Atitudes e comportamentos do Psicólogo durante uma entrevista

Alguns pontos são importantes e devem ser considerados para atingir maior sucesso numa entrevista psicológica e com isso torná-la mais útil tanto para o entrevistado quanto para o entrevistador

Nossa filosofia determina nosso papel na entrevista e, dessa maneira, em grande parte determina o papel do entrevistado.

Nossas atitudes na entrevista que podem ser explícitas ou implícitas, expressas ou não, constituem nossa filosofia em relação à ajuda e à entrevista.

Uma entrevista de ajuda irá proporcionar uma experiência significativa levando o entrevistado à mudanças.

Uma mudança é provocada pelo resultado de um relacionamento.

Mudam-se idéias, sentimentos em relação a si mesmo e aos outros, alteram-se informações, cognições, e mudam-se atitudes.

• Qual o tipo de mudança que desejamos provocar?

• Qual a melhor maneira de obtê-la ?

O entrevistado deverá tirar informações úteis cognitivas e emocionais que possibilitem seu aprendizado e que possa encorajá-los a encontrar seu próprio caminho em seu crescimento pessoal.

• Como estimular a mudança no entrevistado?

Criar uma atmosfera de confiança, respeito, acreditar na sua capacidade, em tê-lo como responsável por si próprio e por suas ações, pensamentos e sentimentos.
Oferecer recursos para o autoconhecimento e ele se decidir em como e quando mudar
Papel do entrevistador ativo e vital. Interessado e participativo ajudando-o a buscar a si mesmo, sendo útil e adequado, sem criar dependência.
O entrevistador trazer sua habilidade profissional, experiência e informações, bem como calor humano e estima e colocá-los à disposição do entrevistado, permitindo que amplie seus próprios recursos

• Aceitação do entrevistado:

Tratá-lo como igual e considerar seus pensamentos e sentimentos com respeito. Não quer dizer concordar, porém saber que ele tem direitos e valores próprios. Não julgar!!.

• Compreensão:

É essencial que o entrevistado tenha certeza de que foi e está sendo compreendido
Podemos perceber que existem 3 níveis para compreensão:
Saber sobre alguém (através dos olhos dos outros)
Saber diretamente (com minha própria referência)
Saber com a outra pessoa (como ela pensa, como ela vê e sente o mundo)

• Ouvir:
Atenção plena, tom de voz, gestos, expressões faciais, esforçar em perceber o que não está sendo dito (está oculto, entre linhas). Ouvir também a si mesmo na entrevista. Repetir, parafrasear, fornecer feedback

• Saber ouvir: Objetivos para ouvir com compreensão

Como o entrevistado pensa e sente em relação a si mesmo; como ele se percebe.
O que ele sente e pensa sobre os outros em seu mundo, especialmente aqueles que lhe são importantes; o que ele sente e pensa em relação às pessoas em geral.
Como ele percebe os outros relacionados consigo; como, em sua opinião, os outros pensam e sentem a seu respeito, especialmente aqueles que são importantes em sua vida.
Como percebe o material que ele, o entrevistador ou ambos desejam discutir. O que pensa e como sente sobre o que está envolvido.
Quais são suas aspirações, ambições e objetivos
Que mecanismos de defesa emprega.
Que mecanismos de enfrentamento usa ou é capaz de usar.
Quais são seus valores; qual é sua filosofia de vida.

• Empatia na compreensão

“Compreender com”. Sentir a estrutura interna de referência do entrevistado. “Como se…”.
Compreender como o outro vivencia, sente, pensa, se aproximando o mais possível do mundo dele, porém saber retomar a si mesmo para poder ajudá-lo.

• Simpatia X Empatia X Identificação

Simpatia = repartir sentimentos, interesses e lealdades comuns pode se relacionar a piedade, caridade, costumes, compaixão, etc.

Identificação = quero ser como ele, pensar como ele, sentir e agir como ele. Substituí-lo, viver a vida do outro

Empatia = Envolve sempre dois “eus” separados distintamente. Envolve o “como se…”, porém distinguindo no ponto necessário para retomar o si mesmo.

• Reações do entrevistado:

O entrevistado responde ao nosso comportamento na entrevista
Calor, frieza, interesse, atenção, indiferença, temor, insegurança.
Reagirá a tudo de nós que estamos apresentando.

• Como o entrevistador poderá agir:

Humanizar a essência. Expor sua humanidade tanto quanto possível.
Deixar de lado qualquer “máscara ou equipamento profissional” que crie barreiras
Ser sincero, autêntico, congruentes.
Não apenas agir, mas “SER” humano, sensível e consciente
Ser livre, espontâneo e abertos para poder estar com o entrevistado de maneira integral e genuína.

Veja mais sobre entrevista psicológica

  1. 2 Responses to “Atitudes e comportamentos do Psicólogo durante uma entrevista”

  2. Parabéns… adorei e tudo isso serviu para mimestudar e conhecer mais sobre entrevista uma vez que pretendo ser psicológa… parabéns…

    By vanuzia on Sep 30, 2008

  3. adorei mim ajudou muito a obter mais conhecimento sobre o comportamento do psicólo passei por isso um dia desses e foi constrangedor se eu tivesse visto esse documentario antes tenho certeza que teria sido diferente obrigada

    By Ramanda on Apr 5, 2010

Post a Comment

Spam protection by WP Captcha-Free