, 1997).

Os transtornos distímicos (humor deprimido) afetam de 3% a 5% da população geral e aproximadamente 30% a 50% dos pacientes de clínica psiquiátrica geral, e freqüentemente coexiste com outros transtornos mentais, especialmente transtorno depressivo maior, transtorno de ansiedade (principalmente, transtorno de pânico), abuso de substâncias e transtorno da personalidade borderline. Estes pacientes tendem a receber uma extensa variedade de medicamentos psiquiátricos, incluindo antidepressivos, antimaníacos (lítio, carbamazepina) e sedativos hipnóticos (KAPLAN, SADOCK e GREBB, 1997).

  1. One Response to “Avaliação do paciente no Hospital: Uso do Sistema Multiaxial DSM IV”

  2. Muito bom esse conteúdo…consegui entender com mais clareza algumas coisas q estava lendo a respeito.

    By Ivanira on Oct 30, 2011

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free