Personalidade: como é formada nossa personalidade

Como se forma a personalidade de uma pessoa

A personalidade corresponde a um conjunto de traços marcantes que demonstra como a pessoa age no mundo e como enfrenta sua realidade. Veja neste site diferentes definições de personalidade e acesse os testes de personalidade, testes psicológicos, teste de ansiedade, teste de TDAH, teste de depressão.

A formação da personalidade ocorre durante toda a vida do indivíduo e se caracteriza pelas experiências de vida e pelas condições genéticas e ambientais que a pessoa vivencia em sua existência.

Diferentes teóricos postulam teorias que desmistificam a formação da personalidade e procuram ajudar a conhecer os principais fatores desencadeantes que provocam jeitos de agir e atuar no mundo.

Uma das teorias que explica a personalidade é a teoria da aprendizagem social definida com o autor Bandura. A personalidade resulta da interação do contexto social, dos fatores pessoais (estruturas cognitivas, expectativas, valores, competências) e do comportamento – reciprocidade triádica, pois cada um dos três atua como determinante indissociável dos outros (Papalia, Olds & Feldman, 2001; Sprinthall & Sprinthall, 1993).
Para este autor,  o contexto social é o cenário fundamental para a ocorrência da aprendizagem e o indivíduo pode mudar o seu comportamento através do reforço vicariante: forma de aprendizagem indireta uma vez que resulta da observação e imitação de modelos, isto é, o sujeito aprende a partir da reprodução de um modelo que observou e cujo comportamento foi reforçado (aprendizagem por observação/modelação) (Papalia, Olds & Feldman, 2001; Sprinthall & Sprinthall, 1993)

Já o autor Erick Erikson optou por uma teoria psicossocial, dando maior relevância aos aspectos sociais, sobretudo à importância das experiências vividas nas várias etapas do desenvolvimento.. Este autor  estudou, então, todo o ciclo de vida (do nascimento até à velhice), dividindo-o em oito estádios, em que cada estádio contribui de forma específica para a formação da personalidade, mantendo a sua importância mesmo depois de ter sido ultrapassado, visto que todo o processo é interdependente – os êxitos e fracassos vividos anteriormente influenciam os estádios seguintes (Palacios & Hidalgo, 2004).

O pai da Psicanálise, Sigmund Freud define a personalidade como marcada pelo desenvolvimento psicossexual, que se divide em 5 estádios: o oral (do nascimento até aos 18 meses), o anal (dos 18 meses aos 3 anos), o fálico (dos 3 aos 7 anos), o de latência (dos 7 aos 12 anos) e o genital (adolescência).
O período em estudo (6 aos 12 anos), denominado estádio de latência, caracteriza-se por uma etapa de relativa tranquilidade, onde há uma diminuição das pulsões sexuais e dos desejos hostis. As relações passam a ser mais tranquilas, acolhedoras e afetuosas. Isto acontece devido ao declínio da conflituosidade edipiana (complexo de Édipo/Electra) dos anos anteriores. Assim, os desejos edipianos são substituídos pela identificação com o progenitor do mesmo género do qual se apropria de determinados aspectos, atributos ou traços. Tal fato é possível pela formação do superego, com a resolução do complexo de Édipo, que pressupõe a interiorização das normas e dos valores presentes no meio social (Palacios & Hidalgo, 2004).

Outros autores possuem definições diferentes da personalidade e você pode encontrar neste site mais resumos e descrições da personalidade, bem como aproveitar e verificar os testes de personalidade que podem ajudar a conhecer um pouco mais sobre seu jeito de ser e atuar no mundo

Acesse a categoria personalidade e testes de personalidade, teste psicológicos.

 

Esquizofrenia: Formas clínicas e evolução da doença em jovens e adultos

A esquizofrenia é uma doença mental que atinge um número significante de sujeitos em todo o mundo. Veja mais sobre Esquizofrenia, Esquizofrenia paranóide, teste psicolólgico, teste de personalidade, teste de ansiedade

Estima-se que até 3% da população mundial pode desenvolver este transtorno, quer seja, por condições genéticas e hereditárias, quer seja por situações provocadas pela experiência de vida.

A Esquizofrenia atinge principalmente os jovens, de forma igualitária entre os gêneros masculino e feminino. A Esquizofrenia costuma ser desencadeada principalmente na fase da adolescência e idade adulta, podendo acontecer casos com aparecimento da doença em jovens de menos idade e até mesmo na infância.

Algumas características da esquizofrenia são:

1)Alterações do pensamento: delírios (alteração do conteúdo do pensamento), interrupções do pensamento (alterações do curso do pensamento) e pensamento desagregado (alteração da forma do pensamento).

2)Alterações da senso-percepção: alucinações (auditivas, visuais, olfativas, etc.).

3)Alterações da consciência do eu: perda da autonomia, do limite, da identidade e da unidade do eu.

4)Alterações do afeto: incapacidade de vibrar com o sentimento, embotamento afetivo, frieza afetiva.

5)Alterações da volição (vontade): hipobulia (muito pouca vontade de fazer as coisas) e abulia (nenhuma vontade de fazer as coisas).

6)Alterações da psicomotricidade: estupor, agitação.

A Esquizofrenia apresenta mais do que uma forma clinica que pode ser classificada da seguinte maneira:

Formas Clínicas:

1)Esquizofrenia paranóide – predominam delírios e alucinações (melhor prognóstico).

2)Esquizofrenia hebefrênica – início jovem, mais grave, risos imotivados, etc.

3)Esquizofrenia catatônica – apresenta agitação psicomotora ou estupor, ou seja, a pessoa fica parada horas e horas numa posição.

4)Esquizofrenia residual – negativos sintomas estão presentes sempre (autismo, abulia, embotamento do afeto) e positivos sintomas estão presentes só que atenuados (delírios, alucinações).

5)Esquizofrenia indiferenciada – permanecem as ilusões, delírios, desorganizações da fala e do comportamento de forma acentuada.

Tratamentos:

1)Apoio, orientação, de psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais.

2)Medicação – antipsicóticos também chamados de neurolépticos.

3)Apoio à família orientando seus membros sobre a doença e como lidar com o doente.

4)Eventual internação hospitalar especializada em casos de agitação, tentativas de se agredir ou agredir outras pessoas, etc.

Evolução:

-         25% permanecem com defeitos de comportamento

-         50% permanecem com a doença que se torna crônica

-         25% evoluem para a cura

Prognóstico:

Há bom prognóstico se há: inteligência, início tardio da doença, melhor apoio familiar, diagnóstico precoce e tratamento adequado, e nas formas catatônicas e paranóides.

Há prognóstico ruim se há: déficit de inteligência, início cedo da doença, família desagregada, nas formas hebefrênicas e indiferenciadas (simples), e se há história de psicose na família.

 

 

O ciúme patológico e o desgaste no relacionamento por conta deste sentimento

Os problemas causados pelo excesso de ciúmes em um relacionamento pode não ficar somente nas consequências do desgaste da relação ou no término deste relacionamento. As consequências do ciume patológico podem se tornar sérias e drásticas, caso a pessoa que sente a perda tiver uma doença denominada ciúme patológico. Veja sobre teste de ciúmes, testes psicológicos e teste de personalidade.

O ciúme patológico se origina por diferentes causas, mas sempre permeado por uma insegurança e por uma baixa autoestima.

Esta insegurança no relacionamento pode ter sido gerada por fatos reais, ou seja, descoberta de traições, suspeita, provocações ou distanciamento do casal, mas também pode ter sido alimentada por fantasias de perdas.

Desta forma, se você sofre com problemas de ciúmes, ou se relaciona com alguém que seja e se este sentimento está causando problemas, não tenha medo de procurar ajuda. Esse é um passo muito importante que pode salvar você e seu relacionamento. A terapia é o melhor caminho para desvendar o que está por trás desses sentimentos doentios, aprendendo a lidar com eles e conquistando uma vida de qualidade, com relações saudáveis e gratificantes.

O ciúme patológico é uma doença que envolve pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos na tentativa de controle da outra pessoa, gerados pela insegurança e pela ideia de perda do relacionamento.

Este sentimento é geralmente dominado por pensamentos paranóicos, dúvidas infundadas, receios, fantasias e certezas vagas e imprecisas. Ele é como um vulcão em constante ameaça de erupção e tem um modo distorcido de vivenciar o amor ou a paixão prejudicando as relações interpessoais, chegando a causar muitos transtornos nas vidas dos envolvidos.

Mas, ainda que sejam traições e possibilidades reais, o ciumento patológico não consegue lidar com a perda da pessoa amada, pois a vê como posse sua, um objeto ao qual ele não está disposto a ceder e pode reagir de forma violenta, pois se trata de uma pessoa passional, que não consegue lidar com seus sentimentos de abandono, rejeição e solidão, defendendo-se de modo agressivo e impulsivo e, na maioria das vezes, desastroso.
Veja mais sobre esta categoria neste site de descubra um teste de ciúmes para identificar o nível deste sentimento em seu relacionamento.

Acesse as demais categorias de relacionamentos neste site e também sobre outros testes psicológicos.

 

Ciúmes doentio. Identificando o ciúmes antes que se torne insustentável a relação

O ciúme patológico ou ciume doentio. Como aprender a manter uma relação saudável e identificar o ciumes patológico ou doentio antes que ele se torne um fator insustentável para ambos na relação

Veja ainda neste site um teste para descobrir o quanto voce é ou está ciumenta. Teste de ciúmes. Teste de personalidade. Teste de ansiedade e Teste de depressão

É muito importante que cada um de nós perceba se a forma como estamos relacionando com a pessoa amada, está saindo fora do normal, se estamos ficando possessivos e quais hábitos estamos fortalecendo com a pessoa amada, como por exemplo: ficar telefonando mais que o normal, enviar mais mensagens que o normal, ficar vigiando facebook e outras redes sociais para tentar encontrar algo que vá causar atrito no relacionamento, etc.

O ciúme doentio pode causar problemas para quem sofre dessa patologia, mas também para a pessoa que o ciumento gosta, bem como para todas as pessoas que estão à volta deles. Por isso, se você convive com uma pessoa que é demasiadamente ciumenta sempre procure ter um diálogo aberto para que possíveis fatos geradores do ciúme sejam esclarecidos. Mas, se a pessoa ciumenta é irredutível em seus pensamentos e atitudes, demonstra-se agressiva e impaciente, procure afastar-se até que ela consiga realizar um tratamento e se conscientizar de que sofre de uma doença.

Consegue se perceber se o ciúme é normal ou doentio através do comportamento da pessoa. A pessoa que sente ciúmes de maneira doentia possui uma necessidade de sempre saber onde a outra pessoa está que horas voltará. Ela tem a necessidade excessiva de controlar a outra pessoa e não gosta de quem ninguém se aproxime, pois sente-se ameaçada com a aproximação de outras pessoas, achando que irá perder a pessoa de que gosta. O fuxico também faz parte do ciúme doentio. Acesso compulsivo ao telefone celular para verificar ligações e mensagens e as redes sociais da pessoa amada também demonstra um excesso de ciúme.

O ciúme é um estado da pessoa de sentir medo de perder alguém de que se gosta muito. Quando o ciúme é caracterizado como normal, o comportamento de quem está sentindo esse sintoma e de preocupação e ele geralmente ocorre baseado em fatos concretos. Sentir ciúmes é normal, mas desde que ele seja demonstrado com limites pra que esse sentimento não acabe gerando um problema. O problema é quando esse ciúme ocorre de maneira duradoura, com muita frequência e sem motivos. Nesse caso, o ciúme pode ser entendido como um ciúme doentio.

 

Curso na área da Psicologia CETES Hcor. Atendimento a vítimas e a emergências

Cursos na área da Psicologia. Curso CETES HCOR sobre atendimentos a vítimas e emergências

Veja sobre cursos na área da Psicologia.  Cursos grátis e cursos pagos na área da Psicologia

Acesse a categoria de cursos e conheça cursos já realizados e novos cursos na área da Psicologia. Cursos na USP grátis. Cursos de pós graduação em Psicologia. Cursos na área da Saúde

Segue abaixo um curso para diferentes profissionais, inclusive Psicólogos

Buscando preparar o profissional de saúde (Enfermeiros, Médicos, Psicólogos, Fisioterapeutas e outros) para reconhecer várias situações de emergência, o CETES HCor oferece o curso BLS. Nele, além de aprimorar suas habilidades de resgate de vítimas adultas, lactantes e crianças, você também treina reanimação cardiopulmonar, manobras de desobstrução das vias aéreas e o uso do desfibrilador externo automático. Acesse o link para conferir todas as informações
http://siteiep.hcor.com.br/EventDetail.aspx?EventID=555

Como medir a depressão em 10 perguntas. Teste Psicológico para medir a Depressão

Teste de depressão em 10 perguntas.  Descubra e identifique sinais de depressão e de tristeza vivenciados nos últimos dias por meio de 10 perguntas. Teste de depressão

Veja também sobre outros testes psicológicos, teste de ansiedade, teste para TDAH, teste de personalidade, Acesse a categoria de testes neste site e conheça sobre diversos Testes psicológicos.

Este teste de depressão pode auxiliar para que você identifique o quanto a depressão pode estar atrapalhando sua vida e seus relacionamentos, bem como ajuda a orientar a necessidade de busca de uma avaliação mais apurada com profissionais especializados como Psicólogos e Psiquiatras.

Responda as questões abaixo e para cada resposta atribua uma pontuação de 1 a 5.

Ao responder as perguntas considere como se sentiu nos últimos 10 dias ou na última semana.

Teste de Depressão:

Atribua  5 = frequentemente (muitas vezes, foi muito afetado por isso)

Atribua  3 = regularmente (nem muito nem pouco, foi pouco afetado por isso)

Atribua  1 = raramente (praticamente não foi afetado por isso)

Na ultima semana sentiu-se com dificuldades:

  1. Teve grande incidência de pensamentos negativos                                                        (     )
  2. Sofreu com insônia, alterações do sono, sono incompleto                                         (     )
  3. Não conseguiu se concentrar no trabalho ou atividades e tarefas                           (     )
  4. Houve aumento do cansaço físico experimentado no final do dia                           (     )
  5. Deixou de realizar tarefas ou concluir assuntos importantes                                    (     )
  6. Sentiu-se inseguro, descapacitado e com dificuldades de realizar atividades    (     )
  7. Teve vontade de desistir e de sumir ou se distanciar de tudo e de todos              (     )
  8. Teve problemas digestivos  e de alimentação, perda ou aumento de apetite      (     )
  9. Teve  dores de cabeça, mal estar, tontura, problemas de visão                                (     )
  10. Sentiu perda de energia, fraqueza corporal, fadiga excessiva                                    (     )

Resultados:

Faça a somatória dos pontos e identifique a categoria sobre os efeitos do estresse e da ansiedade em sua vida neste momento:

Pontuação  entre  40  as  50  pontos  =  Nível de Depressão alto  (busque avaliação médica e profissional, pois este índice demonstra grande comprometimento em sua vida e seu bem-estar)

Pontuação entre 30 a 40 pontos = Nível depressivo acima do normal (importante ter reavaliar seus pensamentos, pois as conexões negativas que fazemos podem favorecer cada vez mais o quadro depressivo e consequentemente aparecerem sinais físicos prejudicando seus relacionamentos e sua saúde).

Pontuação entre  20 a 30 pontos = Nível depressivo médio o que pode significar momentos de vida que estão exigindo maior atenção e preocupação, ou ainda, que estão coincidentemente acontecendo fatos negativos que fazem aumentar  a desmotivação e cansaço diário). Aconselhável focalizar pontos positivos para que possam combater as situações negativas e aumentar o enfrentamento.

Pontuação entre 10 e 20 pontos = Nível de tristeza e não demonstra quadro depressivo , relacionados com situações de perdas transitórias ou situações habituais negativas nas quais todos podemos estar incluídos. Seria impossível atravessarmos a vida sem situações negativas, uma vez que não podemos e nem conseguimos controlar o futuro e todas as situações que nos circulam. Aconselhável focalização nos pontos positivos e em atividades de lazer para combater os pensamentos negativos e aumentar o foco de enfrentamento das dificuldades.

Pontuação de 0 a 10 pontos = Nível de tristeza pouco comprometedor, uma vez que a pontuação indica grande capacidade de enfrentamento e que as atividades negativas decorrentes dos acontecimentos da vida conseguem ser minimizadas.

 

Teste de 10 perguntas para detectar a ansiedade. Novo teste para detectar Ansiedade e Estresse

Faça o Teste de Ansiedade  e teste de estresse em 10 perguntas. Descubra se no momento atual de sua vida estes fatores estão influenciando nos seus relacionamentos e na sua saúde.

Faça ainda outros testes de ansiedade, teste de depressãotestes de estresse, testes de personalidade e outros testes psicológicos explorando estes itens em nosso site.

Teste de Ansiedade e Teste de Estresse em 10 perguntas

Responda as perguntas abaixo e depois some sua pontuação para identificar sinais de alta ansiedade e estresse

Coloque o número correspondente em cada frase de acordo com  como se sentiu na ultima semana:

5 = frequentemente (muitas vezes, foi muito afetado por isso)

3 = regularmente (nem muito nem pouco, foi pouco afetado por isso)

1 = raramente (praticamente não foi afetado por isso)

Na ultima semana sentiu-se com dificuldades:

  1. Em relação ao cansaço físico experimentado no final do dia                                        (     )
  2. Em relação aos pensamentos e preocupações com tarefas e compromissos         (     )
  3. Em relação a dormir (teve insônia, alterações do sono, sono incompleto)            (     )
  4. Em relação a manter-se concentrado em assuntos ou tarefas                                      (     )
  5. Em relação a terminar uma tarefa, concluir um assunto                                                 (     )
  6. Em relação a sentimento de insegurança, receios e preocupações com futuro     (     )
  7. Em relação a problemas digestivos  e alimentação                                                            (     )
  8. Em relação a dores de cabeça, mal estar, tontura, problemas de visão                    (     )
  9. Em relação a pensamentos negativos e desconfianças                                                     (     )
  10. Em relação a perda de energia, perda de motivação, desinteresse geral                 (     )

Resultados:

Faça a somatória dos pontos e identifique a categoria sobre os efeitos do estresse e da ansiedade em sua vida neste momento:

Pontuação  entre  40  as  50  pontos  =  Alto nível de estresse e ansiedade (busque avaliação e tente diminuir suas tensões com maior distração e lazer para compensar os efeitos nocivos do estresse e da ansiedade em sua vida)

Pontuação entre 30 a 40 pontos = Nível de estresse e ansiedade acima do normal (importante ter compensações de lazer e diminuir as preocupações diárias para evitar um acúmulo e desgaste, prejudicando seus relacionamentos e sua saúde).

Pontuação entre  20 a 30 pontos = Nível de estresse e ansiedade considerados médio (normal) em relação ao padrão habitual, uma vez que as atividades cotidianas trazem uma necessidade de investir energia e nem sempre todos os resultados são perfeitamente atingíveis em todo o tempo.

Pontuação entre 10 e 20 pontos = Nível de estresse de baixo normal em relação ao padrão habitual, mostrando que consegue atingir seus objetivos com satisfação e prudência, não prejudicando resultados facilitando com mais frequência os resultados positivos nos relacionamentos e mantendo a saúde em níveis adequados a ótimo

Pontuação de 0 a 10 pontos = Nível de estresse e ansiedade muito abaixo da média, indicando pouca energia a assuntos cotidianos que podem prejudicar o interesse em novas metas ou desrealização com a vida.

Veja outros testes de ansiedade e estresse neste site, veja ainda sobre outros testes psicológicos e testes de comportamentos. Explore o site e descubra testes de personalidade, testes de TDAH, testes de ciúmes, etc.

Transtorno Borderline: Características e sintomas de pessoas com transtorno borderline

Como se manifesta o transtorno borderline e como identificar uma pessoa com esse transtorno de personalidade

O transtorno de personalidade borderline também é considerado como transtorno de personalidade impulsiva ou explosiva, pois indivíduos acometidos por esse transtorno apresenta sintomas característicos de baixo enfrentamento a frustrações, agressividade, auto-ataque e uma impulsividade fora de controle. Acesse por meio deste link teste de personalidade, testes psicológicos, teste de depressão, teste para TDAH e teste de ansiedade.

O transtorno borderline é relativamente comum e resulta em consideravel comprometimento na vida do indivíduo. O tratamento psicoterápico deste transtorno de personalidade, assim como em outros casos, é bastante difícil, pois existe frequentemente o risco de resultados negativos, principalmente em algumas abordagens terapeuticas menos diretivas.

A aplicação diretas de técnicas comportamentais e terapia cognitiva apresentam níveis mais alto de eficiência e resultados mais satisfatórios, devido aos principios focados e diretivos destas abordagens terapeuticas, uma vez que o paciente passa a ter maior controle sobre seus sintomas e comportamentos.

O transtorno de personalidade borderline é definido como presente em individuos com ma padrão persistente de perceber, relacionar-se e pensar acerca do ambiente e de si mesmo, no qual há problemas numa variedade de áreas, ncluindo dificuldades maiores em relacionamentos interpessoais, humor oscilável e distorções de auto-imagem.

As características mais marcantes de indivíduos com transtorno de personalidade borderline são a intensidade de reações emocionais distorcidas nestes clientes, a labilidade de humor, alterando do depressivo ao eufórico, variedade de sintomas adjacentes que alteram comportamentos, pensamentos e atitudes, agitação ansiosa, raiva intensa ou impulsividade na solução de problemas ou ataque ao outro, realizam ações que depois de um tempo percebem que são irracionais e desnecessárias, mas já foram feitas e as consequencias são marcantes, com isso se tornam contra producentes e imprevisíveis.

Apresentam dificuldades comportamentais, sentimentos e pensamentos que tipicamente tem um padrão errático, inconsistente, e comprometedor, pois agem sem pensar, ou sem freio em sua impulsividade, muitas vezes agredindo ou deslocando ao outro uma agressividade que não era de origem destinada àquela indivíduo ou situação.

o entanto, estes indivíduos não agem assim o tempo todo, muitas vezes se portam de maneira controlada, adequada e eficiente, mostrando-se capazes de interagir consistentemente, porém em momentos variados apresentam o descontrole emocional e comportamental que distorcem a imagem inicial e demonstram o quanto estão comprometidos por estes sintomas.

A busca da terapia ocorre normalmente em momentos de crises e, muitas vezes, passado ou controlado estas crises, sentem que não mais precisam de tratamento e agem novamente de forma impulsiva e imprecisa, retirando-se do tratamento e excluindo o aprendizado e os recursos ganhos em terapia.

O trabalho terapeutico precisa ser constante e eficaz, com bom vinculo e com capacidade de registrar e trabalhar o histórico de vida do paciente para que ocorra maior engajamento e se alcance resultados satisfatórios e consistentes numa terapia focada e dirigida numa abordagem que permita a atuação participativa de ambos terapeuta e cliente.

Voce pode saber mais sobre transtorno de personalidade, transtorno borderline, pessoa borderline e também sobre outros transtornos de personalidade, acessando estas categorias no site ou clicando nos links desta página. Acesse também os testes de personalidade e testes psicológicos.

Transtorno de personalidade Esquizotípico: Diagnóstico diferencial

Como identificar o transtorno esquizotípico de personalidade. Veja também sobre outros transtorno de personalidade, teste de personalidade, dupla personalidade e testes psicológicos acessando estas categorias neste site.

Os principais sintomas de uma pessoa que sofre de transtorno esquizotípico de personalidade incluem o isolamento social, afeto contraído e inadequado, comportamento inusual, características estranhas ao olhar de outras pessoas, no jeito de vestir, falar, andar e até mesmo dormir ou se alimentar.

O transtorno esquizotípico de personalidade diferencia da esquizofrenia, pois na esquizofrenia muitas vezes estão presentes outras sintomas que incluem o ouvir vozes, comportamento catatônico, sentimentos de grandeza, como falar com Deus, mensageiro, domínio oculto, etc.

As distorções cognitivas no transtorno esquizotípico estão entre as mais severas dentre os transtornos de personalidade. Estas disfunções e distorções incidem em quatro temas ou modalidades.

Em primeiro plano ocorre com muita frequencia ideação paranóide, ou seja, o sujeito acha que alguém está contra ele, ou o está perseguindo, ou ainda tramando algo ruim contra.

A segunda questão cognitiva envolvida refere-se à idéia de que alguns acontecimentos estão relacionados, ou seja, um dependente do outro, por exemplo, acham que por ter virado o chinelo para cima alguém da família vai morrer, ou que se sentir cheiro de flor, algo ruim vai acontecer na família. Eles sustentam estes pensamentos a ponto de acreditar e desenvolver comportamentos na tentativa de se assegurar destas catastrofes, que para eles são reais.

O terceiro pensamento muito comum refere-se a pensamentos e sentimentos envolvendo crenças estranhas aos demais, ou de pensamentos mágicos, como por exemplo, de que alguém morto irá voltar, de que alguém de outro planeta pode estar entrando na terra, etc.

O quarto pensamento que está presente em muitos casos do transtorno de personalidade esquizotípico refere-se a ilusões que para eles são verdadeiras e concretas, por exemplo sombras na parede que acham que seja pessoas de verdade, marcas em borrões de tintas que significam recados enviados por outras pessoas, barulho de estação de rádio que estão dando sinal de invasão terrestre, etc.

Além de apresentarem estes tipos de pensamentos e sentimentos estranhos, eles ainda possuem um jeito estranho e esquisito de comunicarem estes “achados”, pois acabam falando com uma voz estranha, psicodélica ou fatasmagórica, de forma a manter suas ilusões e pensamentos sustentados pelo seu próprio jeito de agir.

O comportamento esquisito da pessoa contribui para o isolamento social, distanciamento de outras pessoas e rejeição, prejudicando ainda mais seu quadro clinico e afastando a possibilidade de tratamento adequado.

Voce pode buscar mais informações sobre transtornos de personalidade, dupla personalidade, esquizofrenia e demais distúrbios acessando estas categorias no site ou clicando nos links deste post.

Algumas explicações sobre Transtorno de dupla personalidade e transtorno de personalidade dissociativa

Como explicar os Transtorno de personalidade: Transtorno de dupla personalidade ou Transtorno de Personalidade Dissociativa

Os transtorno de personalidade são característicos de problemas e dificuldades que algumas pessoas desenvolvem desde a tenra infância. Neste site voce pode ter acesso a mais posts sobre transtorno de personalidade, transtorno de dupla personalidade e testes de personalidade e testes psicológicos

As características dos transtornos de personalidade muitas vezes confundem os médicos e especialistas, devido às pessoas que são acometidas pelos transtornos apresentarem sintomas semelhantes a outros transtornos, o que dificulta um diagnóstico.

Os transtornos dissociativos ou de dupla personalidade são doenças psicológicas que ainda apresentam divergências no meio médico e acadêmico, quanto à sua origem, manutenção e desenvolvimento. Alguns especialistas descaram estes transtornos, pois somente admitem a coexistência ou comorbidade destes transtornos com sintomas e transtornos agregados.

A dificuldade em diagnosticar a dupla personalidade se dá em virtude dos poucos estudos e pesquisas documentadas feitas sobre estes pacientes e também por conta de inúmeros casos terem sido disgnosticados com transtornos semelhantes que agregam os sintomas também presentes no transtorno de personalidade dissociativa.

Alguns tipos de esquizofrenia, por exemplo, são muitas vezes confundidos com o transtornos de personalidade dissociativa ou dupla personalidade, pois em ambos os casos ocorre a dissociação, ou a cisão com a realidade, provocando pensamentos, sentimentos e comportamentos considerados totalmente estranhos para o indivíduo, como se não fosse ele que estivesse os cometendo.

Alguns casos de transtorno de dupla personalidade ou mais do que uma personalidade são temas de filmes e teatros, nos quais se evidenciam a mudança de caráter entre cada personalidade, ocorrendo total ou parcial cisão entre elas, a ponto da pessoa desconhecer completamente o que cada uma faz, pensa ou executa.

Define-se o transtorno dissociativo como um processo mental complexo que promove aos indivíduos um mecanismo que possibilita-os enfrentar situações traumáticas e/ou dolorosas. É caracterizada pela desintegração de sua existência.

A integração do ego, sendo o ego o centro da personalidade, pode ser definido como a habilidade de um indivíduo em incorporar à sua percepção, de forma bem-sucedida, eventos ou experiência externas, e então lidar com elas consistentemente através de eventos ou situações sociais.

Alguém incapaz disso pode passar por uma desregulagem emocional, bem como um potencial colapso do ego. Em outras palavras, tal estado de desregulagem emocional é, em alguns casos, tão intenso a ponto de precipitar uma desintegração do ego, ou o que, em casos extremos, tem sido diagnosticado como uma dissociação.

Veja mais sobre transtornos dissociativos, transtorno de dupla personalidade, transtornos de personalidade e testes de personalidade acessando estas categorias neste site ou clicando nos itens deste post